Já pagou os impostos?

O Grupo Mateus cresce no Maranhão como se ganhasse  a cada mês um acumuladão da mega-sena. Leio no Blogue do Colunão (Walter Rodrigues) que o grupo empresarial adquiriu em Imperatriz dois grandes estabelecimentos comerciais: Lojas Liliane e Supermercados Timbira, ficando com o monopólio na área.

Aqui mesmo em São Luís os Super Mercados Mateus ampliaram seus negócios ao ponto de inibirem grupos pesados como o do Hiper Bom Preço e Maciel.

Cada vez que vejo o Mateus crescendo de forma assustadora ou mágica lembro que em menos de cinco anos o grupo era o maior fraudador e devedor de impostos estaduais no Maranhão.

A fraude era tamanha que chegou a ser solicitada a sua prisão. Algo em mais de R$ 20 milhões. Lembro ainda que uma sindicância feita por um grupo de técnicos da Sefaz indentificou uma rede de proteção ao Mateus, dono do grupo, que incluia de membros da Justiça a deputado federais e estaduais. Mateus nunca conheceu uma cela de delegacia. 

Como não entendo do ramo, gostaria apenas de saber se a dívida foi paga, de que forma foi quitado o débito ou se Mateus permanece burlando o fisco estadual. O certo é que o grupoi continua em expansão milagrosa. Não demora muito coloca a Igreja Universal do Reino de Deus no bolso.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cafeteira, o mais assíduo

Pasmem os senhores! Embora com dificuldades de locomoção (anda em cadeira de rodas), o senador Epitácio Cafeteira, o mais velho em plenário, foi o mais assíduo nas sessões e votações do Senado Federal.
O presidente José Sarney foi o mais faltoso, segundo site do Congresso em Foco. Mauro Fecury, que há três meses substituiu Roseana Sarney, já figura com muitas faltas.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Polícia pode entrar em greve

Policiais civis realizaram agora a pouco Assembléia Geral e discutiram o que consideram não inclusão da categoria no programa de valorização do servidor público estadual.

Policiais Civis em manifestação de greve

Na verdade, a Polícia Civil quer mesmo é aumento salarial, embora tenha conquistado o pleito duas semanas antes do governo Jackson Lago ser cassado.

Os civis estavam em disparada em relação aos militares. Como os milicos tiveram salários elevados, os civis querem mais.

Não custa nada lembrar que o militar passou bom tempo percebendo muito inferior ao civil. Sem esquecer que hoje que enfrenta os bandidos de frente são os militares. Boa parte dos civis nem plantão faz mais.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cerco ao vazamento das gravações de operação federal

Termina amanhã o prazo dado pelo corregedor Hamilton Carvalho ao Tribunal Federal de Recursos da 1ª Região para que determine providências visando apurar o vazamento das escutas telefônicas que envolvem o senador José Sarney e o filho Fernando Sarney.

O conteúdo vazado para a grande imprensa faz parte dos autos do inquérito que corre sob segredo de justiça. Ele tramita na 1ª Vara Federal na Seção Judiciária do Maranhão, tendo sido arquivado desde o início de maio deste.

Ainda em maio, o Conselho Federal estabeleceu que as gravações que não interessam à prova dos fatos apurados serão inutilizadas. Não foi o que se observou. Aliás, não é o que se tem observado desde a data do que foi estabelecido.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Fernando Sarney pede providências sobre vazamento de diálogos

Responsável pela defesa de Fernando Sarney, o advogado Eduardo Ferrão revelou nesta segunda-feira (27) que apresentou à Procuradoria da República no Maranhão um pedido de providências para apurar o vazamento dos diálogos da Operação Boi Barrica. “Apresentei um pedido de providências na procuradoria do Maranhão para saber o que já foi feito para apurar o vazamento das gravações”, confirma Ferrão.

Além do pedido protocolado na última sexta-feira (24), Ferrão deve concluir na tarde desta segunda outros dois documentos que serão remetidos ao Supremo Tribunal Federal (STF) e à Procuradoria-Geral da República (PGR.

