Sarney, o todo poderoso

O fantasma que assombra as noites, os dias e o mandato do governador, tem levado o cidadão Jackson Lago a rasgar pestanas e queimar madrugadas. Tudo por obra e graças do senador José sarney –  dizem os aliados do Palácio dos Leões. Por outro lado, tem produzido cada cena pitoresca capaz de fazer sorri o mais sisudo dos homens das cavernas, inclusive a mim.

Hoje, no período da tarde, encontro com um amigo do PDT. Depois de emprestar os ouvidos para todas as reclamções e argumentações sobre o processo de cassação de Jackson Lago, o dileto amigo quase me leva ao delírio de tantas gargalhadas. Foi o seguinte, o diálogo final:

– Sabes da última do Sarney?

– Não, vou ficar sabendo agora!

– Não é que o bruxo vai mesmo emplacar o ministro do TSE, Eros Grau, relator do processo contra Jackson Lago, na Academia Brasileira de Letras!

– Com assim? Ao que sei, a escolha é por votação entre os imortais.

– Qual nada, camarada, está tudo acertado, tudo combinado!

– Ah, compreendo! Vão matar um membro da ABL para que Sarney possa atuar nos bastidores e eleger o Eros Grau?

– Talvez, amigo! O Sarney é capaz de tudo! Não te assustas se amanhã um imortal aparecer envenenado!

– Será que o Sarney é capaz de colocar chumbinho no Guaraná Jesus, que ele presenteia no natal aos membros da ABL?

– Não, você está é de sacanagem comigo! Aposto como não acreditas no que vou te falar agora. O rabudo de bigode prometeu ainda ao ministro Eros Grau colocá-lo na Corte Internacional de Justiça, no Supremo Tribunal Mundial de Justiça. E agora, vais dizer que estou mentindo?

– Claro que não. Agora quem vai escutar a última é você. Não espalha, está bem? Sarney foi ao Papa Bento XVI, passou dois dias em jejum, orando de joelhos sem parar e, finalmente, conseguiu o inimiginável: falar com Deus. Saiu de lá sorrindo com os cardeais, arcebispos, bispos, freiras, coroinhas, e ainda deu dez badalas no sino papal.

– Sim, mas qual foi a conquista? O que ele ganhou de tão especial?

– Conseguiu uma vaga no Céu para o ministro Eros Grau. E no lugar de São Pedro!

O amigo saiu irado comigo. Não perdoou nem minha amada mãezinha. Liguei para seu celular. Ele não atendeu. Sinto que perdi um amigo, mas não perdi a piada.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

O mico de Lula


Em visita a Espanha, o presidente Lula pagou o maior mico pelas suas andanças internacionais. Antes de entrar no Palácio do Governo espanhol, uma multidão acenava para nosso brasileiro. Uma moça, que faz parte de um programa humorístico, estilo “Pânico na TV”, ou o “CQC”, gritava insistentemente o nome do nosso presidente. Como se observa no vídeo acima, Lula é gentil e se dirige até a senhorita, que lhe entrega um ursinho de pelúcia e um telefone.

Do outro lado da linha, o âncora do programa, que é ao vivo, conversa com o presidente do Brasil. Elogia o Corinthias, time favorito de Lula, e pede menos samba e mais trabalho. Divirta-se com o vídeo.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

O Rezek trapalhão

O ex-ministro  do STF, Francisco Rezek, que chegou a presidir o TSE, em função do rodízio, não tem tido tanta sorte ou competência como advogado. Sua banca já amargou derrotas inesquecíveis. Foi contratado agora por Jackson Lago para fazer a defesa da permanência no mandato de governador.

Rezek, de início, sofreu a primeira derrota. Tentou, apesar de toda a amizade que ainda mantém com os atuais ministros da corte eleitoral em Brasília, adiar o julgamento do processo contra Lago. O recurso protelatório é assinado pelo advogado maranhense Daniel Leite, mas tem o perfume de Reseck.

