Vereador Álvaro Pires quer a criação do ‘Arraial Virtual São Luís 2021’, em benefício dos fazedores de Cultura da Capital

    O vereador Álvaro Pires (PMN), apresentou requerimento na Câmara Municipal de São Luís solicitando à Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria de Cultura, que seja viabilizado espaço, estrutura e organização tecnológica para a criação do Arraial Virtual de São Luís.

    Segundo o vereador, com o distanciamento social ainda valendo até o próximo período junino, os fazedores de cultura continuam sendo desafiados a criar os mesmos níveis de conexão com a população ludovicense e por isso quer a disponibilização de espaço para a realização de Arraial Virtual. A ideia é transportar as mais variadas brincadeiras folclórica e culturais para o mundo digital.

    “No Arraial Virtual São Luís 2021, todas as brincadeiras poderão se inscrever para participar no período junino e se possível abrir espaço além da internet para a tv aberta, afim de trazer entretenimento da maior festa cultural de nosso povo”, afirmou o vereador.

    Arraial Virtual São Luís 2021

    Ainda segundo o vereador, o espaço onde serão realizadas as apresentações e transmitidas para as mais diversas plataformas, poderá utilizar meios e formas de arrecadação monetárias (PIX), para ajudar nos custos das produções e cachês e demais serviços que demandam recursos financeiros, além disso, o próprio município deverá arcar com os custos e demandas para a realização do evento.

    “Com este objetivo, apresentei este importante REQUERIMENTO solicitando que a Secretaria Municipal de Cultura, viabilize um espaço, amplo e equipado para a realização das apresentações dos mais diversos grupos culturais de São Luís, realizando de forma virtual e que possam transmitir a magia, a alegria que é o nosso São João de São Luís do Maranhão. Neste requerimento solicitei também que possa ser viabilizado parcerias com emissoras de televisão da Capital para a transmissão de toda Programação do Arraial Virtual São Luís 2021”, afirmou o vereador.

    Por fim, o vereador destacou ainda, que todas medidas sanitárias, respeitando as regras de distanciamento social na produção e obedecendo às recomendações sanitárias devem ser levadas em consideração. Cada apresentação dos grupos culturais deverá contar com seu “staff”, o mínimo necessário para a apresentação online e demais plataformas.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Cultura estadual em parceria com a Cultura de Bacabal realizam evento sobre lei Aldir Blanc

    Foi realizado  na manhã de terça-feira, 29, no auditório do Centro de Ensino Maria Casimiro Soares (Minhocão) um encontro promovido pela Secretaria de Estado da Cultura com apoio da Secretaria de Cultura de Bacabal para prestar esclarecimentos sobre a Lei Aldir Blanc.

    O Plantão Itinerante da Lei de apoio à Cultura está percorrendo 10 municípios do Estado e o objetivo é explicar os detalhes da lei e sanar dúvidas.

    “A vinda do Estado pra explicar, explanar, tirar dúvidas dos produtores culturais da cidade de Bacabal é muito importante e a Secretaria Municipal de Cultura está presente aqui pra também ajudar,” disse Mestre Pinta que na ocasião estava representando a Secretária Municipal de Cultura.

    Para o músico Marcus Maranhão, o auxilio é essencial tendo em vista que a classe cultural foi uma das mais atingidas pela crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. “Até os artistas mais renomados foram afetados também. É sempre bem vinda uma ajuda né, a gente tem que agradecer e estamos aqui para debater o que é melhor pra todos nós”.

    A gestora de Ação e Difusão Cultura da Secma, Mariana Cronemberger, explica o formato em que o auxílio será aplicado: “Hoje estamos aqui para falar sobre os mecanismos que o governo do Estado está utilizando para fazer a distribuição deste recurso e estamos trabalhando com dois sistemas. O sistema que concede o auxílio emergencial à pessoa física e os editais que a secretaria lançou, sete editais onde os artistas, fazedores de Cultura podem se inscrever, submeter projetos e participar dos editais conosco”, explicou.

    Sobre a Lei Aldir Blanc

    A Lei Aldir Blanc, de proposição da deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ), foi criada com o intuito de promover ações para garantir renda emergencial para trabalhadores da Cultura e manutenção dos espaços culturais brasileiros durante o período de pandemia do Covid‐19. Dos R$ 3 bi destinados aos estados, o Maranhão receberá, ao todo, R$ 114 mi, a ser repartido com os municípios.

