Em enquete, maioria dos leitores daria nota zero para a administração de João Castelo

Em enquete realizada pelo blog e encerrada agora pela manhã, para avialiar a administração do prefeito João Castelo, a maioria dos leitores deu nota zero. O leitor foi convidada opção de notas de 0 a 10. Veja o resultado:

0 (43%, 581 Votos)

10 (11%, 149 Votos)

1 (7%, 96 Votos)

2 (6%, 82 Votos)

5 (6%, 80 Votos)

8 (6%, 78 Votos)

3 (6%, 77 Votos)

7 (5%, 63 Votos)

4 (4%, 53 Votos)

6 (3%, 46 Votos)

9 (3%, 32 Votos)

Total de votantes: 1.337

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Jovens do Maranhão e da Bahia unidos pela eleição de Flávio Dino

Um grupo de jovens do Maranhão e da Bahia trocou, neste sábado, experiência sobre a situação política nos dois estados. A Bahia, a exemplo do Maranhão, também era governado por um grupo político denominado de “carlismo”, cujo líder era o Antonio Carlos Magalhães e, atualmente, é administrado pelo governador do PT, Jacques Wagner eleito em 2006 e que concorre à reeleição.

“Nós conseguimos aqui vocês conseguirão também aí no Maranhão”, afirmaram os jovens baianos, por meio de videoconferência. O encontro foi denominado de Conexão Vermelha Brasil pelo Maranhão.

A Bahia foi o primeiro estado a participar do movimento. Outros lugares também deverão se mobilizar.

Os jovens maranhenses relataram o andamento da campanha e criticaram a situação do estado maranhense, que amarga há décadas os piores indicadores sociais e econômicos do país.

“Estamos aqui nessa luta para eleger o Flávio Dino porque queremos mudar o nosso estado. Melhorar a nossa educação”, disse o presidente da UJS, Henrique Carneiro.

Outro jovem maranhense, Ednaldo, falou sobre a situação das escolas do Maranhão que, segundo ele, “estão em situação precária. Faltam professores e os poucos que têm não passam por qualificação profissional. Estamos na época do quadro de giz”, comparou.

Em seguida, foi a vez de os jovens baianos relatarem sua experiência a cerca da situação política do estado. Eles disseram que a juventude teve um papel importante em 2006, pois foram às ruas para mobilizar a população baiana pela mudança.

“Fizemos passeatas, conversamos com os estudantes, fizemos um grande movimento pela eleição de Jacques Wagner.

O mesmo pode acontecer no Maranhão com a eleição de Flávio Dino”, afirmaram.

Para o líder estudantil André Vital, o encontro foi bastante proveitoso, pois motiva ainda mais a juventude em defesa da candidatura de Flávio Dino.

Ele destacou, ainda, a importância da internet como meio capaz de potencializar a campanha e democratizar a informação. “Abraçamos de vez a internet, produzindo conteúdo e realizando uma campanha limpa em defesa da mudança do Maranhão, afirmou.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

População do Itaqui-Bacanga sai às ruas para receber Jackson e Vidigal

A área do Itaqui-Bacança amanheceu com um gigantesco cortejo de carros e motos

O candidato ao Senado Edson Vidigal da coligação O Povo é Maior, participou neste sábado de uma grande carreata da coligação ao lado do candidato ao governo Jackson Lago. A área do Itaqui-Bacança amanheceu com um gigantesco cortejo de carros e motos, que tomou as ruas dos bairros da região em uma grande manifestação cívica pelo Maranhão.

– Com mais esse Arrastão do 12 torna-se cada vez mais evidente o crescimento da nossa candidatura em conjunto com o Dr. Jackson Lago – disse Vidigal.

O ex-presidente do Superior Tribunal Federal destacou o espírito empreendedor dos moradores do Itaqui-Bacanga, que gerou o crescimento social e urbanístico de toda aquela região, mas chamou atenção para a necessidade de ampliar as políticas públicas, principalmente na área do saneamento básico.

Vidigal disse que essa será uma de suas grandes metas no Senado, pois acredita que o investimento em saneamento básico é a garantia de um futuro melhor para milhares de crianças e jovens, que convivem com esgotos a céu aberto, expostos a doenças que já deveriam ter sido erradicadas do planeta.

Ele também defendeu uma política de emprego e renda que envolva dos grandes empreendimentos o pequeno empresário que abriu seu negócio na região.

