Casos de violência contra a mulher aumentam com o isolamento social

Por Daiana Barasa

Feminicídio no Brasil em tempos de isolamento tende a se tornar um problema de maior dimensão

O drama da violência contra a mulher só aumentou com o isolamento (medida decorrente da pandemia do novo coronavírus). A ONU Mulheres, entidade da Organização das Nações Unidas para igualdade de gênero e empoderamento, divulgou em abril o relatório “A sombra da pandemia: violência contra mulheres e meninas e Covid-19”.

Uma em cada três mulheres em todo o mundo já sofreu violência física e/ou sexual e isso tende a piorar por conta da pandemia e orientação de isolamento. Na Zona Leste de São Paulo, por conta do aumento de episódios de violência, mulheres imigrantes moradoras da região, criaram um grupo de apoio no WhatsApp, para receber pedidos de socorro e oferecer ajuda às vítimas de violência.

A diretora executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, em declaração emitida em abril, falou sobre a tensão criada pelo confinamento e a pressão por conta das preocupações relacionadas à segurança, saúde e dinheiro. O isolamento das mulheres com parceiros violentos tem aumentado, fazendo com que essas mulheres sejam separadas das pessoas e dos recursos que podem auxiliá-las.

Esse cenário, segundo Phumzile é “uma tempestade perfeita” para controlar o comportamento violento a portas fechadas, além disso, com o sistema de saúde sobrecarregado por conta da pandemia, os abrigos de violência doméstica estão atingindo a sua capacidade máxima.

O problema da violência contra a mulher já representava uma demanda alarmante , nos 12 meses anteriores à pandemia, 243 milhões de mulheres e meninas (de 15 a 49 anos) em todo o mundo, foram submetidas à violência sexual ou física por um parceiro íntimo. Conforme o isolamento continua, esse número tende a crescer com múltiplos impactos no bem-estar das mulheres (em sua saúde sexual e reprodutiva, em sua saúde mental e em sua capacidade de participar e liderar a recuperação de nossas sociedades e economia).

FEMINICÍDIO NO BRASIL EM TEMPOS DE ISOLAMENTO

No Brasil, em 2019, dos 3.739 homicídios de mulheres, 1.314 (35%) foram categorizados como feminicídios, isso quer dizer que a cada sete horas, uma mulher é morta apenas por ser mulher. Quando se leva em conta o vínculo com o autor do crime, revela-se que 88,8% dos feminicídios foram praticados por companheiros ou ex-companheiros, ou seja, em ambiente doméstico, muitas mulheres estão expostas ao perigo.

O feminicídio no Brasil em tempos de isolamento tende a se tornar um problema de maior dimensão, considerando que em ambiente doméstico junto ao agressor, essas mulheres são vigiadas e impedidas de conversar com familiares e amigos, o que viabiliza o maior poder para a manipulação psicológica.

REDES DE APOIO – COMO PEDIR AJUDA EM UM CASO DE VIOLÊNCIA?

Recentemente o vídeo “Call” foi divulgado pelo Instituto Maria da Penha, a fim de conscientizar as mulheres vítimas de violência e também às pessoas próximas, que podem se tornar rede de apoio para as vítimas.

Essa história narra a situação de muitas mulheres no Brasil e no mundo que estão isoladas com os agressores dentro de casa, em situação de vulnerabilidade. Por conta das restrições de circulação, a denúncia a esse tipo de crime se torna menos frequente.

O vídeo ilustra uma reunião matinal para alinhar questões de trabalho e a personagem Carla surge muito maquiada e relata em mensagem privada à colega de trabalho Mariana, que foi agredida fisicamente. Nesse contexto, Mariana assume o papel de rede de apoio e chama a polícia para salvar a amiga.

Após 10 minutos de reunião, Carla atende o interfone e avisa o agressor sobre a chegada de uma encomenda, assim que ele sai, Mariana grita: “Tranca, tranca” Amiga, já tranca, não perde tempo! Tranca tudo! A polícia chegou?”. Carla levanta, tranca a porta e volta à chamada de vídeo visivelmente abalada.

