Castelo prega mudanças I

Ao contrário dos pré-candidatos a prefeito de São Luís da base dos governos estadual e municipal, que sustentam suas campanhas com a promessa de prosseguir o estilo administrativo do prefeito Tadeu Palácio, o ex-deputado João Castelo pensa diferente. E disse ontem o que pretende fazer.

Castelo prega mudanças II

Ao ser entrevistado no programa “São Luís em Debate”, da TV São Luís, lamentou que em 400 anos a capital esteja a mesma quando foi governador do Estado.

“Em 400 anos, São Luís precisa ser mudada”, pregou o atual dirigente da Empresa Maranhense de Administração Portuária -Emap. Castelo disse em seguida ao jornalista Chico Viana, âncora do programa, que quando governador fez muitas obras na capital, mas não deixou claro que pretende ser candidato à sucessão de Tadeu Palácio.

Castelo prega mudanças III

A atitude do ex-deputado era esperada. João Castelo sabe que não terá o apoio direto do prefeito Tadeu Palácio para seu plano de governar São Luís. Por isso, durante o programa, usou duas táticas: uma para amaciar o ego do governador Jackson Lago, com rasgados elogios a Jackson Lago, e a segunda para insinuar que a capital precisa de nova cara, de nova face, de administração ágil e moderna.

Castelo prega mudanças IV

O ex-deputado federal em nenhum momento declarou ser candidato, assim como não fez nenhuma referência ao nome do prefeito Tadeu Palácio, seu aliado político, mas disse que em se tratando de uma convocação do povo, topa a missão. Repetiu que faz política com grupo.

Castelo e as pesquisas

Candidato por três vezes ao cargo de prefeito de São Luís, João Castelo sempre disparou na dianteira, lembrando em muito o piloto inglês de Fórmula I Nigel Mansell, que saia na pole position e perdia a corrida.

Agora mesmo o Imparcial contratou o Vox Populi que deu ao ex-deputado vantajosos índices de 44%, e um espantoso percentual de rejeição de 5%. O Imparcial repercutiu a pesquisa no dia seguinte, com manchete de capa, e outros veículos foram acionados para levantar a bola de João Castelo. Ainda assim, do alto da sua “humildade”, diz que não é candidato.

Castelo e Tadeu

Ao que se sabe, o prefeito Tadeu Palácio foi quem fez a aproximação entre João Castelo e Jackson Lago, assim como amarrou os laços de amizade entre José Reinaldo Tavares e Lago.

Tadeu Palácio, ao contrário de José Reinaldo Tavares, arregaçou as mangas, derramou suor no interior e na capital pela eleição de Castelo para o Senado. O projeto não logrou êxito, mas valeu o esforço. Castelo quase chega lá e acabou sendo premiado com a milionária Emap.

Tadeu e Castelo

O prefeito de São Luís sonha em fazer seu sucessor por um óbvio motivo: quer que sua obra não seja interrompida. Coincidentemente é esse o desejo da população da capital, tanto que sua administração é aprovada por mais de 70% da população e seu nome aparece em primeiro lugar na pesquisa espontânea da sua própria sucessão.

O prefeito, diante do exposto, tem sim o direito de indicar seu sucessor. Aos seus aliados, o dever de apoiá-lo, até porque é o que quer a população. Com Jackson Lago não foi diferente desde quando começou a governar São Luís. Quem ganhou foi a cidade e sua gente.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Canindé em segundo lugar I

A pesquisa feita pelo Vox Populi, encomendada pelo jornal O Imparcial, para auferir a preferência do eleitorado de São Luís, caso a eleição fosse domingo passado, traz dados surpreendentes.

Na simulação mais correta e mais confiável, que é a pesquisa espontânea, João Castelo lidera com 7% seguido do secretário Canindé Barros, com 2%, isto porque o primeiro colocado, Tadeu Palácio, e o terceiro, Roseana Sarney, não são candidatos.

O resultado, quando a população não é induzida, mostra que apenas 30% da população escolheram seu candidato.

Canindé em segundo lugar II

A diferença entre Castelo e Canindé parece pequena, 5%, considerando que o atual dirigente da Emap foi governador, deputado federal por três mandados, senador da República e quatro vezes candidato a prefeito da capital.

