Chegam em São Luís pacientes com covid-19 vindos de Manaus

    Desembarcaram no final da noite de hoje (14) no aeroporto de São Luís os pacientes portadores do covid-19 que foram transferidos de Manaus.

    235 doentes com a covid-19 e variante foram transferidos para o Maranhão, Piauí, Ceará e outros estados; confira

    Cerca de quarenta leitos foram disponibilizadas no Hospital Universitário de São Luís. O estado do Amazonas está oficialmente em colapso na Saúde. São Luís já possui mais de 70% dos leitos ocupados por pacientes locais com covid-19.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    César Pires cobra de Dino planejamento para vacinação contra a covid-19

    O deputado César Pires (PV) voltou a cobrar do governo estadual o planejamento da Secretaria de Estado da Saúde (SES) para a vacinação contra a Covid-19 no Maranhão.

    Em novo ofício encaminhado ao secretário Carlos Lula, o parlamentar solicita informações sobre a aquisição, armazenamento e distribuição de vacinas, e quais as medidas tomadas para garantir a imunização dos maranhenses.

    Desde o ano passado, César Pires vem buscando informações da Secretaria de Estado da Saúde sobre o planejamento da vacinação contra o coronavírus, já que a imunização é apontada como a única alternativa para superar a pandemia e garantir que a população retome suas atividades normais em segurança.

    “Se o governo estadual diz que não vai esperar pelo governo federal, e já obteve até autorização do Supremo Tribunal Federal para adquirir vacinas e executar seu próprio plano de vacinação, por que não apresentam o seu planejamento? Como parlamentar, já solicitei esclarecimentos duas vezes e até agora não obtive respostas da Secretaria de Estado da Saúde”, ressaltou César Pires.

    O deputado lembrou que, em entrevistas, tanto o governador Flávio Dino quanto o secretário Carlos Lula têm criticado o governo federal exatamente por não tomar as medidas necessárias para imunizar a população, como estão fazendo os demais países. “O Ministério da Saúde já anunciou que há seringas e comprará vacinas em quantidade suficiente para iniciar a imunização ainda neste mês de janeiro. O governo de São Paulo já reuniu os prefeitos e detalhou como imunizará os paulistas a partir do dia 25 deste mês. E o governo do Maranhão, que é tão crítico, o que está fazendo para vacinar os maranhenses? Terá condições de armazenar vacinas a 70 graus negativos?”, questionou César Pires.

    Para o parlamentar, em vez de criar polêmica e intrigas com o governo Bolsonaro para manter-se na mídia, o governo maranhense precisa dar respostas concretas à população sobre a vacinação contra o coronavírus. “O que todos nós queremos é superar esse momento difícil para voltar à normalidade em segurança. Esse deve ser o principal objetivo dos nossos governantes”, finalizou.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Bomba! Governo do Maranhão reduz testes para mostrar que a covid-19 está controlada

    A desconfiança começou a partir do momento em que os médicos e enfermeiros perceberam a redução dos testes nos pontos montados para realização dos exames para a covid-19, a exemplo das UPAs e hospitais, bem como em outros lugares mais abertos.

    Foi quando o Maranhão entrou, a partir de outubro, na lista dos estados que estavam saindo do vermelho e entrando para o nível de estabilidade. Chegamos ao grupo dos com patamar decrescente sem sabermos o que estava realmente acontecendo.

    Para fortalecer as desconfianças, surgiu um relatório nacional da Fiocruz que mostrou o quanto o Governo do Estado do Maranhão vem manipulando os testes e dados para mostrar que vem agindo corretamente.

    O Maranhão, conforme o documento, figura entre os três estados que reduziram o número de testagem, ao lado do Distrito Federal e Amapá.

    O governador Flávio Dino foi desmascarado quando ficou comprovado que em outubro, mês da redução da testagem para o novo coronavírus, o estado apresentou taxas de 1,7; 0,3 e 0,5 de aplicação dos testes PCR feitos a cada 100 mil habitantes

    Com o número baixo de testes, era natural a redução no número de contaminados e de óbitos, espertamente manipulados pelo governo comunista. Ainda assim, Flávio Dino cobra diariamente que o governo federal faça a sua parte, levando em conta que o Maranhão vem fazendo o papel dele.

    Confira abaixo nos gráficos a enrolada no Maranhão no quesito testagem para detectar a covid-19:

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Dezembro tem aumento de 40% no número de mortes pelo coronavírus

    No mês de Dezembro, o Brasil registrou o maior número de mortes por Covid-19 desde setembro. Os dados são das secretarias de Saúde do país, que registraram 18.570 óbitos.

    Segundo os dados, o aumento é de 40% do que foi registrado em novembro. É a primeira vez, desde julho, que a quantidade de mortes em um mês é maior que a vista no mês anterior. Confira o gráfico abaixo:

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Morre vítima de Covid-19 o pai de Bruno Duailibe indicado procurador por Eduardo Braide

    Faleceu hoje, segunda-feira (28) o engenheiro Aluísio Duailibe Brito Passos Pinheiro por complicações da covid-19. Ele é pai do advogado e ex-membro da corte eleitoral do TRE do Maranhão, Bruno Duailibe, que já foi indicado Procurador Geral do Município de São Luis pelo prefeito eleito Eduardo Braide 

    O engenheiro estava com 75 anos e foi internado no UDI tem duas semanas, onde apresentou sinais de recuperação, mas depois foi entubado. O corpo será cremado nesta tarde em cerimônia só para os familiares

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Prefeito de Caxias recebe alta no tratamento da Covid-19

    O prefeito de Caxias, Fábio Gentil, recebeu alta do hospital em onde estava fazendo o tratamento da Covid-19. O prefeito divulgou uma nota em suas redes sociais agradecendo pelo dom da vida e pelas pessoas que oraram pela sua recuperação.

