Jair Bolsonaro parabeniza policiais e governador do Rio de Janeiro comemora ação que acabou com o sequestro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, parabenizou aos policiais do Rio de Janeiro pelo fim do sequestro de um ônibus na ponte Rio/Niterói que durou quatro horas e resultou na morte do sequestrador. Já o governador do Rio, Wilson Witzel, desceu do helicóptero pulando e comemorando a morte do sequestrador Willian Augusto da Silva, que teve passagens pela polícia, inclusive por violência contra mulheres. Confira abaixo:   

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

O abandonado Parque Pindorama sofre um tsunami com o “serviço tatu” da Caema

O parque Pindorama, bairro de classe média do outro lado da avenida dos Africanos em São Luís, sempre foi abandonado e distante das ações públicas. E para piorar o sofrimento dos moradores, operários da Caema agiram como tatus, rasgando e esburacando ruas e deixando tudo como ficou. Além disso, existem várias outras ruas e avenidas que se assemelham mais a uma tábua de pirulitos.

Morador da Pindorama, o popular General relata como ficou a situação das ruas, notadamente a Ipixuna, e apela para as autoridades:

Veja o vídeo abaixo:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Homenagem ao deputado Humberto Coutinho emociona caxienses

Com emoção, lembranças e muita reverência ao maior líder político da região leste do Maranhão, o povoado Caxirimbu, na zona rural de Caxias, recebeu uma nova escola inteiramente reformada e a biblioteca escolar Dr. Humberto Coutinho. A escola construída pelo governador Jackson Lago, a pedido de Dr. Humberto, foi reformada pelo governador Flávio Dino (PC do B), atendendo solicitação da deputada estadual Dra. Cleide Coutinho (PDT).

O nome da biblioteca foi uma decisão do colegiado escolar (professores e alunos), para prestar justa homenagem ao ex-presidente da Assembleia Legislativa.

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, fez questão de participar da homenagem ao deputado Humberto Coutinho, assim como líderes  políticos da cidade e do estado, que foram unânimes em realçar a  grandiosidade política do deputado, que partiu em janeiro de 2018.

A deputada Dra. Cleide Coutinho recebeu a homenagem ao seu companheiro de toda a vida, com muita alegria e carinho.

“Todas as homenagens ao Humberto me emocionam, pois são merecidas, por tudo que ele fez por Caxias e pelo Maranhão. Agradeço a gentileza do secretário Felipe Camarão e sua equipe, e independente de posições  políticas, compartilhei este momento de emoção com os deputados  estaduais Zé Gentil e Adelmo Soares; o prefeito Fábio Gentil,  vice-prefeito Paulo Marinho Jr, o Prefeito de Matões, Ferdinando  Coutinho, e a suplente do senado federal Marli Pereira e lideranças municipais como os vereadores Tevi, Edilson Martins e Thais Coutinho, ex-presidente da Câmara Municipal caxiense, Ironaldo Alencar, e a  liderança política Magno Chaves, dentre outros líderes populares e, principalmente, com todos os caxienses que vieram aqui nos  prestigiar”, destacou.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Diálogo com Othelino” traz panorama geral sobre as discussões políticas no cenário local e nacional

Na terceira edição do podcast “Diálogo com Othelino”, o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), fez um panorama geral sobre as discussões políticas no cenário local e nacional. Entre os temas abordados estão a recente aprovação, pelo Congresso Nacional, da Lei de Abuso de Autoridade, a questão ambiental no Brasil e a diminuição da taxa de desocupados no Maranhão. Othelino também comentou a declaração do presidente da República, Jair Bolsonaro, direcionada a opositores políticos em visita ao Nordeste.

“Eu acho que toda autoridade, seja ela do Poder Judiciário, Legislativo ou Executivo, ou de outros órgãos autônomos, tem que estar submetida a limites. Tenho certeza que os membros do nosso Congresso Nacional, quando decidiram aprovar a Lei de Abuso de Autoridade, não foi com o objetivo de limitar a atuação, principalmente, dos órgãos de controle. No Brasil, já se tem uma convivência democrática entre as instituições, respeitando as atribuições de cada um”, afirmou Othelino Neto, ressaltando que, quando alguém excede nas suas prerrogativas, acaba provocando um desequilíbrio no regime democrático, o que não é nada bom para o Brasil.

