Lula pede 'muito cuidado' com denúncias contra Sarney

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a sair em defesa nesta quarta-feira do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e disse que as denúncias de irregularidades na fundação que leva o nome do parlamentar devem ser tratadas “com muito cuidado”. Lula, que já havia declarado que Sarney deveria ser tratado de forma diferente dos demais cidadãos, disse ser contra o afastamento temporário do senador e afirmou que o peemedebista tem agido corretamente para debelar a crise que assola o Congresso.

“Não se trata de dar apoio ao Sarney ou ser contra o Sarney. Se trata que, na medida em que se levanta a denúncia, se faça a apuração. Acho que as coisas estão sendo feitas corretamente no Senado. O Sarney pediu à (Fundação) Getúlio Vargas para fazer uma investigação e apresentar uma proposta de administração do Senado. O Sarney pediu para a Polícia Federal fiscalizar as denúncias de emprego. As coisas estão sendo feitas”, comentou.

“Se cada pessoa renunciar quando alguém faz uma denúncia sem provas e antes de ser provado, o Brasil não vai ter (ninguém). Nós precisamos tomar muito cuidado, muito cuidado porque se cada vez que sair uma denúncia contra você a gente pedir para o jornal afastar você, não vai ter mais jornalista no cargo, não vai ter mais presidente do Senado, não vai ter mais ninguém no cargo. É preciso que a gente respeite apenas a seriedade (com que a crise vem sendo conduzida)”, ressaltou Lula após participar de almoço em homenagem ao novo presidente da Embrapa, Pedro Arraes.

“Há 18 anos o Sarney tem a fundação dele. Tem denúncia, investiga. (Deve-se questionar se) A denúncia tem fundamentos? Tem. Apura-se. Apurou-se? Aí toma a atitude que quiser porque senão a gente fica criando crise desnecessária. O Senado só tem gente experiente. Você acha que tem algum bobo no Senado? O bobo é o que não foi eleito. Os espertos estão todos eleitos”, declarou.

Ao comentar a crise no Senado, o presidente Lula disse que não poderia opinar sobre o que deveria ser feito, mas relatou um episódio em que o então presidente da Câmara dos Deputados, Ulysses Guimarães, o ensinou que no Congresso não existia “bobo”.

“Ele (Ulysses) disse que os que não sabem de nada são os suplentes. Ninguém é eleito à toa. Não sou senador. Não me perguntem o que o Senado vai fazer. Já tenho um trabalho imenso para tomar conta do governo. Como é que eu vou tomar conta do Senado? O Senado tem maioridade”, declarou, lembrando que, enquanto não houver condenação, todas as pessoas devem ser tratadas como inocentes.

“Estou convencido de que todas as pessoas são inocentes até que se prove o contrário. Todas as denúncias são carecedoras de investigação. Se aprovada (a investigação), seja o presidente da República, o do Senado, o da Câmara ou o presidente do jornal que vocês trabalham, todos têm que ser punidos. Mais do que isso, o que eu posso falar? Eu não sou juiz, não tenho como punir as pessoas”, disse Lula.

Ao defender Sarney, o presidente chegou a citar o caso do ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau, que pediu demissão do cargo após ter sido acusado de receber propina da empreiteira Gautama para facilitar a entrada da construtora em projetos do governo federal. “Haverá um dia em que o Brasil pedirá desculpas ao ministro Silas porque inventaram que ele tinha dinheiro dentro de um envelope. Ele não voltou ao governo apenas por cautela. Na medida em que a pessoa é indiciada, pelo bem da pessoa às vezes a própria pessoa pede para se afastar. Às vezes as pessoas pagam um preço muito pesado e quando no processo é inocentada não aparece nenhum vizinho para pedir desculpas à pessoa”, avaliou o presidente Lula.

Com informações do Terra

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Lula pede ‘muito cuidado’ com denúncias contra Sarney

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a sair em defesa nesta quarta-feira do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e disse que as denúncias de irregularidades na fundação que leva o nome do parlamentar devem ser tratadas “com muito cuidado”. Lula, que já havia declarado que Sarney deveria ser tratado de forma diferente dos demais cidadãos, disse ser contra o afastamento temporário do senador e afirmou que o peemedebista tem agido corretamente para debelar a crise que assola o Congresso.

“Não se trata de dar apoio ao Sarney ou ser contra o Sarney. Se trata que, na medida em que se levanta a denúncia, se faça a apuração. Acho que as coisas estão sendo feitas corretamente no Senado. O Sarney pediu à (Fundação) Getúlio Vargas para fazer uma investigação e apresentar uma proposta de administração do Senado. O Sarney pediu para a Polícia Federal fiscalizar as denúncias de emprego. As coisas estão sendo feitas”, comentou.

