PDT oficializa pré-candidatura de Drª Maria Félix à Prefeitura de Cajari

Uma grande festa política/partidária marcou, neste sábado (20), a Convenção Municipal do PDT na cidade de Cajari, na Baixada Maranhense.

O evento realizado em um restaurante situado na sede da cidade contou com as presenças de milhares de moradores e lideranças políticas locais e regionais; tendo oficializado a pré-candidatura da Drª Maria Félix à Prefeitura, em 2020.

Mãe do pedetista e presidente da Câmara Municipal de São Luís, Osmar Filho, Maria Félix assumiu o comando do diretório do PDT na cidade. Ela reúne, hoje, o maior grupo político da história do município, formado, por exemplo, pelo atual vice-prefeito Antônio Furtado, conhecido como “Chofer”; vereadores (tais como Bigu e Amado); ex-prefeitos (Bento Sousa, Nascimento Almeida, Quinco Muniz e Batista Coelho); ex-vereadores (Pedro Gomes, Murilo, Adalton, Didi – presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais — Mauro Santos, Seu Riba, Raimundo José e Edmilson Gomes); ex-candidatos que disputaram o pleito majoritário de 2016 (Constâncio Sousa, Major Júnior e Capitão Eduardo); além de representantes dos mais variados segmentos da sociedade cajariense.

“Tenho certeza que a amiga Maria Félix fortalecerá o partido em Cajari. Trata-se de uma mulher guerreira, que pode contribuir para que o município cresça e se desenvolva cada vez mais. Ela tem todo o nosso apoio”, afirmou o senador Weverton Rocha, presidente estadual da sigla. Weverton gravou um vídeo que foi exibido durante a Convenção.

“Chofer” citou o comprometimento da pedetista para com os moradores de Cajari e criticou a situação precária pela qual passa o município. “Se erramos em 2016, é necessário que façamos a correção em 2020. E para atingirmos este objetivo, o nome certo para Prefeitura é o de Maria Félix”.

Membro da executiva nacional da legenda, o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, disse ter certeza que a pré-candidata fará muito por Cajari. “A Drª Maria Félix dialoga permanentemente com o povo, conhece suas reais necessidades e tem um planejamento para realizar uma gestão pautada na transparência e crescimento econômico. Será uma valorosa prefeita, tenho certeza”.

Líder do PTB na Câmara Federal, Pedro Lucas Fernandes anunciou que o seu partido estará com a pedetista na eleição municipal do ano que vem. Ele lamentou o fato de Cajari possuir uma gestão incapaz e que não consegue atender aos anseios da população. “Mas está página negra será apagada em breve. Na gestão Maria Félix, o município viverá uma era de desenvolvimento em todos os setores”.

Avaliações semelhantes fizeram o vereador e presidente do PDT de São Luís, Raimundo Penha, e o deputado estadual e 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa, Glalbert Cutrim. Para eles, Cajari, ano que vem, terá a oportunidade de abraçar uma candidata que realmente representa a mudança que os eleitores tanto almejam.

Osmar Filho fez questão de destacar o amor que a sua mãe nutre pelo município e seus moradores. “Minha mãe e o seu grupo político possuem um projeto concreto para desenvolver Cajari, gerar trabalho e renda e, de fato, alavancar a economia da cidade. Me sinto honrado e emocionado em estar participando deste momento, que é apenas o primeiro passo para uma vitória que será dos cajarienses”.

Maria Félix agradeceu as manifestações de apoio e carinho. Ela ratificou o seu compromisso de continuar lutando pelo crescimento do município. “O sentimento é de que, juntos, faremos uma Cajari verdadeiramente melhor e mais desenvolvida”.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Advogado Pedro Leonel morreu nesta madrugada de segunda-feira, dia 22

O polêmico advogado Pedro Leonel Pinto de Carvalho (foto abaixo) morreu hoje vítima de câncer que o afetou durante alguns anos. Ultimamente o causídico emprestava seus brilhantes trabalhados em causas contra a prepotência e ilícitos cometidos pelo poder público, onde conseguiu belas vitórias. O velório será realizado a partir das 11h na Central Pax União, no Canto da Fabril.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

PRF prende condutor embriagado que se envolveu em acidente de trânsito na BR 222

Domingo, 21 de julho de 2019, por volta das 21h40, uma equipe da PRF compareceu ao km 674 da BR 222, no município de Açailândia/MA, para atender ocorrência de acidente de trânsito.