    O recurso é destinado ao pagamento de uma renda emergencial aos trabalhadores da cultura em três parcelas de R$ 600, retroativa a 1º de junho, além de subsídio mensal de R$ 3 mil a R$ 10 mil para manutenção de micro e pequenas empresas, demais organizações comunitárias culturais e espaços artísticos que paralisaram as atividades por causa da pandemia; e realização de ações de incentivo à produção cultural, como a realização de cursos, editais e prêmios.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Lei Aldir Blanc não foi contemplada em São Luís, afirmam grupos culturais

    Blog Atual7

    Uma tensão entre grupos culturais e o secretário municipal de Cultura de São Luís, Marlon Botão, se arrasta por semanas desde que a Lei de Emergência Cultural nº 14.017/2020, também conhecida como Lei Aldir Blanc, foi aprovada. A lei prevê auxílio emergencial ao setor cultural, um dos mais prejudicados durante a pandemia do novo coronavírus. De um lado, artista maranhenses, desde o dia 19 de agosto, acusam a Secult (Secretaria Municipal de Cultura) de não serem ouvidos pelo secretário ou sequer serem procurados para tratar do benefício. Do outro lado, o secretário Marlon Botão, em nota divulgada no seu perfil em rede social, afirma que já conversou com os grupos culturais, mas não listou quais.

    A Lei Aldir Blanc foi aprovada no dia 29 de junho deste ano e, no Maranhão, a previsão é que a Lei Aldir Blanc destinará um total de R$ 114 milhões, sendo R$ 61,3 milhões destinados ao Estado e R$ 53 milhões para execução nos municípios, segundo dados da Secma (Secretaria de Estado da Cultura), que estão disponíveis no site Agência de Notícias do Governo do Estado. Um dos grupos que veio a público, por meio de rede social, falar sobre o assunto, foi o Fórum de Artes Cênicas de São Luís.

    “Desde o início de julho, este Fórum entrou em contato com a @secultsaoluis para tratarmos sobre a gestão de recursos da Lei Aldir Blanc! Nunca fomos respondidos e sabemos que outros segmentos tbm (sic) não, além da constante ausência do secretário @marlonbotao nas reuniões do Conselho Municipal de Cultura!”, escreveram em nota cobrando satisfações da Secult e da Prefeitura de São Luís.

    Em resposta, por meio de nota também em rede social, o secretário Marlon Botão informou que a Secretaria “vem acompanhando em nível nacional e local todo o desdobramento para aplicação dos recursos emergenciais da Lei Aldir Blanc (Lei 14.017, de 2020)”. Segundo Marlon, “em tempo a Secult iniciou o diálogo público para definição de estratégias junto ao Conselho Municipal de Cultura de São Luís – COMCULT, considerando sua instância institucional da participação social na formação das políticas públicas de cultura do Município, assim como vem realizando diálogos com setores artísticos e culturais com os mesmos objetos, que são o de tornar democrático e participativo o processo de gestão dos recursos oriundos da Lei”.

    Marlon Botão afirma ainda que vem dialogando internamente na gestão Edivaldo Holanda Júnior (PDT) sobre a lei com o objetivo de “definir tratativas para a execução das especificidades da Lei na administração pública, considerando a importância dos mecanismos de controle e fiscalização, fatores imprescindíveis para o saudável andamento do recurso frente aos processos administrativos consequentes de sua execução”.

    Acerca desses fatores, definições e conversas internas entre secretaria e prefeitura, o secretário da Secult finaliza a nota afirmando que após todo esse processo “tornará público quais serão as decisões e processos a serem seguidos, garantindo de forma veemente que não haverão perdas e nem tão pouco devolução de recursos por falta de operacionalização da mesma”.

    Insatisfação

    Mesmo após os esclarecimentos do secretário municipal de Cultura, o Fórum de Artes Cênicas afirma que a nota não é satisfatória nem esclarecedora e considerou a nota “retórica e evasiva”. Eles ainda reiteraram em mais duas publicações em rede social que não há participação do secretário no Conselho, do qual, segundo o Fórum, ele mesmo faz parte, além de não comparecer às reuniões nem responder às convocatórias.

    Veja a nota do Fórum Artes Cênicas de São Luís na íntegra:

    “Após muita pressão da classe artística, o Secretário Municipal de Cultura @marlonbotao soltou uma “nota de esclarecimento”, retórica e evasiva, sobre o andamento da Lei Aldir Blanc.

    Portanto, decidimos responder, parágrafo por parágrafo, as “afirmações” do secretário:

    1 – Se a SECULT de fato estivesse “acompanhando” o andamento em nível local e nacional, já teria convocado a classe e minimamente iniciado o diálogo concreto conosco. Saberia ainda a obrigatoriedade da composição de uma Comissão com participação da sociedade civil para, de fato, acompanhar todas as etapas da gestão dos recursos advindos da Lei.

