PF prende em São Luís homem que armazenava vídeos e imagens de abuso sexual infantil

    A Polícia Federal no Maranhão, por meio da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos, deflagrou na manhã desta quarta-feira (7), na cidade de São Luís, a Operação Perversus, dando cumprimento a mandado de busca e apreensão expedido em face de investigado que disponibilizou vídeos e imagens de abuso sexual infantil por meio de aplicativo de mensagem.

    Foto: Polícia Federal em operação em São Luís

    O homem, que não teve o nome divulgado, foi preso em flagrante por ter sido encontrado material pornográfico infantil em seu aparelho celular.

    A investigação inaugurou-se a partir de informações repassadas pela INTERPOL-Turquia à Coordenação Geral de Cooperação Internacional da Polícia Federal (INTERPOL/CGCI/PF) por meio da qual foi relatada a existência de um grupo de conversas em aplicativo de mensagens voltado para a postagem de imagens e vídeos de abuso sexual infantil com usuários de diferentes países, dentre eles foi identificado um residente no Estado do Maranhão.

    A partir desses dados, houve representação policial perante a Justiça Federal e foi deferido o cumprimento da medida cautelar de busca e apreensão com o objetivo de coletar elementos de prova da autoria e materialidade delitiva.

    O investigado é suspeito da prática do crime de Disponibilização de cenas de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança/adolescente, tipificado no artigo 241-A da Lei 8.069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente), cuja pena pode chegar a 6 (seis) anos de reclusão.

    Foto: Polícia Federal

    O nome da operação faz referência ao termo “pervertido” em latim, em alusão ao comportamento anormal de criminosos dessa natureza que obtêm satisfação sexual ao consumir conteúdo pornográfico infantojuvenil.

    Houve apreensão do aparelho celular do investigado, o qual será submetido a exame pericial e posteriormente analisado com o escopo de coletar elementos probatórios relacionados ao crime investigado bem como identificar a existência de eventuais condutas criminosas correlacionadas.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    PF deflagra operação em São José de Ribamar contra estelionato previdenciário e fraude eleitoral

    A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (6) a Operação DEFALCARE, executando o cumprimento de mandado de busca e apreensão em São José de Ribamar, no Maranhão.

    Foto: Polícia Federal

    Foram apreendidos diversos documentos e um celular da pessoa investigada que foi alvo das buscas.

    A operação foi autorizada pela Justiça Eleitoral, no bojo de Inquérito Policial que tramita na Delegacia de Direitos Humanos e Defesa Institucional, também responsável por apurar ilícitos penais na esfera eleitoral.

    Os policiais investigam trama criminosa envolvendo o recebimento indevido de benefícios sociais e previdenciários, a partir do uso de documentos falsos e de inscrições eleitorais fraudulentas.

    Após a análise do material apreendido, será possível definir os próximos passos e desdobramentos da investigação.

    Os investigados poderão responder por associação criminosa, estelionato previdenciário e inscrição fraudulenta de eleitor, com penas que podem chegar a mais de 10 anos de prisão.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    PF age no Maranhão e em mais 4 estados contra fraudes bancárias de R$ 19 milhões cometidas no Brasil e no exterior

    A Polícia Federal deflagrou a Operação policial Criptocard, na manhã desta terça-feira (6/6), com o objetivo de combater fraudes que consistiam na compra de criptomoedas com pagamentos por cartões na maior plataforma mundial de negociação, utilizando dados de cartões de crédito fraudados por meio de um “ataque” conhecido como “enumeration attack”. Os investigados utilizaram mecanismos que geraram de forma massiva números de cartões para realização de compras pela internet.

    Foto: Polícia Federal

    A origem da investigação se deu em virtude de informações preliminares compartilhadas pelo Serviço Secreto dos EUA da Embaixada dos EUA, como parte da cooperação policial entre autoridades brasileiras e norte-americanas, resultando em investigação formal da Polícia Federal, em ação capitaneada pela recém criada Diretoria de Combate a Crimes Cibernéticos – DCIBER – da Polícia Federal.

    Cerca de 100 policiais federais cumprem 26 mandados de busca e apreensão expedidos pela 32ª Vara da Justiça Federal em cinco estados: Ceará, Bahia, Maranhão, Santa Catarina e São Paulo. A investigação da PF identificou esquema de lavagem de dinheiro no qual os ativos eram transferidos para outros usuários de forma sucessiva, no intuito de dificultar algum rastreio, ocultando assim como a origem e ao final, buscando dar aparência de licitude aos recursos. O valor global do golpe aplicado aproxima-se de R$ 19 milhões.

