IFMG repudia atitude de seu funcionário que discriminou em vídeo os nordestinos

O funcionário do Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG), Vinícius Silveira Raposo (segundo da foto à direita) foi repudiado hoje publicamente pela direção do instituto por comportamento xenófobo em vídeo contra os nordestinos.

O primeiro a falar no vídeo é o empresário Lucas Paolinelli Campos, sócio da mineira Primus Gemstones, empresa de importação e exportação.

Ele diz que  “agora que o Bolsonaro ganhou, graças a Deus, ele vai excluir os nordestinos do grupo. Ele falou que agora é faca na caveira. A gente não vai mais suportar esse pessoal do Acre, de Roraima, esse pessoal do Norte”.

O doutorando do IFMG, o segundo a falar, dizendo que “a galera do Nordeste tem que parar de gastar o dinheiro que o Sudeste produz”. Por causa das declarações preconceituosas, o advogado maranhense Alex Ferreira ingressou hoje com uma ação junto a Polícia Federal para que seja aberto um inquérito contra o comportamento dos mineiros.

Políticos, artistas e intelectuais começaram a se manifestar sobre o caso em todo o Brasil. Abaixo a moção de de repúdio ao funcionário do IFMG:

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG)- Campus Bambuí, dentro da sua história de 50 anos, vem a público reforçar o seu compromisso e respeito com a pluralidade do meio acadêmico. Ambiente este que visa a busca pelo conhecimento, nas diferentes formas de aprender e entender o mundo que nos interpõe. Fato primordial para a valorização de um espaço de transformação, que deve ser permeado pelo respeito e pela democracia.

Diante desse contexto, o IFMG não compactua com nenhuma forma de discriminação, e tem trabalhado incansavelmente na promoção do respeito a diversidade, a discussão das diferenças e na eliminação das diferentes formas de preconceito existentes. Estando comprometido com a formação de indivíduos pautados no respeito.

O IFMG esclarece que está tomando as providências legais cabíveis em relação ao fato ocorrido envolvendo servidores de nossa instituição, e reafirma que essa postura não condiz com os preceitos de nossa instituição. Continuaremos lutando por uma educação inclusiva, livre de “amarras” e pautada na ética, moral e civilidade.

Direção Geral do IFMG – Campus Bambuí

Confira aqui o vídeo com declarações discriminatórias contra os nordestinos:

Em grupo, imbecis reúnem para discriminar os nordestinos

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Edivaldo diz que é inadmissível ataques preconceituosos contra nordestinos e nortistas

Após vídeo em que homens aparecem fazendo declarações contra nordestinos e nortistas viralizar na internet, o prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) se manifestou nas redes sociais sobre o caso.  Em publicação, o pedetista pediu pelo fim da intolerância e disse ter orgulho de ser nordestino, maranhense e ludovicense.

“Inadmissível que o povo do Nordeste e do Norte continue sofrendo ataques preconceituosos. É preciso dar um basta nesta intolerância. Eu tenho orgulho de ser nordestino, maranhense e ludovicense! #MenosIntolerânciaMaisRespeito”, publicou o prefeito em suas redes sociais.

Edivaldo ganhou o apoio dos internautas, que também rechaçaram os ataques. “Orgulho de ser maranhense, ludovicense. Orgulho da minha cidade, São Luís do Maranhão. Também orgulho do seu posicionamento, prefeito Edivaldo Holanda! Avante!”, publicou uma internauta. “Concordo plenamente. Somos seres humanos que trabalham duro pra ter uma vida digna. Devemos ser respeitados por todos! Tenho orgulho de ser nordestina, maranhense e ludovicense”, comentou outro seguidor.

Sobre o caso

No vídeo que viralizou nas redes sociais, um grupo de homens aparece atacando os moradores do Nordeste e do Norte. “Agora é faca na caveira. A gente não vai mais suportar esse pessoal do Acre, esse pessoal de Roraima, esse pessoal do Norte”, disse um deles. “Essa galera do Nordeste tem que parar de gastar o dinheiro que o Sudeste produz!”, fala outro, aos risos. “Exatamente! A gente está cansado de produzir e essa mula, não sei o quê, não tem água”, complementa.

Os comentários preconceituosos causaram revolta nas redes sociais. Em cerca de 24 horas, o vídeo já contabilizava 500 mil visualizações e mais de 20 mil compartilhamentos.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.