Emendas

Não logrou êxito o movimento de setores do Governo do Estado para aliciar deputados com o aumento nos valores do emendão que resultaria na distribuição de R$ 3milhões para cada parlamentar.

O jogo visava a formação de um bloco para garantir a eleição de um parlamentar à sucessão do deputado João Evangelista. O governador, que não é político de se envolver nas questões da Assembléia Legislativa, barrou as pretensões sobre o Orçamento Geral do Estado. O emendão, então, continuou o mesmo do exercício anterior: R$ 1,6 milhão para cada deputado. Não é que a o dinheiro seja dado a cada parlamentar, mas a verba é destinada para obras apontadas por deputados.

Ocorre que existem casos em que o deputado indica até a construtora e a obra nem sai do papel. O resto não precisa mais dizer.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Aniversário

José Reinaldo Ravares

O ex-governador José Reinaldo Tavares, embora não revele a idade (dizem que fará 70), completa hoje mais um ano de vida.

Vai reunir amigos, familiares e correligionários numa festa na Boite Babilônia. A ex Alexandra Tavares confirmou presença e vem muitíssima bem acompanhada. Das filhas, é claro!

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

A eleição de Ivan Sarney

Postei comentário no excelente blogue do jornalista Walter Rodrigues sobre provável interferência do governador Jackson Lago para barrar emenda que permite a eleição dos membros da atual Mesa Diretora da Assembléia legislativa para cargos diferentes.

Lembrei que Jackson Lago não costuma interferir nas questões internas legislativas. WR me questionou, então, como explicar a eleição da Ivan Sarney para a presidência da Câmara Municipal de São Luís. Participei como assessor de imprensa da campanha e posso assegurar que não houve interferência direta de Jackson Lago, que tinha sido eleito com a ajuda indireta de Roseana Sarney para mais um mandato de prefeito.

Naquela ocasião, Roseana cobrou de Jackson uma fatura alta: a eleição de Ivan para presidir a Câmara. O prefeito eleito disse que a interferência no Legislativo Municipal não fazia parte do seu perfil e nem da sua história política.

Então, o vice-prefeito, Tadeu Palácio, foi sondado pela governadora Roseana Sarney, e prontamente aceitou a missão. O resto é do conhecimento de todos.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Na mosca

Prova de que Jackson Lago não interfere nas questões internas do Legislativo aconteceu em diálogo recente entre o governador e os deputados Pavão Filho, Antônio Bacelar, Paulo Neto e Penaldon Jorge, no Palácio dos Leões.

Na noite de terça-feira, durante conversa sobre a votação do Orçamento Geral do Estado, Pavão Filho aproveitou para pedir a opinião de Jackson sobre a emenda que permite a eleição dos membros da Mesa Diretora da AL para cargos diferentes.

O governador, na verdade, estava sendo comunicado de que a emenda seria votada no dia seguinte, com a garantia de 28 votos para sua aprovação. Jackson Lago sugeriu ao presidente interino da AL que esperasse o retorno do deputado João Evangelista (mentor principal da emenda) ao Maranhão. E mais: desfez os boatos de que era contra a matéria ou que estaria pedindo aos deputados, através do chefe da Casa Civil, Aderson Lago, a reprovação da emenda.

Ficou, então, acertado que a matéria será votada logo nos primeiros dias que sucederem ao retorno de Evangelista, provavelmente lá para o final deste mês.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Talibãs se fortalecem

mulá Soliney Fuzil de Aço e o mulá Marcos Caldas de Chumbo
O grupo de deputado independentes, aqui primeiro denominado Talibãs, continua forte. Mas existem movimentos dentro e fora do Governo do Estado para enfraquecê-los.

Da Casa Civil partem as orientações para rachar os Talibãs, que mantém a unidade acima de qualquer interesse.
De dentro da Assembléia Legislativa, os dois líderes governistas, Edivaldo Holanda e Marcelo Tavares articulam o bombardeio do grupo.

Lutar contra os Talibãs, pelo visto, não tem dado resultado. Eles têm a força na coesão que permite ao grupo se impor dentro e fora da Assembléia Legislativa.

Na liderança dos Talibãs existem quatro mulás, que ocupam postos de generais, mas dois se destacam; Na foto acima, o mulá Marcos Caldas de Chumbo e o mulá Soliney Fuzil de Aço.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Delegado indicia quatro prefeitos e um vereador por receptação de furtos

delegado Francisco das Chagas Costa, o

Quatro prefeitos do Maranhão, um ex-prefeito da Paraíba e um vereador, também do Maranhão, foram indiciados criminalmente pelo delegado Francisco das Chagas Costa, o “Bareta”, da Delegacia da Polinter do Piauí, que concluiu o primeiro inquérito que apura o roubo de tratores e caminhões tomados em assaltos no Nordeste do Brasil e vendidos até na Bolívia. O delegado remeteu para a Justiça a primeira parte das investigações e já abriu o segundo inquérito para prosseguir com os trabalhos.

O prefeito de Nova Olinda (Maranhão), Hemetério Weba, o vereador Odonires Cabral, de Santa Inês (Maranhão), José Augusto, prefeito de Bela Vista (Maranhão), José Uilson Silva Brito, prefeito de Araguanã (Maranhão), prefeito Francimar Marcolino da Silva, o “Mazim”, de Governador Newton Bello (Maranhão) e Antônio de Albuquerque Cabral, ex-prefeito (em dois mandatos) de Cuitegi, na Paraíba, foram os políticos indiciados criminalmente no primeiro inquérito.

