Prefeitura de São Luís inicia nesta segunda-feira (6) novo cronograma de vacinação contra Influenza/H1N1

Desta vez, serão contemplados público-alvo cujo nome comece pelas letras de E a J; drive thur e vacinação nas escolas em horários diferenciados permanece; uma das novidades é a vacinação voltada para caminhoneiros nos dias 7 e 8

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde,  inicia uma nova fase da campanha de vacinação contra a Influenza/H1N1 nesta segunda-feira (6), obedecendo à estratégia de imunização por ordem alfabética, no intuito de evitar aglomeração de pessoas e o risco de contaminação pelo novo coronavírus (Covid-19). Nesta semana, além do público-alvo – crianças de 6 meses a menores de 6 anos; idosos e profissionais de saúde cujos nomes comecem pelas letras E a J – também serão vacinados caminhoneiros. Desde o início da campanha, que tem a parceria do Governo do Estado, conforme dados da Coordenação de Imunização da Semus,  já foram vacinadas mais de 136 mil pessoas.

Por conta do feriado de Sexta-feira Santa – 10 de abril – neste dia, os pontos de vacinação estarão fechados. A vacina para caminhoneiros acontecerá na terça-feira (7) e quarta-feira (8), das 9h às 12h, em dois postos de combustíveis – Posto Jumbo, dia 07,e Magnólia 2000,  dia 08, ambos na BR- 135.  O Posto Jumbo fica no KM- 05 e o Magnólia, no KM-08.

O drive thru, para vacinação exclusiva de idosos, continuará ocorrendo na Avenida do Contorno, no Complexo Castelinho, na área de provas do Detran. A vacinação, antes realizada nas unidades de saúde, continuará ocorrendo somente nas 12 escolas determinadas pela Prefeitura, com objetivo de garantir segurança a cada cidadão diante da pandemia da Covid-19, uma vez que ambientes de média e grande aglomerações não são recomendados devido ao alto nível de contaminação que o novo vírus oferece.

Nas escolas, o público idoso permanecerá sendo vacinado no período da manhã, das 8h às 12h, e as crianças continuarão sendo vacinadas no turno da tarde, das 13h às 17h.

“Seguindo orientação do prefeito Edivaldo, fizemos uma série de mudanças nas estratégias que visavam não apenas vacinar o maior número de pessoas possíveis, mas também garantir que não houvessem aglomerações. Todas se mostraram muito exitosas, vacinamos em média de 7 mil a 10 mil pessoas por dia e todos perceberam a organização e agilidade no atendimento”, observou o secretário da Saúde, Lula Fylho.

Os postos de vacinação desta nova etapa da campanha funcionarão exclusivamente nas seguintes unidades de ensino:

1. Colégio Militar Tiradentes  – Rua Gabriela Mistral, S/Nº, Vila Palmeira
2. IEMA – Rua Oswaldo Cruz, Centro (antigo colégio Marista)
3. CE João Paulo II – Avenida 5, s/n. Turu.
4. UI Padre Newton Pereira -Av. Leste Oeste, 500. Cohatrac I
5. UEB Rosalia Freire – Avenida dos Portugueses, 1000. Anjo da Guarda
6. UEB Rubem Almeida – Rua da Mangueira, 400B, Coroadinho.
7. CE Cruzeiro do Sul  -Estrada da Vila Nova, S/Nº, Vila Nova
8. UEB Laura Rosa – Rua Marly Sarney, qd. 10, s/n. Conj. Nice Lobão (Cidade Operária)
9. CE Júlio de Mesquita Filho -Av. 2, S/Nº, Cohab Anil I
10. CE José Nascimento de Moraes – Av. B Qd. 13, S/Nº, Vinhais
11.UEB Ana Lúcia Chaves Fecury  – Rua Santo Antônio, 200. São Bernardo
12.UEB MARIANA PAVÃO –  AV. CONTORNO, Nº 100, RIO ANIL

O cronograma de vacinação será o seguinte:

– Dia 6/04: idosos e crianças cujo nome começa pelas letras E e F
– Dia 7/04: idosos e crianças cujo nome começa pelas letras E e F
– Dia 8/04: idosos e crianças cujo nome começa pelas letras G, H e I
– Dia 9/04: idosos e crianças cujo nome começa pela letra J

O cronograma com as demais letras será informado em breve, mas está garantido. De segunda à quinta-feira equipes da Semus também estarão realizando vacinação domiciliar, agendadas, nas áreas de influência das unidades de saúde, bem como condomínios cadastrados através. Para novos agendamentos para este serviço especializado de aplicação de doses, está em fase final de montagem um sistema de call center, cujo números deverão ser divulgados pela Prefeitura nos próximos dias.

