O médico Mariano de Castro, que foi encontrado morto por asfixia em seu apartamento em Teresina, na carta que fez do próprio punho pede perdão à mãe e aos amigos e diz que “por amizades inadequadas permaneci no erro” e que vai pagar pelo erro cometido. “É justo”, diz ele. Confira abaixo:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.