Agora lascou! Mais de 200 trabalhadores da limpeza de hospitais municipais de São Luís cruzam os braços

    Não bastasse a greve geral dos professores da rede pública municipal de São Luís, iniciada na manhã de hoje (18), atestando o despreparo do prefeito Eduardo Braide, os trabalhadores que atuam na limpeza de hospitais Socorrão 2, da Mulher e da Criança, além das unidades mistas, estão de braços cruzados por falta de pagamento.

    Foto Divulgação

    Os salários que deveriam ter sido pagos no início deste mês, até o momento não foram depositados nas contas dos funcionários e, de acordo com o Sindicato de Asseio e Conservação, ainda não existe nenhuma previsão para que os pagamentos sejam efetuados.

    Se levarmos em consideração somente os funcionários que atuam no setor de limpeza do Socorrão 2 e dos hospitais da Mulher e da Criança, são aproximadamente, 200 trabalhadores que seguem com as atividades paralisadas desde a última sexta-feira (15).

    O Presidente do Sindicato de Asseio e Conservação, Maxwell Bezerra, afirma que a empresa Maxtec não recebe há cerca de cinco meses, por parte da Prefeitura de São Luís, o repasse dos recursos que seriam utilizados, inclusive, para manter em dia, os salários de todos esses funcionários, que são terceirizados.

    Socorrão II

    A situação deste hospital, que já era bem crítica, deve ficar pior com a greve. O Socorrão II vem sendo denunciado por pacientes e acompanhantes que revelaram que no local a falta de higiene é grande, inclusive com a presença de ratos e baratas pelos corredores.

    O descanso é tamanho que vem sendo noticiado por emissoras de TV a nível nacional. Confira abaixo.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Rodoviários convocam assembleia e devem deflagrar greve geral no transporte público em São Luís

    Rodoviários do Maranhão anunciaram a realização de uma nova Assembleia Geral com Trabalhadores após reunião sem avanços em negociações com empresários do transporte coletivo na última sexta (18) na sede do TRT.

    Foto Reprodução

    Uma greve geral deve ser deflagrada pela categoria. Lembrando que continua circulando na capital apenas 60% da frota de coletivos.

    Leia abaixo a íntegra a nota do Sindicato.

    Convocação de ASSEMBLEIA GERAL 📢

    Convocamos todos os trabalhadores rodoviários para participarem da Assembleia Geral que será realizada, nesta terça-feira 22/03, em dois turnos às 09h e às 16h na sede do Sindicato, Rua Afonso Pena, Centro.

    A participação de todos, é indispensável, trataremos juntamente com a categoria sobre os últimos acontecimentos da negociação da nossa Convenção Coletiva de Trabalho, e faremos juntos uma reavaliação sobre a Greve Geral do Transporte Público de São Luís.

    Venha e traga sua máscara, iremos garantir todos os protocolos sanitários.
    Compareçam !

    Data: Nesta terça-feira, (22/03).
    Local Sede do Sindicato, Rua Afonso Pena, Centro.
    Horário 9h e às 16h

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Audiência entre rodoviários e empresários não dá em nada e São Luís segue com frota de ônibus reduzida

    Nesta sexta-feira (11), Rodoviários e empresários voltaram a se reunir, desta vez em audiência de conciliação, no TRT-MA. O encontro contou ainda com representantes da Município (SMTT) e Estado (MOB). Diante da falta de acordo entre trabalhadores e patrões, o que resultou em paralisação no sistema, com manutenção de somente, 60% da frota de ônibus circulando na Grande Ilha, o encaminhamento adotado foi o dissídio coletivo. Os Rodoviários exigem: 15% de reajuste salarial; 800 reais de ticket alimentação e manutenção do plano de saúde concedido aos trabalhadores.

    Foto Reprodução

    Durante a audiência, os patrões, mais uma vez, alegaram que os vinte centavos reajustados no valor das tarifas de ônibus, não cobrem o rombo financeiro nas contas do setor. O Presidente do TRT-MA, Francisco José de Carvalho Neto, também pediu esclarecimentos do Município, já que é quem regulamenta o serviço em São Luís. No entendimento do Presidente do TRT-MA, uma solução para esse impasse, precisa ser tomada com urgência.

    Diante da cobrança feita pelo desembargador Carvalho Neto, principalmente, aos representantes do Município, foi solicitado mais tempo, para que pudessem apresentar uma alternativa para a questão. Por decisão do Presidente do TRT-MA, com o consentimento das partes envolvidas, a audiência então foi interrompida, para ser retomada na próxima quarta-feira (16).

    “Até quarta-feira (16), seguiremos com a frota de ônibus reduzida, acatando determinação do TRT-MA, para que circule o mínimo de 60% dos coletivos. Depois da pressão do desembargador Carvalho Neto, que entende os prejuízos contabilizados pelo movimento grevista, estamos confiantes de que teremos uma resposta positiva, para as reivindicações dos trabalhadores. Esperamos que isso de fato, se concretize até quarta”, destaca Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Rodoviários irão decretar greve geral no setor de transporte coletivo na Grande Ilha

    Cansados de esperar uma decisão dos donos de ônibus que possa atender seus pleitos, os motoristas e trocadores irão decretar greve por tempo indeterminado nesta quinta-feira (03/03).