DOSES
Até sexta-feira (3), a Semus vacinou pessoas cujos nomes tinham iniciais de A a D. A iniciativa de separar o público-alvo por ordem alfabética foi idealizada pela gestão do prefeito Edivaldo. Durante esse cronograma estratégico, que foi iniciado no dia 30 de março, milhares de pessoas procuraram os postos instalados pela secretaria nas escolas da rede municipal, por serem ambientes arejados e com mais espaço para abrigar o público-alvo. Com a estratégia, a Semus vacinou 136.820 pessoas contra a gripe do tipo influenza /H1N1, resultado positivo e que se deve, também, ao auxílio do sistema drive thru, que continua funcionando nesta nova fase.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Campanha de vacinação contra Influenza/H1N1 será retomada em São Luís nesta segunda-feira (30)

Será retomada  nesta segunda-feira (30), em São Luís, a campanha de vacinação contra a gripe Influenza/H1N1.  A vacina continua sendo ofertada ao público-alvo prioritário, idosos acima de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 6 anos e profissionais de saúde, mas com estratégias diferentes.  A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) organizou um cronograma para evitar a aglomeração e as pessoas serão imunizadas em ordem alfabética, conforme a letra do primeiro nome.  Também será montado um esquema de drive thru para atender exclusivamente idosos, que funcionará na área de prova do  Departamento  de Trânsito  do Maranhão – Detran. 

A vacinação não ocorrerá nas Unidades de saúde, ao invés disso, será inicialmente em 12 escolas. O público idoso será vacinado no período da manhã, das 8h às 12h. Já as crianças serão vacinadas no turno da tarde, de 13h às 17h.

Os postos de vacinação desta nova etapa da campanha funcionarão exclusivamente nas seguintes unidades de ensino:

– Colégio Militar Tiradentes, na Vila Palmeira
– IEMA Centro
– UEB Ronald Carvalho (anexo)
– UEB Padre Newton Pereira
– UEB Rosália Freire
– UEB Rubem Almeida
– UEB Cruzeiro do Sul
– UEB Laura Rosa
– UEB Júlio Mesquita
– UEB Ana Lúcia Chaves Fecury
– UEB Neiva Moreira
– UI Nascimento de Moraes

O cronograma de vacinação será o seguinte:

– Dia 30/03: idosos e crianças cujo nome começa pela letra A
– Dia 31/03: idosos e crianças cujo nome começa pelas letras A e B
– Dia 01/04: idosos e crianças cujo nome começa pelas letras A e B
– Dia 02/04: idosos e crianças cujo nome começa pelas letras C e D
– Dia 03/04: idosos e crianças cujo nome começa pelas letras C e D
O cronograma com as demais letras será informado em breve, mas está garantido, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, as doses para vacinação de todos.

O drive thru, para vacinação exclusivamente para idosos, ocorrerá na Avenida do Contorno do Complexo Castelinho, na área de provas do Detran.

O atendimento será das 8h às 16h e o cronograma de vacinação será o mesmo das unidades de ensino, por isso, seguindo a inicial do nome.

As unidades de saúde estarão voltadas para vacinação em domicílio apenas os idosos da sua área de influência, conforme programação.

Equipes volantes atenderão aos idosos que tenham solicitado o atendimento domiciliar e que estão em áreas sem Unidades Básicas.

Também será feito o atendimento em condomínios (somente para idosos e crianças de 6 meses a menores de 6 anos) que tenham solicitado o serviço.

Profissionais de saúde serão vacinados conforme cronograma de estabelecimentos de saúde, priorizando rede hospitalar e serviços de urgência/emergência.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prefeitura de São Luís realiza vacinação em domicílio contra a Influenza/H1N1 para público-alvo acamado ou com baixa mobilidade

A medida, que segue orientação do prefeito Edivaldo, além de garantir um atendimento especializado para um público com limitações de locomoção, também garante maior eficácia na execução de medidas de isolamento social

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), manteve o calendário de vacinação contra a Influenza/HIN1 às pessoas acamadas e com baixa mobilidade. A medida segue determinação do prefeito Edivaldo Holanda Junior. Desde segunda-feira (23), equipes da coordenação de imunização estão realizando atendimentos domiciliares para proteger às pessoas que não apresentam condições físicas de se deslocar para as unidades de saúde. Logo que houver reposição da vacina pelo Ministério da Saúde, a campanha, suspensa temporariamente  devido à grande procura que esgotou às doses nos postos, será retomada e o  público-alvo desta primeira fase será orientado a procurar os postos de vacinação. Até lá, apenas os acamados com agendamentos já feitos serão vacinados.

Para marcar a visita, o responsável ou o próprio assistido deve ligar para o telefone (98) 99135-9332, que está à disposição de segunda à sexta-feira, das 8h ao meio-dia e das 14h às 17h.  A Semus reforça ainda que a imunização para este público somente ocorre durante a semana, excetuando-se neste caso fins de semana ou eventuais feriados.

A medida, que segue orientação do prefeito Edivaldo Holanda Junior, além de garantir um atendimento especializado para um público com limitações de locomoção, também garante maior eficácia na execução de medidas de isolamento social. “Com isto, evitamos que a maioria destas pessoas, especialmente do público idoso, se concentrem em unidades com grandes aglomerações de público”, afirmou o  secretário da Semus, Lula Fylho.

