Deputado Wellington se reúne com professores aprovados no concurso da Prefeitura de São Luís

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) se reuniu, na manhã desta sexta-feira (05), com professores aprovados no concurso da Secretaria Municipal de Educação de São Luís. Embora a Assembleia Legislativa esteja de recesso, Wellington ouviu os professores e presidiu a reunião que teve por objetivo tratar sobre a convocação dos aprovados, que fizeram o concurso em fevereiro de 2017. Esteve também presente o presidente da Comissão de Educação da Assembleia, advogado Adelmano Benigno.

Na ocasião, Wellington destacou a necessidade de se ter mais professores na Rede Pública Municipal e ressaltou a expectativa de direito dos aprovados no concurso.

“Recebemos essa solicitação dos professores e não poderíamos nos omitir. Conhecemos a realidade das escolas públicas e sabemos que falta sim professores suficientes para suprir a demanda. Ocorre que houve o concurso, há aprovados e, quase após um ano, ainda não foram nomeados como se não fosse uma necessidade. A questão já foi judicializada e continuaremos dando o apoio aos professores. Educação pública não é brincadeira. Se há aprovados, há a expectativa de nomeação”, disse Wellington.

Durante a reunião, foi definida uma audiência com o Promotor de Educação, Drº Paulo Avelar na próxima semana e, ainda, audiência pública em data a ser estabelecida.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Quadrilhas que iriam fraudar as provas do Enem são desarticuladas no Brasil

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio, que serão realizadas a partir do domingo próximo, dia 05 de novembro e serão finalizadas no dia 12 do mesmo mês, estavam correndo sérios riscos de fraudes. Além disso, as quadrilhas desarticuladas já haviam fraudados concurso públicos e vestibulares em algumas capitais e no Distrito Federal.

Em Brasília, a Divisão Especial de Repressão ao Crime Organizado informou que uma quadrilha vinha sendo investigada estaria tentando fraudar as provas do Enem e que, em caso de vestibulares e dependendo do curso, cobravam entre R$ 180 mil a R$ 160 mil.

Nos concursos públicos, o valor variavam entre E$ 10 mil a R$ 20 mil da entrada e que  o restante (equivalente a dez vezes o salário de quem fosse aprovada, seria  pago com empréstimos consignados.

Aqui no Maranhão vestibulares do Curso de Medicina do Ceuma foram fraudados por vários anos. Alguns professores e outros funcionários da faculdade foram descobertos e presos. O vestibulando pagava entre R$ 70 mil a R$ 120 para ser aprovado.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Escola Digna mostra o zelo do governador em São Luís

O pais assistiu hoje, através do Bom Dia Brasil, como o Governo do Maranhão trata os alunos do ensino médio. Com o programa Escola Digna, foi exibido uma unidade de ensino do primeiro mundo, com aulas apenas três vezes na semana, as paredes comprometidas, salas calorentas, banheiros pós-guerra, posto de combustível ao lado, ao ponto de fazer estourar alunos. Quem não chorou ao olhar as cenas desprezíveis, no mínimo vomitou.

O novo método de acomodar alunos que ficaram vários meses fora da sala de aula, segundo o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, foi uma escolha pessoal dos pais dos estudantes. Ou seja: os pais querem seus filhos estudando em um local ordinário como se fosse castigo. E olha que a escola fica em São Luís.

Confira abaixo a reportagem de hoje que mostra mais uma vez o Maranhão envergonhando o Brasil:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Às Professoras do Município de Zé Doca

Por Clésio Cunha -Juiz de Direito

Fui alfabetizado antes de chegar na Escola. Minha professora obrigava-me a ler e interpretar os Salmos de Davi. Com o Salmo 139 obrigou-me a ir além do que me era permitido pra idade. Obrigava-me a escrever palavras e sentenças vocabulares de versículos bíblicos. Com o tempo fui obrigado a ler, decorar e aprender a Cartilha Nordeste, e nessa cartilha aprendi o primeiro verso: ” Eu não sou barqueiro de vela, mas sou um bom remador, no Lago de São Lourenço dou provas de meu valor”.