Castelo, na verdade, sempre aparece em primeiro lugar em todas as pesquisas antes do processo eleitoral efetivamente se iniciar, lá pelas bandas do mês de junho. Foi sempre assim em todas as eleições das quais participou. Perdeu todas para Jackson Lago e uma para Conceição Andrade. Ou seja; Castelo nada, nada, e acaba morrendo na praia.

Canindé em segundo lugar III

Para quem exerce pela primeira vez um cargo de secretário municipal, sem nunca ter tido mandato eletivo, os números dão Vox Populi conferidos a Canindé Barros, no presente momento, são bons.

Na consulta espontânea, Canindé está à frente dos outros candidatos do grupo do prefeito Tadeu Palácio. Aliás, eles nem aparecem. Se a eleição fosse hoje, estariam de fora dos planos do eleitor de São Luís os pré-candidatos Clodomir Paz, Moacir Feitosa e Sandra Torres.

Canindé em segundo lugar IV

A posição de Canindé Barros na pesquisa espontânea pode ser creditada ao excelente trabalho que desenvolve na Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito. Apesar da progressiva circulação de veículos nas ruas e avenidas da cidade, resultante da excessiva venda de automóveis diariamente pelas revendedoras, Canindé vem ordenando o trânsito de forma mais ágil e humana. Além disso, implantou medidas que beneficiaram diretamente trabalhadores e estudantes, como a construção de terminais de integração, catraca eletrônica e, a mais aplaudida, a manutenção dos preços das tarifas, impedindo a majoração dos preços das passagens.

Posição de Tadeu Palácio

A pesquisa espontânea trouxe um resultado que era esperado e outro nem tanto. Tadeu Palácio aparece em primeiro lugar, com 11%, o que só confirma que a maioria da população de São Luís aprova sua administração e quer tê-lo mais uma vez como prefeito. Ou no mínimo mostra sinais de que vai votar no candidato apontado por ele para que sua obra não seja interrompida.

O dado revelador foi a aparição da senadora Roseana Sarney, com 5%, numa capital que ainda guarda sentimentos de repulsa ao grupo Sarney. Talvez, seja uma resposta ao governo de Jackson Lago, que agora se recupera aos poucos em São Luís.

Espanto

O que causou surpresa mesmo no resultado do Vox Populi é o índice de rejeição dada ao ex-deputado João Castelo. Tome-se, por exemplo, a sua última tentativa de se eleger senador. Todos os institutos, inclusive os contratados pela Frente de Libertação apontavam o crescimento do nome de Bira do Pindaré e o aumento dos percentuais de rejeição para Castelo.

No final, Bira venceu com larga diferença, Cafeteira foi o segundo colocado e Castelo amargou o terceiro lugar, na preferência do eleitorado da capital. Nas eleições para governador e prefeito, Castelo sempre apareceu com largos índices de rejeição para a alegria dos seus oponentes.

Então alguma coisa está errada. Ou a população, na sua quase totalidade, passou a amar João Castelo, ou o ex-deputado mudou de cara e nome, passando a ser chamado de Ribeiro Gonçalves.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Na dianteira I

Foi preciso dobrar a tiragem do Jornal A Tarde para atender aos pedidos de proprietários de bancas do centro e da periferia, dos que vendem jornais nas feiras e, inclusive, em alguns jornaleiros.

Na dianteira II

O estouro do jornal começou de fato com a cobertura (uma das melhores) da Operação Rapina. No dia da publicação dos nomes dos presos e dos foragidos, em primeira página, não deu pra ninguém. Quem não encontrou mais nas bancas, desde as 10h de sábado passado, ficou sem o Jornal A Tarde. Não adiantou bater às portas da sede do jornal porque ficamos apenas com reduzido número para arquivo.

Na dianteira III

O Jornal A Tarde há dois meses passou a ocupar a quarta posição em tiragem e de venda em bancas. Além do volume expressivo de assinaturas, distribuímos gratuitamente o A Tarde nos terminais de integração de ônibus e em pontos estratégicos como salão de beleza, hospitais, clínicas, restaurantes, hotéis e outros. Estamos, também, em 26 municípios.