O presidente da Alema também comentou os números da pesquisa que aponta um aumento de 66% na área desmatada da Amazônia, no mês de julho, em relação ao mesmo período do ano passado, e a perda de investimentos internacionais, a exemplo da Alemanha e Noruega, direcionados à proteção ambiental da região. Segundo o parlamentar, infelizmente, o governo federal está promovendo retrocessos graves na área ambiental.

“Claro que a vasta parte da Amazônia que está dentro do Brasil é um patrimônio nosso, mas pela sua importância no equilíbrio ambiental do planeta, outros países, historicamente, estão investindo recursos para fortalecer a sua preservação e evitar que haja o que aconteceu este ano, em relação ao ano passado, que é a elevação do índice de desmatamento e, pior ainda, o descontrole no que diz respeito ao desmatamento ilegal”, frisou Othelino.

Declarações de Bolsonaro

Na terceira edição do podcast, Othelino voltou a comentar ataques do presidente Jair Bolsonaro àqueles que lhe fazem oposição. Ao discursar em Parnaíba, no Piauí, na última quarta-feira (14), o presidente da República referiu-se aos comunistas como “cocô do Brasil”, pontuando, ainda, que a sua intenção “é acabar com todos”.

“O presidente Bolsonaro tem muita dificuldade de conviver com as diferenças. Para ele, quem lhe faz oposição não presta e lhes atribui os adjetivos mais chulos possíveis. Nós, militantes políticos, continuaremos tendo uma relação de respeito para com o governo federal, afinal de contas, nós respeitamos a vontade da maioria da sociedade brasileira, mas continuaremos fazendo oposição àquilo que consideramos ser prejudicial para o Brasil e para o Nordeste”, frisou Othelino Neto.

“Torço para que o presidente repense determinados conceitos, que ele seja um instrumento de construção da pacificação nacional, e não que a cada pronunciamento agrida o povo brasileiro e aqueles que não concordam com aquilo que faz e diz”, completou.

Empregos no Maranhão e homenagem

O presidente Othelino falou, ainda, sobre a reação positiva do Maranhão diante do atual cenário de retração econômica, com a diminuição do número de desempregados em relação aos outros estados da federação. Ele atribuiu essa posição de destaque à intervenção do Estado, que vem promovendo esforços para que haja uma movimentação maior da economia e, consequentemente, um aumento na oferta de empregos.

Othelino finalizou o podcast destacando a recente homenagem da Assembleia Legislativa ao juiz federal Roberto Veloso, condecorado com a Medalha Manuel Beckman, maior honraria concedida pelo Legislativo maranhense. “A concessão da Medalha Manuel Beckman ao juiz federal Roberto Veloso é mais até do que uma homenagem ao próprio juiz. É uma homenagem à atuação do Poder Judiciário, como um dos pilares do Estado Democrático de Direito”, disse.

O programa pode ser ouvido a qualquer hora e lugar – no computador, smartphone ou em outro aparelho com conexão à internet. Para ouvir, é necessário baixar o aplicativo Spotify ou o Soundcloud. Depois, basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. O programa também estará disponível nas redes sociais do presidente (Youtube, Instagram, Facebook e Twitter).

Assista ao vídeo:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Vídeo: veja o momento em que um atirador de elite acertou e matou sequestrador de ônibus na ponte Rio/Niterói

O sequestrador, que se identificou como policial militar rendeu 39 passageiros a partir das 6h da manhã de hoje, na ponte Rio/Niterói. Seis reféns foram liberados gradativamente e às 9h ele desceu para jogar algum objeto aos   negociadores, foi quando um sniper conseguiu atingir o sequestrador que caiu na escada do ônibus.

Ele estava com um galão de gasolina, uma faca, um arma de choque e uma pistola. Confira abaixo o momento em que o atirador de elite acertou o bandido, que morreu no local, pondo fim ao sequestro:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

CCJ do Senado Federal começou a discutir a Reforma Tributária e o relator é o senador Roberto Rocha; confira no JN

O Jornal Nacional destacou ontem o início dos debates sobre a Reforma Tributária. O relator da proposta encampada pelo Senado Federal é o maranhense Roberto Rocha (PSDB). Em entrevista antes à imprensa, Rocha lembrou que o Brasil tem o maior encargo social do planeta, a maior tarifa de energia elétrica e que só na indústria os impostos incidem em 35%. 

