Durante fiscalização realizada na tarde desta quarta-feira (20), o deputado estadual Yglésio Moyses (PROS), enquanto membro da Comissão da Saúde da Assembleia Legislativa, realizou uma fiscalização no Centro de Imunização de São Luís, no Multicenter Sebrae, verificar os trâmites dos trabalhos e encontrou irregularidades.

Por meio de seu perfil no Twitter, o parlamentar denunciou que profissionais de saúde que não atuaram na linha de frente contra a covid-19 estavam sendo vacinados, utilizando declarações emitidas por órgãos de saúde, os quais não foram especificados por ele.

“Apesar dos esforços da Prefeitura de São Luís, por meio da SEMUS, em realizar um bom trabalho, lamentavelmente, tem muito hospital ou instituição de saúde, dando declaração para profissionais que não fazem parte da área de covid-19 para serem vacinados”, denunciou o deputado.

Yglésio explicou que esta etapa da vacinação é apenas para os profissionais da saúde que atuam na linha de frente da covid-19. “O Plano Municipal de Vacinação prevê que as primeiras doses devem ser para os profissionais de saúde que atuam na linha de frente da pandemia, conforme as diretrizes do Ministério da Saúde em seu Plano Nacional de Imunização”, disse o deputado.

A denúncia do deputado reflete falhas cometidas pelas autoridades municipais na filtragem dos profissionais de saúde que, de fato, precisam da vacina para continuar prestando atendimento aos pacientes da covid-19. Com isso, muitos deles poderão ficar sem o imunizante, continuando vulneráveis à doença.

Ainda em sua publicação, o parlamentar expressou sua indignação em relação aos profissionais de saúde que cometeram as irregularidades denunciadas por ele. “Sinto vergonha em ver médicos que só atendem em consultório, ex-dono de hospital, ginecologista de consultório e aposentados de hospital dando aquele velho “jeitinho brasileiro”. Uma verdadeira falta de respeito. Atenção, Ministério Público!”, concluiu.

O parlamentar não deixou claro se levaria o caso à justiça para que seja realizada qualquer investigação.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.