Ainda repercute a prisão de um falso profissional de enfermagem que exercia ilegalmente a profissão em três hospitais no Maranhão. O falsário foi preso pela Polícia Federal no último fim de semana em São Luís.

Presidente do COREN, José Carlos Júnior em entrevista à TV Difusora

Nós já estamos sabendo, já identificamos o falso profissional da enfermagem, agora será verificado de que forma houve essa falsidade de documentação. Tomaremos todas as medidas através de um processo administrativo para averiguação dos fatos. E isso não ficará impune”, disse José Carlos Júnior, presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (COREN-MA) nesta quinta-feira ao se manifestar sobre o caso. Ele também disse que o Conselho vai solicitar a lista com nomes dos formandos às instituições de ensino.

A prática que está se tornando rotineira em várias unidades de saúde e em diversas cidades maranhenses, põe em risco a saúde de pacientes, afinal enfermeiros, assim como médicos, cuidam de vidas e precisam de qualificação técnica. Prova disso são as inúmeras denúncias e prisões que vem ocorrendo nos últimos meses. E o grande detalhe é que estes falsários ainda conseguem registro e de uma forma inexplicável têm acesso irrestrito a hospitais e clínicas e atendem normalmente como se fossem capacitados para tal.

Após a repercussão da prisão do falso enfermeiro, o COREN-MA destacou que ‘qualquer profissional que exerça uma atividade ilegal precisa ser penalizado, o exercício Ilegal da profissão é crime previsto no artigo 47 da Lei das Contravenções Penais. Art. 47 e que possui um canal exclusivo de denúncias, a OUVIDORIA. ([email protected] nma.gov.br)

Confira abaixo a nota do COREN sobre o caso.

Foto Reprodução

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.