O condutor de um VW/Gol de cor preta seguia sentido crescente da rodovia (Pequiá/Centro de Açailândia) quando ao transpassar um quebra-molas, invadiu a faixa contrária e colidiu no veículo NOVO FOX de cor branca.

A equipe da PRF submeteu o condutor do Gol preto ao teste do etilômetro, que constatou o teor de 1.06 miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões.

O condutor do Fox branco também realizou teste de etilômetro com resultado negativo.

A PRF encaminhou o condutor do Gol para o Plantão Central da Polícia Civil em Açailândia pelo crime de embriaguez ao volante.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Veículo perde o controle e derruba parte de uma oficina na BR 010

O acidente ocorreu por volta das 20h45 do sábado, 20 de julho de 2019, no Km 252,5 da BR 010, trecho urbano de Imperatriz, localizado entre o viaduto e o semáforo próximo à antiga rodoviária.

Um VW/Golf de cor preta transitava no sentido decrescente da marginal da BR 010 (Imperatriz/Porto Franco), quando perdeu o controle da direção, bateu no meio fio do lado esquerdo, cruzou a pista e se chocou com uma oficina às margens da rodovia.

O condutor do Golf, um homem de 31 anos, foi submetido ao teste de etilômetro que acusou ingestão de álcool, ainda estava com a CNH vencida, licenciamento do veículo atrasado e não usava cinto de segurança.

Os “airbags” do veículo foram acionados e evitaram ferimentos ao condutor.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Carro se choca com carreta na BR-135 e condutor fica gravemente ferido no Maranhão

O veículo passeio invadiu a contramão e foi colhido por uma carreta. Um dos condutores envolvidos foi socorrido e levado para São Luís em estado grave.

Um acidente tipo colisão frontal ocorrido na tarde de sábado (20), na BR-135, no município de Bacabeira/MA, norte do Maranhão, envolvendo um veículo passeio e uma carreta deixou o motorista de um Renaultl/ Sandero ferido gravemente.

Por volta das 16h20, no km 56,3, na localidade Vila Cearense, situada entre a cidade de Bacabeira e a cidade de Santa Rita/MA, o condutor de um veículo Sandero prata invadiu a contramão e colidiu com uma carreta, que seguia no sentido contrário. O local é bem sinalizado, com faixa dupla contínua amarela, que proíbe ultrapassagem nos dois sentidos.

O condutor do Sandero teve múltiplas lesões e foi socorrido e levado para o hospital Socorrão I, em São Luís. O condutor da carreta não se feriu.

O acidente deixou o trânsito lento no local e provocou engarrafamentos. A situação foi resolvida com a chegada de uma equipe da PRF da Unidade Operacional de São Francisco, que fez os levantamentos e liberou a rodovia.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Ex-prefeita perseguida por Flávio Dino diz que governador quer se projetar às custas de mentiras

A ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, recorda que já foi vítima de perseguições políticas de Flávio Dino  e afirma que o governador do Maranhão “busca projeção às custas de mentiras e distorção de falas do presidente Bolsonaro”. Confira na nota abaixo e reveja o vídeo quando ela foi impedida como prefeita de falar na sua própria cidade:

“Flávio Dino mais uma vez buscando projeção às custas de mentiras e distorção de falas do presidente.

Pra além da ilegitimidade de Flávio Dino de falar sobre retaliação, uma vez que eu mesma fui vítima da sua perseguição política e tantos outros políticos estão sendo, o governador não sabe diferenciar Gestão e pessoa. Em momento algum, o presidente Bolsonaro cogitou ignorar o Maranhão, mas unicamente a pessoa de Flávio Dino. Sempre sarcástico e debochado em suas críticas ao presidente.

“Não tem que ter nada com esse cara”, essa foi a fala do Presidente e demonstra pura e simplesmente a recomendação de Bolsonaro para o governo ignorar Flávio Dino enquanto crítico e provocador da administração, cujo único intento é se promover às custas da imagem do presidente. 

O Maranhão segue como uma das prioridades do governo Bolsonaro. Os órgãos federais já se estruturam para fazer uma verdadeira revolução nesse estado, ainda que Flávio Dino não queira.

As mentiras e dissimulações comunistas, já conhecidas no nosso estado, não impedirão o Brasil de crescer, muito menos o Maranhão de reescrever sua história”

No vídeo abaixo, o governador esteve em Lago da Pedra e não permitiu que a então prefeita da cidade falasse no palanque, mas foi vaiado pela atitude grosseira.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Paraíba, sim, senhor. Preconceitos e falsas vítimas

Por Abdon Marinho

VEZ OU OUTRA me assombra uma pergunta: quando nos tornamos arrematados idiotas manipuláveis?