    As condutas podem configurar, em tese, o cometimento do crime de furto qualificado mediante fraude e lavagem de dinheiro por organização criminosa, com penas máximas somadas de até 26 anos de prisão, sem prejuízo da descoberta de outros crimes praticados a partir da análise do material apreendido.

    Foto: Polícia Federal
    Foto: Polícia Federal

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Em operação, PF prende três pessoas que utilizavam os Correios para receberem drogas e notas falsas no Maranhão

    A Polícia Federal em Caxias realizou três prisões em flagrante durante o mês de maio de pessoas que utilizavam os Correios para recebimento de encomendas com objetos ilegais.

    Foto: Polícia Federal

    O primeiro caso aconteceu na cidade de Coelho Neto/MA, no dia 05/05/2023, quando um adolescente adquiriu e recebeu pelos correios 10 notas de 100 reais falsas. O adolescente foi encaminhado para procedimento conduzido pela Delegacia da Polícia Civil.

    O segundo caso foi no dia 10/05/2023, quando um homem foi preso em flagrante, na cidade de São João do Sóter/MA, por adquirir também 10 notas de 100 reais falsas. Todas com o mesmo número de série.

    Ontem, 31/05/2023, um homem foi preso em Caxias/MA, pelo recebimento de mais de 1 kg de droga do tipo cocaína, também por meio de encomenda dos Correios.

    Os três casos têm o comum o fato de os criminosos terem utilizado os Correios para envio dos bens ilícitos.

    A Polícia Federal e a gerência de Segurança dos Correios têm atuado em conjunto para identificar encomendas com suspeitas de possuir objetos ilícitos e viabilizar as prisões e investigações de tais casos, inclusive dos responsáveis pelo envio dos objetos.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    PF estoura operação e prende criminoso que fazia saques fraudulentos em várias cidades do Maranhão

    A Polícia Federal em Caxias deflagrou nesta quinta-feira (25) a Operação “Fraude Itinerante”, decorrente da prisão em flagrante ocorrida no dia 24/03/2023, quando um homem foi preso em razão de uma série de saques fraudulentos de contas bancárias em vários municípios do Maranhão.

    Polícia Federal em operação ‘Fraude Itinerante’

    O mandado de busca foi cumprido na casa da companheira dele, na cidade de Crateús, no Ceará.

    Durante as buscas de hoje foram encontrados outros cartões falsos (cartões clonados) e novos petrechos, os quais são utilizados para o crime de furto mediante fraude, popularmente conhecidos como “chupacabras”, no qual são instalados em caixas eletrônicos de vários bancos, inclusive de agências da Caixa Econômica Federal, como aconteceu em Caxias.

    Material apreendido pela PF

    Com tais equipamentos é possível clonar os cartões e filmar as senhas dos titulares, possibilitando o saque pelos membros de associações criminosas, gerando prejuízo imediatos para os titulares das contas e mediato para as instituições financeiras.

    O nome da operação faz alusão ao modo de agir de associações criminosas que praticam este tipo de crime.

    Cartões usados pelo criminoso

    Durante a prisão, foram encontrados indícios de que o autor percorria diversos municípios maranhenses praticando o mesmo delito, configurando assim um esquema itinerante de fraudes.

    O crime de furto qualificado mediante fraude tem pena de 4 a 8 anos de reclusão.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    PF deflagra operação de combate a corrupção e lavagem de dinheiro

    A Polícia Federal, em conjunto com a Controladoria Geral da União – CGU, deflagrou a Operação Ratio, na manhã dessa quarta-feira (24/5), com o objetivo de investigar esquema de lavagem de capitais e ocultação de patrimônio relacionado a empresas, supostamente, envolvidas em fraudes em licitações, corrupção de servidores e desvio de recursos públicos.

    Foto: Polícia Federal

    A operação mobilizou 30 Policiais Federais e Auditores da CGU no estado do Piauí para o cumprimento de sete mandados judiciais de busca e apreensão, expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Federal de Teresina/PI, sendo todas as ordens judiciais cumpridas na capital.

    As investigações apontaram para a movimentação suspeita de cerca de R$ 1.600.000 sem justificativa aparente, decorrentes de licitações e contratações envolvendo o poder público e recursos destinados à pandemia do coronavírus em 2020. Fato relevante a ser mencionado é que os principais sócios das empresas citadas seriam interpostas pessoas, inclusive beneficiárias de programas assistenciais do Governo Federal.