Essa é uma campanha capaz de gerar incompreensão e tensão. Incompreensão porque assim como os demais participantes na videochamada, não é possível saber exatamente o que está acontecendo, apenas no final, após a advertência da Mariana e desfecho do vídeo.

O que essa campanha mostra é que tanto em caso de vulnerabilidade diante da violência, como em caso do conhecimento de um caso de violência, é preciso que se assuma uma posição de não conformismo com essa realidade.

Não se pode, claro, desconsiderar a complexidade em torno da violência doméstica, porque sabemos que está intimamente relacionada a mecanismos de manipulação psicológica por parte do agressor.

Mas além da complexidade, é preciso sempre enfatizar que mulheres que sofrem agressão não estão sozinhas, há redes de apoio, dentre eles, o portal Mulher Quebrada, também focado em oferecer conteúdo informativo voltado ao público feminino. A violência contra a mulher é uma realidade no Brasil e no mundo e precisa ser cada vez mais discutida. O feminicídio é real e precisamos continuar falando dele.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

  • Em casos de violência doméstica, a Polícia Militar pode ser acionada imediatamente pelo 190;
  • Há também o Disque 180 para o atendimento e orientação à vitima;
  • O atendimento à distância é realizado pelo Nudem (Núcleo de Defesa das Mulheres Vítimas de Violência de Gênero), e pode ser realizado via mensagem de WhatsApp no número (11) 9 – 4220-9995; e gratuitamente no 0800-773-4340.
Segundo a Defensoria Pública, todos os serviços estão sendo mantidos com a restrição de atendimento presencial apenas para casos urgentes.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Homem mata companheira com golpe de faca e ateia fogo em casa no MA

G1

Vítima reconhecida como Maria Leila Cardoso Dantas foi morta na noite de sexta-feira (17) em João Lisboa. Ela levou um golpe de faca no pescoço.

Um homem identificado como Antônio José Alves Araújo matou a sua companheira, reconhecida como Maria Leila Cardoso Dantas, na noite de sexta-feira (17) com um golpe de faca no pescoço e ateou fogo na residência do casal que ficava situada no município de João Lisboa, a 650 km de São Luís.

De acordo com o delegado Erich Feitosa Gomes, que apura o caso, o crime de feminicídio aconteceu na localidade Vila Emiliana, em João Lisboa, por volta das 22h, após uma discussão do casal. Ele revela que a vítima morreu por asfixia após levar um golpe de faca na região do pescoço.

“Segundo a perícia, a causa da morte da mulher teria sido por asfixia por estrangulamento. Ou seja, a vítima sofreu um golpe de arma branca da região do pescoço”, contou o delegado Erich Feitosa Gomes.

O delegado disse ainda que Maria Leila teria tentado sair de casa, quando foi surpreendida pelo suspeito que não aceitava o fim do relacionamento. Após golpear a mulher, Antônio José teria ficado no local, onde ele ateou fogo em um colchão e pode ter morrido após inalar a fumaça no local.

“Deve ter ocorrido uma briga do casal, e na discussão, Antônio José teria pegado uma faca e desferido no pescoço da vítima. Após isso, ateou fogo no colhão e ficou no local, com a intenção de cometer suicídio”, finalizou o delegado.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Homem que matou a namorada havia premeditado o suicídio em São José de Ribamar

O motorista de carro alternativo, José Roberto Frazão Ribeiro, de 50 anos, foi pra casa da namorada, em Turiúba, São José de Ribamar, e com tudo previamente planejado asfixiou Lucidalva Rodrigues Gomes, 31 anos, para em seguida atirar contra a própria cabeça e morrer no local. Ele ainda avisou aos familiares que deixaria o portão da casa aberto para facilitar o encontro dos corpos, na terça-feira (03) às 22h.

Ciúmes teria sido a causa única da motivação do duplo crime. Com poucos meses de namoro, ele vinha desconfiando e achando que a namorada estava saindo com outro. Na Secretaria de Segurança Pública não existem dados concretos sobre os números de feminicídios no Maranhão em 2019 e muito menos agora em 2020.

Mas no Brasil o ano de 2019 teve aumento nos crimes de gênero. Dia 8, neste domingo, é o Dia Internacional da Mulher. Ainda tem tempo para discutir um assunto que tanto tem incomodado as mulheres.

