Imagem do dia: ambulâncias cruzam mares no Ferry boat carregando doentes de Covid-19 para São Luís

    Um ferry boat que atravessou da baixada maranhense com destino a São Luís transportou mais de 10 ambulâncias com pacientes portadores do novo coronavírus. 

    Foto Reprodução

    Confira nas imagens registradas por um tripulante da embarcação.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Internado com Covid-19, ator Paulo Gustavo é intubado após piora no quadro clínico

    Da CNN

    O ator e humorista Paulo Gustavo, de 42 anos, internado desde sábado (13) em um hospital do Rio de Janeiro, após ser diagnosticado com Covid-19, foi intubado neste domingo (21). A informação foi confirmada pela assessoria do ator.

    Paulo Gustavo

    No mesmo comunicado, a família agradece aos fãs “pelo carinho e pede que continuem a enviar boas energias e orações para sua recuperação, assim como de todos os brasileiros que se encontram na mesma situação“.

    Pior fim de semana da pandemia

    O Brasil registrou 1.290 mortes por Covid-19 de sábado (20) para domingo (21), segundo dados do Ministério da Saúde. Foram 47.774 novos casos da doença no mesmo período.

    Em meio a escalada de mortes e casos, esse foi o pior final de semana em número de mortes desde o início da pandemia – foram 3.728 óbitos por Covid-19 em 48 horas.

    Com os dados divulgados, o país soma 294.042 mortes em decorrência da Covid-19 e 11.998.233 casos da doença. Até então, o domingo mais letal da pandemia havia acontecido no dia 14, com 1.138 mortes.

    Nos últimos sete dias, o Brasil registrou 15.813 óbitos. Apenas para efeito de comparação, na semana passada, nos sete dias, foram 12.818 mortes.

    (Com informações de André Rosa)

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Maranhão atinge 5.678 mortes e 233.764 casos confirmados da Covid-19

    Na noite de ontem, sábado (20), segundo boletim da Secretaria de Estado da Saúde, foram registrados 38 óbitos e contabilizados 1.056 casos de pessoas infectadas pela Covid-19 no Maranhão nas últimas 24h.

    O Governo do Estado decretou na sexta-feira (19) a prorrogação das medidas restritivas da semana passada e que irão durar atpe o dia 22, mantendo aulas presenciais suspensas, bares e restaurantes fechados, funcionando apenas para entregas e restrição do comércio até às 21h.

    Neste decreto mais recente, limitou a participação de público em cultos até 30% da capacidade com a finalidade de evitar aglomerações e uma espécie de lockdown disfarçado para os dias 26, 27 e 28, deixando funcionar apenas as atividades essenciais.

    A capacidade de leitos de UTI para Covid-19 beira ao colapso em São Luís e em Imperatriz bem próximo dos 100 de ocupação, Na rede privada das duas maiores cidades a situação é complicada.  .

    Veja abaixo os casos de Covid-19 em cada cidade, segundo dados da SES: 

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Depois de decisão do STF, Maranhão vai receber R$ 13,3 milhões, para 279 novos leitos

    O Ministério da Saúde anunciou a liberação de R$ 61,4 milhões em parcelas mensais para 1.270 leitos de UTI de Covid-19 destinados à cinco estados. O Maranhão vai receber R$ 23,3 milhões, para 279 leitos por determinação do STF.

    O cincos estados da Bahia, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Sul e São Paulo ingressaram no Supremo pedindo o restabelecimento dos leitos de UTI de Covid-19 e foram atendidos pelo STF.
    Além do Maranhão, veja quanto quanto estado receberá: Bahia, R$ 16,9 milhões, para 354 novos leitos; Piauí terá R$ 8,5 milhões para 179 leitos; R$ 21,9 milhões vão para 458 leitos no Rio Grande do Sul; e para São Paulo, R$ 480 mil, para dez leitos.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Brasil é o país com mais mortes diárias por Covid no mundo há duas semanas

    O Brasil completou nesta sexta-feira (19) duas semanas como o país com mais mortes diárias por Covid-19 no mundo, apontam dados do Our World in Data, que é ligado à Universidade de Oxford. As informações são do G1.