Na dianteira IV

A penetração do Jornal A Tarde é uma realidade. A cobertura da Operação Rapina, agora com a divulgação exclusiva dos depoimentos dos envolvidos, só veio consolidar nossa posição no mercado. Nosso distribuidor, o mesmo dos outros jornais do nosso porte, confirma que, com apenas seis meses de existência, somos o jornal que mais cresceu no segundo semestre de 2007. O que nos encoraja a fazer melhor em 2008.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Favorecimento

O prefeito de Araioses, Zé Tude, com 82 anos, é colecionador de relógios que custam os olhos da cara. Não possui nenhum Rolex de ouro, mas tem oito redondos de causar inveja, entre eles dois Midos.

Salário do contador

Zé Tude disse, após deixar a prisão, que ganha como prefeito somente R$ 5 mil líquidos, mas teve a cara de pau de informar que seu contador, o enrolado Waldely Moraes, percebe mensalmente R$ 11 mil da prefeitura de Araioses.

O contador é pago para fraudar licitações em Araioses, superfaturar preços de obras e, ao mesmo tempo, encher os bolsos de Zé Tude. Por isso, ambos foram presos pela Operação Rapina. Os dois rapineiros estão soltos.

Isolado

O prefeito Tadeu Palácio caminha para a solidão que cabe aos políticos em final de mandato, principalmente os que não construíram grupos.

Palácio, pelo o que se sabe, não tem um vereador que ele possa chamar de seu, não elegeu um deputado estadual e ainda corre o risco de não emplacar seu candidato, o secretário Canindé Barros.

Só promessas

A propósito de Tadeu Palácio, o prefeito de São Luís deve encerrar o mandato com apenas 20% das promessas cumpridas.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

A volta

Eis que retorno depois de um longo e cansativo trabalho. Estive, na verdade, ocupado na cobertura da Operação Rapina. Era (ou é?) muita rapinagem para um humilhe jornalista acompanhar.

Por isso peço desculpas aos milhares de leitores do meu blogger pela ausência de três dias. Estou de volta, agora com mais assiduidade. Ao que interessa.

Armação I

A principal cabeça do desvio de verbas das prefeituras, segundo o superintendente da Polícia Federal do Maranhão, Gustavo Gominho, é o proprietário do escritório de contabilidade da Eplam e Ecoplam, Waldely Leite de Moraes. Dono da mais bela mansão hollywodiana de Barreirinhas, Moraes trava guerra com o presidente do TCE, conselheiro Edmar Cutrim. Ex-diretor do TCE, o contabilista se acha prejudicado pelo presidente da entidade desde 2006.

Teria feito uma carta e enviada aos órgãos de imprensa acusando o presidente do TCE de envolvimento em aprovações de contas de prefeitos corruptos.

Armação II

O conselheiro Edmar Cutrim o processou. Ou melhor, tornou-se seu inimigo. E mais: Moraes (ou Waldely) foi à forra. Disse a um deputado amigo que Cutrim teria sido o responsável pela sua prisão (pego pela Operação Rapina).

O rapineiro, então, insinuou em depoimento aos federais que Cutrim poderia estar envolvido em um esquema para garantir ao filho advogado os serviços de prefeituras. Não citou nomes. Chutou.

Armação III

Indagado se sabia do envolvimento de Cutrim na operação Rapina, não soube responder. Disse apenas que “ouviu dizer” que o filho do presidente do TCE advogava para prefeituras. A um deputado amigo falou que achava que o presidente do TCE era o responsável por sua prisão e que iria se vingar.

Armação IV

A Polícia Federal, no curso das investigações, joga com um método antigo que às vezes funciona ou quando não faz ao depoente criar um álibi para se livrar da situação de réu. Uma Pena! Nenhum dos nós pode estar livre de uma barata acusação.

Meu blogger não tem nenhuma procuração para defender o senhor Edmar Cutrim, mas fico assustado que todas as prefeituras (quatro das nove) envolvidas na Operação Rapina, clientes do senhor Waldely Moaraes (ou sujeito?) tenham tido as contas reprovada pelo TCE. É cisma minha ou estou equivocado?

Ao telefone

O deputado Marcos Caldas disse ontem que cobrou por telefone dinheiro devido do prefeito de Paulo Ramos. Eram valores correspondentes, segundo o parlamentar, ao fornecimento de combustível de posto de sua propriedade. É o parlamentar flagrado em conversas grampeadas pela Polícia Federal. Na verdade, dinheiro alto emprestado.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Permanece a caçada

Até a postagem desta informação, a Polícia Federal ainda não havia localizada a prefeita de Nina Rodrigues, Iara Quaresma, e de Tufilândia, Marinalva Silva e João Teixeira Noronha, de Paulo Ramos.