O senador reconheceu na matéria do JN a necessidade de fazer debates internos públicos e externos não públicos, assim como destacou a importância do diálogo para discutir os pontos divergentes. Confira abaixo:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Carta a Maquiavel e Montesquieu

Carlos Nina

Ilustres senhores. Tenho duas notícias para lhes dar: uma boa e uma ruim. Como em carta não posso esperar pela opção da ordem em que as querem receber, vou começar pela ruim: acreditei em vocês, desde os bancos escolares, passando pelos cursos de graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado, este último em sua terra, Nicolau. Citei-os em minha dissertação de mestrado e em inúmeros artigos e ensaios.

Agora a notícia boa: descobri, finalmente, que as teorias de vocês não passavam de obra de ficção, senão um engodo muito bem elaborado. Talvez nem tanto, se lido com atenção, com o leitor ciente do fato de que os protagonistas são seres humanos. Outra opção seria reconhecer tratar-se de psicografia de desencarnados de outros planetas, onde as ideias propostas e projetadas sejam viáveis. Na Terra, não dá. Nem deu, nunca, como recentemente confirmou o mais novo dono da verdade, Yuval Noah Harari, em sua obra “Sapiens – Uma breve história da humanidade” (26 ed. Porto Alegre, L&PM, 2017).

Deixei-me seduzir pelo idealismo do discurso de vocês, defendido com entusiasmo por meus professores, e acreditei que o Estado fosse realmente uma ideia inteligente. Até foi, mas não voltada para organizar a sociedade e propiciar serviços para atender a todos. Acreditei também, meu caro Charles-Louis, na divisão do Estado em três poderes – um para legislar, outro para administrar e um terceiro para dirimir conflitos.

Eu deveria ter percebido bem aí, exatamente nesse terceiro poder. Já previa conflitos. Você imaginou um poder cujos protagonistas estariam acima dos outros. Como também aí os personagens seriam humanos, era natural que a esperteza inventasse uma forma de minar esse poder, com uma casta privilegiada, que estivesse livre da burocracia de concursos e requisitos morais.

As ideias de vocês eram boas, mas para um lugar onde as pessoas tivessem educação, elevado nível de conscientização moral, compatíveis com a convivência saudável, a fraternidade. Mas não poderia dar certo onde a população estivesse contaminada pelos vermes da corrupção, porque eles se multiplicariam e dominariam tudo e o Estado, com seus poderes assim dominados, só a eles serviria.

Alan Grespan, ex-presidente do Banco Mundial, em entrevista publicada na Folha de São Paulo, já dissera nos anos 90 que isso acabaria em revolta, porque os corruptos são insaciáveis e a população é quem sofre cada vez mais as consequências dos desvios das verbas públicas que deveriam ser usadas em benefício da coletividade.

O mais triste e desalentador, caro barão de La Brède e de Montesquieu, é constatar que no topo de sua invenção, onde já pontificaram homens honrados, para lá foram o que há de pior na espécie humana, escolhidos a dedo e comprometidos com os crimes de quem os indicou. Corruptos ambiciosos, afrontam a população praticando indignidades, exibindo sua empáfia audaciosa em esvoaçantes asas negras, que a mim só lembram o morcego que atormentava a noite do poeta Augusto dos Anjos, ao ponto de fazê-lo exclamar:

– Que ventre produziu tão feio parto?!

*Advogado. Pós-doutorado em Messina (IT). [email protected]

Carlos Nina
(98) 9 8899 8381

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Com programa Consultório na Rua, prefeito Edivaldo leva ações de saúde a pessoas em vulnerabilidade social

Equipe do programa presta atendimento itinerante em um veículo adaptado que percorre diversas áreas da cidade e tem como público-alvo pessoas em situação de rua; estratégia integra as ações de saúde da gestão do prefeito Edivaldo

Como mais uma estratégia na área da atenção básica à saúde, a gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior vem desenvolvendo as ações do programa Consultório na Rua, que leva atendimento médico a pessoas em situação de rua. O trabalho visa levar a esse público serviços de saúde, contribuindo para a prevenção de doenças, orientando-os e encaminhando-os ao tratamento necessário a fim de oferecer melhores condições de saúde. A ação é realizada em parceria com o Ministério da Saúde, tendo ainda como foco gestantes em vulnerabilidade social e situação de rua. De janeiro a abril deste ano, mais de 3,2 mil atendimentos foram realizados.

