Audiência pública discute execução orçamentária da Saúde em São Luís

A Câmara Municipal de São Luís realizou, na manhã desta sexta-feira, 15, audiência pública durante a qual o secretário Municipal de Saúde, Lula Fylho, apresentou relatórios da execução orçamentária da Semus nos três quadrimestres do exercício de 2018, em consonância com exigência prevista na Lei de Responsabilidade Fiscal.

Com a utilização de gráficos exibidos em um painel audiovisual, o secretário Lula Fylho fez uma detalhada explanação sobre prestação de contas das ações e da execução orçamentária de 2018.

Acompanhado de técnicos da Semus, o gestor apresentou um demonstrativo das receitas e despesas totais com saúde e forneceu informações sobre investimentos na área da atenção básica, procedimentos de média e alta complexidade, vigilância em saúde, assistência farmacêutica, implementação de segurança alimentar e nutricional e educação e formação em saúde.

Lula Fylho discorreu também sobre o funcionamento do Hospital Djalma Marques (Socorrão I), Hospital Clementino Moura (Socorrão II), Hospital da Criança, Hospital da Mulher e sobre o Samu. Questionado pelos vereadores, o secretário forneceu explicações sobre a Central de Marcação de Consultas, sobre procedimentos ambulatoriais e internações hospitalares e atendimentos a hipertensos e diabéticos.

Durante a sessão, presidida pelo vereador Nato Júnior (PP), o secretário falou também sobre os programas “Consultório na Rua” e “Melhor em Casa” e acrescentou informações sobre vigilância epidemiológica e sanitária, atendimentos odontológicos, assistência farmacêutica, rede de atenção psicossocial e ainda sobre o Centro de Atenção Integral à Saúde do Idoso.

Após a explanação feita na tribuna, Lula Fylho respondeu a perguntas e questionamentos apresentados pelos vereadores, como Astro de Ogum (PR), que reclamou da falta de aplicação orçamentária às emendas formuladas pelos vereadores.

Os vereadores Estêvão Aragão (PSB), Beto Castro (PROS), Francisco Chaguinhas (PP) e Cézar Bombeiro (PSD) questionaram o secretário sobre pontos relacionados ao tema, como o número que consideram exacerbado de servidores lotados na Semus, atrasos nas obras do Hospital da Criança e da Maternidade da Cidade Operária e filas inacabáveis para marcação de consultas.

Ao final do debate, os vereadores Raimundo Penha (PDT), Genival Alves (PRTB), Gutemberg Araújo (PRTB), Conceita Pinto (Patriota) e Honorato Fernandes (PT) destacaram a relevância da prestação de contas.

“A audiência pública é o momento da participação popular, está prevista em lei municipal. Três vezes por ano, o secretário de Saúde precisa vir aqui prestar contas dos gastos da gestão na capital. Assim, a gente pode avaliar os problemas que temos e encaminhar as devidas soluções”, afirmou Penha. O debate entre os vereadores e a comunidade é previsto pela Lei Complementar 141/2012.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Projeto “HSLZ Itinerante” de saúde preventiva para bombeiros militares

Atendimento Itinerante e preventivo acontece até sexta – feira (22.02) na sede do Comando na Av. dos Portugueses

O Hospital São Luís, mais conhecidos como Hospital dos Servidores continua colocando em prática o programa de saúde preventiva que visa oferecer mais conforto a seus pacientes nas consultas preventivas, as quais ajudam a combater e a detectar as chamadas  “doenças silenciosas”, entre as quais as mais perigosas são a diabetes e a hipertensão (pressão alta) ou mesmo outros males, causados pelo stress que vão desde a obesidade até a depressão e a síndrome do pânico.  

Major do Corpo de Bombeiros Amanda Coelho com os diretores do HSLZ: Paulo Braide Jr, Plínio Tuzzolo e Beatriz Rosa promovem até essa sexta o Projeto “HZLS Itinerante”.

Para ajudar o seu público – os servidores estaduais contribuintes do FUNBEN / Fundo de Benefícios dos Servidores do Estado do Maranhão – a ser mais regular nas consultas preventivas que acabam sendo adiadas pela falta de tempo e a rotina de trabalho, é que foi criado o programa HSLZ Itinerante.