O fim de semana que deveria ser dedicado ao lazer foi tomado por um falso escândalo de preconceito envolvendo o presidente da República e falsas vítimas representadas pelo governadores do Nordeste.

Estes, sobretudo, o do Maranhão, valendo-se dos recursos públicos, seja diretamente ou por meio da mídia devidamente remunerada, tem aproveitado para “se vender” de vítima ao tempo em que reforça determinados preconceitos.

A falsa polêmica tem início com uma frase do presidente da República, Jair Bolsonaro, que disse para um ministro em um áudio captado durante um café da manhã: “Daqueles governadores de ‘Paraíba’ o pior é o do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”.

O senhor Bolsonaro – já disse diversas vezes –, é o maior “inimigo” de seu governo, principalmente pela falta de freios na língua, que, como se dizia lá no sertão nordestino, “é o castigo do corpo”. O governo iria até bem se não fosse as colocações ou intervenções intempestivas de seu comandante.

Mas, em relação a última frase do presidente, a quem imputam xenofobia e/ou preconceitos, acredito que ambos os sentimentos revelam-se inseridos mais nas falsas vítimas do que no presidente.

Explicarei de outro modo e com um exemplo prático.

Sempre que escrevo algo que o Palácio dos Leões não gosta aparece algum xerimbabo para tentar me ofender (até senti falta de ler alguma tentativa de ofensa sobre um dos últimos textos: “Sarney & Dino e o acordo que não ousa dizer o nome”), ora me chamam de aleijado, pato manco, ora insinuando que não tive pleitos atendidos; ora que seria “viado”, etc.

Vejam que são pessoas que, direta ou indiretamente, recebem dos cofres públicos, do meu, do seu, do nosso dinheiro para “tentarem” assacar contra a honra alheia.

E digo “tentarem” porque em relação a minha pessoa nada do dizem me atinge. Não vejo demérito em ser deficiente físico, até porque sê-lo não dependeu de escolha minha; com relação a supostos pleitos não atendidos trata-se apenas de uma mentira e a insinuação de “viadagem” não me atinge porque não me acho melhor que nenhuma pessoa, tenha ela a situação sexual que tenha.

Pois bem, voltando a fala do presidente, existe algo demais em sermos chamados de “paraíbas”? A caso somos melhores que nossos irmãos paraibanos, pernambucanos, cearenses, potiguares, baianos ou os oriundos ou nativos de quaisquer outros estados da federação? O preconceito ou xenofobia é do presidente ou de quem se considera ofendido por ser chamado de “paraíba”?

Ademais há que se considerar que o termo “paraíba” encontra-se dicionarizado desde meados do século passado, servindo para designar, em suas diversas acepções, de forma coloquial o operário não qualificado da construção civil; ou, como regionalismo, fincado no Rio de Janeiro (ainda que pejorativo), para designação de quaisquer pessoas oriundas dos estados do Nordeste; ou nordestino.

Os “politicamente corretos” vão censurar os dicionários?

Assim, embora, o presidente da República tente “consertar” para dizer que fez uma crítica aos dois governadores do Nordeste (da Paraíba e do Maranhão), acredito mesmo que tenha usado do regionalismo do seu estado para se referir a todos os governadores.

Não foi ele que criou o termo ou o único a utilizar para se referir aos nordestinos em todo o Brasil, embora não fique bem a um presidente da República ser “apanhado” com este tipo de colocação – ainda que numa “conversa privada”.

O presidente é de todos os brasileiros jamais devendo referir-se às pessoas por suas origens.

Por outro lado, o preconceito, ao meu sentir, não é dele, mas sim daqueles que se acham “ofendidos” por serem referidos como habitantes de um dos estados do Nordeste de povo mais aguerrido.

Fico pensando o que passa pela cabeça de um paraibano: Quer dizer que ser chamado de “paraíba” é uma ofensa para os meus irmãos nordestinos?

Ainda me valendo das aulas de interpretação de texto do ensino primário e reconhecendo que presidente possui um vício de linguagem: fala de forma “cortada”. Ainda mais numa conversa privada, seja na versão dele, ao dizer que referia unicamente aos dois governadores (da Paraíba e do Maranhão), ou na interpretação da versão “estendida”, se referindo a todos os governadores da região Nordeste, não cabe dizer – até por uma questão de honestidade intelectual –, que houve uma referência ou “ofensa” aos milhões de irmãos nordestinos.

Em um ou noutro caso – dê-se a César o que é de César –, a referência é feita aos governadores: da Paraíba e do Maranhão – ou de todos os estados do Nordeste –, mas não ao povo nordestino.