Dos nove prefeitos com mandado de prisão pela PF, por conta da operação “Rapina”, de combate a desvio de recursos públicos em dezenas de municípios do Maranhão, foram presos Sônia Campos (Axixá) Mazin (Newton Bello), Luis Gonzaga Filho ( São Luís Gonzaga) Zé Tude (Araioses) Aldenir Santana Neves (Urbano Santos) e Cleomar Tema (Tuntun). Este último foi preso pela Polícia Rodoviária Federal, na cidade de São Francisco. O desvio, em 10 anos, segundo a Superintendência da PF no Maranhão, foi de R$ 1 bilhão. Nos últimos dois anos, ainda no nosso estado, prefeitos, secretários e contadores desviaram dos cofres públicos cerca de R$ 37 milhões.

Prisão de Temma

Às 13h30 deu entrada na Superintendência da PF o prefeito de Tuntun, Cleomar Tema, que é o presidente da Federação dos Prefeitos do Maranhão. Ele foi escoltado por policiais da PF após tentativa de fuga.

Presos

Cerca de 28 pessoas de uma total de 78 estão nas dependências da Superintendência da PF, no Anil. Boa parte será deslocada agora à tarde para o presídio de Pedrinhas por não possuir diploma de curso superior.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Presos

Soube agora a pouco que mais de dez prefeitos teriam sido presos. Na Superintendência da PF, no Anil, o acesso aos jornalistas não foi permitido. Comentaram agora, às 8h13, que dez funcionários do TCE (técnicos) também teriam sido pegos pela operação desencadeada pela PF. O blogger ainda não confirmou. Aguardem novas informações.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Pega prefeitos

Enfim alívio para alguns e sufoco para outros. A operação, desencadeada desde ontem à noite pela Polícia Federal no Maranhão visa investigar e prender alguns prefeitos que teria fraudado o programa da merenda escolar e dele desviado dinheiro.

Tem ex-prefeitos, prefeitos e um ex-deputado estadual no rolo. Uns compravam as mercadorias superfaturadas e outros faziam a venda.

Um conhecido empresário do setor pesqueiro se envolveu com a venda de merenda escolar por um bom período, junto com um ex-deputado. Falecido há quase um ano, o empresário já foi assessor do deputado federal Sarney Filho.

Furo

Apenas o jornal Atos e Fatos se aproximou dos fatos reais da operação da Polícia Federal no Maranhão. Publicou hoje que a ação atingir prefeitos e estendeu para outras autoridades, dando a entender que desembargadores e deputados estariam envolvidos.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Operação da PF I

Avião fretado pela Polícia Federal desembarcou ontem à tarde no aeroporto Cunha Machado trazendo cerca de 80 homens que irão executar operação, até o fechamento da coluna, ainda desconhecida.

A notícia logo se espalhou e causou pânico nos corredores da Assembléia Legislativa, no Tribunal de Justiça, no INSS e abalou os nervos de hackers instalados na capital e algumas cidades do interior.

Operação da PF II

Os boatos de que a operação “Taturana”, executada em Alagoas, que resultou nas prisões de três deputados e de quatro ex-prefeitos, que teriam fraudado a restituição do imposto de renda, estava prestes a chegar ao Maranhão.

Foram quatro dias de intensos comentários e muita fofoca. Mas. ontem fonte segura de Brasília teria passado a informação de quem os federais estarão hoje pela manhã na sede da AL.

Operação da PF III

O desembarque dos agentes federais aumentou o pânico e seis deputados estaduais tiveram que viajar para fora do Maranhão ontem mesmo.

Se a operação bater às portas da AL será por causa da fraude no IR, praticada por alguns deputados de legislaturas passadas (incluídos seis da atual legislatura). A iniciativa ou execução da fraude é de caráter pessoal e não da instituição legislativa. O desvio chega a R$ 10 milhões.

Operação da PF IV

Ao mesmo tempo em que os nervos estão à flor da pele na Assembléia Legislativa, o clima é de pânico no Tribunal der Justiça. A PF já esteve no local e chegou até apreender documentos e computadores.