Agora, o ex-ministro do STF acaba de ser contratado pelo presidente do Senado Federal, Garibaldi Alves para patrocinar a causa da reeleição na Cãmara Alta do país. Francisco Rezek, em parecer a Alves, acha justo e possível a que o senador possa disputar a reeleição. Deu com os burros n’água.

Advogados renomados e juristas investidos no cargo de senador, ironizam a pretensão do constituinte e a defesa do ex-ministro do STF. A recondução ao cargo de presidente do Senado Federal e da Câmara Federal, assim como da Assembléia Legislativa do Maranhão, só pode ocorrer da renovação de uma legislatura para outra. 

A orientação para a escolha de Francisco Rezek, pasmem os senhores, teria sido dada pelo senador José Sarney ao colega Garibaldi Alves. Sarney, é bom lembrar, finge que não quer voltar a presidir o Senado Federal.  

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Sem apoio popular

Convenhamos, a população de São Luís tem reagido com apatia às manifestações em defesa da permanência do mandato do governador Jackson Lago. Antes, os bairros periféricos e a classe média se movimentavam contra qualquer tentativa de tomar das esquerdas aquilo que foi conquistado com muita luta. Jackson Lago e seu grupo político, antes, representavam as esquerdas. Hoje, diferentemente, ele e o grupo são governo, situação. Estão no poder estadual e municipal, desde a metade do governo do seu aliado José Reinaldo Tavares. Daí a indiferença da população.

Não custa nada recordar o desastroso governo de Fernando Collor de Melo. Quando estava em queda livre, o então presidente  apelou para a nação brasileira. Pediu aos homens e mulheres que usassem roupas amarelas para protestar contra o impeachemnt . O que se olhou no dia seguinte foi a população usando preto, dizendo não aos apelos de Collor. Aqui, é bom que fique claro, não vai nenhuma comparação com a história de vida e política do cidadão Jackson Lago.

Mais recentemente, o presidente Lula, com a aprovação do seu governo nas alturas, andou por diversas capitais brasileiras e em algumas cidades importantes pedindo votos para seus candidatos a prefeito. Não elegeu 20% dos seus preferidos. Lula é governo. É situação.

Agora é a vez de Jackson Lago apelar ao povo para que se manifeste contra a provável cassação de seu mandato. A maioria dos veículos de comunicação maranhense está na mesma luta. A classe política, na sua maioria, deputados federais, estaduais, prefeitos e vereadores, engrossou o movimento. O Vice-governador, ontem, em Imperatriz, apelou para que o povo saia às ruas, que os comerciantes fechem seus estabelecimentos, no dia do julgamento.

O que se tem observado, até agora, é a apatia do povo. Aqui mesmo em São Luís os movimentos populares estão parados. Só o MST, em pequena parcela, continua em frente ao Palácio dos Leões. Na capital, o governador não goza mais da simpatia da população, como se tem comprovado. Então, não há como sensibilizar o povo quando as condições se apresentam adversas.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Antecipação dos fatos

O jornalista Cássio Euller, maranhense, com formação profissional em São Paulo, atualmente residindo em Brasília, antecipou os instrumentos jurídicos que seriam usados pelos advogados do governador Jackson Lago para protelar o julgamento da cassação ou não de seu mandato.

Euller, que é bem informado e tem acesso a importantes fontes de Brasília, publicou nesse espaço e no Jornal A Tarde, edição de quarta-feira, que o julgamento seria adiado para análise melhor do depoimento da testemunha Sara Costa, que iria desmentir uma testumanha do processo, que teria vendido voto no segundo turno favorável a Jackson Lago. Boa parte dos jornalistas, inclusive os blogueiros Marco Deça e Décio Sá, duvidou da informação.

