COLUNA DO BOROGODÓ

O pulo de Cafeteira

Candidato imposto pelo presidente nacional do MDB, deputado federal Ulisses Guimarães, ao então presidente da República, José Sarney, o deputado federal Epitácio Cafeteira era o único nome no Maranhão para disputar contra João Castelo. Sarney teve que engolir, mas seu grupo político fincou o pé.

Liderado pelo governador da época, 1986, Luiz Rocha assimilou toda a insatisfação do grupo com a indicação de Cafeteira. Rocha fazia questão de deixar sempre claro que o nome Cafeteira era difícil de ser tragado. E foi durante uma reunião no Palácio dos Leões, com a presença da bancada federal que o então governador aproveitou a presença do candidato para humilhá-lo.

Na presença do superintendente da Sudene, José Reinaldo Tavares, e de muitos prefeitos, Luiz Rocha lamentou que ali estavam várias lideranças que comeram poeira, surraram pneus de seus carros e gastaram dinheiro do próprio bolso para manter o grupo no poder. “E agora somos obrigados a aceitar forasteiro”.

Cafeteira fingiu que dormia para não escutar o que dizia Rocha. Foi quando o governador, percebendo que “Cafifa” tirava uma “soneca”, aumentou o tom da voz e disse: “e o que é pior, um candidato que dorme para as coisas importantes do Maranhão”. Cafeteira deu um pulo, mas permaneceu no local.

Quebraram os cabarés de luxo

A coisa tá é feia pro lados dos cabarés de luxo da cidade. Até os turistas quando chegam aqui na capital, são assediados desde o desembarque com book de gatinhas de Elbo e Rubi. Até as primas da Zero Hum e Crystal estão passando a integrar o elenco das duas.

Porém, como o negócio começou a ficar rentável, iniciou a disputa. Para distinguir quem é quem, basta ouvir o pedido delas.

As de Elbo são fitness e só na dieta cetogênica. As de Rubi vão logo pedindo filés com fritas e dois litros de coca-cola e cachês adiantados. Vai que o cliente não goste!

Meninas de Elbo querem luxo, bons restaurantes, lojas de grife, mas estavam se acabando na inauguração das Magazine Luíza. E se testarem as jóias, darão 18 km distante da mina. Tudo fake.

Cortaram a boquinha na Raposa

Foi uma maldade o que fizeram com vários amigos. A prefeita Tali, tá?  Foi obrigada a tirar Serviços Prestados de quase 500 pessoas. Só de um ex-cunhado foram uns 30, entre namoradas, ficantes, fofadores, roedores, assessores, e até seguranças. Uns trabalham só aos domingos e de costas.

O presidente da Câmara, Beca Rodrigues, perdeu um balde de nomeações. Só entre ex e atuais, umas dez. Uma carrada de comunas teve que voltar ao bolsa família, sem contar com a queda do cabide indicado pelo companheiro de Tali Tá, sim! O pai da autoridade municipal quase chora quando tiveram que desenterrar seis defuntos que estavam sugando a folha. Lá se sabe que tem que arrumar até as casas das primas.

Pior mesmo foi informar aos formiguinhas dos blogs que não tinham mais como prosseguir. Aí uma saúva ameaçou: “saio, mas derrubo todos os ex da patroa que encheram o capinzal de formigas, a começar por um deputado que tem um feixe  e uma carrada”.

Vice vai ao Rio comprar camisas da Seleção

Para quem não saía do Atacadão Itarec, agora no cargo de vice-prefeito da capital maranhense as compras de roupas só nas lojas da cidade maravilhosa, meu bem! Lentes do Borogodó flagraram Julinho numa casa de material esportivo comprando quase a loja toda com roupas da Seleção Brasileira. Trouxe para a família, amigos, cachorros e papagaios e nem esqueceu as primas. Não demora muito tá na Península. Caladinho, o ex-sindicalista esbanja nas grifes masculinas.

As irmãs do barulho

As gêmeas da alta sociedade da nossa São Luís já passaram dos 70, mas esbanjam beleza de causar inveja. Nunca largaram o jeito louco de brigar…, entre elas, é claro. Discutem em casa, brigam no carro, e cada uma mais cheia de razão que a outra. Agora, não tentem mexer com uma que logo viram duas contra quem as mexeu. A TVN é testemunha.

Com o sinal fraco da produtora, falhas constantes, após muitas reclamações, uma delas foi até a sede da TVN. E colocou o carro atrapalhando a saída e entrada de funcionários. Assim que a outra soube, ai o caldo engrossou. E tome nomes de lá, nomes daqui, e ninguém saía e nem entrava. E a fila de curiosos só aumentando.

Não teve outro jeito. As duas deram uma trégua, mas só depois que foram acompanhadas de técnicos da TVN que rapidinho ajeitaram os defeitos do sinal na casa de uma delas. Lá é assim: mexeu com uma, mexeu com todas as duas. Agora, se não mexer com nenhuma, elas mesmas se encarregam de armar a confusão…, entre elas, é claro.

Sorvete esquenta na Difusora FM

Rapazes e raparigas, o clima esquentou outro dia naquele programa Sorvete (frio e só açúcar) da Difusora FM. Dois dos apresentadores não conseguiram colocar o ponto na vírgula e quase rolam bolachas. O mais novo foi elogiar a decisão do governador em colocar Márcio Jerry e Marcelo Tavares  como coordenadores da sua reeleição, o mais velho reagiu com faca, foice e martelo.

  • Isso é inadmissível, senhores ouvintes! Assim o Jerry vai trabalhar só a campanha dele. Marcelo Tavares tá morto e agora vai ressuscitar – disse o coroa.
  • Nada disso. Eles vão é trabalhar a reeleição do governador e nada vai atrapalhar o projeto da reeleição – afirmou o novinho.
  • Você já coordenou alguma campanha, menino? – perguntou o sessentão.
  • Nunca – respondeu o garoto
  • Pois eu já coordenei várias, inclusive a parte das finanças, eu que entendo de política e faço mil coisas- pulou pra cima o ex-cinquentão.
  • Você entende é de mil nard, ou melhor, mil nada e nadica de nada.

E quando o Sorvete já estava derretendo de tantos xingamentos, o clima esfriou. Logo quando o novinho iria citar as campanhas de Pinto do Itamaraty, que nunca mais levantou, de Castelo que gorou, e a de Edinho Lobão que pouco navegou. Todas elas coordenadas pelo coroa, menos as finanças, é claro.

Cafeteira meteu a mão no bolso errado

O fato aconteceu em 1990, quando a turma de Sarney mandou espiar as andanças de “Cafifa” pelo interior para prejudicar a candidatura dele ao Senado Federal. Epitácio Cafeteira havia se desincompatibilizado do cargo de governador e estava iniciando a campanha pro Senado.

Desde que iniciou na vida pública, ele gostava de andar de jaqueta ou blazer carregando entre os bolsos valores diferenciados para entregar aos eleitores, de acordo com a cara de cada um.

Em São Mateus, antes de subir ao palanque, Cafeteira andou entre a multidão e foi metendo as mãos nos bolsos. 5 cruzeiros ali, 10 cruzeiros acolá, quando surgiu uma senhora pedindo dinheiro para comprar arroz. Deu um branco em “Cafifa” e ele esqueceu  como havia distribuído as cédulas no blazer. Meteu a mão no bolso direito e puxou uma nota e a idosa foi logo avançando e quando abriu a mão para agradecer, era uma de 50 cruzeiros. Cafeteira ainda tentou trocar, mas era tarde.

O Brasil que nós vascaínos queremos sempre a cada jogo; confira no vídeo:  

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.