Presença de Lula em Bacabeira não empolgou

A presença do presidente Lula na inauguração da pedra fundamental da refinaria Premiun, em Bacabeira, não empolgou. Ou melhor, não atraiu a população da cidade e muito menos dos municípios mais próximos.

De acordo com informações prestadas pelo cerimonial da presidência da República ao jornal o Estado de São Paulo, apenas 500 pessoas participaram do ato.

Soube que os prefeitos de Rosário e Santa Rita, com população superior a 60 mil, e mais o de Bacabeira, com cerca de 20, deram todas as condições para reunir expressivo número de pessoas ao local. Fracassou.

E tem quem aposte no pé frio do senador José Sarney. E na falta de sorte da governadora Roseana Sarney.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

O mundo chora a tragédia no Haiti e Lula faz farra no Maranhão

Enquanto o mundo inteiro chorava a tragédia ocorrida no Haiti, o presidente Lula participava de uma farra, regada a uisque, comida típica maranhense e frutos do mar, na noite de quinta-feira no Palácio dos Leões.

Com a presença de políicos maranhenses, de dois ministros (Lobão e Dilma) a farra nos Leões passou da meia noite.

Um dia antes de chegar a São Luís, Lula recomendou ao seu cerimonial que suspendesse da agenda a farra no Palácio dos Leões. Pelo visto, não resistiu.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Dilma quer comparar os governos FHC e Lula

Em resposta ao provável candidato do PSDB à Presidência, governador José Serra, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), defendeu ontem a comparação entre as gestões Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso, dando o tom do que deverá ser seu discurso de candidata. “Quem não quer discutir o momento Lula é porque se incomoda com as comparações”, afirmou.

“Quando você está numa disputa, não quer saber só a fala, nem o povo brasileiro se conforma só com o que você prometeu. Então, comparar o governo Lula com qualquer outro período é a forma de podermos chegar ao povo. Olho no olho, com respeito, e dizer: está aqui o que fizemos”, afirmou a ministra depois de participar ao lado de Lula do lançamento da pedra fundamental de uma refinaria da Petrobrás em Bacabeira, a 60 quilômetros de São Luís, no Maranhão.

Na quinta-feira, Serra disse ao Estado que, caso venha a ser candidato, pretende fazer uma campanha apontando “coisas para o futuro”. Serra é contra a antecipação do debate eleitoral. Avalia ser uma armadilha imposta pelo governo federal para pautar a campanha com comparações entre as gestões Lula e FHC – pesquisas encomendadas pelo PSDB mostram preferência do eleitorado pela atual administração.

Dilma, no entanto, criticou a tentativa do tucano de evitar o debate plebiscitário. “Nunca o Brasil, quando eles governaram, cresceu e distribuiu renda. Então não há motivo para eu fingir que não sei disso. Por que vamos vetar essa discussão? A quem interessa esse veto?”, indagou a ministra.

Enquanto os petistas querem colar em Serra as digitais do governo FHC, os tucanos pretendem que a discussão eleitoral seja sobre quem tem mais condição de dirigir o País no futuro – o “pós-Lula”, como diz o governador de Minas, Aécio Neves.

Para Dilma, no entanto, o pós-Lula está sendo “plantado” agora. “O pós-Lula está sendo feito pelo Lula. É esse o grande problema do governo Lula, que incomoda muito, por isso que é um problema para alguns”, disse. A ministra deixou explícita qual será sua resposta para os que lhe perguntarem se seu governo será a continuidade do de Lula: “Continuar o governo Lula é fazer tudo igual? Não, para nós do governo continuar o governo Lula é avançar.”

Dilma fez uma crítica indireta ao PSDB ao citar uma das principais bandeiras da gestão tucana, o ajuste fiscal. “Ruim era aquele negócio corta daqui, corta dali”, argumentou. “Nós estamos numa outra fase no Brasil. E vamos ter de aprender a lidar com esse momento. Em vez de ser choque de gestão, corta investimento, corta consumo, nós estamos em outra”, completou Dilma, ao citar uma das vitrines do PSDB, o “choque de gestão” implementado por Aécio em Minas.

QUÍMICA

Em seu discurso, Lula exaltou os investimentos que seu governo tem feito no Nordeste. Sem citar nomes, criticou os governantes que só olham para o “umbigo” e não veem a “totalidade do território”. Disse também que a “sabedoria do coração”, de lidar com os mais pobres, “não se aprende na faculdade”.

