Preso estuprador das próprias filhas com quem tem filhos na Grande São Luís

A Delegacia Especial de Paço do Lumiar/MA, com o apoio do SAISP/LESTE, prendeu ontem, sexta-feira (08), José de Ribamar Veras de Sousa em flagrante delito pela prática dos crimes de estupro, estupro de vulnerável, cárcere privado e posse de munição, na cidade de Paço do Lumiar. 

O homem abusava da filha mais velha desde aos 13 anos, com quem tem quatro filhos apenas registrados em nome da vítima., além de ter estuprado a segunda filha quando ainda era adolescente aos 15 anos. Os fatos aconteceram em Itapera de Mocajituba, em Paço do Lumiar.

Com a segunda tem um filho e, segundo a vítima, os abusos acontecem há sete anos. O pai avó foi transferido para o presídio de Pedrinhas.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Preso homem que bateu e estuprou idosa em Zé Doca

Foi preso ontem, quarta-feira (06), um homem como suspeito de ter espancado e depois estuprado uma anciã de 68 anos na cidade de Zé Doca.

Davi Gomes Neves ( foto abaixo) escapou de ser linchado quando foi pego por populares revoltados com tamanho crime brutal. 

Policiais chegaram a tempo e evitaram o linchamento e depois constataram que a idosa sofre de distúrbios mentais e por causa das agressões ficou com ferimentos no rosto e em várias partes do corpo, inclusive com hemorragia.

O que mais deixou os populares indignados foi o fato da idosa gritar bem alto por socorro, ser encontrado com ferimentos, e o tarado informar que o sexo foi consentido.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Defensoria lança campanha de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes

A Defensoria Pública do Estado do Maranhão (DPE/MA), por meio do Núcleo de Defesa da Criança e do Adolescente (NDCA), lançou, na última segunda-feira (4), uma nova campanha voltada ao enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes. O lançamento foi realizado na Escola Comunitária João de Deus, a primeira das instituições de ensino parceiras da Defensoria na campanha.

Participaram do evento, o defensor público-geral do estado, Alberto Pessoa Bastos; o defensor público Davi Rafael Silva Veras, titular do NDCA; a vice-presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Luís (CMDCA), Janicelma Fernandes; a diretora da escola comunitária, Shirley Mendonça; e o presidente do Movimento Popular de Lutas Urbanas, o professor Wenderson Vasconcelos.

Na ocasião, o defensor Davi Rafael Silva Veras apresentou, para professores da escola e representantes de outras instituições da região, a metodologia que será utilizada na campanha, que contará com diversas ações voltadas à prevenção, à notificação e à repressão desse tipo de violência.

De acordo com o defensor Davi Veras, a proposta principal é promover a sensibilização de pais e, principalmente, de profissionais da saúde e professores para potencializar a identificação de possíveis vítimas. “Temos disponíveis dois serviços fundamentais para identificação: o serviço de saúde, que pode identificar uma lesão como potencial violação à dignidade sexual; e a escola, o lugar onde a criança cria um vínculo e sente-se confortável para contar uma situação de violação que está sendo submetida, ou que se percebe no comportamento da criança uma possível situação de risco”, explicou.

Segundo o defensor-geral, a união de esforços com esses agentes é fundamental para o combate ao subregistro. “A Defensoria não ficará limitada em gabinete esperando as reclamações chegarem para ajuizar uma ação. O que queremos, com essa e outras ações, é estar nas comunidades e verificar de que forma vamos solucionar os problemas com foco na sua origem. E, nos casos de violência contra crianças e adolescentes, sabemos que somente juntos conseguiremos vencer essa batalha”, destacou Alberto Bastos.

Para garantir a atuação dos profissionais, serão realizadas capacitações para que os mesmos possam realizar notificações de casos constatados. Inicialmente, já firmaram parceria com a Defensoria 15 escolas da área do bairro João de Deus. A proposta é levar a campanha às demais comunidades de São Luís.