A investigação seria, segundo informações, de venda de sentenças.

Operação da PF V

Por duas vezes neste ano policiais federais desbaratam quadrilha que vinha desviando recursos do INSS em três estados do Nordeste. No Maranhão, diversas pessoas foram presas, incluindo funcionários e terceiros que agiam usando cartões e senhas de aposentados. É provável que a operação a ser desencadeada hoje tenha algo relacionado com a fraude no INSS.

Operação da PF VI

Ontem, foi repassada informação aos veículos de comunicação de São Luís de uma operação que começa a ser executada hoje pela manhã seria para localizar e prender hackers em Teresina, Belém e na nossa capital.

Os federais que desembarcaram no aeroporto estariam cumprido a missão para retirar de circulação os hackers.

Confusão

Portanto, a confusão está solta, deixando malucos até nas redações dos jornais. O nosso papel é noticiar os fatos, sem criar sensacionalismo ou fugir do compromisso com a verdade.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

O dedo de Sarney

Geralmente no Maranhão costuma-se atribuir ao senador José Sarney tudo o que não presta ou quando não a sociedade em empresas rentáveis localizadas em nosso território.

Mas essa que a coluna vai contar agora é verdadeira. Foi o senador José Sarney que encubiu um deputado estadual, ex-funcionário federal e com vasta penetração no Ministério da Justiça e na Polícia Federal para barrar uma operação que iria levar para a cadeia, pelo menos, 8 deputados, 12 ex-deputados, três ex-prefeitos e um ex-diretor de administração da Assembléia Legislativa do Maranhão.

O dedo de Sarney II

O senador, segundo fonte segura de Brasília, havia telefonado ao então ministro da Justiça, Márcio Tomás Bastos, para que a Polícia federal investigasse com mais profundamente as denúncias de fraudes na folha da Assembléia Legislativa. Sarney, na verdade, tinha dois objetivos: ganhar tempo para retardar a operação que seria chamada de “Anta”, animal que vive comendo folha, prestes e ser deflagrada no Maranhão e, ao mesmo tempo, ganhar o apoio dos deputados envolvidos para a eleição da sua filha, Roseana Sarney ao Governo do Estado.

O dedo de Sarney III

Então, foi escalado um ex-presidente da AL para intermediar a questão junto ao superintende nacional da PF e saber com a turma da investigação em que grau estavam envolvidos os deputados, parentes de deputados e ex-prefeitos, além de um presidente de poder com a operação “Anta”. O parlamentar cumpriu a missão e a operação foi retardada.

O dedo de Sarney IV

O senador, realmente, conseguiu retardar a operação, até porque poderia comprometer a eleição, que dava como certa a vitória de Roseana. Porém, Sarney não logrou êxito quando pensou atrair para a campanha de sua filha ex-aliados envolvidos no esquema como Rubens Pereira, Camilo Figueiredo, Soliney Silva, Humberto Coutinho, Paulo Neto, Rigo Teles, Stênio Resende e Antônio Bacelar, (estes últimos dois fizeram campanha discreta para Roseana). O restante dos envolvidos já estava engajado na campanha, como Hélio Soares, Joaquim Haickel, Manoel Ribeiro, Jura Filho, Maura Jorge.

Dos envolvidos

Da legislatura passada, segundo fonte segura, apenas os deputados Tatá Milhomem e Helena Heluy não seriam pegos pela operação “Anta”. Boa parte já prestou depoimento, dentre eles cinco dos atuais deputados e duas as genitoras de deputados. A PF acha que o principal suspeito pela fraude na folha de pagamento é o ex-diretor de pessoal da Assembléia Legislativa, Batista.

Dos escândalos I

A descoberta inicial foi quando uma ex-empregada de uma deputada tentou se aposentar pelo INSS e descobriu que era ISO da AL, cargo com salário de R$ 5 mil, sem nunca ter pisado os pés no prédio da AL. Além desse caso, a PF também detectou que dois deputados tinham parentes falecidos, sendo que ambos, só os ossos, tiraram empréstimos na agência do Banco do Brasil no valor de R$ 85 mil e R$ 45 mil, respectivamente.

