As irregularidades cometidas no município de Monção têm sido tão estapafúrdias que na última quarta-feira (15) foi realizada uma audiência pública, solicitada pelo vereador Marcos Aurélio (PSD), para discutir sobre a prestação de contas municipais da prefeitura e da Câmara de Vereadores, a transparência das licitações e contratos, folhas de pagamento dos servidores, entre outras pautas relevantes relacionadas ao exercício de 2013.

Na ocasião foram apresentados diversos documentos que comprovam as inúmeras irregularidades que existem na administração do prefeito João de Fátima Pereira, o “Queiroz’ como é conhecido.

Um deles se refere a serviços de reforma e ampliação de escolas na zona rural de Monção. De acordo com um empenho global no valor de R$ 1.498.929,63 (Um milhão, quatrocentos e noventa e oito mil, novecentos e vinte e nove reais e sessenta e três centavos) feito perlo próprio prefeito, os serviços já deveriam estar em andamento.

Veja abaixo cópias do empenho feito para reforma de escolas.

empenho 2

Desde março de 2013 até hoje, nenhum serviço foi executado em nenhuma das unidades escolares referidas no empenho. Ainda assim a prefeitura emitiu nota e pagou à empresa R.L. Maciel -ME, a quantia de R$ 412.000, 00 (quatrocentos e doze mil reais), como primeira medição de serviços executados. Veja:

RL

Vale ressaltar que a empresa citada, localizada em Paço do Lumiar, já foi denunciada anteriormente por irregularidades, já que seu endereço é residencial.

Além dessas denúncias tem-se informações de empresas fantasmas que prestam ‘supostos’ serviços ao Município, a maioria delas registradas em nomes de funcionários. São milhões de reais desviados dos cofres públicos de Monção com o aval do prefeito, que está enrolado até o pescoço.

O Ministério Público Estadual precisa estar atento a essas irregularidades, entre tantas que ainda virão à tona.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.