Motorista mata a namorada e depois tirou a própria vida em São José de Ribamar

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Mais um caso de feminicídio: Jovem é estrangulada dentro de quarto de hotel em São Luís

A jovem Jessimara Cristian Marques Pacheco, 24, foi assassinada pelo companheiro na noite de ontem, sexta-feira (07) em um quarto de hotel no bairro São Cristóvão.

De acordo com policiais que foram até ao local, o jovem teria sido estrangulada dentro do banheiro do quarto do hotel com um fio do aparelho de TV que fica no local, à rua Flávio Bezerra, no São Cristóvão.

O casal estava hospedado desde a semana passada e ontem começou uma briga que chamou a atenção de outros hóspedes. Após o silêncio, o homem se evadiu do local e não foi localizado até o momento.

A vítima é de Guarulhos (SP) e não se tem conhecimento ainda o que o casal fazia em São Luís, assim como a motivação do crime.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Roberto Costa destaca Dia Estadual de Combate ao Feminicídio no Maranhão

O deputado estadual Roberto Costa (MDB) discursou na tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã desta quarta-feira (13), sobre o Dia Estadual  de Combate ao Feminicídio no Maranhão. O parlamentar destacou o aumento deste crime bárbaro que, de janeiro a novembro deste ano, já teve 47 casos de feminicídio no Estado, de acordo com a Delegacia da Mulher.

O Brasil ocupa o 5º lugar no ranking mundial de feminicídio, segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH). O país só perde para El Salvador, Colômbia, Guatemala e Rússia em número de casos de assassinato de mulheres em comparação com países desenvolvidos. No Brasil se mata 48 vezes mais mulheres que o Reino Unido, 24 vezes mais que a Dinamarca e 16 vezes mais que o Japão ou Escócia.

“Os números são alarmantes. O pior de tudo é que a cada dia só aumenta. Dos 47 casos de feminicídios no Maranhão, 9 foram na Região Metropolitana de São Luís. Os números atuais já superam o ano passado, no qual foram registrados 46 casos. Por isso precisamos nos unir e quebrar esse paradigma cultural, precisamos nos unir para darmos celeridade aos processos contra os agressores dessas vítimas e criar políticas públicas em prol das mulheres”, disse Roberto Costa.

O parlamentar ainda destacou a Lei 10.700/17 de autoria da ex-deputada Valéria Macedo que cria o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio no Maranhão.

“Hoje é um dia relembrarmos esta Lei tão importante para o nosso Estado. Para que os agressores que cometem o crime de ódio contra as mulheres sejam punidos e não imunes. E para que possamos ajudar a prevenir que as tragédias aconteçam, para isso, a mulher precisa denunciar todo e qualquer tipo de violência, e participando dos movimentos de combate ao feminicídio”, disse Roberto Costa.

O parlamentar concluiu o seu discurso relembrado o trágico caso de feminicídio contra a Mariana Costa, que foi assassinada pelo seu ex-cunhado.

“É triste ouvir o lamento dos familiares da Mariana Costa que foi assassinada há três anos covardemente. São 3 anos que a família sente um vazio, tristeza, uma saudade que nunca mais será preenchida. Suas filhas, que eram para serem criadas por ela, hoje estão sendo muito bem cuidados pelos avós. Mas irão crescer sem o amor de mãe, sem sentir o calor e o abraço da mãe. Mas sabe o porquê?  Por causa do feminicídio que ceifou a vida da Mariana e de milhares de Marianas, Joanas, Marias do Maranhão. Por isso precisamos lutar e combater esse mal que assola a nossa humanidade”, disse Roberto Costa.