    2 – O Secretário não participa das reuniões do COMCULT, do qual ele é membro definido por lei. Logo, iniciar o diálogo com uma instituição da qual ele é integrante e não participa, mostra-se no mínimo contraditório. Outras organizações da sociedade civil tem tentado diálogo com a SECULT e não recebem resposta, por isso, exigimos a realização de reuniões públicas e abertas a todo o segmento. Além da comprovação de quando foram realizados “diálogos com setores artísticos e culturais”!

    3 – A Lei Aldir Blanc já foi regulamentada, e antes disso foram divulgados todos os trâmites necessários aos municípios para recebimento dos recursos. Só é possível um “saudável andamento” com transparência e diálogo. Sem isso, são somente palavras vazias.

    4 – As “decisões e processos a serem seguidos” não são de competência exclusiva da SECULT e por isso não podem ser decididas de forma unilateral. O único modo de garantir que não haja perda ou devolução dos recursos é por meio de trabalho sério, respeitando e dialogando com a classe, regulamentando o Fundo Municipal de Cultura e construindo coletivamente um plano de ação que contemple as necessidades do setor cultural de São Luís!”

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Governo publica MP que libera R$ 3 bilhões para o setor cultural

    Por Agência Brasil

    O presidente Jair Bolsonaro editou medida provisória (MP) que abre crédito extraordinário de R$ 3 bilhões a estados, municípios e ao Distrito Federal para o pagamento do auxílio financeiro ao setor cultural. A MP nº 990/2020 foi publicada hoje (10) no Diário Oficial da União.

    A Lei nº 14.017/2020, que instituiu o auxílio, chamada de Lei Aldir Blanc, foi sancionada por Bolsonaro no final do mês passado. As atividades do setor – cinemas, museus, shows musicais e teatrais, entre outros – foram umas das primeiras a parar, como medida de prevenção à disseminação do novo coronavírus no país.

    O texto da lei prevê o pagamento de três parcelas de um auxílio emergencial de R$ 600 mensais para os trabalhadores da área cultural, além de um subsídio para manutenção de espaços artísticos e culturais, microempresas e pequenas empresas culturais, cooperativas e organizações comunitárias. Os estados, municípios e o Distrito Federal serão os responsáveis pela distribuição dos recursos, de acordo com os critérios definidos na lei.

    De acordo com a MP publicada hoje, os recursos serão liberados a partir da contratação de operação de crédito interna (contratos ou emissão de títulos da dívida pública). A MP tem força de lei a partir de sua publicação, mas ainda depende de aprovação do Congresso Nacional.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Primeira noite de folia de momo promete ser um sucesso em Anajatuba

    Blog Gazeta do Maranhão

    A prefeitura de Anajatuba, através do prefeito Sidney Pereira, em conjunto com a Secretaria de Cultura do Município, montaram uma programação especial para os anajatubenses e visitantes que escolheram o município para brincar o Carnaval 2020.

    Além do local da festa, a Praça da Matriz, cuja obra foi concluída em apenas 30 dias, os foliões terão a sua disponibilidade uma vasta programação com artistas locais e nacionais. A praça, com um espaço amplo e arejado, localizada às margens dos campos, representa o que tem de mais moderno na região.

    “Planejamos o nosso Carnaval, objetivando valorizar não apenas os artistas nacionais, mas, também, o que temos de bom aqui em Anajatuba. Por isso em todos os dias, os nossos artistas estarão abrindo a programação dos circuitos oficiais”, afirmou Sidney.

    Hoje, a festa terá início por volta das 19:00 com apresentação de artista local. Lucas Seabra subirá ao palco, seguido pela banda Timbrae e Baiko Iluminado. O cantor baiano Junior Santos e a carretinha Piradona encerram a programação da sexta feira gorda de Carnaval.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Regina Duarte será nomeada secretária de Cultura do governo de Bolsonaro

    A atriz esteve em reunião hoje com o presidente Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro, ocasião em que o chefe da Nação reforçou ao convite para assumir a Secretária Nacional de Cultura, cargo que estava vago tem uma semana. 

    Regina Duarte disse que aceitava, mas pediu apoio de uma equipe técnica para que possa conhecer toda a estrutura da máquina administrativa do setor cultural do órgão.