Foi exatamente o argumento utilidado pelo advogado de Jackson Lago, Daniel Leite, para retardar o processo de cassação do mandato. Só que o ministro do TSE, Félix Fischer, como já amplamente divulgado hoje, rejeitou o recurso. Sendo asim, o julgamento deve mesmo ocorrer na terça-feira, dia 16. De parabéns Cássio Euller que antecipou o fato. Aliás, Euller virá a São Luís na próxima semana para rever familiares e amigos.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Prevenção ou intervenção

Soube, hoje pela manhã, que a se confirmar o julgamento da cassação ou não do mandato do governador na sessão plenária do TSE, na terça-feira, dia 16, o Exército estará de prontidão com as tropas para defender o patrimônio público e evitar badernas nas ruas de São Luís. Os homens do 24 BC serão auxliados pela Polícia Federal.

Não haveria a menor necessidade não fosse a Polícia Militar do Maranhão ser obediente às ordens do governador de plantão, qualquer que fosse o chefe do Executivo. Governador jamais colocará a sua PM para reprimir manifestações em seu favor, ainda mais quando a loucura assume o lugar da lucidez. Além dos bens públicos, o Exército devem proteger alguns privados, como a residência do senador e senadora Roseana Sarney e o Sistema Mirante de Comunicação, alvo dos manifestantes que pregam a violência caso Jackson lago tenha o mandato cassado por força da legislação eleitoral vigente.

Como a manifestação vem sendo comandada pelo MST, que terá a partir de domingo o apoio do porra louca do MLST, de Bruno Maranhão, não se pode esperar outra coisa senão a selvageria e a barbárie. Não tem sido diferente nas invasões a terras particulares, públicas, prédios públicos e até casas legislativas. Quando agem, estão dispostos a tudo.

Um dos líderes dos manifestantes não faz segredo ao dizer para todos que se o julgamento for contrário, a primeira vítima será o Palácio dos Leões, o que para eles seria uma forma de mostrar que o “povo do Maranhão” não quer Roseana de volta à casa que comanda o destino dos maranhenses. O Palácio, que deve ter uns 400 anos, pode virar cinzas a qualquer momento.

A presença dos Exército na ruas da cidade, caso a tregédia anunciada torne-se realidade, para evitar o caos, a baderna, levará o Maranhão a sofrer intervenção federal, o que rogamos a Deus que não ocorra.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Aumenta número de vereadores, mas a verba será a mesma

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, Isaias Pereirinha, há três semanas cantava as pedras: “Vamos ter aumento do número de vereadores, sim, mas só assumirão a partir de fevereiro. E para nossa angústia, o Orçamento das Câmaras continuará o mesmo”.

A aprovação em definitivo do aumento de 7.343 de vereadores vai acontecer na próxima terça-feira no Senado Federal. O presidente senador Garibadi Alves já confirmou as previsões de Pereirinha: os novos vereadores assumirão junto com os que foram  eleitos e reeleitos em 2008, no mês de fevereiro. E mais: não haverá aumento nos repasses para bancar os salários dos suplentes que se tornarão titulares.

No caso de São Luís, dez suplentes irão assumir vagas, subindo o número para 31 vereadores. Com valores dos repasses sem sofrer alteração, o próximo presidente da nossa Câmara terá que fazer exercício de magia para pagar dez novos salários e verbas indenizatórias, que chegarão a mais de R$ 300 mil, além da folha que será acrescida com a nomeação de mais 90 assessores dos suplentes que serão empossados.

A chiadeira no caso da Câmara Municipal de São luís tem razão de ser. Há alguns anos, em todo o Brasil, houve redução de 8 mil vereadores, mas os repasses das Câmaras Municipais atingidas pelo corte dos agentes políticos não foram diminuídos. Então, cada gestão terá que se acomodar. Agora, como ao invés de redução em São Luís haverá aumento de vagas, a administração enfrentará problemas em seu caixa.    

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

PSDB e PT se unem em favor de Jackson

Governador desembarca em São Luís hoje a noite, mas dispensou manifestações

Brasília
Cássio Euller
Correspondente do Blog de Luis Cardoso

Iniciou hoje pela manhã em Brasília, o processo de cristianização de Jackson Lago, que provavelmente terá o seu diploma de governador do Maranhão cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral no inicio do próximo ano.