Roberto Costa concluiu convidando a todos para as atividades da III Semana de Combate ao Feminicídio no Maranhão, com o tema: “Por Uma Vida Digna”, que encerra com uma caminhada, no dia 16, a partir das 16h30, com saída em frente a Casa das Dunas, na Avenida Litorânea.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Jovem de 23 anos é morta a facadas em Godofredo Viana

Blog do Neto Weba

Uma jovem foi morta no bairro Aviação em Godofredo Viana, na noite deste domingo (10), vitima de arma branca. O namorado da vítima, segundo a Polícia seria o autor do crime. Após matar a jovem identificada Joneide Oliveira e Oliveira, que tinha 23 anos ele fugiu do local, e até o momento, não foi encontrado.
De acordo ainda com a polícia, a vítima chegou a ser levada para o Hospital mais já estava sem vida. Os motivos no qual levaram a cometer esta barbárie são desconhecidos.
Joneide deixa dois filhos pequenos. A cidade está em choque.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Homem que matou mulher em condomínio e estava foragido recorre ao suicídio

O homem estava foragido desde o dia 11 deste, sexta-feira passada, quando matou a tiros a namorada durante discussão entre o casal em um condomínio no bairro Outeiro da Cruz. Agora, por volta das 13h30 de hoje, terça-feira (15), Evaldo Lima Sampaio recorreu ao suicídio com um tiro na cabeça. Levado ao Socorrão I já chegou sem vida.

Dayane Christina Oliveira Nunes estava voltando ao relacionamento normal com o ex-marido, mas não largou logo de vez do namorado assassino, que a ajudava. Foi quando surgiu uma terceira pessoa que mora na Raposa e com quem ela estava engatando um namoro. No dia 11 o encontro entre os dois ela falou que não daria mais certo e foi quando o homem puxou da arma e a matou.

Evaldo deixou o local do crime no bairro Santa Cruz e ficou foragido até o momento do suicídio nesta terça-feira.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Homem atrai namorada para dentro de apartamento e a mata com dois tiros na cabeça em São Luís

Ontem (11) a jovem Dayane Oliveira foi assassinada pelo ex-namorado dentro de um condomínio de apartamentos em São Luís. De acordo com informações, o assassino Evaldo Lima Sampaio, estava inconformado com o final do relacionamento, atraio a jovem para dentro de seu apartamento. 

Evaldo e a vítima travaram um discussão, onde ele atirou duas vezes contra a cabeça de Dayane, que não resistiu e morreu ainda no local. Após ter matado a ex-namorada, Evaldo ainda ligou para o irmão da vítima para contar que havia matado a jovem.

A vítima deixa dois filhos pequenos…

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Homem tenta matar esposa com cinco facadas em São José de Ribamar

Um homem ainda não identificado tentou matar a companheira em São José de Ribamar na noite da última sexta-feira (04). De acordo com informações repassadas, o homem desferiu 5 facadas contra a vítima.

A mulher foi levada em estado grave para o hospital Socorrão II. O agressor foi preso por policiais do 13º Batalhão de Polícia Militar.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Mais um caso de feminicídio no Maranhão: homem mata mulher a tiros de espingarda

A mulher  Maria Edinete do Carmo Ferreira morava com o marido Luiz de Lima na cidade de Centro do Guilherme. Ele foi visto pela última vez portando uma espingarda calibre 22, a mesma arma que foi usada para matar a esposa na quarta-feira, dia 18.

O marido, segundo informações da polícia, permanece foragido, mas deixou a arma e os cartuchos ao lado do corpo da mulher.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Três dias após matar a esposa no Maranhão, homem se suicida dentro de fazenda

Um homem identificado como Vilson Marinho se suicidou na manhã de hoje, terça-feira, dia 18. Ele matou a própria esposa d 26 anos, Dayara Ferreira Lima com três tiros na cabeça na frente do filho de apenas 7 anos no último domingo (15), no município de Estreito-Ma. Após cometer o crime, Vilson fugiu. 

Nesta manhã ele foi até a casa do pai da vítima para dizer que iria se matar com a própria arma a qual tirou a vida de Dayara. Ele foi encontrado sem vida em nas proximidades de uma fazenda em Estreito.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Morre mulher que foi atingida com marteladas na cabeça

Morreu ontem (16) Daniela Soares Sousa, 28 anos, vítima de feminicídio em Vitória do Mearim. Ela havia sido agredida com marteladas na cabeça pelo companheiro José Luís Saraiva,51 anos, na última quarta-feira (11).

O agressor após ver que a esposa estava desacorda depois das agressões, enforcou-se. Daniela estava internada em um hospital, mas não resistiu e foi a óbito.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.