Além da capacitação, também serão realizadas ações como palestras direcionadas aos pais com enfoque na prevenção, a criação de mecanismos de denúncia anônima ou através de meios de notificação à rede de proteção que preservem a integridade dos profissionais, a articulação com os demais atores da rede de proteção à criança e ao adolescente, entre outros.

Além disso, também serão realizadas ações itinerantes nas comunidades,  com  o ônibus-escritório da Defensoria, e a participação de parceiros com oferecimento de diversos serviços nos finais de semana. A primeira delas está agendada para o dia 23 deste mês e será realizada na Praça da Fraternidade, no bairro João de Deus.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Contradição: João de Deus diz não se lembrar das mulheres que o acusam

Metrópoles

Médium foi ouvido pelo Ministério Público de Goiás. Quando foi preso, ele apresentou outra versão à Polícia Civil e lembrou de alguns nomes

O médium João de Deus, 77 anos, em depoimento ao Ministério Público de Goiás (MPGO) nesta quarta-feira (26/12), afirmou que não se lembra das mulheres que o acusam de abuso sexual, uma vez que atendia aproximadamente 1.500 pessoas por sessão. Ele também negou ter praticado qualquer tipo de violência sexual contra suas seguidoras. As informações foram prestadas pelo advogado do líder espiritual Alberto Toron.

O depoimento dado ao MPGO contradiz a versão apresentada pelo próprio João de Deus à Polícia Civil, quando foi preso, no último dia 16. Na ocasião, ele relatou se lembrar de uma mulher que o acusou de abuso, em uma consulta que teria ocorrido em outro desse ano. Chegou a dizer que deu a ela quadros e pedras, embora tenha negado qualquer tipo de violência sexual.

O advogado criminalista Alex Neder, que também participa da defesa do médium, esclareceu que o depoimento desta quarta foi baseado em três denúncias específicas, não relatadas anteriormente. nenhuma presente anteriormente no inquérito policial. Portanto, segundo o advogado, João de Deus não teria conhecimento de quem são as mulheres.

“Ele teve a oportunidade de rebater cada uma delas e responder que nada ocorreu conforme relatado pelas supostas vítimas”, acrescentou.

Veja trecho do depoimento dado à PCGO, que foi preso:

O depoimento ao MPGO durou cerca de uma hora e meia. “Ele disse que atendia muitas pessoas e que era impossível lembrar pelo nome, até porque não foi mostrada nenhuma foto”, informou Toron. Ao sair da oitiva, o advogado destacou ainda que “só depois de sabermos qual o caso será detalhado na denúncia vamos definir os passos da defesa”.

Segundo Alberto Toron, o depoimento de João de Deus se deu em clima de “absoluta tranquilidade”. “Ele respondeu a todas as perguntas que lhe foram dirigidas. Os promotores agiram com absoluta correção. Nos deixaram olhar o material do inquérito e o deixaram à vontade”, concluiu. O médium está preso desde o dia 16/12, em Aparecida de Goiânia.

Integrantes da força-tarefa que investiga os relatos de abusos sexuais praticados pelo fundador da Casa Dom Inácio de Loyola não pararam de trabalhar durante o Natal. A expectativa é de que a primeira denúncia contra João de Deus seja enviada até domingo (30) à Justiça. A oitiva foi realizada pelos promotores Luciano Miranda Meireles e Paulo Eduardo Penna Prado.

Em Goiás e em outros estados já foram coletados 78 depoimentos formais de mulheres que se apresentam como vítimas de abuso sexual de João Teixeira. Até o momento, mais de 600 mensagens chegaram ao MPGO. Destas mensagens, cerca de 260 apresentam-se como potenciais vítimas do médium, sendo que 11 delas residem no exterior: Estados Unidos (4), da Austrália (3), da Alemanha (1), da Bélgica (1), da Bolívia (1) e da Itália (1).

