MARRAPÁ

Sem ter o que mostrar para classe dos advogados e advogadas, o presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Maranhão, Diego Sá, utilizou a vacinação contra Gripe H1N1 como bandeira para tentar alavancar a sua pré-candidatura a presidência da OAB/MA.

Foto Reprodução

Doses da vacina foram enviadas de forma gratuita à CAAMA pelo Conselho Federal da Ordem desde o ano passado.

No entanto, o pré-candidato nunca citou publicamente a fonte dos recursos.

Pelo contrário, prorrogou o processo de vacinação por cerca de cinco meses – nos anos anteriores o mesmo ocorreu em apenas dez dias – para tentar obter dividendos eleitorais.

Mas como todo sabido um dia é descoberto, chegou o dia de Sá. A exigência de que Sá esteja presente na vacinação causou excessiva demora no envio das vacinas ao interior e, agora, estas vacinas podem acabar estragando.

Com o avanço da imunização contra a Covid, também ganhou ritmo acelerado a vacinação contra a Gripe e o SUS já liberou a imunização para todos os públicos e faixas etárias.

Diante deste novo cenário, a vacinação contra a H1N1 avançou nos municípios do Maranhão, beneficiando todos os públicos e categorias profissionais, inclusive a dos causídicos.

Ofícios obtidos com exclusividade pelo Blog mostram que as subseções de Estreito, Grajaú e Chapadinha, por exemplo, diante do sucesso que foi as campanhas públicas de vacinação contra Gripe, declinaram do recebimento de novas doses por parte da CAAMA.

Por fim, cabem dois questionamentos: o que a CAAMA fará com as outras doses do imunizantes enviadas pelo Conselho Federal?

Qual mote, a partir de agora, o pré-candidato irá se apegar para continuar dando prosseguimento ao seu projeto?

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.