    Jair Bolsonaro atendeu a solicitação e a atriz já estará em Brasília depois de amanhã, quarta-feira, dia 22, para tomar posse no cargo.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    É hora de reunir o Batalhão, é tempo de guarnicê


    Pai Francisco, Catirina, amo, vaqueiros e caboclos são personagens de uma história nossa, que nasceu no Brasil, no Maranhão e ganharam o mundo!

    Somos Patrimônio Imaterial da Humanidade!!!!

    Temos a maior diversidade cultural nos festejos juninos, sendo o bumba-meu-boi, a nossa maior expressão.

    Eu nasci e cresci ouvindo esse som. Meu pai era compositor e brincante! Tive a honra de conhecer todos os grandes mestres: Humberto de Maracanã, João Chiador, Coxinho, Apolônio, Chico Naiva, Lobato, Canuto, Leonardo… São para eles que devemos ofertar esse título! E em especial, ao meu amigo radialista e apresentador Zé Raimundo Rodrigues, o maior incentivador da Cultura Popular Maranhense!

    É hora de reunir o batalhão, é tempo de guarnicê!!!! (Alcione)

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Governo torna sem efeito nomeação que substituiu Kátia Bogéa no Iphan

    O governo fez publicar ontem no Diário Oficial da União dois atos de suspensão de nomeações, incluindo a da arquiteta Luciana Rocha Feres, que substituiu Kátia Bogéa (foto abaixo) na direção do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o Iphan. Foi divulgado também o ato que tornou sem efeito a nomeação do jornalista Sérgio Campos para o cargo de presidente da Fundação Palmares.

    Kátia Bogéa vinha no cargo desde o governo de Michel Temer e muitos apontam que a nomeação foi atendendo a um pedido do ex-presidente José Sarney. E permaneceu no cargo por indicação do ministro do Turismo, sob a proteção de Sarney, que nos últimos dias tem feito manifestações contrárias ao modo de governar de Jair Bolsonaro.

    Bolsonaro exonera Kátia Bogéa da presidência do Iphan e nomeia Luciana Feres

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Artistas ribamarenses se unem para organizar o Canto Ribamar

    Poetas, artesãos, músicos, cantadores de bumba boi, cantores, artistas plásticos e atores ribamarenses estão unidos para realizar a primeira Virada Cultural de São José de Ribamar. Serão 8 horas de festa genuinamente ribamarense, no próximo dia 21 de dezembro, das 16h até meia-noite, no restaurante Sabor do Nordeste, no bairro Moropoia.

    A programação foi definida durante reunião nesta quarta-feira à noite no local do evento. O “Canto Ribamar” vai reunir mais de 40 artistas e tem tudo para ser um grande acontecimento multicultural.

    Coordenada pela Aliança Ribamarense, com apoio de Jota Pinto, a virada é uma iniciativa de valorização da cultura da cidade balneária.

    “São José de Ribamar é a terceira maior cidade do estado, tem belezas naturais e uma cultura rica e diversificada. É preciso incentivar essa potência para permitir que a população desenvolva seus talentos e ganhe visibilidade. O turismo cultural pode inclusive ser um gerador de emprego e renda para São José de Ribamar”, ressalta Jota Pinto.

    VIÉS SOCIAL

    Além da promoção dos artistas locais, o evento tem viés social. Para participar será preciso doar 2kg de alimento não perecível. A arrecadação será doada para  comunidades carentes.

    “Além das apresentações, teremos barracas com comidas típicas, venda de artesanato, pinturas e esculturas. Será um espaço de expressão e manifestação cultural, principalmente para os jovens ribamarenses, que carecem de oportunidades para mostrarem sua arte”, resume Jota Pinto.

    Confira a programação do Canto Ribamar

    16h – Show de Humor com os artistas Fumaça, Rômulo e Pipoca

    17h – Peça Natalina Pastor de São José

    17h30 – Recitando Poesias, com Roberto Paixão, Guilherme e Ana Lígia Carneiro

    18h – Rapper Jonathan

    18h30 – Vinil Digital com DJ’s locais

    19h30 – Show dos cantores Marcos e André

    20h05 – Show dos cantores Dudu e Cadu

    20h50 – Show do cantor Alisson Ribeiro

    21h15 – Show do cantor Tadeu de Abatalá

    21h40 – Show do mestre Antônio

    21h55 – Show do mestre Mangueira

    22h20 – Show da cantora Lucas Mariate

    22h50 – Repique de toadas de Bumba-Meu-Boi

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Aprovado requerimento de Othelino Neto solicitando homenagem ao Tambor de Crioula

    O plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou, por unanimidade, na sessão desta segunda-feira (7), o Requerimento 551/19, de autoria do deputado Othelino Neto (PCdoB), presidente da Casa, propondo a realização de Sessão Solene em homenagem ao Tambor de Crioula, uma das expressões culturais genuinamente maranhenses e Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. A data da solenidade será definida e o ato deverá contar com apresentações de grupos tradicionais da manifestação.

