Ações iniciaram domingo (25), na Feirinha São Luís e prosseguem durante a semana em Unidades Básicas de Saúde e outras instituições; programação está inclusa na política de saúde preventiva do prefeito Edivaldo

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), deu início no domingo (25), na Feirinha São Luís, Praça Benedito Leite, Centro Histórico, à Semana Municipal de Prevenção e Combate ao Tabagismo. Dados do Ministério da Saúde, referentes ao ano de 2018, indicam que São Luís continua entre as capitais brasileiras com menor frequência de fumantes. Quando se trata do sexo feminino, o índice de 2,8% é o menor do país; enquanto entre os homens, a capital maranhense ocupa a quinta menor freqüência, com 7,3%. Os dados são referentes aos atendimentos individuais e condição avaliada sobre o tabagismo recolhidos pelo Ministério da Saúde e refletem as políticas de saúde preventiva desenvolvidas pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior.

A Semana Municipal de Prevenção e Combate ao Tabagismo tem programação em 51 Unidades Básicas de Saúde do município de São Luís e objetiva conscientizar e mobilizar a população sobre os riscos decorrentes do uso do tabaco. As ações integram as atividades do Dia Nacional de Combate ao Fumo – 29 de agosto. “O cigarro tem um alto poder de causar dependência química; por isso, o combate ao tabagismo passa pela oferta de serviços para os dependentes que desejam parar de fumar e por ações de prevenção voltadas para todos os públicos. A Prefeitura, na gestão do prefeito Edivaldo, tem usado essas estratégias”, alerta o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho.

Este ano, a campanha nacional de luta contra o tabagismo tem como tema “Não deixe o tabaco levar o seu fôlego embora”, voltado para as doenças pulmonares. O trabalho terá como ponto culminante a programação desenvolvida na Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) na próxima quinta-feira (29), junto às adolescentes esclarecendo sobre os malefícios do uso do tabaco. Na quarta (28), a Semus organiza ações de busca ativa entre pessoas que desejam interromper o tabagismo de forma definitiva. O encerramento da semana acontece em todas as unidades de saúde na sexta-feira (30).

PÚBLICO-ALVO

O diferencial da semana municipal em 2019 está no trabalho que será desenvolvido nas escolas e instituições, com objetivo de alcançar os adolescentes. Estudos apontam que o grupo dos adolescentes está entre os mais vulneráveis ao hábito de fumar, pela associação que seu uso está com o espírito transgressor do jovem e outras formas de comportamentos que a imagem do fumante equivocadamente remete. A nicotina, assim como o álcool, é considerada pelos especialistas como porta de entrada para outros vícios ilícitos.

Segundo alerta a coordenadora de Saúde do Adulto da Semus, Kardele Rodrigues, a nicotina não atinge somente o fumante, mas toda a sociedade e o meio ambiente. “Nós mobilizamos as equipes das Unidades Básicas de Saúde que estão implementando um plano estratégico. São desenvolvidas ações não somente de busca ativa, aquela em que fumantes que desejam parar buscam ajuda médica, como atender às pessoas que verbalizam esta vontade”, ressalta Kardele Rodrigues.

Na fase preparatória da semana de combate e prevenção do uso do tabaco, a Semus realizou 262 atendimentos individuais a pessoas em relação ao tabagismo, segundo dados do E-SUS, sistema do Ministério da Saúde.

PROBLEMAS

A Organização Mundial de Saúde (OMS), aponta que chega a 63% o índice de letalidade entre os usuários do tabaco. O tabagismo é responsável por doenças crônicas pulmonares evitáveis. Dados revelam que o cigarro é responsável por 85% das mortes, sendo que 30% dos usuários desenvolvem diversos tipos de cânceres; 25% vão a óbito por doenças coronarianas e outros 25% por doenças cerebrovasculares. É também um fator negativo no controle da hipertensão arterial.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.