A cúpula da Polícia Militar do Maranhão começou a se preocupar com a nova medida determinada pelo governador Flávio Dino (PCdoB) que diminuiu o tempo de formação de soldados de um ano para, inicialmente oito meses, e agora para apenas 90 dias. “É um tempo insuficiente para colocar nas ruas um soldado em formação e temo que isto resulte em prejuízo para o nome da instituição”, disse ao blog um oficial apreensivo.

Ocorre que o governador  quer mostrar os últimos aprovados já nas ruas, praças e avenidas, no combate ao crime e dando segurança para a população, embora sem tempo de preparação. A intenção é colocar na propaganda eleitoral que temos o maior contingente policial do Nordeste, adquirido em concurso realizado no governo comunista.

Então, não há da parte do governador a menor preocupação com o que possa ocorrer com as ações tomadas por um soldado que vai ficar recebendo treinamento de apenas 3 meses.

“É perigoso demais, pois esses novos militares não estarão com capacidade física e nem psicológica preparados para enfrentar a bandidagem e nem para o trato com a coletividade. A única coisa que saberão fazer é puxar uma arma”, diz o oficial, preocupando com as atitudes a serem tomadas pelos novatos.

É torcer para que nada de ruim possa acontecer que venha deixar a população sem confiança nos policiais.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.