A situação posta, com suas interpretações apaixonadas, faz muito parecer aquelas brigas infantis em que o menino fica provocando os outros maiores e quando leva um safanão corre para chorar debaixo da saia da mãe.

Os governadores do Nordeste, principalmente o do Maranhão, todo dia, o dia todo, ao invés de governar, se ocupa em tentar “aparecer” aí ao ganhar “atenção” corre para se vitimizar usando, covardemente, toda a população do estado como “escudo humano”.

Veja, embora o presidente da República tenha dito “não tem que ter nada com esse cara”, não temos notícias, nestes seis meses de governo, de nenhum ato discriminatório da parte do governo federal contra o nosso estado. Pelo contrário, o que sabemos é que o projeto do senador Roberto Rocha de implantar a Zona de Exportação do Maranhão – ZEMA, avança; sabemos, também, que depois de anos paralisado, finamente começa a deslanchar o projeto de explorar comercialmente o Centro de Lançamento de Alcântara; sabemos que se encontra em estudos um ramal ferroviário ligando Balsas à ferrovia Norte-sul e a conclusão desta até o Porto do Itaqui e, ainda se tem notícias de diversos outros projetos em andamento para o estado, como BR 308, indo de São Luís a Belém pelo litoral; a complementação da BR 402, de Barreirinhas até Parnaíba – e de lá para o restante da região.

Mas há um ditado popular – muito dito no nosso sertão –, que diz: “quem disso usa, disso cuida”, que serve muito bem para justificar todo esse escarcéu encenado pelo governador e seus aliados, nas diversas mídias e redes sociais – além, claro, do extraordinário desejo de aparecer.

Não sei dos demais estados do Nordeste, mas nós maranhenses acompanhamos como o governador e seus asseclas tratam a oposição do estado (e mesmo alguns aliados), não lhes dando qualquer “refresco”. Quem é o prefeito oposição –ou mesmo de situação –, que é bem tratado pelo governo? Que deputado de oposição tem emendas parlamentares liberadas? Quem não lembra a forma como os candidatos de oposição nos municípios foram tratados pelo governo estadual nas eleições de 2016? Quem não conhece (ou já ouviu falar) na “máquina” de destruir reputações sob orientação do governo?

Em data recente, no Congresso Nacional, dois delegados (ou ex-delegados) foram ouvidos e denunciaram investigações clandestinas contra alvos escolhidos pelo governo, fossem de oposição ou mesmo aliados.

Os delegados confirmaram o que é voz corrente no estado.

A situação da oposição no estado é tão vexatória que na Assembleia Legislativa a base governista não os deixa aprovar um requerimento de informação, um convite para um secretário ou qualquer autoridade, prestar algum esclarecimento.
Vejam que belo exemplo de democracia e republicanismo!

Mas não fica só nisso, as ações contra jornalistas e blogueiros propostas pelo governador e por seus secretários e aduladores são contadas às centenas, como forma de calar ou de coagir estes profissionais a aderirem ao governo.

Noutra quadra, não é segredo para ninguém que sua excelência, transformou o Estado do Maranhão em “bunker” contra o governo federal, em especial contra o presidente Bolsonaro, não lhe reconhecendo a vitória nas urnas, fustigando-o dia sim e no outro também, e não permitindo, sequer, que foto oficial do presidente da República cruze os umbrais do Palácio dos Leões. Queria ser tratado com flores?

Embora não me cause surpresa, o que acho em demasia é o fato do governador do estado, demonstrar-se tão valente quando se trata dos mais fracos, tentar usar, com mentiras e meias verdades, a população do estado – e do Nordeste –, como escudo humano nos seus enfrentamentos políticos.

Isso, sim, é uma vergonha!

No sábado, enquanto esta falsa polêmica atingia o seu pináculo, ouvia músicas diversas – nem pretendia escrever sobre isso –, e dentre os artistas estava Alcione Nazaré, maranhense, radicada há muito tempo no Rio de Janeiro, que também vestiu-se de ofendida com o fato do presidente da República ter se referido aos nordestinos como “paraíbas”. Lembrei-me de uma de suas músicas: “A Loba”, que numa de suas passagens diz que “chumbo trocado não dói”.

A falsa polêmica é alimentada pelos preconceitos dos falsos ofendidos que acreditam ser uma ofensa ser comparado a alguém de um estado-irmão e do próprio interesse de aparecer.

No mais, somos todos “paraíbas” e nordestinos, com muito muito orgulho! Viva o Nordeste! Viva o povo brasileiro!