“Ninguém ensina a gente a ter sinceridade. Isso vem da alma da gente. Lamentavelmente não tem curso para isso. Essa é a química entre a espécie humana”, afirmou Lula para uma plateia de cerca de 500 pessoas.

Com informações do Estadão

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Roseana não apóia candidatura de Luciano Moreira

lucianomoreira1
A deputada federal Nice Lobão, que sempre se elegeu com expressivas votações, desistiu da reeleição por motivo de saúde.

Para substituí-la, a família do ministro Edison Lobão optou pelo nome do secretário de Administração, Luciano Moreira.

O secretário, que fazia parte do governo do Amapá, sairia candidato a deputado federal por lá. Mas aceitou o convite de Roseana, com a condição de que teria o apoio dela para disputar uma vaga à Câmara Federal.

Só que até agora a governadora não sinalizou nenhum apoio ao seu secretário. Nem fez gestões a nenhum prefeito para ajudar Luciano Moreira, que tem se virado sozinho.

Em São José de Ribamar, o prefeito Luis Fernando sempre apoiou a deputada Nice Lobão. Mas ainda não se decidiu por Luciano Moreira atendendo orientações da própria Roseana Sarney. Quer mais exemplos? Depois eu conto.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prefeita de Timon persegue aliada de Roseana Sarney

A Estrela da Manhã, entidade funciona em imóvel alugado e está subjudice pelo fato de ano passado o proprietário (já falecido), ter sido contactado pela Secretaria de Educação para romper o contrato do imóvel com Cláudia Regina e alugar o mesmo para a referida Secretaria, o que levou a presidente da entidade a entrar com uma ação no Juizado Especial de Pequenas Causas, cuja ação ainda se encontra em trâmite.
Desde o ano passado a Secretaria de Educação vinha ameaçando romper o convênio por causa da Professora Cláudia Regina, que é também Presidente do PTB Mulher da cidade, ter apoiado nas eleições de 2006 ainda no primeiro turno a então candidata ao governo do Maranhão, Roseana Sarney, ao contrário da Prefeita e seu grupo que apoiou o candidato Edison Vidigal.
Somente no último final de semana a presidente do Centro Educacional Estrela da Manhã tomou conhecimento de que já estava sendo negociada a compra do prédio pela Secretaria Municipal de Educação, numa ação clara de perseguição pessoal à Professora Cláudia Regina, considerando que existem outros imóveis no bairro que poderiam ser adquiridos pela Secretaria para construção de mais escolas.
A atitude de Socorro Waquim não atinge somente à professora Cláudia, mas também ao PTB, partido da base de apoio da governadora, que no Maranhão é presidido pelo deputado federal Pedro Fernandes.
A Estrela da Manhã vai continuar o seu trabalho até a decisão final da Justiça, caso a prefeita insista na perseguição.
– Mesmo sendo perseguida, vamos continuar no prédio até a decisão da justiça, adotando, inclusive, todas as providências para a regularidade das matrículas dos alunos – avisou a professora Cláudia.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Flávio Dino reafirma candidatura a governador

Do Blog de Flávio Dino:

Flavio Dino 2Intensificaram-se nos últimos dias os debates acerca de minha pré-candidatura a governador. Isso é muito bom, pois demonstra o enorme potencial de polarização e crescimento da candidatura.

Reitero mais uma vez a nossa crença fundamental: a esquerda maranhense, o campo democrático-popular, os progressistas precisamos ter uma alternativa própria na eleição estadual do Maranhão. Uma alternativa que nos tire do atraso, olhando para a frente, para o futuro. Não há nenhum fato novo que altere essa visão, já tantas vezes manifestada.

Sou o presidente estadual do PCdoB e componho a sua direção nacional, inclusive a comissão executiva (comissão política nacional). Em todas as instâncias partidárias temos debatido a situação do Maranhão, e até aqui as deliberações são todas no mesmo sentido: manter a pré-candidatura e viabilizá-la, com a celebração de alianças políticas e sociais.

Subjetivamente, estou feliz e tranquilo, pronto para uma grande batalha. Quando decidi renunciar ao cargo de juiz federal, depois de 12 anos de exercício de tão estimada função, demonstrei estar disposto a desempenhar todas as tarefas que fossem necessárias para a construção de um Brasil e de um Maranhão à altura das nossas esperanças.

Portanto, qualquer mudança de rumos não depende da minha vontade pessoal. E sim de um debate amplo e público, no âmbito do meu partido e dos demais partidos que manifestam uma simpatia inicial em favor do meu nome.