O gestor informou ainda que, apesar do baixo estoque das vacinas, em virtude da grande procura pelas doses na segunda-feira (23), há vacina para este público. Antes da aplicação da dose, técnicos de enfermagem e enfermeiros responsáveis são orientados a aplicar álcool gel nas próprias mãos e nas do paciente.

O vacinador também utiliza, durante a aplicação, luvas e máscaras apropriadas. “Esta é uma orientação clara, para que não haja qualquer risco de contágio, em tempos de registros da Covid-19. A população pode ficar tranquila que todas as medidas sanitárias estão sendo tomadas”, afirmou Lula Fylho.

Um dos pacientes assistidos foi Francisco de Souza Pereira. Morador do Bairro de Fátima, ele afirmou que a marcação foi simples e o atendimento bem prestado. “Tudo certo, a gente ligou e eles [vacinadores] vieram sem problema. Agradeço pelo serviço da Prefeitura”, afirmou.

A direção da Semus reforça ainda que nesta quarta-feira (25) mantém contato direto com a cúpula do Ministério da Saúde (MS) para a aquisição de novos lotes da vacina contra a Influenza/H1N1. Além de São Luís, outras cidades brasileiras tiveram que suspender suas campanhas, em virtude da grande procura. Assim que as doses sejam encaminhadas pelo MS, a campanha será retomada, obedecendo à novo calendário a ser divulgado pela pasta municipal em breve. O público-alvo desta primeira fase da campanha é idosos, crianças maiores de seis meses e menores de seis anos e profissionais da área de saúde.

SAIBA MAIS

A Semus, para facilitar a vida dos usuários e evitar aglomerações desnecessárias, também disponibilizou um e-mail para síndicos e/ou responsáveis legais por condomínio. A pasta orienta que o interessado encaminhe e-mail para [email protected]

Deve ser informado, no contato, o nome do condomínio, com endereço, quantidade de casas ou apartamentos e contato para retorno do agendamento. A Semus ressalta que somente inscrições por este canal serão aceitas. Até o momento, 130 condomínios foram cadastrados. Somente pessoas, na primeira fase e inclusas no público-alvo, serão vacinadas.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prefeitura de São Luís alinha com Ministério da Saúde envio de novas doses de vacina contra Influenza/H1N1

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), mantém contato direto com o Ministério da Saúde (MS), por meio do ministro Luiz Henrique Mandetta, para o envio de novas doses para o controle da influenza A, incluindo o H1N1, na capital maranhense. A campanha foi suspensa após a grande procura no primeiro dia de imunização, na segunda-feira (23). De acordo com cálculos do setor de imunização da pasta municipal, mais de 74 mil doses foram aplicadas. 

Segundo o titular da Semus, Lula Fylho, durante audiência feita por vídeo e organizada nesta terça-feira (24) pela Câmara de Vereadores de São Luís, a pasta federal se comprometeu a encaminhar as vacinas o quanto antes para a cidade. Nesta primeira fase da campanha o público-alvo é profissionais de saúde, idosos acima de 60 anos de idade e crianças de seis meses a menores de seis anos de idade. Ao todo, a campanha está dividida em três fases e termina no dia 22 de maio.

Ainda com base em cronograma estabelecido pelo Ministério da Saúde, a segunda etapa da campanha contra a influenza (que engloba profissionais das forças de segurança e portadores de doenças crônicas não transmissíveis) começará no dia 16 de abril. Por fim, a terceira fase da campanha, que inclui puérperas, gestantes, povos indígenas, adolescentes de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, adultos de 55 a 59 anos e pessoas com deficiência está prevista para ocorrer dia 9 de maio.

Todas estas datas, devido à suspensão da vacina na capital, poderão ser revistas. Prevista preliminarmente para abril, a campanha contra a influenza foi antecipada pelo MS no fim do mês passado. A antecipação foi mantida após o registro dos primeiros casos da Covid-19.

PROTEÇÃO

A Prefeitura de São Luís adquirirá, nos próximos dias, novos lotes de equipamentos de proteção individual para profissionais de saúde que atuam no controle da Covid-19. Serão adquiridos (por compra ou doações) jalecos, macacões, lotes de máscaras e respiradores. Os materiais deverão ser distribuídos a partir de amanhã.

Além disso, a capital maranhense encaminhou nesta terça-feira (24) documento para as autoridades de Wuhan (CHI), primeiro epicentro da doença no mundo e que decretou o fim da quarenta a seus moradores. O objetivo das autoridades de saúde ludovicenses é entender de que forma as autoridades locais combateram a doença.

DOSES

A vacinação às pessoas acamadas e aos profissionais de saúde não foi interrompida. Nesta terça-feira (24), profissionais dos Socorrões I e II foram imunizados. Na quarta (25) será a vez de profissionais de saúde do Hospital da Criança.

