Locais feitos de taipas servem como salas de aulas na zona rural de CodóLocais feitos de taipas servem como salas de aulas na zona rural de Codó

Na zona rural de Codó, a situação caótica do sistema de ensino oferecido pela prefeitura vem sendo sendo discutida na Câmara de vereadores. As péssimas condições das escolas da zona rural já foram exibidas na semana passada no programa Bom Dia Brasil e no mês de março no Fantástico.

Estas são as dificuldades que centenas de crianças encontram em Codó para terem acesso à EducaçãoEstas são as dificuldades que centenas de crianças encontram em Codó para terem acesso à Educação

Na maioria delas não há energia elétrica, banheiros, merenda escolar e outras itens básicos que possam suprir as necessidades de alunos e professores. As escolas são feitas de taipa, com certeiras quebradas em salas de aulas improvisadas. As crianças e os jovens que precisam estudar sofrem com tanto descaso.

Esse quadro mobilizou o Ministério Público Estadual. Um Termo de Ajustamento de Conduta já foi assinado pelo prefeito de Codó, Zito Rolim (PV) que assumiu o compromisso de resolver os problemas e construir mais 18 escolas. Mas até agora nada.

Em sessão plenária, na última segunda-feira (5), o vereador Rodrigo Figueiredo (PDT) iniciou seu pronunciamento alertando que Codó passa por essas questões graves e destacou também a situação da saúde, outra pasta deficiente.

Segundo denúncias, o Hospital Geral municipal não tem estrutura para atender pacientes, o quadro de profissionais é insuficiente, faltam leitos , materiais hospitalares, entre outros.

Passam dias, meses, ano e nada melhora, muito pelo contrário, só aumentam as reclamações da população. O vereador insistiu nas demandas durante sessão e informou que tem feito cobranças ao Governo para solucionar a problemática envolvendo, tanto saúde e educação, como na segurança pública.

A prefeitura, até então, não tem atendido a nenhuma das reivindicações no sentido de sanar as deficiências da administração, e só quem sai prejudicada é a população codoense.

E para piorar, o Governo Federal pode suspender o repasse de recursos financeiros para o município porque a Secretaria de Educação não prestou contas. Mais 165 municípios do Estado poderão ficar sem o repasse por que estão na mesma situação.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.