Jornalista Sérgio Cabral morre no Rio

Informação foi confirmada pelo ex-governador Sérgio Cabral Filho nas redes sociais. Ele tinha 87 anos e também era escritor, compositor e pesquisador da música brasileira.

Jornalista Sérgio Cabral foi um dos maiores pesquisadores da música brasileira — Foto: Reprodução/ TV Globo

O jornalista Sérgio Cabral morreu na manhã deste domingo (14), no Rio de Janeiro, aos 87 anos. Ele era pai do ex-governador Sérgio Cabral Filho, que confirmou a morte nas redes sociais.

Cabral tinha Alzheimer e estava internado em um hospital da capital. A causa da morte não foi informada.

“Ele resistiu por três meses. Peço que orem por ele, pela alma dele. Por tudo o que ele fez no Rio de Janeiro e no Brasil. Pela música e pelo futebol, pela família linda que ele construiu”, disse o ex-governador em uma rede social.

Sérgio Cabral era escritor, compositor e pesquisador da música brasileira. Carioca de Cascadura, vascaíno e grande entusiasta do samba, criou, entre outras obras, o musical “Sassaricando – E o Rio inventou a marchinha”, junto com a historiadora Rosa Maria Araújo.

“Trabalho com o samba. Trabalho e gosto. Com o samba, com a música popular, com o futebol. Com as coisas bem cariocas”, disse Sérgio Cabral em uma entrevista na década de 1980.

EM CIMA DA HORA – Pai do governador do Rio Sérgio Cabral, o também Sérgio Cabral, veio no último carro da escola — Foto: Alexandre Durão/G1

Sérgio Cabral começou a carreira aos 20 anos no jornal Diário da Noite, como estagiário. O jornalista começou a escrever sobre música no Jornal do Brasil.

Ele se definia como um torcedor da Portela, mas que amava a Mangueira, o Salgueiro e o Império Serrano. Na década de 1980, ele foi comentarista da transmissão dos desfiles de carnaval.

Como jornalista, foi um dos fundadores de “O Pasquim” e chegou a ser preso na ditadura devido à sua atuação no jornal. Ele foi convidado pelo jornalista Tarso de Castro e pelo cartunista Jaguar a integrar a equipe em 1969, durante o momento mais duro da ditadura militar.

Cabral escreveu quase 20 livros. Como autor, publicou as biografias de Tom Jobim, Pixinguinha, Nara Leão, Grande Otelo, Ataulfo Alves e Eliseth Cardoso.

Também já teve atuação política na capital fluminense. Por três vezes, foi vereador do Rio – de 1983 a 1993. Foi ainda conselheiro do Tribunal de Contas do Município, até 2007, quando se aposentou.

Sérgio deixou um acervo de mais de 60 mil itens, como partituras e documentos, que ajudam a contar a história da música popular. O material foi doado para o Museu da Imagem do Som, no Rio.

Até a última atualização desta reportagem, não havia informações sobre velório e enterro. Sérgio Cabral deixa mulher e três filhos.

Fotos: Confira momentos da carreia de Sérgio Cabral

Sérgio Cabral era torcedor do Vasco da Gama — Foto: Reprodução/ TV Globo
Sérgio Cabral na década de 1980 — Foto: Reprodução/ TV Globo
Sérgio Cabral doou acervo de 60 mil itens da música brasileira para Museu da Imagem e do Som, no Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Por G1

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Nota de Pesar – Jornalista Adenis Matias

Ela, que faleceu nesta segunda-feira (8), deixa um legado de retidão e paixão pela profissão

A Diretoria de Comunicação da Assembleia Legislativa lamenta profundamente a morte da jornalista Adenis Matias, que prestou serviços na Casa e deixa um legado de retidão e paixão pela profissão.

Adenis Matias faleceu nesta segunda-feira (8), em São Luís. Formada pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), trabalhou em diversos veículos, como Jornal de Hoje, e também prestou serviço em assessorias de órgãos, a exemplo da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), Câmara Municipal de São Luís e Assembleia Legislativa do Maranhão, onde presidiu o Comitê de Imprensa em meados da década de 1980.

O velório está sendo realizado na Central de Velórios Pax União (Canto da Fabril), de onde seguirá para o Memorial e Crematório Pax União (Paço do Lumiar), nesta terça-feira (9), às 9h.

Nesse momento de tristeza, a Diretoria de Comunicação da Assembleia se une a familiares e amigos rogando que Adenis Matias descanse na luz eterna do Criador.

JACQUELINE HELUY

Diretora de Comunicação da Assembleia Legislativa do Maranhão

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Falece o jornalista Djalma Rodrigues depois de lutar contra o câncer

Jornalista muito querido, com passagem por diversos jornais e rádios, além de outro veículos, faleceu hoje Djalma Rodrigues depois de lutar contra um câncer.

Djalma iniciou no jornalismo tem mais de 35 anos e já havia sido diretor de comunicação da Câmara Municipal de São Luís e comandou assessorias de imprensa de vários órgão e com passagem em quase todos os veículos de imprensa do Maranhão.

