O presidente brasileiro Jair Bolsonaro admitiu ontem, sexta-feira (25), a possibilidade de sair do PSL e ficar sem partido, durante a visita que fez a Pequim (imagem abaixo O Globo). Como é presidente da República, se deixar sua atual legenda não corre o risco de perder o mandato.

“Eu posso ser um presidente sem partido. Tanto faz eu estar com partido ou sem partido”, avisou Bolsonaro, conforme publicado na Folha de São Paulo.

A crise interna exposta no PSL entre os ligados ao presidente da agremiação, deputado federal Luciano Bivar, e aos que seguem Jair Bolsonao, não acaba, com capítulos surgindo a cada momento.

Os bivaristas acham que o presidente da República quer o controle total do PSL, de olho no fundo partidário para fazer prefeitos em 2020. O próprio Bolsonaro deixa claro que quer fazer uma boa parte de prefeitos nas principais capitais do país e estima algo em torno de 40 candidatos, incluindo cidades desenvolvidas do interior brasileiro.

Mas lhe preocupa o fato de não ter o controle do partido e ter nomes barrados nas convenções e recorda que boa parte dos que estão eleitos hoje foi na onda do bolsonarismo.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.