    Ocorre que os patrões receberam da prefeitura incentivo de R$ 20 milhões e mais um reajuste tarifário e não cumpriram com o acordo proposto pelos rodoviários para encerrar a greve, além de enganarem o prefeito Eduardo Braide.

    A redução na frota aceita pelos empregados em 60% foi uma imposição da Justiça do Trabalho depois do decreto de prisão de 15 membros na Polícia Federal.

    Com a decisão do Superior Tribunal de Justiça, que considerou a desembargadora do TRT de prender sindicalista como incompetente para julgar causas criminais, deu força aos trabalhadores.

    Além disso, a traição do prefeito, que ajudou na prisão dos sindicalistas usando sua Guarda Municipal. Mais uma vez teremos outra greve que afeta os moradores de São Luís e a economia local, mostrando que Eduardo nunca esteve preparado para administrar São Luís.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Desembargadora do TRT-MA autoriza circulação de 60% da frota de ônibus na grande São Luís

    A desembargadora Solange Cristina Passos de Castro, do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região (Maranhão), relatora das ações cautelares nºs 16054/22 e 16055/22, autoriza a circulação de 60% da frota de ônibus na grande São Luís em sede de Agravo Regimental interposto pelo Sindicato dos Rodoviários. A multa diária por descumprimento da decisão foi mantida em R$ 50 mil.

    Foto Reprodução

    No agravo regimental julgado na quarta-feira (23), a desembargadora também determina a suspensão da ordem de execução imediata da multa diária imposta em decisão anterior, acolhendo parcialmente, os argumentos expendidos pelo sindicato dos trabalhadores.

    De acordo com a desembargadora Solange de Castro, “o objetivo da decisão da Justiça do Trabalho deve ser a persecução do equilíbrio de forças das partes litigantes e a garantia de manutenção do direito ao serviço de transporte público à população, direito este que transcende aos interesses, embora legítimos e legais, das partes processuais”, declarou.

    Na decisão, a desembargadora considera que “resta evidente, a intransigência das partes em pôr fim ao presente conflito, que se estende há cinco meses”; que já houve o ajuizamento de várias ações cautelares no Tribunal, distribuídas para seis dos oito desembargadores do Tribunal, “numa demonstração de utilização da máquina pública, lamentavelmente, com inúmeros precedentes na história dessas duas essenciais categorias litigantes e do Poder Público Municipal, instalando-se, invariavelmente, um delicado clima de inquietação social”.

    Em outro trecho da decisão ressalta que a Lei de Greve proíbe aos trabalhadores paralisação total dos serviços de transporte coletivo, mas que também impõe o dever imperativo ao Poder Público Municipal de assegurar a prestação desses serviços, conforme normas legais, e “igualmente, às empresa prestadoras de tais serviços” , representadas na ação judicial pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET), “cuja alegação de incapacidade financeira, dentre outras, nestes autos denunciadas, é condição que poderá, desabilitá-las à continuidade de prestação dos serviços de transportes, fazendo-se mister, a imediata revisão do vigente contrato de concessão, na forma do permissivo e imperativo legal, com vistas aos esclarecimentos definitivos, junto à sociedade e também, à definitiva solução dos entraves contratuais que a vitimam com a paralisação e precariedade na sua prestação, tudo isso, porque, todos os três litigantes são remunerados com o dinheiro público, face à contraprestação desses indispensáveis serviços que ostentam natureza pública”.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Pedido de prisão caberia aos donos das empresas de transportes coletivos

    Sobrou para os trabalhadores dos transportes coletivos da Grande Ilha. Em greve, os operários rodoviários assistirão a direção do sindicato ser presa por determinação judicial do Trabalho por não aceitarem voltar ao batente. A decisão é da desembargadora Solange de Castro, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) no Maranhão.

    Enquanto isso, os donos dos ônibus se divertem levando para suas empresas R$ 20 milhões doados pela Prefeitura de São Luís, que arrancou o dinheiro do nosso bolso sem nos consultar, como forma de intermediar o fim da primeira greve.

    Os patrões ficaram com o dinheiro e não cumpriram o acordo de fazer chegar aos seus empregados e evitar a greve. Enganaram o bobo do prefeito Eduardo Braide e a todos nós os pagadores do acordo não cumprido.

    Não se tem conhecimento até agora de uma medida judicial que obriguem os patrões a devolver a grana dos contribuintes. Mas aos trabalhadores a prisão é decretada. Lamentável que sempre caia para o lado mais fraco.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Juiz nega pedido do SET sobre reajuste da tarifa do transporte coletivo de São Luís

    O juiz titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, Douglas de Melo Martins, indeferiu pedidos do Sindicado das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) em relação ao contrato de prestação do serviço de transporte coletivo. O autor da ação pediu que o Município apresentasse os documentos que comprovem o valor do combustível e do custo de mão de obra. Também requereu que fosse determinado à Prefeitura implementar, imediatamente, o reajuste da tarifa do transporte.