Mulher vai depor também
A mulher de João de Deus, Ana Keyla Teixeira, 40, também deve depor hoje. Porém, ela vai prestar esclarecimentos à Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic). O depoimento, por uma questão de logística, será prestado na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

Ana Keyla é mãe da filha caçula de João de Deus, que tem três anos. O Metrópoles conseguiu falar com a mulher no dia 13, logo após as denúncias virem à tona. Na época, ela disse que o marido era inocente: “Montaram um grande circo”. Mãe e filha estavam em Abadiânia (GO), em uma propriedade que a família mantém a poucos quilômetros do centro de atendimento espiritual.

Armas e dinheiro
Os policiais também devem ouvir João de Deus novamente. O depoimento ainda não tem data marcada. Eles querem saber a origem de R$ 1,6 milhão encontrado escondido em endereços ligados ao médium, bem como das cinco armas sem registro apreendidas. Ao todo, ele pode responder por quatro crimes: estupro, estupro de vulnerável, violação sexual mediante fraude e posse ilegal de arma.

Na última semana, o juiz Liciomar Fernandes da Silva, da Comarca de Abadiânia (GO), acatou pedido de prisão preventiva contra o médium por posse ilegal de arma. O líder espiritual já estava preso preventivamente desde o último dia 16, devido a denúncias de abuso sexual.

O magistrado também autorizou nova busca e apreensão em endereços de João de Deus e alegou suspeitar da existência de uma máfia. “Ao que tudo indica, o médium chefia uma organização criminosa”, pontuou.

Um dia depois, após cumprimento do mandado, os policiais civis de Goiás encontraram uma mala recheada com R$ 1,2 milhão em uma das casas do acusado em Abadiânia. Também foram recolhidos 770 euros e US$ 908 em um imóvel do médium em Anápolis, bem como um revólver calibre .38, uma algema e centenas de pedras das mais variadas tonalidades.

Em apreensões anteriores, R$ 405 mil e cinco armas sem registro já tinham sido apreendidas em endereços de João de Deus.

Abuso sexual
Na última quinta (20), João de Deus foi indiciado por violência sexual mediante fraude. O inquérito foi baseado no depoimento de uma mulher de aproximadamente 40 anos que teria sido abusada pelo líder espiritual em outubro deste ano na Casa Dom Inácio de Loyola.

Segundo o delegado Valdemir Pereira da Silva, mais conhecido como Doutor Branco, titular da Deic, existem provas robustas contra o médium que podem levá-lo a cumprir pena de 2 a 6 anos de prisão.

“Acreditamos na existência de provas suficientes para uma condenação. O depoimento da vítima foi contundente”, disse. De acordo com o investigador, na quarta (19), a mulher foi levada ao centro em Abadiânia e contou, com riqueza de detalhes, o que teria ocorrido na sala de atendimento.

Segundo o relato da vítima, quando a mulher notou o pênis de João de Deus para fora da calça, ele teria interrompido o “tratamento”. Em seguida, o acusado pediu para a paciente não contar sobre o atendimento a ninguém. Na ocasião, o médium presenteou a fiel com dois quadros e uma pedra. “A vítima está assustada, ansiosa e com medo”, explicou.

As denúncias contra João de Deus vieram à tona no último dia 8, no programa Conversa do Bial, da TV Globo. Após ter dois habeas corpus negados, no Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ), a defesa do médium recorreu o Supremo Tribunal Federal (STF). No início da semana, João de Deus reforçou sua equipe de defesa e contratou o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, para tentar tirá-lo da cadeia.

Denúncias
Desde que o escândalo sexual contra João de Deus veio à tona, o Ministério Público de Goiás recebeu 596 relatos por e-mail sobre o caso, sendo 255 de potenciais vítimas. Do total, a maior parte – 40 – é de São Paulo. Em segundo lugar, vem o DF, com 39. Há ainda 20 casos no Rio Grande do Sul e 15 em Minas Gerais.