    Foto Reprodução

    O país ultrapassou os Estados Unidos na sexta-feira (5), quando registrou 1,8 mil novos óbitos (contra 1.763 dos EUA). Desde então, a diferença só aumentou.

    Com o agravamento da pandemia no Brasil, desde terça-feira (16) o país também registra mais mortes diárias por Covid-19 do que a União Europeia (UE) inteira e também a América do Norte.

    Em número de infectados, o Brasil se tornou também na terça o país com mais casos diários no mundo (83.926, contra 53.579 dos EUA), segundo o Our World in Data.

    O Brasil tem menos de 3% da população mundial e, hoje, é responsável por 22% de todas as novas mortes e 16% de todos os novos casos de Covid-19 registrados no mundo.
    O Brasil tem registrado mais mortes mesmo com uma população menor que a dos EUA (209 milhões contra 328 milhões) e da União Europeia (447 milhões).

    O bloco europeu é uma união política e econômica de 27 países, entre eles Alemanha, França e Itália, que enfrenta uma terceira onda de Covid-19.

    Ranking proporcional

    No ranking proporcional, o Brasil é o 7º com mais mortes diárias na última semana (9,8 óbitos a cada 1 milhão de habitantes), atrás apenas de países da Europa Central e dos Bálcãs.

    Lideram o ranking: República Tcheca (19,9), Hungria (16,7), Eslováquia (14,9), Bulgária (14,8), Montenegro (14,7) e Bósnia e Herzegovina (13,8). Os quatro primeiros fazem parte da UE.

    Nesta quinta-feira (18), o diretor regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a Europa, Hans Klugee, alertou que os novos casos, hospitalizações e mortes na Europa Central e nos Bálcãs estão entre os maiores do mundo.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    LUTO: Covid-19 mata Policial Civil, ex-diretor do Sinpol no Maranhão

    A Covid-19 fez mais uma vítima no Maranhão. Faleceu hoje (19), em decorrência de complicações da doença, o Investigador de Polícia Civil, Jorge Paulo Moreira, lotado na Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP) e ex-diretor do Sinpol-MA

    Foto Reprodução: Instagram

    O Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão lamentou a perda.

    “O Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão está de LUTO e lamenta profundamente a morte do nosso grande irmão, parceiro de luta, lotado na SHPP, Jorge Paulo Moreira, que estava internado desde 24.02 no Carlos Macieira enfrentando a Covid19.

    Nosso valoroso colega, que enfrentou sua missão e cumpriu com zelo. Inclusive atuou como diretor no Sinpol Maranhão. Lamentamos profundamente mais essa perda, para família, para a Polícia Civil e para a sociedade em geral.”

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Governo prorroga Decreto e bares e restaurantes seguirão fechados até dia 28

    O Maranhão terá um semi-lockdown nos próximos dias. Em entrevista coletiva, na manhã de hoje (19), o governador Flávio Dino (PCdoB), anunciou novas medidas e prorrogou por mais uma semana as que estão dispostas no último decreto editado por ele para tentar conter o avanço (ainda maior) do número de casos da Covid-19 no Estado.

    Flávio Dino anuncia novas medidas

    Os bares e restaurantes vão permanecer fechados até o dia 28, as aulas presenciais seguem suspensas.

    Confira o resumo das medidas anunciadas pelo governador:

    • Aquisição de 4,582 milhões de doses de vacina Sputnik V.

    • Regime vigente prorrogado até 28/03.

    • Todo o Maranhão: antecipação do feriado de de 28/07 para 26/03.

    • Todo o Maranhão: suspensão de atividades não-essenciais nos dias 27 e 28/03.

    • Todo o Maranhão: suspensão das cirurgias eletivas na rede privada a partir de segunda-feira (22).