A imunização aos acamados em específico é feita por equipes do setor específico da Semus, que se dirige até as residências ou os imóveis de moradia dos pacientes e adota todas as medidas de precaução contra a Covid-19.

Assim que for marcada a visita da equipe técnica da imunização, o paciente ou responsável legal deve aguardar por até 24 horas.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prefeito Edivaldo pede à população que evite aglomeração nos postos de saúde durante campanha de vacinação contra o H1N1

Começa nesta segunda-feira (23) a campanha de vacinação contra a Influenza A/H1N1. Por meio das redes sociais, o prefeito Edivaldo orienta a população que receberá a vacina que evite lotação nos postos, pois aglomerações facilitam a propagação do novo coronavírus (Covid-19).

Em sua postagem, Edivaldo destaca que esta primeira etapa da campanha terá duração de 30 dias, portanto, não há necessidade de todos correrem para os postos de vacinação nesses primeiros dias, pois haverá tempo suficiente para as pessoas do público-alvo se vacinarem com tranquilidade.

Nesta etapa devem se vacinar idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 6 anos e profissionais de saúde. Como medida para evitar ao máximo a aglomeração de pessoas, foram disponibilizadas 118 salas de vacinação distribuídas em 76 postos entre unidades de saúde, escolas e farmácias.

Para facilitar o acesso às doses pelo público-alvo, a Prefeitura disponibilizou ainda o serviço de atendimento domiciliar a pessoas com dificuldade de locomoção. O agendamento deve ser solicitado pelo número 99135-9332.

Condomínios também podem solicitar o agendamento pelo e-mail [email protected]. Desta forma, equipes de vacinação irão aos locais para imunizar as pessoas que fazem parte do público-alvo desta etapa da campanha.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prefeitura de São Luís prepara rede de saúde para campanha de vacinação contra Influenza/H1N1 que inicia segunda-feira (23)

Serão disponibilizadas 68 salas de vacinação em unidades de saúde municipais, estaduais e filantrópicas, espalhadas em diferentes pontos da capital; nesta primeira fase o público-alvo da campanha é crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, idosos a partir de 60 anos e profissionais de saúde

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) se prepara para dar início, na segunda-feira (23), à primeira fase da campanha nacional de vacinação contra Influenza, que protege contra três vírus da gripe, incluindo o H1N1. A primeira fase da campanha se estende até o dia 22 de abril e é destinada a crianças a partir de 6 meses de vida a menores de 6 anos de idade, idosos a partir de 60 anos e todos os profissionais de saúde. As vacinas já estão nos postos e os técnicos e profissionais da rede municipal de saúde receberam treinamento e estão sendo imunizados. A ação integra a política de saúde preventiva implantada pelo prefeito Edivaldo Holanda Junior e tem como objetivo reduzir as complicações, internações e a mortalidade decorrente das infecções pelo vírus influenza.

“Estamos com profissionais e salas nas unidades de saúde preparadas para vacinação. É importante destacar que a vacina é uma arma eficaz contra a gripe então, todos os que estão convocados, público-alvo, devem se imunizar”, ressaltou o prefeito Edivaldo enfatizando que a vacina estará disponível em 68 salas de vacinação em São Luís. Nas unidades de saúde municipais que tiveram, recentemente, o horário de funcionamento estendido, passando a funcionar, nos dias uteis de segunda a sexta-feira das 7h às 18h e aos sábados de 7h ao meio-dia,  a vacina estará disponível até o fechamento da unidade.

O secretário de Saúde Lula Fylho, destacou que a campanha de vacinação contra a gripe, “é uma medida combativa da influenza. Isso nos ajudará a evitar possíveis doenças e agravos que estas possam trazer”, preveniu.

Em São Luís, serão disponibilizadas 68 salas de vacinação distribuídas nas unidades de saúde do município, a exemplo do Centro de Saúde Paulo Ramos (Centro) e do Centro de Saúde do Bairro de Fátima, assim como também nas Unidades Mistas de Saúde e outros postos em bairros da capital.

As 12 unidades de saúde que funcionam com horário estendido – sendo aos sábados de 7h ao meio-dia. e de segunda a sexta das 7h às 18h – também estarão vacinando. Atualmente estão com atendimento estendido o Centro de Saúde Clodomir Pinheiro Costa (no Anjo da Guarda), Centro de Saúde São Raimundo, Unidade de Saúde da Família do São Francisco, Centro de Saúde Cohab Anil, Unidade Básica de Saúde Cintra (Anil), Centro de Saúde Santa Bárbara, Centro de Saúde Turu, Centro de Saúde Vila Nova, Centro de Saúde Fabiciana Moraes (Habitar Nice Lobão), Centro de Saúde Genésio Ramos Filho (Cohab), Centro de Saúde Dr. Antônio Carlos Sousa Reis (Cidade Olímpica I) e Centro de Saúde Vila Bacanga (em breve).