Os promotores divulgaram que 75 mulheres foram ouvidas até agora. A maioria das vítimas tem entre 19 e 67 anos (70 delas). Mas há também 23 com faixa etária entre 9 e 14 anos, o que pode fazer com que o médium seja denunciado por estupro de vulnerável.

Mulher maranhense diz que foi obrigada a fazer sexo com João de Deus quando tinha 14 anos

Grupos de famosas que atacavam Bolsonaro somem diante dos assédios de João de Deus

Médium João de Deus se entrega à Polícia em Goiás

“Vocês terão câncer”, diz seguidora de João de Deus ao amaldiçoar jornalistas durante tumulto

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cinco ocorrências de importunação sexual registradas em São Luís

Daniel Júnior/ O estado

Um total de cinco ocorrências de importunação sexual foram registradas, até ontem, em São Luís, pela Casa da Mulher Brasileira, após a sanção da Lei 13.718/18 – no último dia 24 de setembro -, que criminaliza os atos de importunação sexual e pune divulgação de cenas de estupro no Brasil. Deste total de casos, dois foram em flagrante e três por denúncia das vítimas, conforme informou a instituição.

Em conformidade com a nova lei, as autoridades competentes em São Luís estão mais atentas a esse crime e dispostas a aplicar a norma à risca e de forma implacável, como garantiu Adriana Meirelles, delegada da Mulher, que atua na Casa da Mulher Brasileira, no bairro do Jaracati, na capital.

“Realizar ato libidinoso na presença de alguém e sem o consentimento é importunação sexual e, agora é crime, que rende de um a cinco anos de prisão ao agressor. Antes, era só uma contravenção penal, que só rendia multas. Passar a mão nas partes íntimas de uma pessoa, se aproveitar de alguém em lugares lotados, são exemplos que caracterizam esse crime”, explicou Adriana Meirelles, enquanto folheava uma pasta, que continha os cinco casos registrados, após a sanção da lei.

A delegada destacou que a maioria dos casos ocorre em transportes coletivos e as vítimas são mais do sexo feminino. “Os dois casos em flagrante ocorreram em ônibus. O primeiro foi no Terminal de Integração do bairro São Cristóvão, dia 31 de outubro, e o outro foi em um coletivo que circulava no centro da capital, no dia 2 de novembro. Os agressores se aproveitam das vítimas em coletivos lotados ou quando têm oportunidades de agir. E essas duas ocorrências foram registradas durante o dia, em horários de pico. A importunação sexual não é só crime se for praticada contra mulheres. Se for contra homens, é crime também, pois a lei não especifica o sexo, e sim alguém. O ato em si é crime, seja contra quem for”, esclareceu a delegada da Mulher.

Um dos casos em flagrante de importunação sexual ocorreu no último dia 31 de outubro, no Terminal de Integração do bairro São Cristóvão, na capital maranhense. José Ricardo Fonseca Carvalho, de 49 anos, foi preso suspeito de cometer esse crime contra uma adolescente de 14 anos.

Conforme a Polícia Militar, testemunhas, que estavam no terminal de integração informaram aos policiais que a adolescente estava sendo assediada por José Ricardo, dentro do ônibus.

Após verificar a situação e constatar o crime, a polícia prendeu o suspeito. José Ricardo Fonseca Carvalho e a adolescente foram encaminhados para a Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA), onde José Ricardo ficou à disposição da Justiça. Ele responde pelo crime de importunação sexual.

SAIBA MAIS

Importunação sexual
A Lei 13.718/18, sancionada no dia 24 de setembro deste ano, pela Presidência da República, tendo como base projeto (PL 5452/16), de autoria da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), aprovado pela Câmara dos Deputados em março deste ano, tipifica crime de importunação sexual e divulgação de cenas de estupro. A pena para quem praticar esse crime é de um a cinco anos de prisão. Também poderá receber a mesma pena quem vender ou divulgar cena de estupro por qualquer meio, seja fotografia, vídeo ou outro tipo de registro audiovisual. A pena será maior ainda caso o agressor tenha relação afetiva com a vítima.