    • Somente Ilha de São Luís: Bares e restaurantes continuam sem funcionar

    • Somente Ilha de São Luís: Construção Civil das 7h às 16h.

    • Somente Ilha de São Luís: Academias com capacidade de 50%.

    • Somente Ilha de São Luís: Supermercados com capacidade de 50%, com uma pessoa por família.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    TCE suspende contrato destinado à compra de álcool para escolas em Imperatriz

    Por meio de medida cautelar, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA) suspendeu, nesta quarta-feira (17) os efeitos do contrato nº 214/2020-Semed, firmado entre a prefeitura de Imperatriz, por meio da secretaria municipal de Educação e a empresa Impacta Indústria e Comércio Ltda., destinado ao fornecimento de álcool em gel 70% e álcool etílico líquido às escolas da rede pública do município.

    Foto Reprodução

    A previsão de entrega era de 500.000 embalagens de álcool em gel 70% em embalagens de 500 ml e 10 mil galões de álcool etílico em embalagens de 5 litros, no total de R$ 3.844.000,00.

    A decisão atendeu a representação formulada pela Núcleo de Fiscalização do Tribunal, que identificou vários indícios de irregularidade no processo, especialmente a utilização indevida da modalidade dispensa de licitação, quando o modelo adequado para o caso, segundo o relatório do Núcleo (Nefis III), seria o sistema de registro de preços.

    Além disso, foi detectado superdimensionamento das quantidades de produtos adquiridos, sem a prévia pesquisa de preços por parte do órgão promotor da licitação. Também não ficou devidamente caracterizada a situação de emergência ou risco à segurança de pessoas ou de patrimônio público, o que poderia justificar a contratação direta, uma vez que as aulas presenciais se encontravam suspensas.

    Em sintonia com o parecer do Ministério Público de Contas (MPC), e depois de ouvir as duas partes, o TCE decidiu pela medida, que tem o objetivo de ordenar a revisão das condições estabelecidas no contrato, em especial, no que diz respeito aos preços e quantidades pactuadas.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Marcelo Queiroga fala em nova onda de covid-19 e união com estados

    Indicado para a Saúde falou de ações para enfrentamento da doença.

    O médico cardiologista Marcelo Queiroga, indicado para ser o novo ministro da Saúde, e o atual ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, falam à imprensa no Ministério da Saúde.

    O indicado para dirigir o Ministério da Saúde, Marcelo Queiroga, fez um pronunciamento hoje (16) na porta do órgão juntamente com o titular que deixará o comando, Eduardo Pazuello.

    Queiroga falou sobre a existência de uma nova onda da pandemia. “No momento, vivemos uma nova onda da pandemia, com muitos óbitos, em que é preciso melhorar a qualidade de assistência em cada um dos nossos hospitais, sobretudo nas unidades de terapia intensiva, no enfrentamento às síndromes respiratórias agudas graves”, disse. Até então, o Ministério da Saúde utilizava o termo “repique”. Ele destacou a necessidade de união entre Executivo Federal, governos estaduais e prefeituras no combate à pandemia.

    “Sobretudo agora temos que unir esforços com os secretários municipais de Saúde. O Brasil tem mais de 5.570 municípios, então há mais de 5.570 secretários municipais de Saúde. Há os secretários estaduais de Saúde, há os órgãos representativos como o Conass [Conselho Nacional de Secretários de Saúde] e o Conasems [Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde]. O Ministério da Saúde está muito empenhado em trabalhar de maneira harmônica e, em parceria, para melhorar a condição de assistência, para que efetivamente os mais de 500 milhões de doses de vacinas, que já foram tratadas aqui na gestão do ministro Pazuello, sejam aplicadas nos brasileiros de uma maneira eficiente de tal sorte que nós consigamos conter a situação do vírus e, por fim, essa pandemia”, comentou.