Na quarta-feira (22), Ferrão divulgou nota em que classificando como “conduta criminosa” o vazamento das gravações do inquérito da Operação Boi Barrica, que tramita sob segredo de justiça.

O defensor afirmou que Fernando Sarney vai adotar medidas para cobrar a punição dos responsáveis pelo vazamento das gravações e conclui: “A defesa dos ofendidos reitera, por fim, sua confiança na serenidade e discernimento das instituições do País em relação à matéria.”

“O Inquérito, do qual foram retirados os diálogos divulgados pela imprensa, tramita sob segredo de justiça por força de lei, cuja inobservância, esta sim, constitui conduta criminosa”, afirmou Ferrão na nota.

O advogado argumentou que a “propagação (dos diálogos), por meio da internet e outros órgãos de imprensa, constitui flagrante e inaceitável atentado a garantias estampadas na Constituição Federal”.

Ferrão também afirma que as gravações reveladas pelo jornal eram uma “divulgação mutilada” de trechos de longas conversas telefônicas mantidas entre familiares, as quais não revelam a prática de qualquer ato ilícito, argumenta o advogado.

Com informações do G1

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

O estilo de João Alberto

Quando governou o Maranhão por um período de 11 meses, João Alberto estava mais presente junto ao povo. Não foi diferente agora quando ficou pouco mais de 2 meses em substituição a Roseana Sarney que estava em tratamento de saúde.
Ontem, o vice-governador João Alberto participou de um festival em Paulo Ramos, no povoado Galo Duro. E, mais uma vez, surpreendeu.

Como o festival foi à beira de um rio, o vice tirou as calças e caiu na água. Veio preparado. Estava com a roupa de banho por baixo.

A comitiva que acompanhou João Alberto, alguns secretários, foi obrigada a pedir roupas de banho emprestadas e cair na água. O evento reuniu quase 10 mil pessoas.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Construtora quer mais R$ 50 milhões

A empresa que trabalha na reforma do estádio Castelão deu uma de Petra. Queria mais R$ 50 milhões para concluir a obra. A Petra começou a construção da Assembléia Legislativa com R$ 17 milhões e concluiu a obra torrando mais de R$ 80 mihões.
O curioso é que a reforma do Castelão já fez o Governo do Estado pagar R$ 45 milhões dos R$ 52 milhões previsto para a obra. A ex-secretária de Cidade e Infra-Estrtura, Telma Pinheiro, terá que se explicar sobre os valores pagos até agora, assim como o ex-secretário de Esporte e Juventude, Weverton Rocha.
A obra, após vistoria e perícia feitas por órgãos de controle do governo, acabou sendo interditada para novas fiscalizações.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Dona Marly passa bem

Operada ontem à noite pelo doutor Sergio Cecchin, o mesmo que operou o jogador Ronaldo, o Fenômeno, Dona Marly Sarney deve permanecer por mais cinco dias no hospital Sírio Libanês, em São Paulo.
Ela foi operada para corrigir fratura em três parte do ombro esquerdo, após acidente em sua casa, no Calhau.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Serviço de Inteligência da PM prende quadrilha de assaltantes

O Serviço de Inteligência da Polícia Militar conseguiu localizar e prender, na manhã de hoje, 25, uma quadrilha de assaltantes que vinham aterrrizando propritérios de lojas e de outros estabelecimentos comerciais na capital.

Ao todo foram presos sete pessoas, sendo um menor de idade, além de duas mulheres.

Integrantes da quadrilha presa

O bando é suspeito de cometer um assalto na tarde da última sexta-feira ao Varejão dos Calçados, localizado no bairro do Renascença, de onde levaram a quantia de R$ 3 mil reais, além de mais outros assaltos na cidade.

Integrantes da quadrilha presa

Foram presos Raimundo Nonato Teles Albuquerque Filho, 27 anos, Ricardo Sousa Filho, 30 anos, Alan da Silva Marques, 19 anos, Daniel Marreiro da Silva, 29 anos, Jamila Rocha da Silva, 19 anos, Adriana Silva, 18 anos, além de um menor de 17 anos de idade. Todos vinham sendo investigados desde o início do mês.