Denúncias
Vítimas de importunação sexual podem registrar boletim de ocorrência na Casa da Mulher Brasileira, que fica situada na Avenida Professor Carlos Cunha, n° 572, no Jaracati, em São Luís. Além disso, pode acionar a
Polícia Militar (PM).

Primeiro caso de importunação sexual em ônibus é registrado em São Luis e resultou em prisão

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Vereador é acusado de aliciar menores para práticas sexuais no interior do Maranhão

Famílias estão denunciando o líder do governo na Câmara de Vereadores de São Luis Gonzaga, Luis da Silva Melo (foto abaixo). O blog recebeu vários prints de conversas entre o vereador e menores adolescente.

Eleito para o primeiro mandato pelo Partido Verde em 2016, “Cohabinha”, como é mais conhecido o vereador, aborda adolescentes sempre em conversas pelo WhatsApp e Facebook oferecendo dinheiro para fazer boquetes (sexo oral) nos meninos e se a transa for completa, aumenta o cachê de R$ 20 para R$ 50.

Em vários grupos de São Luís Gonzaga, o líder do prefeito Dr. Júnior vem sendo denunciado por pais dos menores. O vereador, segundo comentários na cidade, é homossexual assumido.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Padastro estupra enteada e transmite Aids para a menor de 10 anos no Maranhão

O fato aconteceu no interior do Maranhão e envolve o padastro Markenned dos Reis Barbosa que teria estuprado uma enteada de 10 anos e transmitido para a menor o vírus  da doença. Ele estaria também abusando de outras enteadas há mais de um no e a polícia desconfia que a mãe sabia de tudo.

Em Buritirana, onde os fatos ocorreram, a população ficou revoltada e foi preciso a polícia levar o estuprador para a cidade de Amarante, a fim de evitar linchamento.
Diante da confirmação de que a menor contraiu o HIV, a polícia vai requerer exames médicos nas outras vítimas. O bandido teve prisão preventiva decretada depois que os laudos constataram o abuso praticado pelo maníaco.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Presos bandidos que roubaram carro, fizeram assaltos, e estupraram a dona do veículo na Cidade Olímpica

Policiais do 6º BPM prenderam ontem um indivíduo e apreenderam dois adolescentes que roubaram um veículo na Vila Olímpica, realizaram assaltos, sequestraram a mantiveram a jovem dona do veículo em cativeiro no Jardim América e ainda estupraram a vítima.  

No início da noite, os três bandidos, sendo um de maior idade, Carlos Augusto de Moraes Filho, 29 anos, e mais dois adolescentes, tomaram de assalto um veículo Fiat Punto na região da Cidade Olímpica, colocando a proprietária no banco traseiro.

De lá, seguiram por várias ruas do mesmo bairro e também no Jardim América, onde assaltaram transeuntes, levando jóias, dinheiro e celulares. Já às 20h, sob o comando do cabo Coelho, o trio foi localizado na Avenida dos Agricultores, na Cidade Olímpica. Com eles foram encontrados o carro, três celulares, R$ 148, um terço, e um molho de chaves.

Numa área de matagal, a jovem foi abusada sexualmente pelos três indivíduos, sendo liberada junto com o carro, onde conseguiu chegar na casa dela e depois em uma unidade hospitalar da Cidade Operária.

Os militares encontraram os elementos e , ao revistá-los, encontrou os pertences roubados. Os marginais foram reconhecidos pelas vítimas dos furtos e também pela proprietária do carro.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Enfermeira foi sequestrada e violentada em São Luís

Hoje (28), no período da tarde, uma enfermeira (que o blog vai manter em sigilo o nome e foto) teve o carro roubado e levada como refém por assaltantes na rua 29 na Cidade Olímpica, por três prováveis beneficiários de indulto de Páscoa.