Sorte minha que sou filho da Professora Isabel Coelho Cunha, a quem agora não posso agradecer em vida, mas em nome dela e das professoras Miguelina, Angelina, Nazira, Marilu, Salazar, Paixão, Helena, e meu tio Professor Francisco Coelho, alguns já na falecidos, parabenizo todos os professores de Zé Doca.

Sem minha mãe e estes professores, não sei o que eu seria nessa minha vida..

Clesio Cunha – Juiz de Direito

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

45% dos diretores das escolas públicas estaduais no Maranhão são indicados por políticos

A prática em nada mudou das gestões anteriores. O Maranhão, continua sendo o segundo estado do país que escolhe quase a metade dos diretores da escolas públicas através de indicações políticas, sem nenhuma seleção objetiva, perdendo apenas para o Amapá do ex-senador José Sarney.

Confira abaixo o quadro nacional em matéria da Folha de São Paulo:

45% dos diretores da rede pública chegam ao cargo por indicação

FÁBIO TAKAHASHI
DE SÃO PAULO
GABRIELA CAESAR
LUCAS PORTILHO
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Quase metade dos diretores das escolas públicas do país foram escolhidos apenas por indicação, em geral por políticos, sem critérios objetivos.

Esses dirigentes indicados tendem a possuir pior formação e menos experiência no ensino do que os selecionados por concurso ou eleição.

Os dados foram tabulados pela Folha a partir das respostas de 55 mil diretores a um questionário aplicado em 2015 pelo Ministério da Educação. É a base mais completa para entender o perfil desses profissionais.
Pouco mais de 45% deles afirmaram ter chegado ao posto só por indicação.

Entre esses, 23% disseram não ter feito pós-graduação. Entre o grupo que chegou ao cargo de outras formas, esse número cai para 13%.

Os diretores indicados tendem a ter menos experiência como gestores: só 13% deles disseram exercer função de direção há mais de 11 anos, contra 25% dos demais.

Pesquisas apontam que a estabilidade da equipe escolar é um dos principais fatores para um desempenho melhor dos estudantes.

No questionário aplicado em 2015 pelo governo federal não fica claro quem faz a indicação desses dirigentes.

Em anos anteriores, em que se detalhou mais a resposta, o dado atual é compatível às alternativas referentes a indicações por políticos (como prefeitos ou vereadores), técnicos e dirigentes de ensino (estes são cargos de confiança do Executivo).

Diretores escolares são vistos como líderes comunitários, especialmente em cidades pequenas, por isso os cargos são tão almejados por políticos, dizem especialistas.

Mesmo secretários da Educação que preferem formas mais objetivas ou democráticas de escolha muitas vezes não conseguem vencer a “resistência das forças conservadoras”, diz o presidente da entidade que representa a classe, Alessio Costa Lima.

Não há regra nacional para para definir quem pode ser diretor de colégio. Cada prefeitura e Estado define a sua.

AFAZERES

Diretores respondem pela organização escolar, a administração de recursos financeiros, humanos e materiais.

Estudos mostram que sua atuação tem impacto direto no aprendizado. Trabalho das pesquisadoras Ana Cristina de Oliveira (PUC-Rio) e Andrea Paula Waldhelm (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Macaé) encontrou notas maiores em matemática em escolas do Rio onde a liderança é bem avaliada pelos professores.

Nos próximos anos, os diretores terão papel adicionalmente importante: o MEC deve implementar base para novos currículos na educação básica, o que exigirá outra organização de matérias e de professores nos colégios.

DIVERGÊNCIAS

Se por um lado está clara a importância do diretor na qualidade da escola, por outro há dúvida sobre a melhor forma de escolher dirigentes.