Ela era irmão do jornalista Udes Cruz, também falecido- O blog se associa com os familiares e amigos neste momento de dor.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Morre Ziraldo, aos 91 anos

Correio Braziliense

Ziraldo ficou famoso por criar a história do personagem Menino Maluquinho, ainda na década de 1980. Entre outras obras, o escritor se tornou um dos mais aclamados escritores infantis do Brasil

O trabalho de Ziraldo marcou a história do Brasil – (crédito: MARCELO CORREA/ DIVULGAÇÃO)

Morreu neste sábado (6/4), o jornalista, cartunista, chargista, pintor e escritor Ziraldo Alves Pinto. Ele tinha 91 anos. Ziraldo ficou famoso por criar a história do personagem Menino Maluquinhoainda na década de 1980. Entre outras obras, o escritor se tornou um dos mais aclamados escritores infantis do Brasil. Ziraldo deixa três filhos — Daniela Thomas, Fabrízia Alves Pinto e Antonio Pinto.

Segundo informações da assessoria de imprensa da família do cartunista, Ziraldo morreu por volta das 15h deste sábado. Ele estava em casa e dormia. A informação da morte foi primeiro dada pela emissora Globonews.

Mineiro de Caratinga, Ziraldo nasceu em outubro de 1932, o mais velho de sete irmãos.

Carreira ilustre da arte brasileira

Além do popular O menino maluquinho, as obras de Ziraldo permeiam a arte infantil brasileira. O primeiro trabalho de Ziraldo data de 1939 (com apenas 6 anos de idade). Trata-se de um ilustração publicada no jornal A Folha de Minas — onde anos depois, em 1954, passou a comandar uma página de humor.

Formou-se em direito em 1957, na Faculdade de Direito de Minas Gerais. Antes dos sucessos com trabalhos infantis, Ziraldo trabalhou no Jornal do Brasil e O Cruzeiro, com charges políticas.

A Turma do Pererê foi o primeiro trabalho nacional em quadrinhos e mergulhou no folclore brasileiro. O material parou de circular com o advento da ditadura militar em 1964. Cinco anos depois, Ziraldo fundou o periódico O Pasquim — com importante posicionamento político.

Logo após o Ato Institucional Número Cinco (AI-5) da ditadura, em 1968, Ziraldo foi preso.

Foi só em 1979 que Ziraldo passou a se dedicar a literatura infantil. O maior sucesso, O menino maluquinho, foi publicado em 1980.

Histórico de saúde

Em 2018, Ziraldo sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico, e precisou de uma internação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ainda em 2013, o cartunista sofreu um infarto durante uma viajem para a Alemanha.

Visita ao Correio Braziliense

A sexta-feira 21 de outubro de 2016 ficou para sempre na memória de todos os profissionais que estavam na redação do Correio Braziliense. O ilustre cartunista fez uma visita a redação do Correio durante passagem por Brasília para participar da Bienal Brasil do Livro e da Leitura. Ziraldo Alves Pinto morreu neste sábado (6/4).

Na manhã de 22 de outubro de 2016, o jornalista Severino Francisco escreveu sobre a visita de Ziraldo à redação do Correio. “A redação do Correio esteve agitada. Não era nenhum ator da Rede Globo; era o escritor, chargista e quadrinista Ziraldo, o autor de Flicts, Menino Maluquinho, Turma do Pererê, entre outros personagens célebres. O que se reverenciava era o talento, o humor e a inteligência. Ziraldo deu autógrafos, desenhou o Menino Maluquinho, tirou fotos e conversou com a turma da arte do Correio. Ele está de passagem em Brasília para participar da Bienal Brasil do Livro e da Leitura e falará sobre o tema Como ler para crianças“.

Em outro trecho do texto, Severino Francisco escreve: “Sabe por que o Brasil sempre está péssimo nos rankings de ensino?, indaga Ziraldo. E responde: Porque os gênios da matemática têm dificuldade de ler e entender os enunciados. ‘Noventa e cinco por cento dos brasileiros são analfabetos funcionais. Contaram-me que, no último Enem, entre milhões de textos, só havia cerca de 250 corretos. O governo tem de parar de se preocupar com o ensino médio. Não há como, se não para de mandar milhões de crianças analfabetas para o ensino médio'”.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Morre a fundadora do Magazine Luiza aos 97 anos

Agência Brasil

A fundadora do Magazine Luiza, Luiza Trajano Donato, morreu na madrugada desta segunda-feira (12), em Franca, no interior paulista, aos 97 anos. Ela era tia da empresária Luiza Helena Trajano, atual presidente do Conselho de Administração da empresa.

Aos 31 anos, investiu as economias dos anos de trabalho no varejo para comprar seu próprio negócio, a loja de presentes Cristaleira, localizada no centro de Franca, que depois foi rebatizada de Magazine Luiza.

No início da década de 90, ela escolheu a sobrinha Luiza Helena Trajano como sucessora à frente dos negócios. Na época, a empresa era uma rede de varejo de eletroeletrônicos e móveis familiar, com lojas localizadas, principalmente, em cidades de São Paulo e Minas Gerais. Sob o comando de Luiza Helena, o Magazine Luiza tornou-se uma varejista nacional e de capital aberto.