A enfermeira foi localizada na rua 16 do mesmo bairro. Porém foi vítima de abuso sexual por parte dos bandidos. Ela já foi encaminhada para uma Unidade de Pronto Atendimento. A Polícia Militar caiu em campo para encontrar os três estupradores.

Aguardem novos detalhes…

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Acusado de estuprar mulher, ainda manda áudio perguntando se a vítima gostou, mas foi preso

A polícia prendeu em flagrante um entregador de frutas por estupro a uma mulher de 30 anos, a quem conhecia recentemente e se mostrava amigo. O crime foi cometido na quitinete onde a vítima morava com a irmã. Horas depois, ele, via áudio, ainda indagou: “foi ótimo, você gostou?”. 

Na sede da Ceapi onde o homem pegava as frutas para fazer as entregas

Em matéria produzida pela jornalista Maria Romero,do G1 PI, o homem aparece como conhecido por Hércules e foi preso desde sexta-feira, dia 23, pelo crime cometido no bairro Tabuleta, em Teresina. Para a delegada de Mulher, Vilma Alves, a prova maior “foi um áudio enviado pelo homem para a vítima”, segundo o Portal G1 PI.

A delegada, que ouviu o áudio, disse que a mulher estuprada, de 30 anos, estava muito abalada e contou ao site da Globo que a vítima, que é franzina, lutou bastante contra o homem que é forte. Ele trabalha na CEAPI ( Central de Abastecimento do Piauí.

Religiosa, ela morou em um convento e atualmente mora com a irmã e que só deixou o homem entrar imaginando que ele fosse entregar frutas. Ele disse que a relação foi consentida.

“Não podemos nos calar, temos que denunciar. As mulheres não podem continuar apanhando, sendo estupradas, sendo mortas sem fazermos nada”, disse a delegada ao G1 PI.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Criança desaparecida vivia maritalmente com estuprador, que foi preso na Raposa

A Polícia Civil do Maranhão prendeu ontem Darenilson Alves Freitas, 33 anos, que estava vivendo maritalmente com uma  menor de 12 anos. Ele confessou que foi o primeiro homem da vítima e que viviam como casal. Pelas regras, manter relações sexuais com menor de até 14 anos, é crime de vulnerável, ainda que seja consentido.

A menor foi entregue para a família e o estuprador levado para a Delegacia da Raposa, mas deve ser encaminhado amanhã para o centro de triagem de Pedrinhas. Darenilson Alves Freitas tem passagens por delegacias da Raposa, São José de Ribamar e São Luís.

Darenilson foi encontrado pelos policiais no Porto da Pesqueira, em Raposa, na companhia da criança, com quem afirmou conviver maritalmente.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Acusado de estuprar paciente dentro de consultório, médico é preso no Maranhão

O cardiologista Claumir Barros  Simões foi acusado de estuprar uma paciente em um posto de Saúde no bairro Três Poderes, na cidade de Imperatriz. Ele teve prisão decretada quando prestava depoimento sobre o estupro cometido  em julho deste. 

A vítima do estupro tem cerca de 40 anos que relatou o caso ao Ministério Público. A promotora Raquel Chaves, que acompanhou o caso diz que as provas são desfavoráveis aos médico. Ele negou pela segunda vez o envolvimento. A mulher é uma paciente de aproximadamente 40 anos. Os detalhes do crime não foram revelados, pois o processo segue em segredo de Justiça. Mas para a promotora de Justiça, Raquel Chaves, não há dúvidas quanto a autoria do crime praticado pelo médico.

Claumir Simões, que foi ouvido pela segunda vez nesta sexta-feira, nega o envolvimento. Ele foi levado para ao IML  depois encaminhado para o presídio de Davinópolis.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.