FERNANDA STUMPF

O namorado da garota afirmou que, ao presenciar o estupro, acreditou que a moça o estava traindo 

REPRODUÇÃO/TV RECORD

O corpo da estudante Isabela Miranda de Oliveira, de 19 anos, que foi estuprada pelo cunhado e queimada viva pelo namorado, será sepultado nesta sexta-feira (8/3) no Cemitério Orlando Mollo, na cidade de Caieiras, município de São Paulo. O crime aconteceu no domingo de carnaval (3/3), durante um churrasco em Franco da Rocha, na grande São Paulo.

Ela e o cunhado chegaram a ser socorridos e foram levados ao Hospital Estadual Francisco Morato mas, após alguns dias de internação, Isabela não resistiu aos ferimentos e morreu por falência múltipla dos órgãos na quarta-feira (6/3).

Os crimes
Segundo testemunhas, Isabela passou mal após participar de um jogo com amigos onde os perdedores viravam doses de bebida. Como não tinha o habito de ingerir bebidas alcoólicas, Isabela passou mal e foi socorrida por amigas. Elas deram um banho na jovem e a colocaram para dormir em uma cama em um dos cômodos na parte superior da casa. Isabela estava usando apenas um biquíni e coberta por um lençol.

Enquanto a festa continuava, Leonardo, que é casado com a irmã de Isabela, foi até o quarto abusar da jovem.

O namorado da estudante foi até o local e, quando entrou no cômodo, viu Leonardo nu abusando da jovem. Nervoso com o que acreditou ser uma traição, Willian espancou Isabela e Leonardo, sendo inclusive auxiliado pela irmã de Isabela, esposa de Leonardo. Testemunhas dizem que a vítima permanecia inconsciente durante o abuso e o espancamento.

Um dos participantes do churrasco conseguiu resgatar Isabela das mãos de seu namorado e irmã e se trancou junto com a moça em um banheiro. Mas Willian começou a colocar fogo em pedaços de plástico e colocar por debaixo da porta. Para não morrer sufocada a moça tentou sair correndo do cômodo, mas o namorado jogou sobre ela um colchão em chamas.

Willian foi preso em flagrante e em testemunho à polícia declarou que espancou a namorada por acreditar que ela o estava traindo. Depoimentos de testemunhas que estavam no churrasco confrontam a versão de Willian, dizendo que Isabela não conseguia sequer se manter de pé. O assassino teve a prisão temporária convertida em preventiva nessa quinta-feira (7/3).

Já Leonardo, o cunhado da jovem, declarou que não se lembra de nada. Em depoimento à polícia, Leonardo declarou que foi até o quarto pegar uma blusa e que não se recorda de nada e não sabe explicar porque foi encontrado nu deitado sobre Isabela. Ele permanece em liberdade. (Com informações da Agência Brasil).

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.