O Ministério da Saúde (MS) entregou inicialmente 85 mil doses da vacina e até sexta-feira (20), serão distribuídos cerca de 54 mil doses para as unidades de saúde. A estimativa é de que a Coordenação de Imunização da Semus receba cerca de 290 mil doses de vacina no decorrer da campanha.

“A vacinação contra gripe irá prevenir a aparição da influenza H1N1, além de combater a H3N2, que é um dos subtipos do vírus influenza A, e a influenza tipo B. Por essa razão, é muito importante que os grupos comparecem às fases da campanha e recebem a vacina”, lembrou a Coordenadora de Imunização da Semus, Charlene Luso.

PÚBLICO-ALVO

Durante a campanha, a meta é vacinar pelo menos, 90% de cada um dos grupos prioritários. Após a primeira fase, será iniciada a segunda, a partir do dia 16 de abril e é destinada a professores, profissionais das forças de segurança e salvamento e doentes crônicos não transmissíveis, comorbidades e outras condições clínicas especiais.

A terceira fase ocorrerá a partir do dia 9 de maio e contemplará adultos de 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (mulheres em fase de pós-parto), pessoas privadas de liberdade, funcionários do sistema prisional, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estiverem sob medidas socioeducativas.

ATENDIMENTO DOMICILIAR

A Prefeitura de São Luís vai realizar, ainda, a vacinação de pessoas consideradas acamadas, ou seja, que tenham visível restrição de locomoção ou impossibilidade de se deslocarem até às unidades de saúde. A imunização será feita por equipes do setor específico da Semus, que irão até as residências ou os imóveis de moradia dos pacientes.

Para ter acesso ao serviço, basta o usuário entrar em contato previamente pelo telefone (98) 99135-9332 (do setor de Imunização). O horário de atendimento por telefone será das 8h às 11h e das 14h às 16h, de segunda a quinta-feira. E das 8h às 11h nas sextas-feiras.

Assim que for marcada a visita da equipe técnica da imunização, o paciente ou responsável legal deve aguardar por até 24 horas. Por ora, as visitas não acontecerão em feriados ou fins de semana. O serviço permanecerá disponível preliminarmente até o fim da campanha, prevista para encerrar, de acordo com o Ministério da Saúde, no dia 22 de maio deste ano.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prefeitura alerta para a importância da vacinação contra sarampo que encerra campanha na sexta-feira (13)

Crianças e jovens, público-alvo da campanha, devem comparecer às unidades com a carteira de vacinação em mãos; ação de imunização integra a política de saúde preventiva da gestão do prefeito Edivaldo

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), abre a última semana da campanha contra o sarampo na capital maranhense, que será encerrada na sexta-feira (13). Até o momento 1.854 pessoas, entre 5 e 19 anos – público-alvo dessa etapa da campanha, tomaram a vacina. De acordo com a Semus, deve ser vacinado o público que está com o esquema incompleto de vacinação ou que nunca tomou a dose contra a enfermidade.  A ação de imunização integra a política de saúde preventiva da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior.

Esta campanha, montada sob a orientação técnica do Ministério da Saúde (MS) não estipula meta específica e tem como objetivo proteger a população de uma das enfermidades virais mais graves. O MS orienta ainda que os pacientes compareçam às unidades com a carteira de vacinação em mãos.

Até sexta-feira (13), os postos de saúde da capital maranhense estarão disponíveis das 8h às 17h. Dentro deste grupo, estão as unidades que aderiram ao programa Saúde na Hora, do MS e que atenderão das 8h às 18h. São elas: Clodomir Pinheiro Costa, no Anjo da Guarda, Centro de Saúde São Raimundo, Unidade de Saúde da Família do São Francisco, Centro de Saúde Cohab Anil, Unidade Básica de Saúde Cintra, no Anil, Centro de Saúde Santa Bárbara, Centro de Saúde Turu, Centro de Saúde Vila Nova, Centro de Saúde Fabiciana Moraes, no Habitar Nice Lobão, Centro de Saúde Genésio Ramos Filho, na Cohab e Centro de Saúde Dr. Antônio Carlos Sousa Reis na Cidade Olímpica I e Vila Bacanga.

Para o secretário de Saúde de São Luís, Lula Fylho, a campanha é avaliada como eficaz até o momento devido à ajuda da população. “É fundamental que, quem ainda não atualizou sua carteira de vacinação, compareça a um dos postos da Prefeitura e se proteja. A gestão pública ainda disponibiliza uma hora a mais durante a semana para que o público busque a proteção imunológica”, afirmou o secretário.

No ano passado, entre 7 e 25 de outubro, foram aplicadas 19.048 doses da vacina contra o sarampo (entre crianças entre seis meses e 4 anos de idade). Entre 12 e 30 de novembro de 2019, foram aplicadas 3.640 doses e abrangeu o público entre 20 e 29 anos de idade.

