A Prefeitura de São Luís e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) assinaram, nesta quinta-feira (9), o termo de cessão de casarão no Centro Histórico para a implantação do Centro de Interpretação do Centro Histórico de São Luís, Patrimônio Mundial. Esta é mais uma iniciativa da gestão do prefeito Eduardo Braide para promover a preservação do patrimônio cultural, incentivar o turismo e fortalecer a economia criativa na região.

Foto Divulgação

A ação também integra as comemorações dos 409 anos de fundação da capital maranhense. A assinatura ocorreu no Auditório Reis Perdigão, na sede do Executivo municipal.

A gente sabe a importância que a economia criativa tem hoje para o desenvolvimento das cidades, então é fundamental que uma cidade como São Luís possa sair na frente com um projeto inovador como este que vai nos permitir conhecer a riqueza da nossa história e da nossa cultura de uma forma diferente e inteligente. O centro que será implantado neste casarão onde morou Graça Aranha e que agora o Sebrae nos cede servirá para mostrar ao mundo porque nossa cidade foi considerada Patrimônio Cultural Mundial. Este é mais um presente para São Luís pelos seus 409 anos”, destacou o prefeito Eduardo Braide, reiterando o compromisso de sua gestão com a preservação do patrimônio histórico da capital.

O presidente do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae-MA, Raimundo Coelho, afirmou que esta é mais uma parceria que vai garantir o desenvolvimento de São Luís. “O Sebrae e a Prefeitura de São Luís têm uma longa parceria em prol da cidade. Entendemos que esta iniciativa é fundamental para o desenvolvimento do Centro Histórico, por isso, assim que recebemos a proposta de cessão fomos unânimes na sua aprovação”, disse.

Após a assinatura do termo, o prefeito Eduardo Braide; o presidente do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae-MA, Raimundo Coelho; o superintendente do Sebrae-MA, Albertino Leal; o superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Maurício Itapary; a presidente da Fundação Municipal do Patrimônio Histórico (Fumph), Kátia Bogéa; o secretário Municipal de Turismo, Saulo Santos; além de outros membros da equipe de governo da gestão Eduardo Braide e do Sebrae/MA visitaram o casarão onde funcionará o centro.

A iniciativa conta, ainda, com a cooperação da Organização Brasileira das Cidades Patrimônio Mundial (OCBPM), da Organização das Nações Unidas para a Ciência, Educação e Cultura (Unesco) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e com a parceria do Sebrae para atender a demanda da população local e dos visitantes por um equipamento de valorização do nosso Patrimônio Cultural. A Prefeitura de São Luís coordenará a implantação do Centro de Interpretação do Centro Histórico de São Luís Patrimônio Mundial.

A Unesco está recomendando aos sítios que são patrimônio mundial que tenham seu centro de interpretação. Esta é uma linguagem nova, que surgiu primeiro na Europa, sendo Portugal o país mais avançado neste tema. No Brasil, houve um acordo entre o BNDES, que vai financiar a contratação dos projetos, e a Organização Brasileira das Cidades Patrimônio Mundial, que vai executar a contratação dos projetos em parceria com os municípios, com a chancela da Unesco. São Luís é filiada a organização e fará o termo de referência para a contratação do projeto, que é uma grande parceria entre a Prefeitura, por meio da Fumph e da Secretaria Municipal de Turismo, e o Sebrae”, explicou a presidente da Fumph, Kátia Bogéa.

Foto Divulgação

O superintendente do Iphan no Maranhão, Maurício Itapary, afirmou que São Luís é uma das primeiras cidades brasileiras a implantar um centro de interpretação.

O centro de interpretação que será implantado em São Luís será um dos primeiros do Brasil. Em Portugal, eles já são um caso de sucesso, por isso, estamos tomando o modelo deles como exemplo, para que a cidade de São Luís, sua população e turistas possam conhecer mais e melhor sua história e cultura. No Brasil, além de São Luís, apenas Salvador (BA) já está avançando na implantação do seu centro de interpretação”, disse.

Centro de Interpretação do Centro Histórico de São Luís

O Centro de Interpretação do Centro Histórico de São Luís funcionará como um cartão de visitas da cidade com indicativos de outros pontos turísticos existentes, seja um espaço para eventos, inclusive, divulgando o calendário cultural da cidade, além de ter uma loja para a venda de produtos inspirados em elementos culturais locais.