Com equipes em campo, o Consultório na Rua visa ampliar o acesso da população em situação de rua aos serviços de saúde, ofertando, de maneira mais oportuna, atenção integral à saúde para esse grupo que se encontra em condições de vulnerabilidade e com os vínculos familiares interrompidos ou fragilizados. O atendimento prioriza o cuidado no local, que busca atender não só nos problemas de saúde e sociais, bem como ações compartilhadas e integradas às Unidades Básicas de Saúde (UBS) como a vacinação. Dependendo da necessidade do usuário, essas equipes também atuam junto aos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), aos serviços de Urgência e Emergência e a outros pontos de atenção da rede de saúde e intersetorial.

De segunda a quinta, nos turnos vespertino e noturno, o Consultório na Rua presta atendimento itinerante por meio de um veículo adaptado que percorre diversas áreas da cidade. Na última semana equipes do programa estiveram na área do Mercado Central realizando os atendimentos. Entre outros locais que o Consultório na Rua presta atendimento na capital estão áreas como João Paulo, Coroadinho, São Francisco, Itaqui-Bacanga, Parque do Bom Menino, praças Deodoro, João Lisboa e Pedro II e outros locais do Centro Histórico.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, o Consultório na Rua é uma importante estratégia para levar os serviços básicos de saúde às pessoas que vivem em situação de rua e distanciadas da rede de serviços de saúde. “Além de levar a saúde pública para esta população, iniciativa que segue orientação do prefeito Edivaldo, o serviço também promove a inclusão social delas. Por isso, o trabalho é feito em conjunto com outras pastas. O nosso objetivo é garantir o acesso desse público aos serviços da rede institucionalizada, a assistência integral e a promover a dignidade humana das pessoas em situação de exclusão social”, afirmou o secretário.

O Consultório na Rua foi instituído pela Política Nacional de Atenção Básica e, em São Luís, o programa é desenvolvido por uma equipe multiprofissional formada por médico, enfermeiro, técnico em saúde bucal, psicólogo, terapeuta ocupacional, técnico em enfermagem, assistente social e agente social. Entre os serviços realizados estão consultas com clínico geral, acompanhamento pré-natal, atividades de orientação de saúde bucal, testes rápidos de sífilis, HIV, hepatite, coleta de exames laboratoriais, coleta de escarro para diagnóstico da tuberculose, testes de gravidez, emissão de Cartão do SUS, viabilização para emissão de Carteira de Identidade, entre outras ações.

Segundo a coordenadora do projeto, Nielma de Paula Carramilo Santos, o foco do atendimento se dá principalmente nas doenças ou situações que mais atingem os moradores em situação de rua, como tuberculose, alcoolismo, uso de drogas, hepatites, sífilis e outras doenças sexualmente transmissíveis. Também ainda orientando a população sobre as formas de prevenção e o tratamento dessas doenças.

“O Consultório na Rua é um modelo de inclusão social que enxerga o ser humano além da sua condição social. Com esta iniciativa, temos conseguido intervir na saúde de centenas de pessoas que vivem em situação de rua e conseguido concluir o tratamento de muitos que se submetem às terapias indicadas pelo serviço”, disse a coordenadora do projeto em São Luís, Nielma de Paula Carramilo.

Entre as doenças mais detectadas por meio do Consultório na Rua estão a tuberculose e a sífilis. Quando o diagnóstico é positivo, o tratamento é feito pelo próprio serviço. Já doenças como HIV, por exemplo, quando o teste rápido dá positivo, a pessoa é encaminhada ao Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), disponibilizado pela rede municipal de saúde. Também os exames de imagem diagnóstica necessários à conclusão do tratamento do paciente são feitos nas unidades do município. Alguns medicamentos da Farmácia Básica também são distribuídos quando necessário, durante as consultas do Consultório na Rua. Entre os remédios estão analgésicos, antipiréticos, anticoncepcionais, cremes vaginais e outros.