“Muitos dos valores que hoje regem os mais de 30 mil colaboradores do Magalu são reflexo do jeito de pensar e de agir de sua fundadora. Tia Luiza tinha uma energia quase inesgotável para o trabalho. Não importava se a tarefa a ser feita era empacotar um produto ou descarregar um caminhão de mercadorias. Era uma vendedora apaixonada, que conhecia as necessidades, os gostos e as possibilidades de seus clientes. Cada um deles era e deveria ser tratado como alguém especial, como a razão de ser do negócio”, diz nota da Magazine Luiza.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Morre o ex-vereador de São Luís Pádua Nazareno

O ex-vereador de São Luís e engenheiro Pádua Nazareno morreu neste domingo (11), após anos lutando contra um câncer. Atualmente, era secretário municipal licenciado de Mobilidade Urbana de Paço do Lumiar.

Pádua Nazareno também foi vereador de São Luís, obtendo a maior votação da história política da capital maranhense. Ele também foi secretário de Trânsito e Transporte na gestão do então prefeito Jackson Lago.

O corpo de Pádua Nazareno será velado a partir das 18h deste domingo na Pax União do centro. Ainda não há informações sobre o local do sepultamento.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Morre em Teresina a ex-prefeita de Caxias Márcia Marinho

O Informante 

Faleceu neste sábado, em Teresina (PI), onde estava hospitalizada, a ex-prefeita de Caxias (MA) Márcia Marinho, 65 anos.

Esposa do ex-deputado Paulo Marinho e mãe do deputado federal suplente, Paulo Marinho Júnior, Márcia Marinho enfrentava um câncer há vários anos. Há seis anos havia feito um transplante de medula em São Paulo. O estado de saúde da ex-prefeita se agravou recentemente e ela foi levada hospitalizada em Teresina, onde faleceu hoje.

Além de prefeita de Caxias, Márcia Marinho, que era filha da desembargadora já falecida Madalena Serejo, foi deputada estadual, deputada federal, ex-secretária da Mulher no primeiro mandato do prefeito caxiense Fábio Gentil e também gerente regional de Pedreiras, no governo de Roseana Sarney, que tinha em sua cota de melhores amigas.

Márcia era mãe também de João Vitor e da médica  Larissa.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Morre Valdecy Claudino, irmão de João Claudino, um dos fundadores do Armazém Paraíba

Faleceu neste domingo (28), aos 94 anos, em São Paulo, por causas ainda não divulgadas, o empresário Valdecy Claudino, um dos fundadores do Armazém Paraíba, uma das maiores redes de varejo do Brasil.  Nesta segunda todas as lojas do grupo estarão fechadas.

João e Valdecy Claudino

Valdecy e o irmão, João Claudino Fernandes, que faleceu em abril de 2020, fundaram há 65 anos um dos maiores grupos do Norte e Nordeste do país, o Armazém Paraíba, com lojas em vários estados, incluindo o Maranhão.

O Armazém Paraíba foi fundado em julho de 1958, em Bacabal, pelos irmãos João Fernandes e Valdecy Claudino e se tornou uma das maiores redes de lojas de departamentos no Brasil. Hoje, 65 anos depois, a marca que começou com apenas um ponto de venda, tem mais de 500 unidades em cerca de 350 cidades e conta com mais de 25 mil colaboradores.

O corpo do empresário Valdecy está sendo velado hoje e será sepultado às 15h30 no Cemitério Morumby, em São Paulo.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Morte de jovem médico, encontrado sem vida em pousada, gera comoção

Ithallo Ricardo Fortaleza de Paula , de 34 anos, foi encontrado sem vida em um quarto de uma pousada em que costuma hospedar-se na cidade de Primeira Cruz, no Maranhão.

Foto Reprodução

Vítima de infarto nesta quarta-feira (24), o Clínico Geral atuava em Santo Amaro, além de Primeira Cruz, e era muito reconhecido na região.

A morte precoce causou grande comoção nas redes sociais.

O velório de Ithallo está sendo realizado nesta quinta-feira (25) no Salvatore Funeral Home no Calhau, em São Luís. O sepultamento será no Cemitério Jardim da Paz, na Estrada de Ribamar, na tarde de hoje.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Morre ‘Zé Branco’, voz do ‘Quem manda é você’ e ícone do rádio no MA

Natural de Caxias, um dos ícones do radialismo maranhense, José Branco, morreu na manhã de hoje, 9 de Janeiro, na Unidade Mista do Bequimão, em São Luís. Ele sofria de Alzheimer e de broncopneumonia.

Zé Branco

Zé Branco, como era conhecido, foi a voz do programa radiofônico muito famoso na década de 80 ‘Quem manda é você’. O comunicador teve passagens pelas rádios Gurupi e Difusora.

O velório será realizado hoje a partir das 15h, na Pax União na Rua Grande, Centro de São Luís e o sepultamento no cemitério do Gavião.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.