    Praticada no Maranhão desde a época da escravidão, o Tambor de Crioula, importante manifestação afro-brasileira, foi reconhecida como Patrimônio Imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 2007, na gestão do então governador do Estado, Jackson Lago, tendo Gilberto Gil como ministro da Cultura à época.

    “É uma homenagem mais do que justa a esta manifestação cultural maranhense que já está arraigada em nossa história há séculos, que tem sua importância reconhecida nacionalmente e que faz com que nos orgulhemos das nossas origens e da nossa força cultural”, justificou o presidente Othelino Neto.

    O Tambor de Crioula, que envolve dança circular, canto e percussão, tem sua origem ligada à resistência cultural dos negros e de seus descendentes. Atualmente, no Maranhão, vem sendo apropriado por grupos distintos e praticado por estudantes, artistas e intelectuais. Só na Grande São Luís, atualmente, há cerca de 110 grupos de tambor de crioula, alguns já com meio século de existência.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Lançamento do Projeto Entre Lenços e Laces contará com apresentação da Orquestra Jovem do Maranhão João do Vale

    O projeto tem o propósito de viabilizar a confecção de perucas que serão doadas para pacientes em tratamento de Câncer

    Resgatar a autoestima e empoderar mulheres fragilizadas pelo Câncer. Esse é o propósito do Projeto Entre Lenços e Laces, que será lançado no dia 25 de setembro, quarta-feira, às 20h, no Teatro Arthur Azevedo.

    Uma das grandes atrações do evento será a Orquestra Jovem do Maranhão João do Vale, que irá trazer toda sofisticação e alegria para o público em solidariedade à causa do projeto. Também abrilhantarão a noite, a cantora e paciente oncológica Camila Melo e o grupo Cia Thabit Danças Árabes.

    O Projeto Lenços e Laces é uma iniciativa da médica paliativista Laianny Carvalho, Rosete Gonçalves e Caroline Santos, com a proposta de viabilizar a confecção de perucas para mulheres com patologias que causam a perda de cabelos.

    “O projeto impacta positivamente no bem estar de cada paciente, no reconhecimento de se sentir acolhida pela comunidade, tendo a oportunidade de melhorar a sua autoestima e se rever na sua própria identidade. Com a melhora no estado emocional dessas pacientes, a dor também é controlada e abrandada, dessa forma, utilizam menos medicamentos nos tratamentos, existindo um risco menor de intercorrências e efeitos colaterais”, ressalta Laianny Carvalho.

    A ideia é contar com doações de hospitais, profissionais da saúde, instituições públicas ou privadas e também a sociedade em geral que possa acolher as necessidades das participantes. Para isso, o projeto está arrecadando fundos por meio de uma página de financiamento coletivo, onde os parceiros podem efetuar doações de qualquer valor.

    Para garantir seus ingressos e ajudar com o lançamento e realização dessa corrente do bem, basta se dirigir à bilheteria do Teatro Arthur Azevedo, à Loja do Fotosombra (São Luís Shopping) ou ainda pelo site teatroarthuarzevedo.byinti.com.

    O projeto

    Entre Lenços e Laces surge a partir da convivência das idealizadoras com pacientes mulheres de diversas idades que têm câncer e/ou doenças degenerativas com perda progressiva de cabelos, de diferentes hospitais da capital. O processo de perda de cabelo é mais uma etapa dolorosa diante da instabilidade emocional que as afligem, portanto, o projeto Entre Lenços e Laces torna-se uma força propulsora no processo de reconstrução da autoestima dessas pacientes que estejam passando pelo conflito da perda de seus fios, independentemente do local em que estão sendo tratadas, além de restabelecer a confiança e qualidade de vida dessas mulheres.

    Serviço

    O que? Lançamento do Projeto Entre Lenços e Laces
    Quando? Dia 25 de setembro às 20h
    Onde? Teatro Arthur Azevedo
    Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia entrada)
    Pontos de Venda: Bilheteria do Teatro Arthur Azevedo, Loja do Fotosombra (São Luís Shopping) ou no site teatroarthuarzevedo.byinti.com
    Classificação: Livre
    Duração: 90 minutos

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.