Dos escândalos II

A fraude consistia basicamente da nomeação de laranjas e cabos eleitorais que eram enganados pelos deputados para receber abono uma só vez da Assembléia, que, falsamente, o parlamentar tinha direito. De posse dos documentos dos incautos e da assinatura correspondente a nomeação do cargo, os deputados faziam as nomeações que eram entregue ao Batista. Este, – comentam – que sabia da fraude e aproveitava para fazer enxertos.

Operação “Taturana”

Como publicado na edição do dia 7 deste, depois de confirmar a informação com uma fonte da própria Polícia Federal, a operação “Taturana”, que investiga a fraude na restituição do Imposto de Renda de cinco estados nordestinos, chegará também ao Maranhão. “Não há previsão de tempo, mas é certeza desembarcamos no seu Maranhão”, garantiu a fonte. Ela garantiu que a fraude na IR da Assembléia Legislativa maranhense é de R$ 10 milhões.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

É Canindé

Na quarta-feira, na abertura de um seminário no Parque do Bom Menino, na primeira fileira estavam juntos o prefeito Tadeu Palácio e o seu secretário de Transportes e Trânsito, Francisco Canindé.

O locutor convida o prefeito de São Luís para tomar lugar na mesa. Tadeu Palácio olha para o lado e diz baixinho no ouvido de Canindé: “vai lá prefeito”. Canindé apenas sorrir. Tadeu não perde o embalo: “vai logo se acostumando”.

Susto I

O plenário da Assembléia Legislativa, até às 9h30 de ontem estava quase cheio. Quando abriu a sessão plenária, cerca de 32 parlamentares estavam em suas poltronas.

Minutos depois veio a notícia de que a Polícia Federal acabara de fechar a Assembléia Legislativa de Alagoas. Motivo: fraude no Imposto de Renda, da ordem de R$ 200 milhões.

Susto II

Foi só a notícia se espalhar, o plenário da nossa Assembléia Legislativa esvaziou. A maioria tomou Doril. É que boa parte dos senhores deputados de legislaturas passadas ajudou a fraudar o Imposto de Renda. Tem um parlamentar, por exemplo, que tinha um defunto ocupando o cargo de ISO.

O pior: o vivo morto ainda tirou um empréstimo junto ao Banco do Brasil no valor de R$ 85 mil.

Cisma

Não se sabe por qual a razão ou o que motivou a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Luís a não fornecer a agenda do prefeito para que a reportagem do Jornal A Tarde faça a cobertura dos eventos municipais.

Para quem tem, comprovadamente, a quarta maior tiragem, só quem perde é o prefeito.

Bibliotecas

Excelente a sugestão do líder do governo, deputado Edivaldo, para que sejam construídas bibliotecas públicas em regiões centrais da capital, como Cidade Operária, Cohab, Anjo da Guarda e outros.

A iniciativa poderia ser também da Prefeitura de São Luís. A propósito, quantas bibliotecas fora construídas pela administração municipal nos últimos dez anos?

Verba redobrada

Dois deputados comentavam ontem eufóricos a possibilidade do governo estadual aumentar de R$ 1,5 milhão para R$ 3 milhões a verba das emendas a quem cada deputado tem direito para destinar, em obras, às suas áreas de atuação.

Durante o governo de Roseana Sarney as emendas nunca foram aprovadas. Na administração de Zé Reinaldo os deputados ganharam, através das emendas, até R$ 1,5 milhão a cada ano.

Bolso cheios

O Décimo Terceiro dos funcionários da Prefeitura de São Luís começa a ser pago hoje, sem distinção. Os servidores da Câmara de Vereadores da capital também recebem na mesma data. O Estado e a Assembléia Legislativa somente no dia 14, uma semana depois.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Polícia Federal fecha Assembléia

A Polícia Federal acaba de se instalar no prédio da Assembléia Legislativa de Alagoas. Por essa razão, a sessão plenária foi suspensa. É a operação “Taturana” com objetivo de desmontar a organização criminosa naquela Casa, acusada de fraude no imposto de renda, no valor de R$ 200 milhões em cinco anos.

O próximo passo da operação Taturana será na Assembléia Legislativa do Maranhão, onde alguns atuais parlamentares e ex-parlamentares fraudaram o imposto de renda em R$ 10 milhões. A Polícia Federal vem investigando a AL há mais de cinco anos. Deputados, ex-deputados, mãe de deputados, mulheres de deputados e de ex-deputados já foram ouvidos pela Polícia Federal do Maranhão.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.