– O Itaqui-Bacanga é um pólo industrial do Maranhão, haja vista as grandes empresas aqui instaladas sem falar no Porto do Itaqui, a região cresceu muito, hoje é quase um município. Mas é preciso que esse crescimento signifique a melhoria da qualidade de vida da população – avisou.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Jackson Lago informa que pesquisas isentas desmentirão o Ibope

Em nota distruibuida ontem, a assessoria de imprensa do candidato da coligação “O Povo É Maior”, Jackson Lago, informa que “pesquisas isentas confirmarão que a candidatura do pedetista está bem cima do patamar do Ibope”, divulgado na noite de sexta-feira pela TV Mirante, em que ele aparece empatado com o concorrente Flávio Dino, ambos com 21%.

Leia abaixo a nota:

PESQUISA

Nem o Ibope está mais conseguindo esconder que a eleição será decidida no segundo turno.

Pesquisas isentas confirmarão levantamentos internos que mostram que a candidatura de Jackson Lago está bem acima do patamar do Ibope e superior aos votos cristalizados com que iniciou a sua jornada eleitoral.

Todos os cenários garantem a disputa no segundo turno, quando o povo maranhense mais uma vez soberanamente reafirmará a decisão histórica de 2006.

Assessoria de Imprensa da campanha de Jackson Lago

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Tudo combinado: Sarney na presidência do Senado e Lobão ministro de Minas e Energia

Edison LobãoEdison Lobão
Tudo arrumadinho. A divisão de cargos entre PT e PMDB começar a ser definida, faltando menos de 16 dias das eleições de três de outubro.

O PT ficará com a Casa Civil, Educação, Saúde, Fazenda, Planejamento, diretorias das estatais energéticas e da área do pré-sal. O partido reivindica ainda a presidência da Câmara Federal, uma especie de segundo na linha sucessória presidencial, em caso de Dilma Rousseff vencer a eleição.

O PMDB ficará com alguns ministérios na área social, mas já deixou acertado o retorno do senador Edison Lobão para o Ministério de Minas e Energia, conforme revelação do próprio Lobão a amigos mais próximos e a confirmação ontem do presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra.

Em assim sendo, o eleitor maranhense vai logo sabendo que votará pela reeleição de Lobão, mas estará mandando ao Senado Federal o filho Edinho Lobão, sem nenhum voto.

José SarneyJosé Sarney
O outro acerto nacional trata da reeleição do senador José Sarney por mais dois anos à frente do Senado Federal.

A Casa permite apenas uma reeleição. O PMDB, partido de Sarney, deve fazer a maior bancada de senadores. O PT ficará com a segunda maior bancada. Assim sendo, Sarney terá reeleição garantida.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

ANJ e OAB reagem a ataque do presidente

Folha.com

A ANJ (Associação Nacional dos Jornais) e a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) reagiram aos ataques feitos pelo presidente Lula à imprensa neste sábado.

Em nota, a ANJ disse ser “preocupante” que o presidente manifeste desconhecimento em relação ao papel da imprensa em sociedades democráticas.

“O papel da imprensa, convém recordar, é o de levar à sociedade toda informação, opinião e crítica que contribua para as opções informadas dos cidadãos, mesmo aquelas que desagradem os governantes”, declarou a associação na nota.

“Ele [Lula] jamais criticou o trabalho jornalístico quando as informações tinham implicações negativas para seus opositores”, ressaltou a ANJ.

O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, também criticou o teor do discurso de Lula. “Esse é um país onde a imprensa é livre. Denúncias sempre existiram, hoje e antes, quando o presidente estava na oposição”, afirmou.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Presidência dá aval a empresa ligada ao marido de Erenice

Folha.com

A Presidência da República deu atestado único de capacidade técnica à Unicel do Brasil Telecomunicações, empresa que tem como consultor o marido da ex-ministra Erenice Guerra.

Foi a primeira e única vez que a Diretoria de Telecomunicações da Presidência avalizou um serviço experimental, o que causou surpresa às empresas do setor por não ser de praxe órgãos públicos atestarem capacidade baseados somente em testes.

O documento a que a Folha teve acesso é de janeiro de 2007, quando Erenice era secretária-executiva da Casa Civil e a candidata Dilma Rousseff (PT), ministra.

A Unicel brigava na Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) por uma licença para implantar serviço de comunicação via rádio, que atenderia as Forças Armadas, a Presidência da República e a Polícia Federal –pedido ainda em análise.