    Foto Reprodução

    “Não cabe, neste momento, intervenção do Poder Judiciário nas opções políticas que cabem ao prefeito municipal. Dentre as opções, a escolhida até agora tem sido de subsidiar com recursos públicos. Se essa opção é correta ou não, não cabe ao Poder Judiciário interferir”, afirmou o magistrado, na decisão.

    O SET pediu, com urgência, que o município de São Luís apresente os documentos que comprovem o valor do combustível (notas fiscais do óleo diesel) e do custo de mão de obra (incluindo os custos com plano de saúde e demais encargos previstos na Convenção Coletiva de Trabalho). A entidade sindical também requereu que fosse determinado à Prefeitura implementar, imediatamente, o reajuste da tarifa de contrato que, segundo a entidade, é omissa desde o ano 2019 em relação ao cumprimento da previsão contratual.

    Na decisão, o juiz destacou que “neste momento de negociações entre o Município, empresários e empregados sobre as melhores opções para garantir o equilíbrio econômico e financeiro dos contratos deve ser opção da Administração Pública. Se o prefeito o faz pela via de subsídio, medidas administrativas que reduzam custos ou elevação de passagens, é algo que cabe ao gestor municipal decidir”.

    Douglas de Melo Martins disse que a interferência do Judiciário somente é aceitável quando o gestor não promove a política pública, não quando o juiz discorda da opção feita pelo gestor. Afirmou, ainda, que o juiz não possui a legitimidade para tais escolhas.

    O Município e o SET pediram que fosse realizada perícia contábil no contrato de concessão de prestação do serviço de transporte coletivo de São Luís. O juiz vai nomear perito para realização da perícia.

    Núcleo de Comunicação do Fórum Des. Sarney Costa

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Professores de São Luís paralisam por falta de reajuste salarial

    Sem que Braide desse a mínima para a categoria, eles decidiram acampar na porta da sede da Prefeitura de São por prazo indeterminado, como mostra a imagem de Matheus Soares do Sistema Mirante. Eles reivindicam ainda a imediata volta dos estudantes para as salas de aulas.

    Porém, das 261 escolas da rede municipal, 22 estão em condições de oferecer aulas. Eles querem um reajuste que não vem sendo dado desde 2016 e reclamam de assédio moral.

    As condições físicas das escolas são as piores possíveis, sem que o prefeito Braide tivesse a preocupação de cuidar dos espaços físicos.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Falta de cumprimento total de acordo pela Prefeitura de São Luís gera ameaça de nova greve de ônibus

    Por O Estado

    O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) informa que, desde o dia 1º de novembro, após acordo firmado com a Prefeitura de São Luís e o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, que deu fim à greve dos trabalhadores do transporte público da capital, diariamente tem dialogado com as partes envolvidas e buscado solução para sanar os ruídos de comunicação e dissipar qualquer tipo de atrito ou descontentamento por parte de empregados e empregadores.

    Última greve do transporte público de São Luís causou graves transtornos à população de São Luís (Foto: Douglas Pinto/TV Mirante

    Contudo, informa que a Prefeitura de São Luís ainda não cumpriu totalmente o acordo firmado no dia 1º, o que está impossibilitando que algumas empresas também cumpram os compromissos firmados, gerando movimentos extremados de trabalhadores descontentes com toda essa situação. E, mesmo após o fim da greve, que durou 12 dias, trabalhadores de algumas empresas ameaçam deflagrar nova paralisação, o que vinha sendo evitado nos diálogos que o SET mantém com a categoria.

    Diante desse cenário, o SET reitera a necessidade de retomar o diálogo e buscar, juntos, a resolução dos conflitos, com vista a não trazer ainda mais prejuízos para a população, que direta ou indiretamente é impactada pela falta de transporte público na capital maranhense. O cumprimento do que foi acordado pelo SET necessita, impreterivelmente, que a Prefeitura de São Luís também cumpra, integralmente, a sua parte no acordo.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Braide anuncia fim da greve dos rodoviários em São Luís

    Por Jornal Pequeno 

    Após reunião nesta segunda (01), o Sindicato dos Rodoviários e das empresas do sistema de transporte entraram em acordo.

    SÃO LUÍS – O prefeito Eduardo Braide anunciou, por meio das suas redes sociais, o fim da greve dos rodoviários, que já durava 12 dias. Segundo o prefeito, os ônibus voltam a circular ainda nesta segunda (1o).

    No vídeo publicado nas redes, o prefeito fez questão de destacar que o fim da greve se deu após uma reunião entre empregados e empregadores, na sede da prefeitura e não vai haver aumento no valor das passagens.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Greve dos motoristas de ônibus causa a primeira degola: Braide demite o secretário da SMTT

    Talvez não seja essa a solução, mas o prefeito de São Luís, Eduardo Braide, demitiu seu secretário de Trânsito e Transportes, Cláudio Ribeiro e colocou no comando da Pasta o chefe da Assessoria Jurídica da SMTT o advogado Diego Baluz. Confira o anúncio abaixo:

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Eduardo Braide precisa ser prefeito para decretar calamidade pública e contratar novas empresas de ônibus

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.