Trata-se de levar uma ampla equipe multidisciplinar do hospital até a sede das autarquias estaduais, para que o servidores possam ter a oportunidade de realizar exames e consultas, dentro do horário da sua jornada laboral, e sem filas ou longas esperas. Rapidez e facilidade de atendimento, além de diagnósticos que podem salvar vidas!

Para o Diretor Geral CADH/CMH e do Laboratório Lacmar, Paulo Braide Jr, o HSLZ vem realizando diversos atendimentos nessa ação com mais de dez profissionais envolvidos compostos por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem com o objetivo de estar mais próximo do servidor público oferecendo qualidade de vida.

E para quem ainda não aderiu ao programa, vale o alerta do diretor do Hospital dos Servidores, Plínio Valério Tuzzolo: “Esse projeto tem evitado que pacientes desenvolvam doenças mais sérias, e contabiliza até agora a realização de mais de 1300 consultas; nas quais foram detectados vários casos de hipertensão e de diabetes, além de casos de emergências hipertensivas”, disse ele.

Os atendimentos para os bombeiros militares não precisam de agendamento prévio, basta comparecer à sede do comando durante seu horário normal de funcionamento, e passar pela equipe de triagem e atendimento do HSLZ Itinerante, explica a diretora de enfermagem do HSLZ, Beatriz Rosa

O projeto já foi realizado com sucesso na sede da Polícia Militar e para servidores da SEDUC, na sede da escola C.E. Dr. João Portela Bacelar. Essa semana, até a sexta – feira (22.02) os beneficiados são os Bombeiros Miliares do Maranhão associados ao FUNBEM; que poderão fazer suas consultas na sede do Comando da Corporação, situada na Av. dos Portugueses, na Vila Bacanga, próximo ao campus da UFMA.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Juíza atende pedido do SINDJUS-MA e devolve Hospital Carlos Macieira para Servidores Públicos

A juíza da 1ª Vara da Fazenda Pública de São Luís, Luiza Medeiros Neponucena, confirmou a imediata suspensão da cessão do Hospital Carlos Macieira (foto) para a Secretaria de Estado da Saúde e a devolução vendo da unidade de saúde à administração do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (FEPA).

A juíza da 1ª Vara da Fazenda Pública de São Luís, Luiza Medeiros Neponucena, confirmou a imediata suspensão da cessão do Hospital Carlos Macieira (foto) para a Secretaria de Estado da Saúde e a devolução vendo da unidade de saúde à administração do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (FEPA). A decisão, que já havia sido tomada liminarmente, em dezembro passado, foi disponibilizada nesta segunda-feira (11) no SijNet – Serviço Especializado em Informações Jurídicas. Dessa forma, o Hospital pode voltar a atender exclusivamente os servidores públicos do Estado do Maranhão.

A decisão é resultado de duas ações civis públicas, uma proposta por seis entidades sindicais, entre elas o Sindjus-MA, e outra pelo Ministério Público, contra o Estado do Maranhão. Na ação proposta pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadores do Brasil (CTB), Sindjus-MA e mais quatro entidades representativas de servidores públicos estaduais, os autores alegavam que a cessão onerosa e definitiva do hospital para a Secretaria de Saúde constituiria ato de alienação ilegal de bem público, feito sem prévia e expressa autorização da Assembleia Legislativa do Maranhão.

A magistrada julgou procedentes as demandas e confirmou as liminares, anteriormente, concedidas, em todos os seus termos.

Isso quer dizer que, além de decidir pela imediata suspensão da cessão do Hospital Carlos Macieira para a Secretaria de Estado da Saúde, a juíza também declarou nula a Resolução nº 001/2011 do Conselho Superior do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (CONSUP), que alterou a destinação específica do Carlos Macieira, transformando-o de Hospital dos Servidores para simples ativo financeiro arrecadador de renda para o FEPA, por meio de sua cessão definitiva a título oneroso para Secretaria de Saúde.

A decisão segue agora para revisão do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cientistas do MIT criam pílula de insulina para substituir injeção

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) desenvolveram uma cápsula com insulina que, ao ser ingerida por via oral, libera a substância no estômago. Depois de anos de estudos, os diabéticos do tipo 1 estão mais perto de substituir as injeções diárias. Os resultados foram publicados pela “Science”.