Pesquisa de 2015 da Fundação Itaú Social não encontrou relação direta entre indicação política de diretor e desempenho pior de alunos.

Verificou, porém, que o modelo tem efeito indireto na qualidade escolar, pois escolhidos pelo sistema tendem a ter características que prejudicam a qualidade do ensino.

Segundo a pesquisa, indicados politicamente ficam menos tempo no posto (permanência entre 11 e 15 anos na escola impacta positivamente na nota) e promovem menos formação docente.

Dos 7 especialistas ouvidos pela reportagem, 6 disseram que indicação política é a pior forma. Mas não há consenso pelo ideal.

Eleição na comunidade escolar dá força ao diretor, mas pode deixá-lo refém de demanda corporativa. Concurso ou prova seleciona melhores em conteúdo, mas pode colocar diretor sem identificação e liderança no posto.

Diretor-executivo da Fundação Lemann, Denis Mizne foi o único que diz ser indiferente ao processo de escolha. “Não é isso que define o sucesso. O importante é colocar gente competente e que se exija pré-qualificação.”

Herman Tacasey
Caderno Gestão Escolar marionetes de madeira produzidas pelo artista Herman Tacasey Foto: Herman Tacasey DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Ceuma não deixa alunos participarem do Jubs e hoje haverá manifestação; confira a nota

Estudantes, amigos, desportistas, amantes do futebol. É com uma enorme decepção que através dessa mensagem estamos expressando nossa indignação perante a instituição que estudamos. Muitos sabem ou todos que o Ceuma foi campeão do Jums tanto no masculino como feminino e tínhamos a vaga por merecimento para o Jubs que iria acontecer em Goiânia.

Ontem ( sexta) por volta das 23:00 hrs os atletas foram pegos de surpresa com a notícia da não ida para o Jubs sendo que o prazo encerraria as 00:00. Motivo? NINGUÉM SABE. O Sr. Reitor apenas disse que não iriamos. Questões financeiras? O que mais olhamos são obras desnecessárias e gastos exorbitantes feitos dia a dia, então nada justifica, nada. Não podemos nos calar, abaixar a cabeça para algo vergonhoso como aconteceu. Estamos organizando uma manifestação para podermos demonstrar nossa revolta, NINGUÉM É PALHAÇO, foram incontáveis treinos, dias que abrimos mão de está em família para se preparar para o Jubs e no fim ser covardemente traídos com tal descaso.

Quem quiser participar e ajudar, estamos convidando TODOS de TODOS os cursos para TERÇA, às 10:00 horas, em frente o pensador na praça de alimentação do Ceuma (Renascença) possamos de forma pacífica manifestar e pedir explicações dessa instituição vergonhosa que estudamos.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Estudantes de Rosário participam de simulado

Alunos do 5º e do 9º ano do Ensino Fundamental das escolas municipais, em Rosário, participaram esta semana de um simulado realizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação. Todo o processo foi coordenado pelos professores e por equipes da SEMED.

O simulado tem como objetivo preparar os estudantes para a Prova Brasil 2017, que acontece entre os dias 23 de outubro e 3 de novembro, em todo o Brasil. “Queremos analisar o grau de conhecimento de nossos estudantes, de forma antecipada, para que possamos trabalhar os pontos fracos, por meio do processo de ensino-aprendizagem”, explicou a prefeita Irlahi Moraes (PMDB).

O secretário municipal de Educação, Joaquim Francisco de Sousa Neto, revela que a próxima etapa do processo é analisar as respostas dadas pelos estudantes e fazer a correção de toda a prova. “Iremos tirar todas as dúvidas dos alunos e, assim, deixá-los ainda mais preparados para a Prova Brasil”.

Avaliação

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), a Prova Brasil tem o objetivo de avaliar a qualidade do ensino oferecido pelo sistema educacional brasileiro, a partir de testes padronizados e questionários socioeconômicos.

