Um grupo de deputados, quando foi enterrado o Fundo de Pensão Parlamentar da Assembléia Legislativa do Maranhão, optou pela aposentadoria. Outro grupo aceitou receber tudo o que contribuiu durante anos de mandato, a exemplo do que aconteceu na Câmara Federal. Até aí tudo bem.

Ocorre que os que ficaram com o benefício da aposentadoria (proporcional ao número de mandatos) e estão na ativa, percebem dois contracheques: um como aposentado e outro pelo exercício do cargo. Aí encontra-se a ilegalidade. A coisa vem desde o período em que a AL estava sob o comando do deputado Manoel Ribeiro.  

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.