E não teve data melhor e nem lugar mais apropriado que não fosse durante o ato oficial realizado pela Câmara dos Deputados, que lembra a passagem dos 40 anos do famigerado Ato Institucional número 5 (AI-5).

Só para lembrar, o Ato Institucional Número Cinco foi o quinto de uma série de decretos emitidos pelo regime militar nos anos seguintes ao Golpe de 1964 no Brasil. Redigido pelo Presidente Artur da Costa e Silva, em 13 de dezembro de 1968, veio em represália à decisão da Câmara que se negara a conceder licença para que o deputado Márcio Moreira Alves fosse processado por um discurso pedindo ao povo brasileiro que boicotasse as festividades do dia 7 de setembro.

Foi nesse ambiente de repulsa de uma época negra da vida brasileira realizado hoje pela Camara, que Lago aproveitou para oficialiazar o exercício da sua via sacra, que certamente se estenderá até as eleições de 2010. Durante o ato na Câmara, o governador ganhou alguns aliados de peso para fazer coro contra o que chama de “armação de um golpe contra a democracia cujo objetivo é a reintegração de posse de um feudo político comandado há 40 anos pelos Sarney”.

A carta de Jackson lida durante a sessão pelo deputado Roberto Rocha (PSDB) fez com que o arquiteto Oscar Niemeyer, assinasse um manifesto passado de mão em mão contra a cassação do governador maranhense. “Ele fez uma conclamação a todos os brasileiros que acreditam na democracia para que se unam na luta pela defesa e respeito do voto e da vontade soberana dos maranhenses”, disse o velho construtor de Brasília.

A peregrinação jackista na capital da República pode-se se dizer que rendeu a blindagem do seu mandato por todo esse resto de ano e inicio do outro. De jantar a jantar, o governador fala com petistas a tucanos pedindo apoio. Na Casa do Ceará, na 910 Norte , Jackson foi levado por Sebastião Madeira (PSDB) para uma noitada de robustos tucanos que homenageavam o ex-deputado cearense Ubiratã Aguiar, urgido um dia antes como novo presidente do Tribunal de Contas da União. O ex-lider Jutahy Magalhões Junior prometeu colocar o partido em defesa do governador maranhense, embora o atual lider dos tucanos na Camara, Jose Anibal (SP), tenha recomendado uma posição do PSDB nacional mais em cima do muro em relação as questões localizadas.

O fato é que Jackson Lago tenta de todas as formas criar um ambiente no Maranhão nos mesmo moldes que foi criado em 2002 no Piauí. Francisco de Assis de Moraes Souza, o Mão Santa, governador do Estado teve o mandato cassado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) por crime eleitoral em 2001.

O então senador Hugo Napoleão (PFL) assumiu o governo do Estado. Na época, Napoleão entrou com uma representação contra Mão Santa, que deu origem ao processo que levou a cassação do mandato. A partir daí, o governador cassado cristianizou-se. No poder, Hugo foi fragorosamente derrotado pelo o deputado federal do PT Wellington Dias. Mão Santa foi o senador mais votado no estado em 2002. Hugo Napoleão, que já foi à maior liderança do Piauí nos áureos tempos do PFL, hoje está no ostracismo da política, após uma rápida passagem pelo Palácio de Karnak.

Essa historia foi contada em versos e prosas nestes dois últimos dias por muitos aliados de Lago. Por outro lado, toda essa movimentação esta sendo acompanhada no para a passo pela base sarneista em Brasília. Sarney soube que o ministro Tarso Gero meteu o dedo em sua seara. O velho cacique não fala nada. No final desta tarde estava ele no plenário do Senado em conversa miúda com o senador Pedro Simon (PMDB-RG). Alguma coisa contra Genro ou contra o desejo de Lula no que diz respeito à próxima presidência da Casa?