Durante a avaliação, os estudantes respondem questões de Língua Portuguesa, com foco em leitura, e Matemática, com foco na resolução de problemas. No questionário socioeconômico, os estudantes fornecem informações sobre fatores de contexto que podem estar associados ao desempenho.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

“Triste a situação de nossas crianças em Coroatá”, diz Andrea ao denunciar o prefeito playboy

A deputada Andrea Murad repercutiu a denúncia sobre o retrocesso na educação municipal de Coroatá. Além da volta dos barracões e ensino multisseriado, a parlamentar repercutiu o relato das mães nos povoados Manelão e Santa Luzia em Coroatá. Em vídeo que está circulando nas redes sociais, elas falam da situação dos filhos matriculados na escola municipal Paraíso, mas que estão sem frequentar por falta do transporte escolar, serviço que deveria ser garantido pela Prefeitura. Enquanto isso,o prefeito se esbalda em baladas e shows na capital.

“Os alunos estão tudo sem estudar. Não tem nenhum estudando. De jeito nenhum”, disse Maria, mãe de alunos da escola municipal Paraíso.

Além de crianças que não conseguem ir para escola, existem aquelas que se arriscam a pé ou de bicicleta. Mesmo assim a frequência escolar é baixa e por isso muitas famílias podem perder o auxílio do Bolsa Família como relatou esta outra mãe.

“Uma vez essa menina aqui veio chorando no caminho com dor de cabeça. Esse dia mesmo um caboco na moto ia matando ela. Vinha descendo a ladeira voado e ela subindo. Se tivesse na bicicletinha dela tinha morrido”, disse dona Bia que teme pela vida dos filhos a caminho da escola.

A deputada Andrea Murad já protocolou duas representações contra o prefeito Luis da Amovelar Filho, PT, por não garantir o acesso desses alunos à escola.  E também pediu que o Ministério Público investigue em todos os polos a situação das crianças, principalmente, na zona rural.

“Triste ouvir e ver que a situação das nossas crianças em Coroatá só piorou com esta nova gestão. São barracos servindo de escola, ensino multisseriado, crianças de várias idades e séries diferentes colocadas num mesmo espaço. Não tem transporte escolar porque a prefeitura não consegue sequer garantir o acesso. Então, só peço que o Ministério Público tome providências para que esses alunos tenham o direito de frequentar a escola. Infelizmente, hoje, Coroatá está à mercê de um ex-prefeito condenado, ficha suja, que não pode ser eleito e colocou o filho. E o filho, coitado, sabe nem para onde vai administrar uma prefeitura. Eu queira quer ele usasse todo o vigor de sua juventude, que ele utiliza para as festas, que ele usasse também para trabalhar mais pelo município”, explica a deputada.

Assista o depoimento das mães:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Desastre anunciado! Prefeitura de Coroatá volta com barracões e ensino multisseriado

A deputada Andrea Murad repercutiu nesta sexta-feira (15) uma grave denúncia feita pelo Vereador Camilo Garret em Coroatá. Os barracões e o ensino multisseriado estão retornando na administração do prefeito Luis da Amovelar Filho (PT).

O vereador constatou o retrocesso durante visitas a escolas da zona rural e filmou o barraco localizado no povoado Poção em Coroatá. Ao compartilhar o vídeo vergonhoso, Andrea Murad anunciou nas redes sociais que estará acionando a Procuradoria Geral de Justiça para providências imediatas.

