O delegado Regional de Imperatriz, Eduardo Galvão, que acompanha o caso do assassinato de Ivanildo Paiva (foto abaixo), prefeito de Davinópolis, descartou a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte), durante entrevista concedida à TV Mirante. 

Ele explicou que os matadores não levaram nada da fazenda e nem mesmo o celular que foi deixado nas proximidades do 50º BIS. Para o delegado, eles foram com a missão de executar.

O prefeito chegou na fazenda por volta das 14h e ainda esteve na residência do caseiro e depois permaneceu todo o sábado na sua propriedade de onde teria sido arrancado na manhã de domingo provavelmente já sem vida e deixado numa área de plantação, na zona rural de Davinópolis.

Hoje, a polícia começou a trabalhar com várias linhas de investigação, inclusive a de crime passional. Ivanildo Paiva foi morto com sete tiros. Uma filho dele universitário também foi morto e enterrado em cova rasa, em 2008, por dois policiais militares, na cidade de Imperatriz.

Em grupo de policiais de Imperatriz, comentam que prefeito assassinado recebia ameaças de marido traído

Caso com uma mulher casada teria sido o motivo da morte do prefeito de Davinópolis

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.