Para que os visitantes possam vivenciar a história de São Luís e compreender o seu valor universal excepcional que lhe garantiu o título de Patrimônio Cultural Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em 1997, serão usados tótens, projeções, impressões de mapas e documentos em painéis, jogos interativos, exposições interativas e a apresentação de linhas do tempo de forma lúdica.

Imagens de documentos, ilustrações, mapas e textos explicativos, iluminação cênica dos ambientes expositivos, maquetes para a exemplificação de tipologias construtivas, entre outros elementos, vão garantir experiência sensorial completa através dos cinco sentidos.

O centro será ainda um espaço para o desenvolvimento de produtos com design inspirado na cultura local como artigos de papelaria, joalheria, itens de decoração, utensílios domésticos, perfumaria, alimentos (biscoitos, bombons etc.), brinquedos, publicações variadas com temas relacionados a manifestações culturais, culinária, arquitetura, entre outros, produção de embalagens, etiquetas e logomarcas.

O diretor Superintendente do Sebrae-MA, Albertino Leal, integrou a comitiva que fez visita técnica em um dos centros de interpretação existentes em Portugal.

“Os centros de interpretação são um novo modelo de apresentação das cidades históricas. Este é um modelo de sucesso que Portugal já utiliza e aqui no Brasil conta com o apoio do Governo Federal. A Prefeitura de São Luís está abraçando esse projeto, que será um dos primeiros do Brasil. Além de todos os benefícios para a preservação do patrimônio, o centro impactará de forma muito positiva na cadeia turística, fortalecendo a economia criativa e as micro e pequenas empresas que atuam no setor”, comentou.

Casarão Nº 241

O casarão de nº 241, localizado na Avenida Dom Pedro II, pertencente ao Sebrae, foi o endereço do escritor Graça Aranha de 1870 a 1884. O intelectual ludovicense foi escritor, diplomata e um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras (ABL). Seu romance Canaã abriu o período Pré-Modernista da literatura brasileira, compreendido entre 1902 e 1922. Ele também foi um dos organizadores da Semana de Arte Moderna, realizada em 1922.

O imóvel histórico, que tem três pavimentos (térreo, segundo piso e mirante), passará por obras e será totalmente adaptado para as novas funções. O Centro de Interpretação do Centro Histórico de São Luís será um espaço de acolhimento e recepção de turistas, onde será possível vivenciar a memória da cidade por meio de informações diversas sobre o sítio histórico e seus valores preservados através de uma experiência sensorial.

O espaço trará ainda informativos sobre a oferta cultural e natural da cidade e será ainda um local de comercialização de produtos e serviços turísticos associados aos atrativos patrimoniais existentes. A estrutura do centro contará com auditório, salas de exposição, mirante e bistrô.

Patrimônio Cultural Mundial

Fundada em 8 de setembro de 1612 pelos franceses, São Luís completou 409 anos na quarta-feira. A capital do Maranhão abriga o maior conjunto de arquitetura tradicional de origem portuguesa das Américas, implantado sobre um tecido urbano reticulado de inspiração espanhola, o que a distingue das demais cidades brasileiras colonizadas por Portugal no século XVII. Avarandados com fechamento em madeira, sistema construtivo em cruz de Santo André e fachadas inteiramente revestidas por azulejos são peculiaridades de São Luís.

Essa peculiaridade rendeu a São Luís o seu reconhecimento como Patrimônio Cultural do Maranhão, com o tombamento estadual em 1986; o tombamento como Patrimônio Cultural Brasileiro, em 1974, pelo Iphan; e o título de Patrimônio Cultural Mundial, conferido pela Unesco em 1997.

Todo este reconhecimento eleva São Luís para um seleto grupo de cidades no mundo e impulsiona a cultura e a economia local, ao mesmo tempo em que exige que a cidade esteja preparada para ser conhecida por pessoas de todas as nações.

Também participaram da solenidade, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), Edílson Baldez; o presidente da Associação Comercial do Maranhão (ACM), Cristiano Barroso; e os secretários municipais de Governo, Enéas Fernandes; Turismo, Saulo Santos; de Cultura, Marco Duailibe; de Articulação e Desenvolvimento Metropolitano, André Campos; e o presidente da Agência Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social, Felipe Mussalém.

A chefe do Departamento de Desenvolvimento Urbano, Patrimônio e Turismo do BNDES, Luciane Gorgulho; o presidente da Organização Brasileira das Cidades Patrimônio Mundial (OCBPM), Mário Ribas; e a Diretora e Representante da Unesco no Brasil, Marlova Noleto, também fizeram parte do evento por meio de vídeos enviados.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.