Assim seguiremos, sem ansiedades, e com muita dedicação à causa da transformação de nossa sociedade.

Mais uma vez, aí vai: o PCdoB apresenta a pré-candidatura de Flávio Dino para governador do Maranhão. E eu aceito, com muita alegria e disposição.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Empresa contratada por Murad construiu a mansão de Sarney

casa do calhauA construtora Fujita, que vai reformar o hospital Carlos Macieira, o Hospital do IPEM, com dispensa de licitação, ao valor estratosférico de R$ 38 milhões, construiu a mansão do senador José Sarney, no Calhau, no final da década de 70.

A empresa, que pertence a um oficial reformado do Exército, com residência em Fortaleza, antes levava o nome de Construtora Estrela.

A primeira obra feita no Maranhão foi o Hospital do IPEM no início do governo de João Castelo. Paralelamente, edificiou a casa de Sarney.

“O que há de comum entre o Hospital do IPEM e a Mansão de Sarney no Calhau? São gêmeos univitelinos. Foram gerados pelo mesmo empreiteiro e pagos pela mesma fonte. Exemplo perfeito da simbiose entre o público e o privado”, diz o ex-deputado Aderson Lago, em artigo assinado.

A Fujita, que quando consultada na internet aparece como o nome de Estrela, é especializada na edeficação de templos evangélicos, principalmente os da Igreja Universal do Reino de Deus.

No governo de José Reinaldo Tavares, a Fujita ganhou as obras do Projeto Alvorada, do Governo Federal. Deixou inconclusas a maioria para perfuração de poços e sistema de abascimento de água. Porém, levou a grana como se tivesse executado todas as obras.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Lula critica oposição e diz que revidará agressões

Folha Online, em Brasília
lula e dilma
No primeiro discurso do seu último ano de mandato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva desafiou nesta terça-feira a oposição a promover um debate de “alto nível” na disputa eleitoral deste ano. Lula disse que, apesar dos seus adversários insistirem em promover “agressões”, está preparado para enfrentá-los de igual para igual.

“Pelos sinais que eu vi, na ausência de discurso programático, vale chutar do peito para cima. O que eles [oposição] não sabem é que eu sou capoeirista. Eu estou muito preparado para não deixar a coisa chegar no meu peito”, afirmou.

No discurso durante o lançamento de ações do programa Minha Casa, Minha Vida, Lula disse esperar que seus adversários “letrados” mantenham o nível da disputa eleitoral. “Eu estou imaginando que, como os meus adversários sãs todos muitos letrados, vão querer fazer debate de alto nível, programático, quem vai fazer mais. Espero que seja isso”, afirmou.

O presidente fez um apelo a prefeitos e governadores para que “não permitam que a relação institucional entre os entes federados sofra qualquer problema por conta de uma eleição” porque “uma eleição passa, e a vida continua”. Lula disse que “tudo é muito quente” no período eleitoral, por isso já identificou o “perfil” que será adotado pelos seus opositores até outubro –mês das eleições.

“Vocês estão vendo o perfil do tipo de disputa que vai ter, o tipo de agressões, insinuações”, afirmou.

O presidente disse que não vai adotar o estilo “Lulinha paz e amor” em 2010, mas garantiu estar “convicto” do resultado das eleições deste ano, apesar do “jogo rasteiro” de seus adversários.

“Estou tão convicto do que vai acontecer nesse país, no processo eleitoral, que nada, absolutamente nada vai fazer com que eu perca um milímetro do meu bom senso e desviar esse país do caminho que estamos hoje. Não há hipótese. Não permitam que o jogo rasteiro de uma campanha eleitoral estrague a grandeza da relação que conseguimos construir em nosso país”, afirmou.

Ao firmar convênios do programa Minha Casa, Minha Vida, Lula disse que o governo vai “reparar os desmandos feitos” no país, especialmente a “inexistência de projetos”.

“Governadores, pelo amor de Deus, trabalhem com projetos. Projeto é que nem fotografia do filho da gente, a gente compra. Agora, só pedir dinheiro, é difícil. Prefeitos, vocês têm três anos de mandato. Se não têm projeto ainda, dediquem-se a eles. Não existe mais espaço para a pequenês política. Se vocês tiverem projetos, posso garantir que com projeto na mão não falta dinheiro”, afirmou.

Minha Casa, Minha Vida

Em ano eleitoral, o governo vai destinar este ano R$ 1 bilhão para o programa Minha Casa, Minha Vida, além de R$ 2 bilhões do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) para o programa Pró-Moradia por meio do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). O Minha Casa, Minha Vida atende à população que vive em cidades com até 50 mil habitantes, com renda até R$ 1.395.