“Se cada pessoa renunciar quando alguém faz uma denúncia sem provas e antes de ser provado, o Brasil não vai ter (ninguém). Nós precisamos tomar muito cuidado, muito cuidado porque se cada vez que sair uma denúncia contra você a gente pedir para o jornal afastar você, não vai ter mais jornalista no cargo, não vai ter mais presidente do Senado, não vai ter mais ninguém no cargo. É preciso que a gente respeite apenas a seriedade (com que a crise vem sendo conduzida)”, ressaltou Lula após participar de almoço em homenagem ao novo presidente da Embrapa, Pedro Arraes.

“Há 18 anos o Sarney tem a fundação dele. Tem denúncia, investiga. (Deve-se questionar se) A denúncia tem fundamentos? Tem. Apura-se. Apurou-se? Aí toma a atitude que quiser porque senão a gente fica criando crise desnecessária. O Senado só tem gente experiente. Você acha que tem algum bobo no Senado? O bobo é o que não foi eleito. Os espertos estão todos eleitos”, declarou.

Ao comentar a crise no Senado, o presidente Lula disse que não poderia opinar sobre o que deveria ser feito, mas relatou um episódio em que o então presidente da Câmara dos Deputados, Ulysses Guimarães, o ensinou que no Congresso não existia “bobo”.

“Ele (Ulysses) disse que os que não sabem de nada são os suplentes. Ninguém é eleito à toa. Não sou senador. Não me perguntem o que o Senado vai fazer. Já tenho um trabalho imenso para tomar conta do governo. Como é que eu vou tomar conta do Senado? O Senado tem maioridade”, declarou, lembrando que, enquanto não houver condenação, todas as pessoas devem ser tratadas como inocentes.

“Estou convencido de que todas as pessoas são inocentes até que se prove o contrário. Todas as denúncias são carecedoras de investigação. Se aprovada (a investigação), seja o presidente da República, o do Senado, o da Câmara ou o presidente do jornal que vocês trabalham, todos têm que ser punidos. Mais do que isso, o que eu posso falar? Eu não sou juiz, não tenho como punir as pessoas”, disse Lula.

Ao defender Sarney, o presidente chegou a citar o caso do ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau, que pediu demissão do cargo após ter sido acusado de receber propina da empreiteira Gautama para facilitar a entrada da construtora em projetos do governo federal. “Haverá um dia em que o Brasil pedirá desculpas ao ministro Silas porque inventaram que ele tinha dinheiro dentro de um envelope. Ele não voltou ao governo apenas por cautela. Na medida em que a pessoa é indiciada, pelo bem da pessoa às vezes a própria pessoa pede para se afastar. Às vezes as pessoas pagam um preço muito pesado e quando no processo é inocentada não aparece nenhum vizinho para pedir desculpas à pessoa”, avaliou o presidente Lula.

Com informações do Terra

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

MP notifica e ameaça "condução coercitiva"

Fui notificado agora à tarde pelo Ministério Público Estadual. Não sei qual a razão. Aliás, o promotor não explica o motivo da notificação.

O promotor Márcio Thadeu Silva Marques, titular da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude, faz velada ameaça caso eu não compareça ao Ministério Público no dia 23 deste, às 10h.

Se não comparecer, o promotor promete que serei conduzido coercitivamente, pela força pública do Estado, no caso a Polícia Militar.

Conduzido de forma coercitiva como se fosse um marginal. Repito: não sei o motivo da notificação, mas não quero acreditar que esteja relacionado a um dos colégios mais poderosos da capital, em que denunciei reclamação de um pai de uma menor que teria quase que assediada por um tarado, que não faz parte do corpo da escola.

Estranhei que hoje são 15 e o Ministério Público tenha marcado a data do depoimento já no dia 23. Não percebi nenhuma ação ou zelo da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude quando dois deputados foram denunciados por abuso sexual contra menores.

Casas e prostíbulos com menores sendo usados sexualmente se proliferam no centro, em bairros nobres e na periferia da cidade e não vejo a ação enérgica do Ministério Público. Estarei lá, na hora, e data marcada.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

MP notifica e ameaça “condução coercitiva”

Fui notificado agora à tarde pelo Ministério Público Estadual. Não sei qual a razão. Aliás, o promotor não explica o motivo da notificação.

O promotor Márcio Thadeu Silva Marques, titular da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude, faz velada ameaça caso eu não compareça ao Ministério Público no dia 23 deste, às 10h.

Se não comparecer, o promotor promete que serei conduzido coercitivamente, pela força pública do Estado, no caso a Polícia Militar.

Conduzido de forma coercitiva como se fosse um marginal. Repito: não sei o motivo da notificação, mas não quero acreditar que esteja relacionado a um dos colégios mais poderosos da capital, em que denunciei reclamação de um pai de uma menor que teria quase que assediada por um tarado, que não faz parte do corpo da escola.

Estranhei que hoje são 15 e o Ministério Público tenha marcado a data do depoimento já no dia 23. Não percebi nenhuma ação ou zelo da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude quando dois deputados foram denunciados por abuso sexual contra menores.