    Os investigados poderão responder pelo crime de lavagem de bens e valores, associação criminosa e as demais infrações antecedentes identificadas durante a investigação.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    PF deflagra operação no Maranhão, prende dois em São Luís e desarticula associação criminosa responsável por tráfico interestadual

    A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (23), simultaneamente nas cidades de São Luís – MA e Cuiabá – MT a OPERAÇÃO ROTA 98 FASE 2.

    A operação visa desarticular uma associação voltada para o tráfico interestadual de drogas, com especialidade em enviar entorpecentes do Mato Grosso para o Maranhão.

    Diante do cumprimento das medidas cautelares, três alvos foram presos preventivamente, e, um suspeito em flagrante por uso de documento falso.

    Foram apreendidos R$ 33.800,00 (trinta e três mil e oitocentos reais) em espécie e bens que somam a quantia aproximada de R$ 280.000,00 (duzentos e oitenta mil reais).

    Participaram da OPERAÇÃO ROTA 98 “FASE 2” 18 policiais federais.

    Os investigados poderão responder por tráfico de drogas interestadual e associação para o tráfico, com penas que podem chegar a mais de 15 anos de prisão.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    PF deflagra operação em São Luís contra quadrilha que furtou 320 objetos postais dos Correios

    A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 16 de Maio, a operação ‘Bequimão’, visando cumprir três mandados de busca e apreensão nesta capital maranhense.

    Polícia Federal em São Luís

    A investigação busca desarticular uma associação criminosa responsável pela prática de crimes contra o patrimônio que, furtou mais de 320 objetos postais em um dos Centros de Distribuição dos Correios localizado no bairro Bequimão, em São Luís, ocorrido no dia 11 de julho de 2022.

    Diante do cumprimento das medidas cautelares, espera-se colher novos elementos de informação que auxiliem o prosseguimento das investigações.

    Participaram da operação ‘Bequimão’ doze policiais federais. Os investigados poderão responder por crimes, com penas que podem chegar a mais de 10 anos de prisão.

    Polícia Federal em São Luís

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    PF prende em São Luís falsificadores de diplomas de medicina; quadrilha movimentou quase meio milhão de reais

    A Polícia Federal deflagrou a Operação Revalida, nesta quarta-feira (10), com o fim de prender os membros e desestruturar organização criminosa, instalada no município de Teresina, no Piauí, especializada em cometer falsificações no âmbito do Conselho Regional de Medicina, através da inserção de documentos falsos e diplomas fictícios para inscrição de profissionais não habilitados para exercer a profissão.

    Polícia Federal em Operação Revalida

    Esse grupo criminoso é, supostamente, responsável por uma série de emissões fraudulentas de registros de profissionais no CRM-PI.

    A operação cumpriu sete mandados judiciais expedidos pelo Juízo da 3ª Vara Federal de Teresina/PI, da Seção Judiciária do Piauí, sendo quatro de busca e apreensão e três de prisão temporária, cumpridos nos municípios de Teresina/PI e São Luís/MA.

    Até o momento, as investigações identificaram nove registros expedidos pela organização criminosa. Número subdimensionado tendo em vista a movimentação financeira milionária entre os alvos, que cobravam entre R$ 300 mil e R$ 500 mil.

    Os investigados poderão responder pelos crimes de compor organização criminosa, falsificação de documento público, uso de documento falso e lavagem de bens e valores.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    PF resgata oito trabalhadores em condições análogas à de escravos em fazenda no interior do Maranhão

    A Polícia Federal em Caxias e a Superintendência Regional do Trabalho – SRTb, no Maranhão, em ação conjunta, resgataram 8 trabalhadores em condições análogas à de escravo em uma fazenda de soja localizada no município de Aldeias Altas.

    Polícia Federal em operação no Maranhão

    O caso havia sido noticiado diretamente à Procuradoria do Trabalho, que encaminhou à Polícia Federal e ao SRTb.

    Na data de ontem (09/05/2023) os auditores do trabalho e equipes da Polícia Federal foram até o local e constataram a procedências das informações.

    No âmbito trabalhista, os encarregados pela fazenda, acompanhados de advogado, estão sendo ouvidos pelos auditores fiscais do trabalho na sede da Delegacia da Polícia Federal em Caxias.