Já na raia pequena teve o contraditório. Na quarta-feira, o deputado Gastão Viera (PMDB) foi à tribuna para denunciar a anunciada presença do porra-louca Bruno Maranhão, chefe do Movimento de Libertação dos Sem Terra, grupo dissidente do MST, para organizar um bardenaço em São Luis, informação antecipada pelo blog do Luis Cardoso. Zequinha Sarney (PV) também discursou seguido por Pedro Fernandes (PTB) .

Apesar da torcida organizada dos Sarney para que o TSE casse o diploma de Jackson no inicio do próximo ano, no entanto, a grande pergunta entre todos é quem disputaria pelo grupo numa possível eleição convocada pelo TRE para um curto mandato de apenas 20 meses. Os de musculaturas políticas mais arrojadas como Roseana e Lobão não desejam enfiar os pés nesse pântano.

A filha de Sarney já deixou claro que irá aproveitar o próximo ano para se submeter a uma cirurgia na cabeça. Já o ministro Lobão dar sinais de que prefere continuar a frente do Ministério de Minas e Energia para ajudar na implantação da refinaria que vai gerar renda e empregos em no Maranhão. A coisa vai, ao que parece, sobrar para João Alberto, Sarney Filho, Gastão Viera ou Mauro Fecury. Resta saber qual deles está disposto a ser o Hugo Napoleão do Maranhão.

A imprensa nem deu bolas

Se por um lado o governador Jacson Lago se esforça para tentar sobreviver politicamente a uma situação próxima a um quadro irreversível de perda de mandato, no entanto alguns de seus próceres se engalfinham em erros. A reunião “pró-jackson” organizada pelo deputado Domingos Dutra (PT), ocorrida no plenário 16 da Câmara, na ultima terça-feira, não atingiu o objetivo que todos esperavam.

A imprensa nem deu bolas I

Bem que Karina Duailibe, assessora do deputado Julião Amim (PDT), se esforçou ao máximo na mobilização da imprensa nacional, sem, no entanto, conseguir qualquer êxito. Esteve pessoalmente no comitê de imprensa das duas Casas na tentativa de convencer jornalistas a se interessar pelo fato. Ninguém se interessou.

A imprensa nem deu bolas II

No dia seguinte, o deputado Julião Amim optou pela presença urgente em Brasília do secretario de Comunicação do governo, Zeca Pinheiro. A idéia era a de contratar um veiculo de comunicação nacional para fazer uma matéria sobre o que eles chamam de golpe da família Sarney para tomar o mandato do atual governador. Coube ao próprio Pinheiro fazer o tal entendimento.

A imprensa nem deu bolas III

O articulista político Cláudio Humberto, que faz um programa na Band News e uma participação no rádio do mesmo grupo, e tem uma das colunas políticas mais lidas do país, chegou a ser consultado. Humberto se dispôs a fazer uma entrevista com o governador, desde que fosse ao vivo. Jackson não topou. Um dos mais conceituados colunista do país poderia perguntar sobre o seu envolvimento caso da operação navalha. Então era melhor deixar quieto.

Jackson retorna de Brasília

O governador Jacson Lago segue daqui a pouco para São Luis no vôo da TAM. Chega às 23 horas. Deixou claro aos seus principais assessores que não quer nada de movimento na sua chegada ao aeroporto. Aderson Lago reservou a cadeira do lado para mostrar novos métodos para sensibilizar a população e aproveitar para pedir ao governador e exclusão de pessoas que atrapalham a administração estadual, incluindo alguns pedetistas históricos.

Advogados na ilha

Dois advogados chegam a São Luis junto com o governador. No sábado, o advogado Luiz Eduardo Greenhalgh, contratado pelo chamado campo majoritário do PT, liderado por José Dirceu, também vai desembarcar na ilha. Segundo fui informado, ele será hospede especial na Casa de São Marcos, mas retornará domingo a Brasília junto com Julião Amim.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Sucessão na Câmara Municipal

Saiu de foco a sucessão na Câmara Municipal de São Luís. O assunto que domina os meios políticos, no momento, é só um: a cassação ou não do mandato do governador Jackson lago. Enquanto isso, a luta pelo cargo de presidente da Câmara da capital fervilha nos bastidores.