“Estamos todos estarrecidos com o que vemos acontecer no município de COROATÁ. A volta dos barracões e das séries multisseriadas que foram ERRADICADAS na gestão de Teresa Murad. Mas com Luis da Amovelar na prefeitura, esta é a realidade que retorna ao ensino público municipal. Escola localizada no povoado Poção, em Coroatá, coberta de palha, tampada de talo, piso de barro, condições precárias, é um absurdo. Barraco usado antes como paiol de arroz do proprietário e agora alugado por um professor – já identifica como João – por R$ 150,00 para Prefeitura de Coroatá instalar uma “escola”, é um verdadeiro retrocesso. A denúncia feita pelo vereador Camilo Garret, ontem na Câmara, quando relatou suas visitas a algumas escolas da zona rural, inclusive, denunciando falta de merenda escolar em 3 dias da semana, requer uma ação imediata de todas as frentes para fechar esta vergonha para todo o Brasil. Irei denunciar também ao Procurador Geral de Justiça, Luiz Gonzaga, exigindo ação imediata para fechar isso que estão chamando de “escola” e determinar que os alunos sejam matriculados em unidades da rede municipal nas suas respectivas séries e conduzidos pelo transporte escolar como era feito na administração da prefeita Teresa Murad, que acabou com esse tipo de escola indigna e que jamais deveria retornar”, escreveu a parlamentar.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Artigo: Educação não é produto

Neste artigo, eu poderia apenas lançar elucubrações, cogitando eventuais possibilidades e perspectivas de avanços na educação por meio das ferramentas de ensino a distância. No entanto, não posso me dar ao luxo de apenas assistir o que se passa com a mercantilização do ensino. Como diria Henry Kissinger, “cabe aos estadistas solucionar, em vez de contemplar as complexidades”. Caso se deixe esperar para ver, poderemos compactuar com uma política de recessão de direitos em prejuízo a formação de toda uma geração de jovens e futuros profissionais.

Há tempos a mercantilização da educação vem sendo discutida no Brasil. Com o veloz crescimento da Kroton Educacional na bolsa de valores – hoje, a maior empresa mundial de ensino superior – tal problemática ganhou ainda mais força e reacendeu questões sensíveis, que devem ser profundamente analisadas.

Muitos de nós sequer ouviram falar ou reconhecem o nome Kroton, mas, sem dúvida, identificam as inúmeras faculdades adquiridas pelo grupo, a exemplo da Anhanguera, Unic, Unopar, Unime, FAMA, LFG e Uniderp. Nos últimos meses, na tentativa de maximizar seus lucros, o“gigante” Kroton Educacional tentou adquirir o Grupo Estácio, nada menos que a 2ª maior empresa do ensino privado no país.

Questiono qual seria o real interesse por trás de tantas aquisições? Aumento dos lucros ou busca pela expansão de um programa pedagógico de sucesso? Como o maior grupo educacional do mundo poderá contribuir para a melhoria do ensino superior brasileiro,ocupando aproximadamente 30% do mercado de ensino presencial e 50% do ensino a distância?

Após análise, verificou-se que no Maranhão haveria grande concentração de faculdades do grupo Kroton, caso concretizada a aquisição da Estácio. No setor de EAD, haveria mais de 50% de marketshare em 13 estados, dentre eles 6 (seis) da região Nordeste: RJ, PI, MA, GO, AL, TO, AC, PE, RO, CE, MS, MG e BA. No setor presencial, por sua vez, as maiores concentrações por município seriam: Campo Grande (64%), Niterói (64%), Santo André (59%), Macapá (53%) e São Luís (45%).

Por meio da elaboração de um estudo detalhado com a análise de indicadores, como quantidade de reclamações formalizadas por estudantes da rede no PROCON, índices de qualidade do MEC e impacto de concentração de mercado no Maranhão, chegou-se à conclusão que a qualidade da educação ofertada estaria totalmente comprometida, com a notória uniformização do ensino superior privado proveniente do “quase monopólio” Kroton.

Tal afirmação é fundamentada na visão empresarial aplicada pelo Grupo, de economia em escala e redução de custo, que não traz forte investimento para elevar os índices de qualidade do ensino, mas dedica-se a manter-se com o mínimo de critérios exigidos pelo MEC para o funcionamento das faculdades que compõem esse sistema. Visão tão avassaladora que deturpa e subverte, inclusive, o ensino a distância, método que quando bem utilizado promove a democratização do ensino e o torna acessível a todos.

