Após vários anos e como se fosse algo combinado, o Ministério Público do Maranhão partiu agora pra cima e apertou os chefes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciários e cumprirem a lei que impede o acúmulo de cargos, exceto para professores e médicos. O arrocho vai resultar na exoneração de milhares de funcionários, o que vai significar um certo alívio para o Governo do Estado, Assembleia Legislativa, Judiciário, prefeituras e Câmaras Municipais. 

Com a colaboração do Tribunal de Contas do Estado foi feito um cruzamento nas folhas de pessoal e enviado ao MP a relação de quem ocupa mais de um cargo no poder público estadual e municipal e até com certos exageros.

Um jornalista, por exemplo, que trabalha numa emissora de TV privada pela manhã e à tarde tem que cumprir sua obrigação de assessor de comunicação ocupando cargo em comissão em um órgão público, está sendo obrigação a fazer uma das duas opções.

Choro e palmas na Assembleia Legislativa

Enquanto centenas de funcionários da Assembleia Legislativa estavam chorando sendo exonerados para não perder a chance de aposentadorias em outro cargo, no plenário daquela Casa os deputados rendiam homenagens ao Ministério Público na manhã de ontem, quarta-feira (22).

Quem tem um cargo efetivo em prefeitura e outro em comissão no Legislativo, Executivo ou Judiciário é obrigado a fazer opção, além de perder  uma parte da receita.

Dirigentes dos poderes verão agora várias vagas em comissão se abrirem, assim como inúmeros prefeitos acompanharão o corte na folha e ainda dirão que foi culpa do Ministério.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.