A manifestação de hoje pela passagem do 7 de Setembro, Dia da Independência do Brasil, foi a gota d`água para que partidos, centrais sindicais, OAB, provavelmente a ABI e CNBB, além de outras entidades,  começarem a pensar no pedido de impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro. 

Vários posicionamentos já foram exibidos agora no período da tarde e a maioria convergente para o que eles pensam como afronta à Constituição Federal assim que Bolsonaro exigiu que o presidente do STF, Luiz Fux, enquadre alguns de seus minitros sob pena de que posssa acontecer.

Na Câmara Federal existem cerca de 130 pedidos de interrompimento do mandato do presidente, mas agora será diferente pela força que as entidades representam no pais.

O PSDB já anunciou reunião amanhã para se juntar aos partidos de oposição ao governo na Câmara e no Senado. Está sendo esperada uma manifestação do PMDB. O PDT ja confirmou apoio irrestrito ao impedimento.

Bolsonaro não está só. Ele tem diversos aliados no Congresso Nacional e em representações de classes patronais sindicais, além de um grande número de apoiadores. O presidente conseguiu dividir o país.

O impeachment dele não é fácil e deve gerar muitos tumultos nas duas Casas Legislativas, além das ruas e avenidas.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.