A parlamentar, que vinha defendendo os filhos da não participação no crime, não respondeu as acusações. O filho, que não foi revelado o nome, informou em depoimento que a mãe e mais três irmãs colocavam remédios nas refeições do pai e que, por isso, ele andava debilitado.

E mais: que o pastor Anderson Carmo recebeu ameaças de morte desde fevereiro e que a deputada federal havia dito que o pai estava com os dias contados. Ele falou de uma proposta que uma das irmãs ofereceu o dinheiro para irmão Lucas matar o pai. E negou que teve participação de motos no episódio do assassinato.

Filho adotivo de pastor e de deputada federal confessa que matou o pai por causa de traição

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.