“Estamos realmente com esperança de que esse novo tipo de cápsula possa ajudar pacientes diabéticos e, talvez, qualquer pessoa que precise de terapias que só podem ser administradas por injeção”, disse Robert Langer, professor do Instituto David H. Koch e membro do MIT.

O diabetes ocorre quando o pâncreas não produz insulina – hormônio que controla a glicose no sangue e fornece energia ao organismo – ou quando o corpo não consegue mais utilizar a insulina que produz. Para resolver isso, as injeções da substância são administradas na região do abdômen.

“O diabetes 1, diferente do tipo 2, tem uma deficiência absoluta de insulina”, explica o endocrinologista Renato Zilli, do hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

“Então, a pessoa acaba tomando de 5 a 7 picadas de agulha por dia. O grande problema que temos no tratamento da doença é ter a certeza absoluta da dose. Precisamos ter a certeza que o produto vai ser absorvido pelo corpo”.

Ter uma pílula de insulina era um desafio para os bioengenheiros. A inspiração para a criação foi encontrada na tartaruga-leopardo. O animal, encontrado na África, tem um casco alto e íngreme, que permite que se apoie e se reposicione ao “rolar de costas”.

Tartaruga-leopardo tem um casco que serviu de inspiração para os cientistas — Foto: Katlyn R. Gerken/AP

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prefeitura implanta melhorias no Socorrão II que passa a ter mais uma ala com leitos de UTI

Abertura de novas vagas na Unidade de Terapia Intensiva é reflexo da política da gestão do prefeito Edivaldo para a área da saúde municipal e influencia positivamente no funcionamento de toda unidade hospitalar

Nova ala da UTI do Socorrão II desafoga atendimento na unidade de saúde

Desde a primeira quinzena deste mês, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal Dr. Clementino Moura, o Socorrão II, conta com novas vagas implantadas pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior como parte das ações de reestruturação do sistema de saúde de São Luís. A nova ala na UTI dinamiza o atendimento hospitalar de urgência e emergência voltado à população ludovicense e maranhense, já que o pronto-socorro recebe pessoas de todo o Estado.

“A gestão do prefeito Edivaldo tem empreendido grande esforço para atender às demandas da população e ofertar a cada dia mais serviços e com mais qualidade. Apesar de todas as dificuldades e crise na saúde pública em escala nacional, São Luís tem avançado e essa nova ala, com oito leitos disponíveis, com toda certeza agilizará o atendimento de urgências e emergências. É um avanço na medida em que, em outros municípios e unidades da Federação, o que se observa são unidades fechando as portas, causando grandes transtornos para pacientes e familiares”, destaca o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, durante visita esta semana às novas instalações do Socorrão II.

Durante a visita, Lula Fylho conversou com a equipe de médicos e enfermeiros na nova ala e ressaltou que o hospital, que já disponibilizava 19 leitos, agora, com os oito recentemente colocados em atividade, terá 27 leitos de UTI funcionando plenamente. “Seguindo orientação do prefeito Edivaldo estamos trabalhando em todas as frentes, temos agora mais esses leitos da Unidade de Terapia Intensiva e vamos ampliar também os leitos clínicos, da estabilização e da ala vermelha. Atualmente no hospital temos obras executadas exclusivamente pela Prefeitura e outras em parceria com o Governo do Estado”, garantiu o secretário.

A diretora geral do hospital, Dorinei Câmara, relata que as novas vagas já ajudaram a melhorar a rotina na unidade. “Os pacientes que hoje ocupam os novos leitos, estavam na Ala Vermelha do Socorrão II. Quando foram remanejados, folgou a área e outros doentes puderam ocupar os leitos vazios, desafogando outras áreas do hospital. Acreditamos que a tendência, com o avançar das reformas, é que todo o atendimento seja aliviado”, explica a gestora.

