Uma programação com palestras, oficinas e a participação de convidados locais e de outros estados marcará a “I Jornada Maranhense de Cuidados Paliativos e Dor”, a ser realizada nos próximos dias 26 (8h às 18h) e 27 (8h às 13h), na Unidade de Ensino Superior Dom Bosco (Renascença II). O evento é voltado para profissionais ligados à área da saúde e afins.

Cuidado paliativo é uma área de atuação médica que aborda a melhoria da qualidade de vida dos pacientes (adultos ou crianças) e de seus familiares que enfrentam problemas associados a doenças que ameaçam a vida. “Previne e alivia sofrimento por meio da investigação precoce, avaliação correta e tratamento da dor e de outros problemas físicos, psicossociais ou espirituais”, frisa o médico João Batista Garcia, presidente do evento.

A Jornada inclui palestras sobre variados temas, entre eles, “Os atributos indispensáveis da Comunicação para uma efetiva paliação”. “Falar da importância de cuidados paliativos vai além de um trabalho necessário para garantir não sofrimento e dignidade em portadores de doenças e que em algum momento falecerão de suas enfermidades”, diz Vanise Motta, médica paliativista do Hospital Universitário Presidente Dutra, presidente da Associação Norte/Nordeste de Cuidados Paliativos e integrante da comissão organizadora do evento.

Lei garante cuidados paliativos

Em 2017, foi aprovada na Assembleia Legislativa a Lei 10.584, de autoria do deputado Othelino Neto (PCdoB), que trata justamente da garantia de direitos dos usuários dos serviços de saúde do estado: os chamados cuidados paliativos.

A lei dá dignidade às pessoas que utilizam o sistema e não têm mais perspectiva de cura, durante o atendimento hospitalar. Elas passaram a ter direito a optar pelo tipo de tratamento, ou seja, ficar ou não na UTI, e até mesmo de estar ciente do medicamento aplicado, aceitando-o ou não.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.