    Prevenção
    O novo titular do Ministério da Saúde também destacou a importância da população se engajar nas medidas de prevenção à covid-19, incluindo o uso de máscaras e distanciamento social. “Eu tenho certeza que nós teremos a ajuda dos brasileiros para executar as políticas públicas do interesse da população e, com isso, ter um resultado mais desejável no enfrentamento da pandemia de covid-19 e nas outras situações de saúde pública que afetam a nossa sociedade”, acrescentou.

    Queiroga defendeu a combinação das ações e enfrentamento à covid-19 com medidas de proteção do emprego e assinalou o papel da ciência brasileira para subsidiar as medidas das autoridades de saúde.

    O ministro Eduardo Pazuello reforçou a ideia de continuidade na gestão. “Não é uma transição, é um só governo. Continua o governo Bolsonaro. Continua o ministro da Saúde. Trocam o nome de um oficial general que estava aqui organizando a parte operacional, a gestão, a liderança, a administração e agora vai chegar um médico com toda a sua experiência na área de saúde para poder ir além. Então nós estamos somando neste momento, não dividindo, não separando. É um somatório”, comentou Pazuello.

    Agência Brasil

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Governador vai anunciar medidas mais restritivas amanhã (sexta), mas descartou o lockdown

    Em entrevista concedida hoje ao Bom Dia Mirante, o governador informou que anunciará amanhã, sexta-feira (12), se vai prorrogar as atuais medidas restritivas ou se teremos posições mais severas no combate ao novo coronavírus, considerando o quadro difícil que se apresenta atualmente no Brasil e no Maranhão.

    Flávio Dino só deixou claro que aqui no Maranhão não haverá necessidade do decreto de lockdown e lamentou que novas variantes da covid-19 tenham elevado o quadro de casos registrados, assim como o aumento de óbitos diários, como o de ontem que foi de 35 mortes.

    O governador maranhense não quis explicar as medidas que serão anunciadas amanhã, mas nas entrelinhas ficou claro que teremos medidas mais restritivas e uma delas deve alcançar as igrejas, que estão funcionando normalmente acumulando em regime fechado nos seus templos.

    A união dos governo federal, estadual, municipal, e dos poderes foi defendida por Flávio Dino, considerando o estado alarmante hoje no país e citou o recorde de mortes registrados ontem, que foi mais de 2,200 em um só dia.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Flávio Dino se iguala a Bolsonaro ao impedir vacina no Maranhão

    Uma banda mostra uma diferença gritante entre os dois chefes do Executivo. Bem aí eles se fazem oposição. Porém, a outra banda revelou que são iguais quando o assunto é impedir que a população tenha acesso ao líquido precioso da vacinação. Cada um ao seu modo.

    Desde o início da pandemia que Jair Bolsonaro insiste em brincar com algo tão sério que já matou mais de 250 mil brasileiros. O presidente da República tratou a covid-19 como uma simples “gripizinha” e fez de tudo para impedir a aceleração nas compras das vacinas.

    O Brasil entrou com atraso na vacinação e permanece no rabo da fila dos países que menos vacinaram sua população. Temos mais de 211 milhões da habitantes. Ate agora não vacinamos 8 milhões.

    Aqui no Maranhão, o governador decretou que o município que não tenha aplicado 60% das vacinas recebidas ao longo dos últimos 30 dias, não terá o imunizante distribuído. Somos mais de 7 milhões de habitantes e até agora não recebemos nem 10% das vacinas a que temos direito.

    O nosso governantes tem que entender que a vacina não lhe pertence e que deve, de uma forma ou de outra, ser entregue para a população, sem discriminação.

    Das atuais 217 cidades, apenas 47 estão com a vacinação atualizada, dentro dos 60% exigidos pelo governador. A ameaça de Flávio Dino muito se assemelha ao desejo de Bolsonaro, de não deixar que a população obtenha o único meio da cura, que é a vacina.

    Enquanto isso, milhares de maranhenses caminham para a cova e em breve tempo milhões de brasileiros nem terão tempo de despedir de seus parentes e amigos.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.