É indiscutível que a operação ambicionada pela Kroton S.A., uma vez concretizada, repercutiria necessariamente no futuro, não apenas dos maranhenses, mas

de todos os brasileiros. Motivo pelo qual, ingressamos com representação junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e conseguimos impedir a fusão dos referidos grupos educacionais, além de garantir a livre concorrência ao setor, bem como os direitos básicos dos estudantes.

Apesar da considerável conquista, nas últimas semanas, fomos surpreendidos com novas reclamações apresentadas por alunos e alunas do grupo Kroton e da faculdade Estácio. Em sua grande maioria, referentes à publicidade enganosa, ausência de informação sobre a grade curricular, ineficiência nos canais de atendimentos ao consumidor, alteração de grades curriculares sem informação prévia, falta de segurança e estrutura adequada para alguns cursos, ausência de qualidade nas disciplinas a distância, cursos ministrados por docentes sem a devida formação ou com formação diversa da exigida, acarretando em prejuízos no processo de ensino e aprendizagem.

A educação é um direito fundamental, serviço imprescindível e que deve ser garantida a todos os cidadãos, não podendo ser simplesmente controlada e mercantilizada pelo poder econômico, devendo receber um padrão de controle mais rígido, com foco na qualidade, mas não no lucro, como estamos testemunhando.

Nos Estados Unidos, constatamos a presença de renomadas e reconhecidas Universidades particulares, como Havard e Yale,sem fins lucrativos, mas com finalidade exclusiva em sua reestruturação, não apenas física, como em seu corpo docente,em prol da melhoria na qualidade da educação e preparação dos seus alunos.

Diante a tantas inconformidades evidenciadas pelos dados e relatos formalizados pela sociedade acadêmica, que comprometem diretamente a garantia dos direitos fundamentais previstos em nossa Constituição, se torna latente a atuação orquestrada dos órgãos de proteção e defesa dos consumidores, bem como dos deputados, senadores e demais organismos, junto ao Ministério da Educação e ao Poder Judiciário, com o intuito de combater a mercantilização do ensino. Afinal, Educação não é produto e estudante não deve ser tratado como mercadoria. Caso contrário, se continuarmos aceitando tal “modernização” no sistema educacional pátrio, estaremos contribuindo para a formação de uma sociedade limitada, pois sem conhecimento, reflexão e questionamento não há progresso.

Duarte Jr.

Mestre em Políticas Públicas pela UFMA e Presidente do PROCON/MA

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Em parceria com o Governo do Estado, Prefeitura de Coelho Neto realiza o 3º Aulão Pré-ENEM Popular

Realizado pela Prefeitura de Coelho Neto, por meio da Secretaria Municipal de Educação, em parceria com o Governo do Estado, o 3º Aulão do Pré-ENEM-Exame Nacional do Ensino Médio, Aprova Coelho Neto, foi sucesso absoluto.

Na tarde de sábado (26), mais de 500 inscritos lotaram o Teatro Municipal e aproveitaram de maneira eficiente os assuntos repassados por profissionais qualificados nas áreas de Biologia (Tharcio Vasconcelos), Redação (Erick Soares) e Matemática (Alan Jefferson). O evento contou também com a participação de alunos das cidades vizinhas – Afonso Cunha e Buriti. A inscrição para o aulão e a distribuição do material didático foram totalmente gratuitos. A revisão teve início previsto para às 13h30.

O Teatro Municipal tornou-se uma grande sala de aula, onde os alunos interagiram, apropriaram-se de importantes dicas de como produzir uma redação nota dez e revisaram conteúdos úteis de Biologia e Matemática. Os professores incentivaram a classe estudantil, com abordagem dinâmica das disciplinas específicas do 3º aulão, esclareceram dúvidas e deram importantes dicas que podem ajudar os candidatos na realização das provas. Houve premiações, sorteios e um show de conhecimento. Este ano, o ENEM será realizado em dois domingos consecutivos: 05 e 12 de novembro.