O atual presidente, Isaias Pereirinha, mantém seu grupo inabalável com 12 votos, apesar de todas as tentativas de aliciamento ou compra de votos. 11 vereadores, de partidos diversos, se mantém unidos em favor de Pereirinha. Já tentaram colocar em ação políticos e empresários. Nada prosperou.

Francisco Carvalho, que tem um grupo de nove vereadores, acredita que o quadro pode mudar com a chegada amanhã do prefeito eleito João Castelo. Acha que dois vereadores (Astro do Ogum e Lourival Mendes) não resistiriam a uma conversa frontal com Castelo. Não creio.

Soube que parte do PSDB, comandada pelo deputado federal Roberto Rocha, vai aconselhar ao prefeito eleito que não se envolva no processo interno dos vereadores. A ala tucana, após algumas investidas infrutíferas, acha provável a derrota de João Castelo na sucessão da Câmara Municipal.   

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Escapou

A Gráfica Minerva escapou por pouco de sofrer prejuízos incalculáveis. Um curto-circuito resultou, na semana passada, em princípio de fogo, deixando funcionários e proprietários em polvorosa. A Minerva, uma das mais modernas do Nordeste, opera com material altamente inflamável, mas o fogo foi contido a tempo. Ainda assim, teve que retardar uma série de lotes de entrega.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Novo rico

Como em toda administração, quer federal, estadual e municipal, existem os agentes sérios, honestos e transparentes. Porém, nunca, ao que parece, deixarão de existir aqueles que se locupletam do cargo, os que desviam recursos e aumentam seu patrimônio pessoal da noite para o dia.

Um secretário-adjunto da administração Jackson Lago acaba de adquirir um lote enorme de motocicletas para inaugurar uma nova loja de revenda das máquinas. Só o salário de sub-secretário não daria para tal investimento. Estou aguardando material completo sobre o assunto para torná-lo público.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Não querem entender

Acabo de olhar o blog do jornalista Décio Sá. Fiquei assustado com a interpretação proposital dada por alguns comentaristas a um texto que o Décio reproduziu do meu espaço em seu blog. Falo da transformação do governdor Jackson Lago. Do ateísmo para o cristianismo. Nada errado na sua conversão ao evangelho. Louvo, até, sua atitude. Assim como jamais discriminaria se ele continuasse incrédulo,  numa floresta sem perfume e cor. Ou mesmo se trocasse as orações de hoje pelos despachos umbandistas de amanhã.  

Ao contrários de alguns comentários colocados no blog do Décio Sá, jamais duvidei da honestidade do cidadão Jackson Kleper Lago. Nunca ataquei sua honradez, sua história de vida e sua presença marcante na política do Maranhão, até porque não encontraria motivos para manifestar críticas nesse sentido. Continuo admirando Jackson lago pelo papel que desempenhou, ao longo dos últimos 40 anos, no combate aos que ainda tentam se perpetuar no poder. A mim me cabe, porém, questionar as alianças que levaram o político Jackson Lago a vencer a eleição de 2006 para governador do Maranhão. Não creio tenha sido o melhor caminho.

Tratei apenas no meu texto sobre as mudanças religiosas que introduziram na alma do nosso governador. A súbita transformação não lhe ocorreu para buscar a Deus acima de todas as outras coisas, mas o drible pelo atalho da fé para garantir sua permanência no cargo. Por fim, compreendo os que criticaram ou fizeram entender que meu texto é uma calúnia ao governador. Afinal, ninguém quer perder em pouco tempo aquilo que lutou tanto tempo para conquistar, embora pela via tortuosa.     

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.