Antes da nova ala, o hospital mantinha em funcionamento duas outras, ‘A’ e ‘B’. Coordenadora da UTI do Socorrão II, Sarah de Serra, revela que a Unidade de Terapia Intensiva do hospital recebe pacientes graves de vários municípios e o fato de ganhar mais vagas, fará toda a diferença no tratamento dos doentes. “Essa ampliação vai refletir positivamente na saúde de todos os pacientes”, esclarece a servidora.

PROJETO LEAN NAS EMERGÊNCIAS

Todas as reformas na unidade de saúde fazem parte de amplo projeto de modificação de fluxos e serviços de urgência no Hospital Municipal Dr. Clementino Moura. Para a execução dessa iniciativa, a Prefeitura de São Luís conta com a consultoria de uma equipe do Hospital Sírio Libanês, por meio do projeto Lean nas Emergências que faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS) para o triênio de 2018 a 2020. A iniciativa visa promover melhorias no atendimento hospitalar de urgências e emergências da população brasileira que utiliza o sistema público de saúde.

“O que fizemos no Socorrão II não foi só abrir oito novos leitos na UTI, mas otimizar o fluxo para que se tenha cada vez menos pacientes nos corredores e para que as pessoas que se encontram com a saúde precisando de tratamento, demorem cada vez menos tempo na unidade de saúde, por conta dessa otimização que influenciará diretamente em um pronto restabelecimento”, informa o secretário municipal de Saúde.

A ideia é que, por meio do assessoramento técnico de especialistas do Hospital Sírio-Libanês, o Socorrão II seja um hospital de maior eficiência no atendimento, com maior qualidade nos serviços e resolutividade para quem precisar da unidade de saúde, tanto em São Luís, como por parte de outros municípios do Maranhão.

As obras que resultaram na nova ala de UTI do hospital foram iniciadas em outubro de 2018. A Prefeitura de São Luís pretende realizar obras de reforma na unidade durante todo o ano de 2019, além da aquisição necessária de equipamentos e produtos imprescindíveis para um atendimento devidamente adequado aos pacientes que procuram atendimento no pronto-socorro.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Sem médico para atender, filha retira pai da Santa Casa na maca e o leva pelas ruas de São Luís

São cenas chocantes para quem olhou de perto ou vai acompanhar no vídeo abaixo. Sem médico para atendimento, uma filha revoltada pega a maca  que estava no corredor com seu pai passando mal e deixou o hospital à procura do Socorrão, a fim de encontrar uma UTI. Ela saiu empurrando a maca por uma rua do centro da capital até chegar ao local desejado.

Confira no vídeo abaixo o retrato da nossa saúde:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prefeitura mobiliza sociedade para os cuidados com a saúde mental com a campanha Janeiro Branco

Ação contempla palestras, oficinas, serviços de orientação e outras atividades e integra a política de saúde voltada à área, desenvolvida na gestão do prefeito Edivaldo

A campanha Janeiro Branco está sendo realizada em São Luís pela Prefeitura de São Luís

Com o objetivo de orientar, conscientizar e mobilizar a sociedade em favor da saúde mental, para mudar a compreensão e desmitificar os tabus em torno do problema, a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), está desenvolvendo uma programação especial de atividades alusivas ao Janeiro Branco, mês dedicado à prevenção e cuidados com a saúde mental. As ações contemplam palestras, oficinas, serviços de orientação, entrega de material informativo, entre outras atividades executadas pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPS AD), mantido pela Prefeitura na capital. A iniciativa integra a política de saúde voltada à área, desenvolvida na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, destacou a importância da campanha na mobilização da sociedade para os cuidados com a saúde mental. “São momentos nos quais nossas equipes da área orientam as pessoas sobre a necessidade de cuidarem não apenas da saúde física, mas também da saúde mental, o que é de extrema importância, uma vez que torna-se cada vez mais crescente o número de casos de depressão, ansiedade, fobias, pânico, entre outras doenças afins, o que demonstra que as pessoas precisam começar a cuidar mais também de aspectos mentais e emocionais de sua vida”, observou o secretário.

Neste domingo 20 e no dia 27, a mobilização será na Feirinha São Luís, na Praça Benedito Leite, onde serão realizados serviços de orientação e atividades físicas envolvendo o público do evento, sob a orientação de profissionais de educação física. A ação na Feirinha consiste ainda de distribuição de material informativo, como folders e cartilhas abordando temas relativos à saúde mental. Uma equipe multiprofissional também estará no local para prestar orientação e atendimento à população na área. Além dessas ações, também haverá na Benedito Leite distribuição de mudas de plantas cultivadas no CAPS AD.

