Não bastasse a greve geral dos professores da rede pública municipal de São Luís, iniciada na manhã de hoje (18), atestando o despreparo do prefeito Eduardo Braide, os trabalhadores que atuam na limpeza de hospitais Socorrão 2, da Mulher e da Criança, além das unidades mistas, estão de braços cruzados por falta de pagamento.

Foto Divulgação

Os salários que deveriam ter sido pagos no início deste mês, até o momento não foram depositados nas contas dos funcionários e, de acordo com o Sindicato de Asseio e Conservação, ainda não existe nenhuma previsão para que os pagamentos sejam efetuados.

Se levarmos em consideração somente os funcionários que atuam no setor de limpeza do Socorrão 2 e dos hospitais da Mulher e da Criança, são aproximadamente, 200 trabalhadores que seguem com as atividades paralisadas desde a última sexta-feira (15).

O Presidente do Sindicato de Asseio e Conservação, Maxwell Bezerra, afirma que a empresa Maxtec não recebe há cerca de cinco meses, por parte da Prefeitura de São Luís, o repasse dos recursos que seriam utilizados, inclusive, para manter em dia, os salários de todos esses funcionários, que são terceirizados.

Socorrão II

A situação deste hospital, que já era bem crítica, deve ficar pior com a greve. O Socorrão II vem sendo denunciado por pacientes e acompanhantes que revelaram que no local a falta de higiene é grande, inclusive com a presença de ratos e baratas pelos corredores.

O descanso é tamanho que vem sendo noticiado por emissoras de TV a nível nacional. Confira abaixo.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.