A liberação dos recursos no ano passado foi por meio de medida provisória aprovada pelo Congresso Nacional. A MP ampliou a abrangência do programa para todos os municípios brasileiros e reservou R$ 1 bilhão para a construção de moradias populares em municípios com até 50 mil habitantes.

Inicialmente, o governo federal havia restringido o pacote habitacional para cidades com mais de 100 mil habitantes, mas os parlamentares ampliaram o pacote para todos os municípios.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Desempenho do PAC é ruim no Maranhão

Por: José Reinaldo Tavares

Recebi uma publicação do Governo Federal sobre o desempenho do PAC no Maranhão. A descrição que faz é completa e traz a relação por setor de todas as obras e ações no estado, incluindo informações sobre o estágio em que se encontram. Infelizmente, fica bastante fácil concluir que, exceto a área “Territórios da Cidadania”, onde naturalmente se inclui o Bolsa Família, a execução do PAC aqui é sofrível.

Ao todo são 500 eventos listados para o Maranhão. Eles são separados em Infraestrutura Logística, Infraestrutura Energética, Empreendimentos Regionais e Infraestrutura Social e Urbana. Desses 500 eventos, somente 85 estão em obras e 18 estão concluídos. Ou seja, somente 20% do total caminharam. O resto dos eventos, segundo o descritivo, encontra-se em diversas fases. Entretanto, a grande maioria dos projetos que não deslancharam consta na lista sob a classificação de ‘Ação Preparatória’.

Examinando cada uma dessas classificações encontramos:

Infraestrutura Logística- Eles subdividem essa classificação em duas: a de Empreendimentos Exclusivos e Empreendimentos Regionais (obras feitas em outros estados que teoricamente podem beneficiar o Maranhão). Na primeira são 17 eventos. Destes, três estão em obras e seis concluídos. Nessa classificação, os concluídos não possuem especificação e são genéricos, tais como manutenção de rodovias, sinalização e estudos e projetos.

Em obras, podemos citar o Porto do Itaqui, cujo estudo elenca a construção do berço 100 e a recuperação dos berços 101 e 102, além da dragagem dos berços 101 e 103 iniciados no meu governo. Os outros classificados como “em obras” abrangem a instalação de balanças e sinalização de rodovias, a duplicação da BR 135 e acesso ao Porto do Itaquí, que também se arrasta há vários anos. Como se vê, nada extremamente importante para o estado.

Já nos empreendimentos regionais temos quatro eventos, a saber: uma obra concluída (trecho da Ferrovia Norte Sul entre Aguiarnópolis e Araguaína) e outras três ainda não iniciadas.

Continuando, temos o item Infraestrutura Energética com 10 eventos, sendo três destes já em obras. As obras são a Termelétrica a carvão no Itaqui (nesses tempos de economia de baixo carbono…) e duas termelétricas a óleo (uma em Nova Olinda e a outra em Tocantinópolis). Frise-se que todas elas são empreendimentos privados financiados pelo BNDES, o que talvez justifique o motivo para sua inclusão como obra do governo. Além disso, consta a Linha de Transmissão São Luís II e III e a Subestação Miranda 500/230 KV. Ainda nesse item, o evento concluído é a Fabrica da Brasil Ecodiesel (biodiesel) inaugurada quando eu era governador.

Seguindo neste setor, temos os empreendimentos regionais com 18 eventos, sendo um deles em obras, que é a Usina de Estreito. Os outros estão classificados como em execução e incluem os vários levantamentos da Petrobras e da CPRM.

Em Empreendimentos Exclusivos encontramos, em letras pequenas, a Refinaria Premium I, que está classificada como “Ação Preparatória”, comprovando o que sempre dissemos e repetimos aqui: esse é um projeto ligado ao Pré-Sal que não tem nada a ver com esse governo do estado, e que, portanto, não é para 2010. Inexistem ainda osestudos e projetos que balizariam sua construção. Se Lula vier este mês lançar a terraplenagem estará apenas fazendo política. Ressalte-se nesse ponto a Refinaria Abreu e Lima,de Pernambuco, que há cinco anos teve iniciada a terraplenagem enada mais.

Por fim, na Infraestrutura Social e Urbana que se subagrupa nas seguintes divisões: divisão Estratégia, divisão Saneamento e divisão Habitação, Urbanização e Produção Habitacional.

