Nesta terça-feira (22), o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão realizou Assembleia Geral, em dois turnos (manhã e tarde). O objetivo dos encontros, foi discutir os próximos passos, no que se refere ao movimento grevista da categoria, que já dura mais 30 dias e até o momento, nem empresários e nem o município, apresentaram soluções para atender as reivindicações dos trabalhadores.

Foto Reprodução

Desde janeiro, o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão tenta negociar as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho, com vigência para 2022, mas até então, nenhuma contraproposta foi encaminhada pelo sindicato patronal, SET.

Na última audiência de conciliação, no dia 18 de Março, realizada no TRT-MA, mais uma vez, não houve avanços. Diante da falta de entendimento, a questão seguiu para a última instância e deverá ser julgada na própria justiça do trabalho.

Tanto na Assembleia da manhã como da tarde, os trabalhadores decidiram pela tomada dos procedimentos para deflagração de greve geral. A entidade cumprirá os prazos estabelecidos pela justiça, comunicando os órgãos envolvidos sobre a paralisação. Se até a próxima segunda-feira (28), não houver uma decisão da justiça favorável as reivindicações da categoria, ou mesmo, uma negociação com os patrões, que atenda os trabalhadores, na terça-feira (29), será deflagrada greve geral dos Rodoviários que atuam em São Luís.

Chegamos ao nosso limite. Tentamos de todas as formas, garantir uma negociação, que atenda as reivindicações dos trabalhadores. Não podemos ficar assistindo a intransigência dos patrões, sem interesse algum em resolver esse impasse. Se não tivermos a garantia dos nossos direitos, a partir da próxima terça (29), os ônibus de São Luís vão parar totalmente”, afirma Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.