O Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) mantém-se calado diante do episódio em que o Ministério Público, através da promotora Lize de Maria Brandão Costa, respondendo pela 6ª Promotoria Justiça Criminal, pediu a quebra do sigilo bancário da desembargadora Nelma Sarney.

Desde que o Blog do Gilberto Léda revelou o caso com exclusividade, já se manifestaram a OAB-MA, em defesa da decisão judicial e a Ampem e a Procuradoria-Geral de Justiça do Maranhão (PGJ-MA) em defesa do trabalho da promotora.

No entanto, o Judiciário – de onde uma desembargadora por pouco não teve seus dados bancários devassados mesmo figurando em um processo – prefere o silêncio.

É, no mínimo, estranho.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.