O sarampo é uma doença grave, causada por vírus e pode ser fatal. De acordo com o MS, sua transmissão ocorre quando a pessoa infectada tosse, fala ou espirra próximo de outro indivíduo. Dando continuidade às ações em 2020, outras duas etapas de mobilização nacional devem ocorrer, segundo o Ministério da Saúde. As próximas etapas vão ocorrer com foco nos públicos de 20 a 29 anos de idade e de 20 a 59 anos.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Hoje é Dia D de vacinação contra sarampo para adultos de 20 a 29 anos

Agência Brasil

Termina hoje (30) a segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. O Ministério da Saúde (MS) marcou para hoje o Dia “D” da campanha, iniciada em 18 de novembro. Nessa fase, o ministério quer vacinar 9,4 milhões de adultos entre 20 e 29 anos. Para viabilizar a ação, o MS garantiu a maior compra de vacinas contra o sarampo (tríplice viral) dos últimos 10 anos.

Dia D de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo.

O surto de sarampo ainda se encontra ativo no país. Atualmente, há confirmação de 11.896 casos e 15 óbitos pela doença até o começo de novembro (semana 45 do ano). A maioria dos casos, 11.095 (93,2%) estão concentrados no estado de São Paulo, principalmente na região metropolitana.

Os dados mais recentes da pasta da Saúde mostram que jovens nessa faixa etária são maioria entre os casos registrados – respondem por 30,6% do número total de casos de sarampo este ano no Brasil. E, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pelo ministério, são também o maior transmisso em potencial da doença.

A maior preocupação do governo federal não é a gravidade da doença nesse público, e sim o fator de transmissão para os grupos mais suscetíveis às complicações da doença, como as crianças, por exemplo. Há, entretanto, uma ressalva para o público-alvo da campanha. Gestantes na faixa etária não devem se vacinar contra sarampo, já que o método de imunização se dá por uma versão atenuada do vírus.

Foram distribuídos para os estados 4 milhões de doses da vacina tríplice viral. Segundo o ministério, é quantidade suficiente para complementar o quantitativo necessário para vacinação do público-alvo, que já tinha disponível 2,3 milhões de doses remanescentes da primeira etapa da campanha.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

UFMA realizará ação alusiva à prevenção e vacinação para sarampo e Hepatite B

Com rodas de conversas sobre HIV/Aids e vacinação para sarampo, hepatite B, entre outras vacinas para jovens e adultos, será realizada na segunda-feira, 25, na Universidade de Federal do Maranhão, por meio da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proaes), o evento “Prevenção Combinada: Vamos combinar!? Direitos!?”, no Serviço de Atenção à Saúde, localizado no prédio CEB Velho, das 8h30 às 17h.

A atividade é promovida em parceria com a Prefeitura de São Luís, por meio da Coordenação Municipal de IST AIDS e Hepatites Virais da Secretaria Municipal de Saúde. A ação é alusiva à campanha pelo Dia Mundial de Luta Contra a AIDS, no dia 1º de dezembro, e busca reforçar a conscientização e prevenção contra a doença, além da luta contra o preconceito.

Os interessados deverão levar suas carteiras para receber a dose da vacina. “Quem não tiver pode ser atendido apresentando o RG e comprovante de vacina”, explicou o técnico administrativo da Proaes, Cedric Tempel Nakasu. Ele enfatizou a relevância da campanha e a mobilização para envolver os estudantes da UFMA.

“Essa temática da prevenção e orientação em relação especificamente ao HIV é essencial, principalmente porque essa geração não acompanhou como a minha o surgimento desta doença, que matava, que causava muita dor e muito sofrimento e hoje é vista como doença crônica. Temos que orientar essa geração sobre a importância da prevenção e de evitar o contágio, a propagação dessa doença”, afirmou Nakasu.

As rodas de conversa serão realizadas por uma equipe de profissionais da Secretaria Municipal de Saúde, que já realizam constantemente o trabalho de prevenção e educação junto a populações vulneráveis. A ação também contará com entrega de preservativos e gel lubrificante.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prefeitura de São Luís convoca pais de crianças de 6 meses a menores de 1 ano para vacinar filhos contra sarampo

Orientação é do Ministério da Saúde para que este público-alvo tome a chamada “dose zero”, disponível nas unidades da rede de saúde municipal; ação na capital soma-se às demais da gestão do prefeito Edivaldo no campo da saúde preventiva

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), está convocando os país de crianças de seis meses a menores de 1 ano para levarem os filhos para receber uma dose da vacina contra o sarampo, além das previstas no Calendário Nacional de Vacinação, aos 12 e 15 meses. A orientação do Ministério da Saúde é para que esse público-alvo tome uma dose complementar, a chamada “dose zero”, que está disponível em todas as unidades da rede da capital maranhense. A ação soma-se às demais implantadas pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior no campo da saúde preventiva.