*Abdon Marinho é advogado.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Academia Formula do Corpo esclarece que não houve interdição ao local e que não foi notificada

O Ministério Público informou que 22 academias na Região da Grande São Luís seriam interditadas por prática de irregularidades. A Academia Fórmula do Corpo, que teve seu nome citado, rebateu a notícia e garantiu que jamais foi notificada e tranquilizou seus clientes. Confira na nota abaixo:

A direção da ACADEMIA FÓRMULA DO CORPO, localizado na Rua do Passeio, 832, centro, São Luís, com CNPJ 246.061.0001/97 vem a público informar a toda sociedade maranhense que repudia qualquer notícia veiculada nos meios de comunicação com referência a interdição de suas instalações e pleno funcionamento de suas atividades, uma vez que cumpre rigorosamente com todas as suas obrigações perante o Conselho Regional de Educação Física – CREF/MA de forma irrestrita, não existindo, dessa forma, qualquer pendência administrava junto ao conselho ou qualquer outro órgão de fiscalização que possa comprometer as suas atividades.

Informa ainda que não foi notificada judicial e administrativamente por qualquer órgão de controle por qualquer irregularidade constatada ou que esteja sendo apurada, e que zela pelo bom e adequado serviço prestado aos seus clientes. Por fim, viemos através desta tranquilizar à todos os nosso alunos, amigos e clientes que as atividades seguem normalmente, sem qualquer alteração na nossa programação diária.

São Luís, 18 de julho de 2019.

Atenciosamente, a Direção.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Nordeste é tratado “sem preconceito” por Bolsonaro, diz Moro

Por O Antagonista

Sergio Moro foi ao Twitter neste sábado e defendeu Jair Bolsonaro das críticas que o presidente tem recebido por causa das declarações de ontem sobre os governadores nordestinos.

O ministro da Justiça citou o papel desempenhado pelo governo federal no auge da crise de segurança pública no Ceará, no início do ano.

Segundo ele, Bolsonaro “não hesitou em autorizar o envio da Força Nacional e da força de intervenção penitenciária e em disponibilizar vagas em presídios federais para as lideranças criminosas”.

Moro também escreveu:

“Nada mais do que a obrigação. Mas ilustra que o Nordeste tem sido tratado sem preconceito pelo Governo Federal. Afirmações diferentes não resistem aos fatos.”

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Bolsonaro diz que não se referiu aos nordestinos com o termo ‘paraíba’

Presidente afirmou que se refeiriu apenas aos governadores da Paraíba e do Maranhão no comentário feito em conversa com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni

Renata Vieira/O Globo

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro disse, na tarde deste sábado, ao sair do Palácio da Alvorada, que suas declarações sobre ‘governadores de paraíba’ foram mal interpretadas. Bolsonaro disse que sua intenção era se referir ao governador do Maranhão, Flávio Dino , e ao da Paraíba, João Azevêdo , e não ao povo nordestino.

O presidente Jair Bolsonaro durante entrevista Foto: Marcos Corrêa / Presidência

— Eu fiz uma crítica ao governador do Maranhão e da Paraíba, vivem esculhambando obras federais, que não são deles, são do povo. A crítica que eu fiz foi aos governadores, nada mais. Em três segundos, vocês da mídia fazem uma festa. Eles são unidos, eles têm uma ideologia, perderam as eleições. Tentam o tempo todo, através da desinformação, manipular eleitores nordestinos. O parlamento não é tão raso como estão pensando.

Perguntado se o termo “paraíba” não foi uma crítica ao nordeste, ele disse:

— A maldade tá no coração de vocês. Tenho tanta crítica ao nordeste que casei com a filha de um cearense.

Na sexta-feira, o presidente usou o termo “paraíba” ao se referir aos governadores. “Daqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão; tem que ter nada com esse cara”, afirmou o presidente durante conversa com o ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni.

Ao ser questionado por uma jornalista sobre a declaração, Bolsonaro disse:

— Se eu chamar você de feia agora, todas as mulheres do Brasil estarão contra mim. Eles acham que o Nordeste é uma massa de manobra. Na verdade, a imprensa brasileira está com saudade do PT e do Lula.

Pelo Twitter, Flávio Dino escreveu ontem que, “independentemente de suas opiniões pessoais, o presidente da República não pode determinar perseguição contra um ente da Federação”. “Seja o Maranhão ou a Paraíba ou qualquer outro Estado. ‘Não tem que ter nada para esse cara’ é uma orientação administrativa gravemente ilegal”, argumentou.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.