Assinado por um diretor da Presidência, o atestado especifica a capacidade do sistema e diz que ele foi instalado e operado de “maneira satisfatória”.

No entanto, não consta o período em que a rede funcionou nem que ela se baseou apenas em teste.

O presidente da Unicel, José Roberto Melo da Silva, disse que documento foi usado em processos na Anatel e no Tribunal de Contas da União.

PADRINHO

Silva é amigo do marido de Erenice, José Roberto Camargo Campos, e padrinho de casamento do casal. Campos foi contratado pela Unicel para prestar serviços de implantação de rede.

De acordo com relato de Silva à Folha, o marido de Erenice foi o responsável por instalar, de forma gratuita, equipamentos chineses no Ministério da Defesa e na Presidência, em 2004.

Batizado entre os militares de ”Projeto Contato”, o teste contou com autorização da Anatel, mas ainda sem ter licença para implantar comercialmente o serviço.

Ainda em 2004, a Unicel participou de chamamento público na Anatel para interessados em explorar a faixa frequência não usada pelas operadoras de celular.

O elo da empresa com os militares aumentou em 2005, quando o coronel da reserva Elifas Gurgel foi nomeado presidente da Anatel e autorizou a Unicel a explorar comercialmente a frequência, com dispensa de licitação.

A medida foi contestada pela área técnica do órgão regulador, favorável à realização de licitação. A Unicel recorreu à Justiça.

A discussão só acabou no ano passado, quando o TCU confirmou o entendimento de que era dispensável a licitação, mas ordenou que a Anatel convocasse todas as empresas que haviam manifestado o interesse em 2004, e não apenas a Unicel.

Segundo a “Veja”, Erenice e o marido fizeram pressão na agência para que técnicos revissem pareceres e conselheiros mudassem os votos, e teriam conseguido reduzir em R$ 8,4 milhões o valor da concessão prevista em lei.

Após deixar o comando da Anatel, Elifas Gurgel tornou-se consultor da Unicel. Ele confirmou à Folha que representa a empresa em processos na agência reguladora e que participou de reuniões na Defesa para discussão do projeto testado em 2004.

Caminho inverso fez o advogado da empresa Gustavo Laender, que deixou a Unicel e foi nomeado em janeiro deste ano assessor da Secretaria Executiva da Casa Civil.

Há dois anos, a empresa tornou-se operadora de telefonia celular na Grande São Paulo, com a marca “aeiou”. A implantação da rede foi feita pelo marido de Erenice.

OUTRO LADO

A Casa Civil confirmou, por meio de sua assessoria, que a Unicel foi a única prestadora de serviços da Presidência a obter, em caráter experimental, atestado de capacidade técnica.

Informou ainda que a Unicel testou gratuitamente um serviço de telefonia móvel em 2004, quando Erenice Guerra auxiliava Dilma Rousseff no Ministério de Minas e Energia. Negou a participação de Erenice no convênio firmado com a empresa e na emissão do atestado.

O presidente da Unicel, José Roberto Melo da Silva, nega ter sido beneficiado: diz que pediu o atestado para disputar licitação nos jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio, mas desistiu.

Segundo Silva, o marido de Erenice, José Roberto Camargo Campos, prestou serviço à Unicel do primeiro trimestre de 2008 a fevereiro de 2009, mas não ocupou cargo. Em 2007, porém, a Casa Civil solicitou ao Itamaraty carta de apresentação de Campos para agilizar vistos de entrada na China e nos EUA, referindo-se a ele como diretor de telecomunicações da Unicel, como revelou a Folha.

Segundo a empresa, Campos, que não foi localizado pela reportagem, foi à China ”como integrante de comitiva de profissionais enviados para visitas a fornecedores, contatos com fabricantes de equipamentos específicos”.

Em nota, o presidente da empresa afirma conhecer o marido de Erenice desde os anos 90 e o define como um profissional de reconhecida capacidade técnica, que prestou serviços à Unicel em diferentes oportunidades.

Por telefone, Silva disse que Campos foi responsável pelas redes de telefonia móvel testada pelo Ministério da Defesa e pela Presidência e de telefonia celular em SP. Mas, por escrito, afirma que Campos não tem relação com o projeto testado pelos militares ”especificamente”.

Registrada no nome das duas filhas de Silva, há dois anos a empresa foi cindida em duas: a Unicel, responsável apenas pela telefonia celular em SP, e a Banda Larga do Brasil Telecomunicações

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.