O governador Flávio Dino tem vivido dias de tormentas ao seu projeto de reeleição. Por outro lado, a sua adversária Roseana Sarney foi acometida de preguicite aguda eleitoral. A dupla, que aparece em posição de destaque nas pesquisas, não melhorou em nada na disputa.

A maré da falta de sorte levou Dino ao desgaste com a circular que solicitava fichar adversários políticos para não atrapalhar a eleição. O assunto, embora possa não ter a participação direta do governador, repercute negativamente até hoje.

Antes, porém, veio a carta e o suicídio de um médico alvo de operação da PF e considerado cabeça de uma organização criminosa que desviou R$ 18 milhões da Saúde do Maranhão.

As sucessivas mortes por bandidos na capital desmontaram o discurso de que os índices de violência reduziram na ilha. E, para piorar a situação, o decreto tardio que impede a apreensão de veículos por causa de IPVA atrasado, deixando indignados os que já tiveram seus carros leiloados e os que estão com eles no pátio da Vip leilões.

As forte chuvas estão desmanchando o asfalto de péssima qualidade e o atendimento ineficaz no hospitais a pacientes na capital e interior completam o desgaste.

Roseana, que deveria aproveitar o momento adverso ao governo para marcar sua posição de oposição a Flávio Dino, decidiu descansar. Não recebe mais ninguém e tem deixado dúvidas se vai ou não sair candidata.

Enquanto isso, outros candidatos como Roberto Rocha, Eduardo Braide e Maura Jorge vão avançando. Rocha e Maura na esteira das campanhas de seus presidenciáveis, Geraldo Alckmin e Jair Bolsonaro, e Braide por ter sido aceito por parcela do eleitorado como uma terceira via.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.