Na última quinta-feira (24), o deputado estadual Wellington do Curso utilizou a tribuna para questionar a atuação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão – SINPROESEMMA, diante da falta de representatividade da entidade para defender os direitos dos professores do estado do Maranhão.

De acordo com o parlamentar, o sindicato que deveria defender os direitos dos professores segue sendo omisso e agora quer aceitar a proposta do governo para receber auxílio-alimentação ao invés de cobrar o reajuste do piso de 33,24%.

Ao se pronunciar, Wellington lamentou que o sindicato que deveria representar os interesses dos professores esteja servindo ao governador e afirmou que cobrará um posicionamento do SINPROESEMMA quanto a luta pelo reajuste do piso e rateio do FUNDEB.

Como se não bastasse a falta de representatividade do SINPROESEMMA ao representar os interesses dos professores, agora, o presidente do sindicato, Raimundo Oliveira, para agradar Flávio Dino dando um golpe nos educadores ao aceitar o pagamento de um auxílio-alimentação de R$ 300 reais ao invés de lutar pelo reajuste de acordo com a Lei Nacional do Piso. O sindicato que deveria representar os professores do Maranhão, está traindo a categoria, pois não ouve os professores e segue omisso diante de uma série de desrespeitos aos direitos garantidos por lei. Ao contrário disso, o SINPROESSEMMA está sendo usado como trampolim político para o seu presidente e está do lado de Flávio Dino e contra os professores, pois o governo do estado não respeita os direitos dos professores. Defender os interesses dos educadores é obrigação do sindicato, pois todo mês eles pagam sua contribuição. Portanto, ao invés de visar campanha eleitoral, o SINPROESEMMA deveria respeitar a categoria que ele representa e cumprir com sua verdadeira finalidade que é representar os professores do Maranhão ao invés de servir aos interesses do governador”, disse Wellington.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.