As atividades alusivas ao Janeiro Branco consistem ainda de palestra, no dia 24, sobre as novas diretrizes do Serviço Social, uma das áreas chaves do atendimento no setor; e, em referência ao Dia da Previdência Social e do Aposentado, será proferida palestra sobre a Previdência Social no Brasil. Já no dia 30, nos turnos matutino e vespertino, a programação segue com atividades de reflexão com tema “Cuidando de quem cuida”, voltadas aos profissionais da área de saúde mental que atuam nos CAPS AD. Finalizando as ações da campanha, acontecerá, no dia 29, ações de divulgação dos serviços desenvolvidos nas unidades do CAPS no município.

Ainda para tratar do tema com a sociedade, estão sendo realizadas também atividades educativas nos Centros Municipais de Saúde e nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), junto ao público atendido por esses equipamentos. As ações já aconteceram na Unidade de Saúde do Turu e no Cras desse mesmo bairro. Nos locais é feita ainda a distribuição de material informativo sobre a saúde mental e orientações acerca dos equipamentos públicos disponíveis no município para o atendimento psicossocial.

ATENDIMENTO

Em São Luís, a Prefeitura disponibiliza três Centros de Atenção Psicossocial: o CAPS AD do Filipinho, voltados para usuários de álcool e outras drogas; o CAPS I, no Turu, destinado ao atendimento de crianças e adolescentes com transtornos mentais; e o CAPS II, no Olho d’Água, para adultos também com problemas de saúde mental.

Todas as unidades dispõem de equipe multiprofissional composta por médicos psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, fisioterapeutas, entre outros profissionais. Também são promovidas, periodicamente, atividades paralelas e complementares, como palestras educativas sobre temas ligados à área da saúde, como o combate às drogas e prevenção de doenças.

O CAPS AD Filipinho, por exemplo, atende atualmente cerca de 80 pacientes, nos dois turnos, todos dependentes de álcool, crack e outras drogas. Segundo a diretora da unidade, Arlete Cutrim, a sistemática de trabalho na instituição é desenvolvida nos regimes intensivo, semi-intensivo e não-intensivo. No tratamento intensivo, o atendimento é realizado de segunda a sexta-feira. Já no regime semi-intensivo o paciente deverá comparecer ao CAPS três vezes por semana. Enquanto no tratamento não-intensivo, o atendimento é realizado a cada 15 dias.

“Além disso, fazemos ainda o acolhimento e damos os encaminhamentos para outras instituições, assim como também prestamos atendimento individual e em equipe. Também ofertamos serviço de farmácia com a distribuição da medicação prescrita aos pacientes do CAPS AD”, disse Arlete Cutrim.

CAMPANHA

O mês de janeiro foi escolhido para ser o período dedicado à saúde mental por alguns motivos peculiares, entre os quais o fato de ser o mês em que as pessoas têm a sensação de um novo começo, de novos planos e novo estilo de vida. Os criadores da campanha, que ocorre em todo o país, quiseram aproveitar esse clima para que as pessoas comecem o ano pensando também em sua saúde mental. Além disso, observa-se nesse mês maior melancolia e um momento em que muitas pessoas estão fragilizadas, sendo então o momento ideal para buscar ajuda profissional e começar a cuidar da mente.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prefeito de Imperatriz afasta servidor do Samu que negou socorro a uma idosa

Vieira foi denunciado pela comerciante Andreia Barreiro, que fez a ligação ao Samu e foi atendida pelo servidor, mas se recusou a atender ao pedido de uma ambulância para a idosa que estava deitada no chão de uma rua e precisava com urgência chegar a um hospital.