    Fábio estava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, após uma piora em seu estado de saúde.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Instituto Butantan adia entrega de resultados da CoronaVac à Anvisa

    Por R7

    Previsão inicial era de que os documentos fossem entregues nessa terça-feira (15). Doria havia anunciado início da vacinação em 25 de janeiro.

    O Instituto Butantan adiou o envio do resultado dos testes da vacina CoronaVac no Brasil à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A previsão inicial era de que os documentos fossem entregues nessa terça-feira (15). As informações são da Record TV.

    De acordo com o instituto, a nova data para a entrega dos resultados é dia 23 de dezembro. Com o atraso, pode haver demora na entrega do imunizante aos brasileiros.

    No dia 23 de novembro, o secretário de saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, confirmou que o Instituto Butantan havia entrado na fase final do desenvolvimento da vacina CoronaVac após atingir o número mínimo esperado de infectados pela covid-19 na fase 3 do estudo clínico. São esses os resultados que precisam ser entregues à Anvisa.

    Mais detalhes sobre os possíveis impactos do adiamento da entrega dos resultados da CoronaVac devem ser esclarecidos na coletiva de imprensa que ocorrerá ainda nesta segunda-feira (14), no Palácio dos Bandeirantes.

    Plano de imunização

    Segundo o governador João Doria (PSDB), a vacinação contra o novo coronavírus na cidade de São Paulo e em todo o estado começaria no dia 25 de janeiro. Os insumos necessários para fabricação e o transporte para distribuição das doses estão prontos e dependem somente da autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

    Já definido, o público-alvo da primeira fase do plano será dividido em três grupos: profissionais da Saúde, pessoas acima dos 60 anos e indígenas e quilombolas, que, no total, representam 9 milhões de pessoas no Estado. Segundo informou a gestão estadual, 77% dos óbitos por novo coronavírus em São Paulo ocorrem entre os três grupos citados.

    Destas 9 milhões de doses, 7,5 milhões irão para os idosos, e 1,5 milhão para os profissionais da Saúde, quilombolas e indígenas. A primeira fase do plano de imunização ocorrerá entre 25 de janeiro e 28 de março, ao longo de nove semanas, com escala por faixas etárias e duas doses da vacina por pessoa.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Deputado do Maranhão diz que novo coronavírus queria matá-lo

    Minuto Barra 

    O deputado federal Hildo Rocha(MDB) passou parte do mês de novembro internado em uma UTI em um hospital da capital Brasília.

    O parlamentar foi acometido pelo novo coronavírus e por pouco não morreu. Por várias vezes os médicos pensaram em entubar Hildo Rocha devido à gravidade do problema.

    Ontem, sexta-feira(11) durante uma curta conversa com o Blogueiro Gildásio Brito por telefone, Hildo Rocha disse que o coronavírus veio para lhe matar, porém, a restauração de sua saúde é fruto de um milagre de Deus através dos médicos.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Ministro da Saúde anuncia que vacinação contra covid-19 no Brasil pode começar ainda este mês

    Por Maranhão Hoje

    O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em entrevista concedida com exclusividade à à CNN Brasil, nesta quarta-feira (09), knformou que a vacinação contra Covid-19 pode começar no Brasil, entre dezembro e janeiro. O imunizante a ser utilizado é o desenvolvido pela Pfizer/BioNTech.

    Imunizante deve receber aprovação emergencial da Anvisa

    “Se a Pfizer conseguir a autorização emergencial e nos adiantar alguma entrega, isso [o início da vacinação] pode acontecer no final de dezembro ou em janeiro”, afirmou, que alertou, no entanto, que isso será “em quantidades pequenas, de uso emergencial”.

    O ministro não descartou que a vacinação ocorra também com as candidatas da AstraZeneca/Oxford ou do Instituto Butantan, caso haja uma autorização emergencial da Anvisa. “Estamos fechando o memorando de entendimento com a Pfizer. É a vacina que está mais adiantada, mas mesmo ela ainda não tem registro”, afirmou.

    Para obtenção do registro, segundo o ministro, dependeria do desenvolvimento e da aprovação da Anvisa. Nesse caso, a aplicação poderia acontecer já entre janeiro e fevereiro, disse Pazuello.

    Pazuello garantiu que, se a Coronavac receber o aval da agência reguladora, ela será usada no plano de imunização. “A vacina que estiver registrada na Anvisa e garantida sua eficácia e segurança será comprada e distribuída para todos os brasileiros”, afirmou.

    Plano – O ministro informou ainda que plano de vacinação está pronto. “Nosso país jamais será dividido”, disse ele referindo-se ao plano lançado por São Paulo para começar a vacinação em 25 de janeiro.

    Pazuello disse que a vacinação será incluída no Programa Nacional de Imunização e usará a mesma logística já operacionalizada pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

    “O SUS trabalha de forma tripartite, com estados e municípios, e cada um já tem sua função dentro desse programa”, disse.

    Ele detalhou que o governo federal distribuirá as doses, por via aérea e rodoviária, até os estados. Então, será responsabilidade estadual distribuir entre as cidades e os municípios executariam, efetivamente, a vacinação.

    “O plano, em tese, envolve três níveis de governo e isso faz com que a velocidade das ações seja a mais rápida possível”, afirmou.

    (Com informações da CNN Brasil)

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.