O Ministério da Saúde destaca que é importante esclarecer que a chamada “dose zero” não substitui e não será considerada válida para fins do calendário de vacinação da criança. Assim, além dessa dose que está sendo aplicada agora, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ª dose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela, respeitando-se o intervalo de 30 dias entre as doses. A vacinação de rotina das crianças deve ser mantida independentemente de a criança ter tomado a “dose zero” da vacina.

A Secretaria Municipal de Saúde destaca ainda que, além das crianças, pessoas com idades de até 49 anos também podem se vacinar. A convocação espontânea do público-alvo para a aplicação da vacina faz parte das estratégias de mobilização na capital, coordenadas pela Superintendência de Vigilância Sanitária e Epidemiológica.

De acordo com a Semus, a medida visa proteger o grupo mais vulnerável ao vírus causador do sarampo, pois crianças nessa faixa etária têm mais risco de complicações causadas pela doença que voltou a ser notificadas em alguns estados brasileiros.

Para o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, é fundamental que a população compareça para evitar casos de sarampo. “É importante que os responsáveis compareçam com suas crianças e contribuam para a saúde delas e para que a capital se mantenha livre dessas doenças”, afirmou.

A partir de outubro deste ano, o município realizará o Dia D da Campanha de Multivacinação, que englobará, além da dose contra o sarampo, outras vacinas do calendário. No ano passado, durante campanha determinada pelo Ministério da Saúde, foram vacinadas 61 mil crianças na capital maranhense.

De acordo com a coordenação de Imunização da Semus, a vacina tríplice viral (que protege contra o sarampo) é contraindicada para gestantes, pessoas em estado febril, com registro de reação anafilática em doses anteriores ou usuários com imunodeficiência congênita ou adquirida.

SAIBA MAIS

O sarampo é uma doença altamente contagiosa, que pode ser transmitida pelo contato com secreções. Os primeiros sintomas são parecidos com os da gripe, mas evoluem ainda para o aparecimento de manchas vermelhas pelo corpo.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Postos de saúde da Prefeitura de São Luís imunizam público-alvo contra sarampo, rubéola e caxumba

Doses estão à disposição de crianças de um ano até menores de cinco e pessoas com até 49 anos nas 63 unidades da rede; ação de mobilização integra as estratégias de saúde da gestão do prefeito Edivaldo

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), reforça a informação de que oferece, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, em 63 unidades de saúde da rede, a vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba. O objetivo é imunizar, de forma permanente, o público-alvo, ou seja, crianças de um ano até menores de cinco anos. Além das crianças, pessoas com idades até 49 anos também poderão se vacinar. A convocação dos grupos prioritários para a tríplice viral faz parte das estratégias de mobilização na capital promovidas pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior. A ação é coordenada pela Superintendência de Vigilância Sanitária e Epidemiológica.

Para o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, é importante o comparecimento da população para evitar casos das doenças, como tem ocorrido em alguns estados brasileiros. “É importante que os responsáveis compareçam com suas crianças e contribuam para a saúde delas, e para que a capital se mantenha livre dessas doenças”, afirmou.

Em outubro deste ano está previsto o dia D da Campanha de Multivacinação, que englobará, além da tríplice viral, outras vacinas da rede. No ano passado, durante campanha determinada pelo Ministério da Saúde (MS), foram vacinadas 61 mil crianças na capital maranhense.

A vacina tríplice viral é contraindicada para pacientes gestantes, ou em estado febril, ou com registro de reação anafilática em doses anteriores ou usuários com imunodeficiência congênita ou adquirida.

SARAMPO

O sarampo é uma doença altamente contagiosa, que pode ser transmitida pelo contato com secreções. Os primeiros sintomas são parecidos com os da gripe, mas evoluem ainda para o aparecimento de manchas vermelhas pelo corpo.

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, atualmente, 53 cidades em quatro estados brasileiros – São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Paraná – se mantém com surto ativo. No último dia 6 de agosto, o Ministério divulgou alerta aos pais, mães e responsáveis que vão viajar com os filhos de seis meses a menores de um ano de idade para municípios em situação de surto ativo do sarampo no país. A recomendação é que todas essas crianças, nesta faixa etária, sejam vacinadas contra a doença, no período mínimo de 15 dias, antes da data prevista para a viagem. Além de proteger, a medida de segurança pretende interromper a cadeia de transmissão do vírus do sarampo no país.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prefeitura supera meta de vacinação e São Luís é a 4ª capital do Nordeste com maior cobertura

São Luís ficou entre as cinco capitais da Região Nordeste que superou a meta de cobertura vacinal estabelecida pelo Ministério da Saúde contra a gripe Influenza. Até sexta-feira passada (31), último dia da campanha, a capital maranhense conseguiu alcançar 91,37% do público-alvo, superando a meta prevista para o município que era de imunizar pelo menos 90% da população incluída entre os grupos prioritários.