    Polícia Federal em operação no Maranhão

    Os auditores efetuarão os cálculos para fins de pagamento dos créditos trabalhistas e solicitarão a comprovação do atendimento de outras medidas indicadas.

    No âmbito criminal, foi instaurado inquérito policial para apuração dos fatos. Se confirmada a hipótese criminal, os investigados poderão responder por crimes de reduzir alguém a condição análoga à escravidão (art. 149 do CPB) em razão das condições degradantes registradas durante a fiscalização.

    O nome da operação tem relação as condições degradantes em que trabalhadores estão sendo submetidos no trabalho de fazendas que adentram o cerrado brasileiro.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    PF deflagra ação em todo o país contra colecionadores, atiradores e caçadores, portadores de arma de fogo em geral

    A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (4), em todo o território nacional, a Operação Day After, destinada a dar cumprimento de mandados de prisão expedidos contra colecionadores, atiradores e caçadores (CAC’s), bem como possuidores de armas de fogo em geral.

    Foto Reprodução

    Estão sendo cumpridos mandados de prisão preventiva, temporária e definitiva, em virtude de cometimento de diversos crimes; além outras prisões por dívidas de caráter alimentar para os quais a Justiça determinou a prisão dos inadimplentes.

    Uma vez que a existência de mandado de prisão quebra o requisito da idoneidade para obtenção do porte de arma de fogo, estão sendo adotadas medidas de apreensão cautelar de armamentos e documentos encontrados, para posterior processo de cassação de porte ou registro de arma de fogo, por parte da PF, além de comunicação ao Exército Brasileiro, para cassação das autorizações concedidas aos Cac’s.

    Os presos estão sendo conduzidos às unidades da PF em todo o país e, em seguida, serão encaminhados ao sistema prisional dos respectivos estados.

    No decorrer do dia, a Polícia Federal divulgará um balanço com os resultados da operação.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    PF deflagra operação no interior do Maranhão em combate a pornografia e abuso sexual infantil

    A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (03/05), por meio da Delegacia de Polícia Federal de Imperatriz, a Operação Non Abscondes, dando cumprimento a um mandado de busca e apreensão expedido em desfavor de um investigado responsável pelo envio/compartilhamento de material pornográfico infanto-juvenil em um grupo de conversa no aplicativo WhatsApp destinado à pornografia/abuso sexual, o qual possui como integrantes indivíduos com diversos números telefônicos com DDI’s estrangeiros (dentre os quais, o do administrador do grupo com DDI de um país africano).

    Polícia Federal em Operação Non Abscondes

    O mandado foi cumprido no município de Itinga do Maranhão, localizado no interior do Estado, ocasião em que foram coletados objetos relacionados ao feito que servirão como elementos necessários à prova do(s) crime(s) em apuração. A operação foi coordenada pelo DPF Felipe Coimbra (DPF/ITZ/MA).

    O(s) delito(s) foram praticado(s), em tese, por um indivíduo do sexo masculino residente no local do cumprimento do mandado de busca e apreensão. Há de se destacar que, em relação aos fatos, também foram coletadas informações reportadas à Polícia Federal pela ONG NCMEC (Nacional Center for Missing and Exploited Children), a qual analisa dados repassados pelos prestadores de serviços de conexão/internet envolvendo suspeita de exploração sexual infantil que trafeguem em suas redes. Com base em tais dados, a Autoridade Policial representou perante a Justiça Federal e foram deferidas as medidas cautelares cumpridas em 03/05/2023 visando a coleta de elementos de prova da autoria e materialidade delitiva.

    O investigado é suspeito, por ora, da prática do crime de publicação de cenas de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança/adolescente, cuja pena pode chegar a seis anos de reclusão. As investigações irão prosseguir com a análise do material constante na(s) mídia(s) apreendida(s) pela equipe policial no intuito de coletar elementos probatórios relacionados ao(s) crime(s) investigado(s), bem como a identificação de eventuais outras condutas criminosas congêneres.

    O nome da operação em latim significa “não ocultarás”, termo este que faz alusão a casuística relacionada ao feito,  seja, combate ao compartilhamento/armazenamento de pornografia infantil empregada por meios de disseminação de informações acessíveis internacionalmente. O termo visa demonstrar que a instituição Polícia Federal está sempre atenta no combate a delitos taxados pela sociedade como de difícil identificação de autoria em razão do modus operandi utilizado (web/espaço virtual).

    Polícia Federal em Operação Non Abscondes

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.