Confira abaixo a nota da prefeitura:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Do sistema de Saúde pública estadual apenas o Hospital do Servidor funciona

Não fosse a existência do Hospital São Luís, o Hospital do Servidor, os funcionários públicos estariam ferrados. Desde 2015 que a saúde pública estadual no Maranhão caiu doente e nunca mais levantou.
Das pessoas com as quais o titular do Blog conversou e que precisaram dos serviços do Hospital do Servidor, não existem reclamações, com todo atendimento qualificado e eficiente. Até deputado estadual já esteve hospitalizado no HSLZ, a exemplo do Cabo Campos. Do pequeno ao maior funcionário público, incluindo seus dependentes, o serviço é de primeira.
Agora, quando trata-se de unidades hospitalares públicas como Carlos Macieira, Genésio Rego, Hospital do Câncer (antigo Hospital Geral), de Traumatologia e as Upas, a reclamação é geral.
São depósitos de armazenar doentes em que os pacientes são pessimamente tratados e jogados em leitos até nos corredores. O governo gaba-se de ter construído ou reformado 10 grandes hospitais, mas a procissão de ambulâncias não pararam. Ao contrário. Foi o próprio governador quem reforçou a romaria com a entrega de novas ambulâncias para as prefeituras.
O estado de falência do sistema público de saúde no Maranhão chegou ao ponto ridículo de até fraude acontecer em seletivos, com a aprovação de falecidos e fantasmas. Uma zorra total!

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Fantasmas são os primeiros no seletivo e Saúde do Maranhão denuncia invasão cibernética

Em comunicada enviado ao secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, o secretário de Saúde, Carlos Lula, informa que houve fraude no processo seletivo para escolha de diretores das unidades de Saúde. 

Conforme comunicado interno que o Blog do Luis Cardoso teve acesso, dos 5.155 inscritos, foram identificados como aprovados alguns fantasmas, o que levou Lula a mandar suspender o seletivo e pedir para Portela apuração rigorosa da fraude, como mostra o comunicado abaixo:

Em nota aberta, a Secretaria de Estado da Saúde esclarece a suspensão do seletivo:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Ministério Público obriga Prefeitura de Carolina a regularizar serviços de saúde

Com base em um relatório do Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus), o Ministério Público do Maranhão ingressou, em 10 de dezembro, com uma Ação Civil Pública (ACP) contra o Município de Carolina, na qual cobra a regularização dos problemas apontados no prazo de três meses.

O Relatório de Auditoria n° 17.359 foi realizado pelo Denasus junto à Secretaria Municipal de Saúde e referiu-se ao período de julho de 2016 a fevereiro de 2017. Foram apontadas uma série de irregularidades no Bloco de Atenção Básica e do Componente Básico do Bloco de Assistência Farmacêutica.

Entre os problemas estavam o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde desatualizado e problemas de estrutura física, higienização, manutenção e conservação em cinco Unidades Básicas de Saúde da Família, que comprometem o atendimento à população. Também foram identificadas não conformidades referentes a equipamentos e material de trabalho indispensáveis às atividades, inclusive de saúde bucal.

Em pelo menos três unidades – postos de saúde Estevão Prado Araújo e Alcides Coelho Espíndola e Unidade Básica de Saúde Luís da Silva Braga – foi verificado a inexistência de médicos por período superior a 60 dias. Além disso, a farmácia da Assistência Farmacêutica Básica não tinha certificado de regularidade técnica emitido pelo Conselho Federal de Farmácia, licença nem alvará sanitário de funcionamento.

O Denasus também apontou que foram utilizados recursos da atenção básica para o pagamento de outras despesas, no valor de R$ 206.964,04. Por fim, a Secretaria Municipal de Saúde não disponibilizou nenhum procedimento licitatório referente aos exercícios financeiros de 2015 e 2016.

De acordo com o promotor de justiça Marco Tulio Rodrigues Lopes, uma reunião foi realizada com o prefeito, o procurador municipal e a equipe técnica da Prefeitura de Carolina, para tentar resolver os problemas. Embora tenha sido firmado um compromisso, não houve comprovação de resolução das questões, mesmo depois de 10 meses.

Na ACP, o Ministério Público requer que, caso a liminar seja descumprida e os problemas não sejam sanados em três meses, a Justiça determine o bloqueio das contas do Município de Carolina até o valor de R$ 100 mil. Também foi pedida a aplicação de multa diária de R$ 5 mil ao prefeito Erivelton Neves.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.