Casas e prostíbulos com menores sendo usados sexualmente se proliferam no centro, em bairros nobres e na periferia da cidade e não vejo a ação enérgica do Ministério Público. Estarei lá, na hora, e data marcada.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Senador aliado de Renan e Sarney é eleito presidente da Comissão de Ética

Conforme o blogue antecipou, o senador Paulo Duque (PMDB-RJ) foi eleito no período da tarde para a presidência do Conselho de Ética do Senado Federal.

Duque é aliado de Sarney e de Renan Calheiros. Ambos estão com representações contra eles no Conselho de Ética. Sarney tem três e Renan duas.

O presidente do Conselho de Ética tem prerrogativas para sumariamente arquivar representações ou ações contra senadores, conforme estabelece o estatuto da Casa.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

A estrela de Sarney

Além de talento, o senador José Sarney tem muita sorte no campo político. No olho do furação, foi salvo pelas mãos do presidente Lula.

Agora, hoje, com a Comissão de Ética, que será formada no período da tarde, Sarney tinha oito votos dos 14 componentes.

Para sua sorte, desisitiu de participar como candidato a presidente o senador Carlos Valadares (PSB), que era dado como vitorioso. Valadares é do grupo de oposição a Sarney.

Com a desistência, aumentam as chances do senador Paulo Duque PMDB-RJ), do grupo que defende Sarney, de ser o presidente da Comissão de Ética.

O presidente da comissão tem a prerrogativa de rejeitar sumariamente as denúncias e representações contra senadores. Já disse tudo.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cuidado com as nomeações

O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Marcelo Tavares, deve tomar cuidado com as nomeações por indicações de colegas parlamentares.

Foi publicada recentemente a nomeação para cargo Isolado de uma pessoa que é aposentado como secretário de Estado pelo próprio Legislativo e que acumula outro cargo em uma secretaria. Ou seja: ganhará três vezes dos cofres estaduais.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Sarneu sem apoio entre os seus

O senador José Sarney começa a sentir nos ombros o peso da cruz. Hoje, no período da tarde, alguns senadores não mais pediram apenas seu licenciamento da presidência do senado Federal. Querem dele a renúncia ao cargo.

Sarnei ainda tem o apoio do presidente Lula, mas enfrenta enorme resistência dentro do PT lulista, principalmente no Senado.

Aos poucos a sua maioria que emprestava apoio vai se reduzindo. Continuo acreditando que tudo não passa de uma campanha para enfraquecê-lo e atingir o presidente Lula.

Mas Sarney virou a bola da vez. A imprensa nacional pautou Sarney até reduzí-lo a nada. Para os grandes jornais e revistas a renúncia de Sarney ao cargo é pouco. Se possível tirá-lo do mandato.

Aqui no Maranhão o presidente do Senado Federal não tem encontrado defesa nem mesmo dos seus veículos de comunicação.

Ontem, a Assembléia Legislativa aprovou moção de apoio ao senador. Nem uma nota no O Estado do Maranhão. Nem mesmo comentário nas rádios e TV Mirante.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Corpo de empresário é encontrado na Lagoa

O corpo do empresário Maurício Costa Gomes, 37 anos, foi encontrado, na manhã desta terça-feira, 14, na área de mangue próxima ao Mirante da Lagoa da Jansen, (a menos de 150 metros do Posto da PM no local). Ele foi achado por dois policiais florestais que trabalhavam no local. A identificação foi feita pelos familiares da vítima.

Corpo de Maurício Costa

Um dos guardas contou que estavam no Mirante e abordaram um homem suspeito no matagal. Acompanhado do outro colega de profissão, disse que resolveu continuar a ronda no manguezal. Eles acabaram encontrando o corpo do empresário de bruços com a mesma roupa que trajava no dia de seu desaparecimento, além da garrafa de água que levava no dia em que saiu de casa.

Corpo de Maurício Costa; carregado pelos perítos do IML

As suspeitas são de que o empresário tenha sido assassinado com um tiro na cabeça.

Desaparecimento

No último dia 25, por volta das 14h59, o empresário teria saído do apartamento, no bairro do Renascença II, de calção, camisa e uma garrafa de água para caminhar na Lagoa da Jansen e não foi mais visto. Os familiares de Mauíricio registraram o desaparecimento dele no 9º Distrito Policial, no bairro do São Francisco e ainda espalharam cartazes em vários pontos da cidade.

Maurício Gomes trabalhava no ramo de venda de veículos. A previsão da polícia é de que o laudo do Instituto de Criminalística apontando a causa da morte do empresário seja divulgado em dez dias.

Com informações de Imirante

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Aluísio sem habilitação

O comandante Aluísio, secretário-adjunto de Segurança, não tem habilitação para pilotar aeronaves do tipo helicóptero. Já foi alertado pela agência nacional que monitora vôos de helicóptero, mas como vive no Maranhão as leis não são respeitadas.
Membro da Polícia Federal, Aluísio deve ser destaque de páginas de importante revista nacional. A matéria tratará sobre as atividades do GTA.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.