Por Blog do Domingos Costa 

Ambulantes, mototaxistas, motoristas de aplicativos, cantores, músicos, comerciantes, donos de palcos, som, iluminação, rede hoteleira, restaurantes, lojas de roupas e artigos, além de tantos outros milhares de trabalhadores que dependem direto ou indiretamente da realização do carnaval estão na iminência de passar mais um ano num prejuízo gigantesco.

Tudo por conta da ameaça do cancelamento do carnaval 2022 em dezenas de cidades maranhenses. Entre os promotores de eventos e quem sobrevive do setor há um clima de verdadeiro pânico por conta da iniciativa de políticos da região Sul do país que anunciaram o cancelamento em suas cidades.

O medo é que aconteça o mesmo no Maranhão, ocorre que a situação por aqui é bem diferente…

Os leitos clínicos exclusivos para covid-19 e as Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) para a doença estão com baixa ocupação em todas as regiões do estado. Na Região Metropolitana, hoje, por exemplo, apenas 10% estão ocupadas. Em muitas outras cidades maranhenses não existe nenhum paciente internado.

O setor, um dos mais afetados com a pandemia da covid-19, acumula rombo bilionário vez que no ano de 2020 não teve carnaval e foram proibidas realizações de qualquer tipo de evento. Quem atua no ramo de eventos passou fome, literalmente!

Para assegurar a realização do carnaval 2022, os promotores de eventos ressaltam que diversas cidades do Maranhão alcançaram a marca de 100% da população vacinada contra a Covid-19 graças ao esforço coletivo das prefeituras e do governo do estado, o que reduziu drasticamente as mortes e o número de internados por consequência do coronavirus.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.