Os assaltos – Segundo informações da polícia, a quadrilha vinha praticando assaltos na capital desde o início do mês. No dia 6 de Julho eles teriam assaltado o escritório do Varejão dos Calçados de onde levaram a quantia de R$ 30 mil reais.

Na semana passada eles aterrorizaram e assaltaram novamente o Varejão dos Calçados no bairro do João Paulo levando a quantia de R$ 8 mil e o Armazém Paraíba do Centro da cidade, de onde levaram a quantia de R$ 5 mil reais.

Na sexta-feira passada assaltaram o Varejão dos Calçados, localizado no bairro do Renascença, levando R$ 3 mil reais, além de vários sapatos. A quadrilha também é suspeita de praticar assalto a Super Clínica, no bairro da Cohab, ocorrido na última quinta-feira.

“ As características todas condizem com as deles. Estamos aguardando funcionários para fazerem o reconhecimento. Além destes assaltos, são suspeitos de cometerem vários outros assaltos”, contou o policial.

A prisão – A polícia chegou até o bando depois do assalto ao Varejão dos Calçados, no bairro do Renascença, na sexta-feira. A placa da moto que estava estacionada próximo a loja foi anotada por uma pessoa que passava pelo local e percebeu um movimento estranho dentro da loja. Ele anotou a placa e repassou para a polícia.

Moto apreendia pela polícia

Com o número da placa em mãos, a polícia chegou até a residencia de Raimundo Nonato, na Vila Cutia, no bairro São Raimundo. De acordo com um dos funcionários do Varejão dos Calçados, ele (Raimundo Nonato) é ex gerente da loja.

“Pra nós foi uma surpresa muito grande. Ele já tinha sido gerente de três lojas do Varejão aqui em São Luís e uma vez em uma loja do Varejão em Imperatriz”, conta o funcionário Cleomar Costa.

Raimundo Nonato acabou informando aonde o restante do bando estava. Todos estavam morando a cerca de dois meses em um sítio localizado na Rua 5, Vila Epitácio Cafeteira, no Maiobão. Eles foram presos na manhã de ontem por volta das 6hrs30min.

“ Eles são todos da área do Sacavém e estavam homiziados neste sítio. O adrianinho é conhecido da polícia e depois do assalto foi reconhecido por foto.

Com esta informação e com a placa da moto em mãos ficou mais fácil de chegarmos até o bando e tirá-los de circulação”, ressaltou o policial.

Depois de detidos o bando foi encaminhado para o Plantão da Beira Mar e autuados por porte ilegal de armas, assalto a mão armada e formação de quadrilha. Em seguida foram encaminhados para o Centro de Triagem em Pedrinhas, onde ficarão à diposição da justiça.

Mercadoria apreendida pela polícia

Apreensão – Com a quadrilha foram apreendidos certa quantia em dinheiro, um revólver calibre 38 com cinco munições, oito celulares, vários cartões de créditos, dois capacetes e uma moto, além de caixas de sapatos.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Gravações manipuladas no Maranhão

No entendimento do senador José Sarney, os trechos das gravações dos telefones do filho Fernando Sarney, vazados para a grande imprensa, foram selecionados aqui mesmo no Maranhão.

Sarney expliciutou que 30 gravações efetuadas pela Polícia Federal constavam de um inquérito que corre sob segredo de justiça. Aqui está o nó da questão.

O presidente do Senado Federal deixa claro que a PF não pode ser responsabilizada pelo vazamento das gravações e deixa entendido, nas entrelinhas, que a imprensa teve acesso ao material grampeado porque obteve facilidades na Justiça.

Daí é fácil concluir que o senador José Sarney ou seu filho Fernando Sarney estão com inimigos dentro da Justiça Federal do Maranhão. Seria, então, algum juiz querendo derrubar Sarney da presidência do Senado ou vingar-se de algum episódio que ainda não saiu da memória?

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.