Na primeira, temos o Programa Luz Para Todos, em obras. Na segunda, constam 31 eventos e 9 em obras (estes todos em São Luis, Timon, Bacabal, Caxias e Codó). Na divisão Saneamento ‘Funasa’ temos 294 eventos, 32 deles em obra e 9 concluídos. E na terceira temos 125 eventos, com 37 em obras e um concluído.

Pois bem, este é o PAC no Maranhão. O que se pode dizer ao ler o relatório? Que o Maranhão não tem praticamente nenhuma obra fundamental em andamento. E no pouco que escapa da afirmação anterior, o atraso é terrível na execução.

Agora vejam que, embora sem menção no documento, resta-nos falar sobre o PAC do Rio Anil. Tenho visto que, no advento do período eleitoral, muita gente se auto-impinge a alcunha de executor do Promorar, que foi um programa feito na década de 80 em São Luís, nos bairros da Camboa e da Liberdade.

Na verdade, o Promorar foi um programa do DNOS na minha gestão como Diretor Geral do órgão. Foi criado a pedido do Ministro Mário Andreazza, que queria dar uma solução para a Favela da Maré, perto da Ilha do Fundão no Rio. Fizemos um convênio com o BNH, que entrava com os recursos e com a fiscalização e o DNOS com os equipamentos de dragagem e a parte técnica.

Fizemos a “Ilha do João”, onde foram assentados os moradores das palafitas da área, atendendo o que queria o ministro e depois estendemos o programa para São Luís, para os Alagados de Belém e para Recife, entre outros.

Esse programa, que ajudou tanta gente, libertando-as de palafitas, voltou no meu governo, quando começaram as primeiras tratativas com o governo federal para solucionar o problema das palafitas em São Luís. Esse projeto, mais tarde, transformou-se no chamado PAC do Rio Anil.

Esse programa estava a cargo da Secretaria das Cidades, que criei e inicialmente foi dirigida por Arnaldo Melo e depois chefiada por Gardênia Gonçalves. Quando Jackson Lago assumiu o governo do Maranhão, em 2007, deu prioridade total ao programa, que tomou forma definitiva e ia muito bem, mas com a sua saída está paralisado.

Contudo, como era de se esperar, Roseana Sarney se aproveitou da única grande obra em andamento quando Lula esteve aqui e inaugurou, com ele, alguns prédios de apartamento para a população que vivia em moradias sub-humanas. Depois disso, parou tudo. E o projeto, além da grande importância social de melhorar as condições de vida de muita gente, continha uma solução para as invasões, acabando com as palafitas e dotando a cidade de importante via urbana que iria melhorar muito o tráfego dessa região, além de servir como contenção para qualquer tipo de expansão além do seu traçado.

É… agora só quando Flavio Dino ou Jackson Lago ou, talvez, Roberto Rocha assumir o governo que foi tomado da população por meio de um golpe de estado jurídico, como bem classificou o ex-ministro do STF Francisco Resek.

O ex-governador José Reinaldo Tavares escreve para o Jornal Pequeno às terças-feiras

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão perde obra da refinaria Premium

lula-e-roseana-maranhao1
O presidente Lula confirmou sua vinda a São Luís na próxima sexta-feira, dia 15. Virá lançar a pedra fundamental e assinar o primeiro contrato dos serviços de terraplenagem da refinaria Premium, com sede em Bacabeira.

Os serviços de terraplenagem, segundo o secretário de Indústria e Comércio, Maurício Macêdo, só deverão ser iniciados depois do período invernoso, após o mês de julho. Mas a Petrobrá informou que não gastará nenhum recurso na refinarias em construção no Nordeste no ano de 2010.

Foi armada uma licitação no Maranhão para que a empresa vencedora do certame fosse a Ediconsil, do empresário Fernando Cavalcante, conhecido como Fernandão, amigo do secretário de Saúde, Ricardo Murad.

Pelo esquema armado, duas empreteiras apresentaram propostas de até R$ 65 milhões para os serviços de terraplenagem. E a de Fernandão ganharia com o menor preço: R$ 24 milhões.

Desconfiada, a Petrobrás ampliou o processo licitatório e acabou vencendo uma construtora de Recife, ao valor de R$ 16 milhões. Uma diferença, portanto, de R$ 8 milhões.

Uma empresa do Maranhão ganhou o certame para garantir a segurança do local, em Bacabeira. Prova de que estamos aptos apenas para ficar guardando a refinaria. Ou no máximo o almoxarifado.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.