A estratégia do Consultório na Rua vem mostrando seus benefícios também no alcance de pessoas que fazem uso de álcool e outras drogas, situação comumente observada nestas populações. Para lidar com a situação, a estratégia intervém junto aos usuários de substâncias psicoativas que vivem na rua, baseada na perspectiva de redução de danos. Nesses casos, a pessoa é encaminhada ao Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPSAD), para sua inserção na rede de atendimento especializado.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Substância produzida pelo organismo tem potencial para tratar diabetes

Agência Brasil

O pesquisador brasileiro Luiz Osório Leiria, durante pesquisa de pós-doutorado na Universidade Harvard, nos Estados Unidos, identificou uma substância produzida pelo organismo que ajuda a controlar os níveis de glicose e pode ser uma alternativa para o combate a diabetes. Atualmente ele é pesquisador do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Em artigo publicado na revista Cell Metabolism, Leiria descreve pela primeira vez as funções de tal substância, o lipídio 12-HEPE, um tipo de gordura que é produzida e liberada pelo tecido adiposo marrom. O tecido adiposo marrom está principalmente relacionado à regulação térmica do organismo por meio da produção de calor. Já o tecido adiposo branco é aquele relacionado com a obesidade e tem a função é acumular gordura quando há excedente energético disponível.

Na pesquisa, Leiria descobriu que camundongos obesos tratados com o lipídio 12-HEPE apresentaram maior eficiência na redução dos níveis de glicose no sangue depois de receberem uma injeção com glicose concentrada, na comparação com os camundongos que não tinham recebido o tratamento com o lipídio.

“Mostramos que o 12-HEPE foi capaz de melhorar a tolerância à glicose em animais obesos, o que se deve à capacidade deste [lipídio] de promover a captação da glicose no tecido adiposo e no músculo. Aumentar a tolerância à glicose significa dizer a capacidade de transportar a glicose para os tecidos após uma ingestão alta de alimento (com glicose) reduzindo os níveis de glicose no sangue”, disse Luiz Osório Leiria.

O pesquisador demonstrou que o efeito benéfico do lipídio se deu pela capacidade do 12-HEPE promover a captação de glicose tanto no músculo quanto no próprio tecido adiposo marrom.

Diabetes

A importância da descoberta para um possível tratamento de pessoas com diabetes se dá porque os pacientes nessa condição têm seus níveis de glicose no sangue elevados e precisam de medicação para reduzir esses níveis. Leiria identificou, na pesquisa, que o lipídio 12-HEPE havia realizado a função de diminuir o nível de glicose no sangue entre os camundongos obesos.

“É cedo pra dizer, mas pode significar sim [um novo tipo de tratamento], pois no diabetes tipo 2 que ocorre intolerância à glicose, ou seja, ocorre um defeito da capacidade do organismo em captar a glicose após uma refeição e com isso a glicemia permanece elevada por muito tempo”, explicou.

Nos testes clínicos realizados com pacientes humanos, ao coletar amostras de sangue de pessoas magras e saudáveis, assim como de pacientes com sobrepeso e obesos, verificou-se que a quantidade de 12-HEPE do primeiro grupo foi maior do que no sangue dos pacientes com sobrepeso e obesos.

Ou seja, a pesquisa sugere a possibilidade de que a redução dos níveis desses lipídios na corrente sanguínea de pessoas obesas contribua, de alguma forma, para o aumento da glicose no sangue destes pacientes. A substância ainda não foi testada como tratamento em humanos, mas o pesquisador afirma que pretende fazer os testes no futuro.

Nos testes in vitro em células adiposas provenientes de humanos, os resultados mostraram que 12-HEPE aumentou a captação de glicose. “Em humanos, sabemos duas coisas: os níveis do lipídio são reduzidos em humanos obesos e, quando indivíduos tomam uma droga (Mirabegron) que ativa o tecido adiposo marrom, o lipídio é liberado no sangue”, contou Leiria.

Um remédio já comercializado no país chamado Mirabegron, indicado para o tratamento de uma disfunção urinária conhecida como bexiga hiperativa, tem também a capacidade de ativar o tecido adiposo marrom. A pesquisa de Leiria mostrou que pacientes tratados com esse medicamento têm níveis mais elevados de 12-HEPE no sangue.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.