Também estiveram presentes, o Presidente da Câmara Municipal, Osmar Aguiar, o Secretário Adjunto de Cultura, Adilson Torres, o representante da URE-Caxias e coordenador do evento, Ricardo Andrade e professores da Escola Maria Regueira dos Santos. Na oportunidade, Osmar Aguiar destacou a parceria do Governo do Estado para a realização do evento, uma vez que essas integrações, voltadas para o processo educacional, fortalecem e aumentam as chances e esperanças de aprovação no ENEM. O vereador destacou também o compromisso do governo municipal em proporcionar o Aprova Coelho Neto, que chega em sua terceira etapa, ao tempo em que desejou boa sorte a todos os alunos.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Rosário terá campus avançado do IFMA na cidade

A ordem de serviço para construção foi assinada pelo reitor do Instituto de Educação

A manhã desta segunda-feira, 10, foi marcada por mais uma conquista para a área da educação de Rosário. A prefeita Irlahi Moraes (PMDB) reuniu-se com autoridades políticas e representantes da área de Educação para assinatura da ordem de serviço da construção da sede do campus avançado no município, feita pelo reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA), Francisco Roberto Brandão Ferreira.

Atualmente, o IFMA de Rosário funciona em um prédio temporário, adaptado para o desenvolvimento das atividades de ensino. “O novo espaço irá permitir que sejam incrementadas as atividades de pesquisa e extensão e, assim, possibilitar um aprendizado muito maior para os nossos estudantes”, destacou Irlahi Moraes.

O novo campus do IFMA de Rosário deverá ser entregue à população em meados de 2019. “Este é o tempo necessário para a execução dos serviços e para que nossos estudantes tenham um espaço completo e adequado às propostas de ensino”, acrescentou a prefeita.

O reitor do IFMA, Francisco Roberto Brandão Ferreira, destacou que o campus avançado de Rosário faz parte de um projeto que está levando o Instituto a diversos municípios maranhenses, dentre os quais Presidente Dutra, São José de Ribamar, Carolina, Porto Franco, Araioses, Itapecuru-Mirim, Carolina, Alcântara e outros. “Uma parte já foi entregue, enquanto outra está em obras ou com previsão de início de serviços para breve”, revelou.

Ele destacou que, no caso de Rosário, as novas instalações do Instituto Federal do Maranhão irão consolidar as ações que já vem sendo desenvolvidas em Rosário. “Bem como ampliar as oportunidades e permitir que um número muito maior de pessoas se prepare adequadamente por meio de uma educação de qualidade”, disse.

Já a diretora-geral do Instituto, Madalena Martins de Sousa Neves, destacou os esforços feitos para obter o aval para a construção das novas instalações do campus. “Foram quase três anos de espera e essa conquista demonstra o comprometimento da gestão municipal e de nosso reitor com o desenvolvimento de nosso município, o que demanda, necessariamente, de uma educação de qualidade”, enfatizou a gestora educacional, que fez questão, ainda, de destacar os parceiros do projeto.

“As prefeituras de Bacabeira e Santa Rita, bem como Sebrae da Região do Munim, Fiema/Sesi, dentre outros. Todos foram fundamentais para essa conquista”.

O campus avançado do IFMA de Rosário irá funcionar na BR-402, divisa de Rosário com Bacabeira, local escolhido pela acessibilidade e por apresentar um espaço adequado ao projeto do prédio. “Na medida em que o projeto for sendo concluído iremos identificando as demandas para o maior conforto e segurança de nossos estudantes, como disciplinamento do trânsito, por exemplo”, comentou Roberto Brandão, que também revelou a disposição de implantação de novos projetos em Rosário. “Queremos gerar cada vez mais oportunidades para nossa população e sabemos que a educação é o princípio de tudo”, justificou.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.