O resultado positivo da vacinação na capital é fruto do trabalho intensivo de mobilização desenvolvida na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior. Com a superação da meta, desde esta segunda-feira (3), a vacinação contra a gripe está disponível a toda a população da capital até o fim do estoque. Com a ampliação do serviço, quem não faz parte do público-prioritário também pode se vacinar contra a Influenza.

Numa comparação entre as nove capitais do Nordeste, São Luís ficou entre as cinco da região a atingir a meta, depois de salvador (96%), Recife (94,3%) e Maceió (94,2%). Na quinta posição vem Natal com 90,2%. As demais capitais nordestinas não cumpriram a meta estipulada pelo Ministério da Saúde.

“Empreendemos muitos esforços para que a população que integra o grupo prioritário fosse imunizada e nossa meta não só foi alcançada como superada graças às estratégias realizadas por nossa gestão e o empenho e dedicação de toda a equipe de saúde da Prefeitura. Montamos postos volantes, realizamos dois Dias D e fizemos buscas ativas em escolas e também disponibilizamos vacinação domiciliar para quem tem dificuldades de locomoção. Tudo para proporcionar à população da capital mais prevenção e saúde”, disse o prefeito Edivaldo.

De acordo com dados da Conforme a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), São Luís ultrapassou a meta de cobertura vacinal em quase todos os grupos prioritários estabelecidos pelo Ministério. Na população de idosos, por exemplo, foram imunizados 85.237 pessoas de 79.874 previsto, ou seja, 106,71% de cobertura, número bem acima do que havia sido estabelecido. O mesmo pode ser observado no grupo de pessoas com doenças crônicas, como diabéticos e hipertensos, por exemplo. Nesse universo foram vacinadas 30.627 pessoas de 26.483 (115,65%).

Também o grupo de profissionais da educação teve resultado positivo na mobilização contra a doença, pois do total de 13.728 profissionais previstos foram imunizados 15.985 (116,44), ou seja, superou a meta estipulada para essa categoria. Número expressivo de vacinação foi conquistado também entre as mulheres puérperas com até 45 dias após o parto. Nesse grupo foram vacinadas 2.057 mulheres de um universo de 1.964 (104,74%).

A secretária municipal de Saúde em exercício, Natália Mandarino, comemorou o resultado obtido pela capital na mobilização nacional contra a gripe. “Com ações de conscientização e iniciativas pontuais para levarmos até a população-alvo a vacinação, alcançarmos o objetivo de proteger a nossa população contra a gripe. O prefeito Edivaldo, que não mede esforços no trabalho de prevenção à saúde da comunidade, mobilizou toda a rede de saúde para que pudéssemos encerrar a campanha com o êxito que obtivemos”, observou Natália Mandarino.

Com um universo de 232.955 pessoas vacinadas do total de 254.958 indivíduos pertencentes aos grupos prioritários em São Luís, a gestão do prefeito Edivaldo empreende agora esforços para vacinar todos que buscarem pelo serviço, disponibilizando nas 54 salas de imunização da rede municipal de saúde doses da vacina contra a gripe. A medida é uma determinação do Ministério da Saúde.

ESTRATÉGIAS

Para atingir os bons resultados da cobertura vacinal na capital, a Prefeitura de São Luís desenvolveu uma série de estratégias de atuação com iniciativas pontuais para abranger os públicos-alvos da campanha. Entre as ações executadas com essa finalidade estão a criação de postos volantes instalados em escolas, creches, órgãos públicos e em locais de grande concentração popular, como shoppings e bairros com densidade populacional, por exemplo.

Além dessas iniciativas, a Prefeitura também realizou Dias D municipal e nacional de vacinação contra a gripe, abrindo as salas de imunização da rede também nos dois sábados para oportunizar à população o acesso à vacina. Também ampliou as estratégias de atuação do serviço aos batalhões do Exército, policiais militares e bombeiros, que foram incluídos entre os grupos prioritários por determinação do Ministério da Saúde. A escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) por serem grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

INFLUENZA

Neste ano, até 11 de maio, foram registrados 807 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por Influenza em todo o país, com 144 mortes. Até o momento, o subtipo predominante no país é o vírus influenza A (H1N1) pdm09, com registro de 407 casos e 86 óbitos.

A vacina deste ano protege contra três tipos de vírus da gripe: o Influenza A, nas variações H1N1 e H3N2 e influenza B. A contraindicação da vacina é para quem tem alergia severa a ovo.

A gripe Influenza é uma infecção respiratória aguda, causada pelos vírus A e B. O vírus A está associado a epidemias e pandemias. É um vírus de comportamento sazonal e tem aumento no número de casos entre as estações climáticas mais frias, podendo haver anos com menor ou maior circulação do vírus. Habitualmente em cada ano circula mais de um tipo de influenza concomitantemente (exemplo: influenza A (H1N1)pdm09, influenza A (H3N2) e influenza B).

A influenza inicia-se em geral com febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, por exemplo, necessitando de internação hospitalar. Devido aos sintomas em comum, pode ser confundida com outras viroses respiratórias causadoras de resfriado.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.