Mas apenas o ex-prefeito Antônio Albuquerque se encontra preso. Ele foi capturado em flagrante quando transportava uma caminhonete Silverado e um caminhão roubado. Albuquerque disse que não sabia que os veículos eram puxados, mas o delegado “Bareta” descobriu que os carros seriam usados em sua campanha política, já que ele pretendia disputar as eleições para prefeito de Cuitegi.

Os outros prefeitos e o vereador indiciados já estão com os pedidos de prisão solicitados, mas a decretação depende do juiz Herbert Belizário Júnior, da 1ª Vara Criminal de Teresina. Em poder do mesmo magistrado, existe hábeas corpus pedindo a liberdade do ex-prefeito preso.

Junto com os políticos também foram indiciados, no primeiro inquérito, os soldados da Polícia Militar do Maranhão Ednaldo Rocha Ferreira, soldado Nunes, que estão presos no quartel em Timon, além de Valcir Alves Feitosa (de Teresina), Antônio José Lopes (de Teresina), Sandro Albuquerque, que é apontado como o chefe da base da quadrilha em Santa Inês, Marcos Antônio Vera, que é considerado o chefe de outra base do bando, em Caruaru, Pernambuco, Michael Nunes Cabral (de Santa Inês) e o empresário “Gutemberg Ferro”, de São Luís, que tinha uma frota de tratores roubados pela quadrilha e que ficava alugada para a Companhia Vale do Rio Doce.

As investigações em torno do grupo criminoso iniciaram em novembro do ano passado (2007), quando uma enchedeira foi tomada de assalto no povoado Alegria, na zona sul de Teresina.

O delegado Francisco das Chagas Costa entrou no caso e descobriu uma conexão criminosa que envolve assaltantes, políticos e policiais, que atuam em todo o Brasil e comercializavam uma enchedeira por um preço médio de R$ 200 mil. “Parece que eu mexi em um ninho de cobra. Passei a descobrir roubo de tratores em todo o Nordeste”, disse “Bareta”, ao devolver quatro enchedeiras e um trator de esteira roubado pela quadrilha. Uma das vítimas foi o deputado federal pelo Ceará, Mauro Benevides, que teve uma máquina roubada durante um assalto em um canteiro de obras na divisa do Piauí com o Ceará.

A participação de cada político indiciado – Todos os prefeitos do Maranhão que foram indiciados estavam com enchedeira roubada pelo bando. O delegado “Bareta” concluiu que eles compravam as máquinas e depois alugavam para as suas próprias prefeituras em que comandavam. O aluguel variavam de R$ 15 a R$ 20 mil mensais.

O vereador Odonires Cabral foi indiciado acusado de ter contratado o roubo de caminhões e caminhonetes para o seu tio, ex-prefeito Antônio Albuquerque usar em Cuitegi. Albuquerque foi preso em flagrante.

A participação dos policiais – Os soldados da Polícia Militar do Maranhão que foram indiciados são acusados de conivência com o grupo. Eles foram descobertos através de interceptações telefônicas. Ajudavam os assaltantes a passar com as máquinas nas barreiras.

Os fotógrafos da quadrilha – Antônio José Lopes e Valcir Alves Feitosa foram indiciados por aparecerem como sendo os fotógrafos do bando. Eles não negam que fizeram a foto da enchedeira roubada no povoado Alegria, em Teresina, mas alegaram que fizeram as fotos para oferecer a máquina, já que se dizem corretores. “Corretor coisa nenhuma. As fotos que eles fizeram foi para mostrar se a enchedeira servia para Gutemberg Ferro. Acertaram tudo e a máquina foi tomada durante um assalto”, observa o delegado.

Todos os roubos eram praticados da mesma forma: o bando fotografava a máquina e mostrava para o interessado, quando o negócio era fechado, botava arma na cabeça do tratorista e roubava. Se reagisse, morria. Foi assim que teriam feito com quatro maquinistas e um caminhoneiro.

Concluída a primeira parte dos trabalhos, o caso já está na Justiça. “E tudo recheado de provas”, orgulha-se “Bareta”, que passou noites e noites acordados nos quatro meses de investigações, trabalhando para não deixar nenhuma “brecha” que possa beneficiar os indiciados.

Fonte: Portal AZ

OS NOMES DOS ACUSADOS DE ENVOLVIMENTO

  • Valcir Alves Feitosa, o “Soldado” (de Teresina)
  • Antônio José Lopes (de Teresina)
  • Sandro Albuquerque (de Santa Inês)
  • Marcos Antônio Vera (de Caruaru)
  • Michael Nunes Cabral (de Santa Inês)
  • Orlando
  • Brito
  • Roberval
  • Severino Veras
  • Marcelo
  • Galego
  • Olavo
  • Pio
  • Maria José
  • Almir
  • Zito
  • Serginho
  • Ianglly
  • Juan
  • Luciano
  • Almir
  • Gilberto
  • Luiz
  • Atleta
  • Jacaré
  • Inácio
  • Berg
  • Rocha
  • Gutemberg Ferro (São Luís)
  • E outros que o delegado “Bareta” ainda não pode revelar

OS PRESOS

  • Valcir Alves Feitosa, o “Soldado” (de Teresina)
  • Antônio José Lopes (de Teresina)
  • Sandro Albuquerque (de Santa Inês)
  • Ednaldo Rocha Ferreira (soldado da PM do Maranhão)
  • Nunes (soldado da PM do Maranhão)
  • Dois soldados da PM do Maranhão que o delegado não sabe o nome.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

A emenda continua

Espalharam ontem pela manhã que na noite de sexta-feira o governador Jackson Lago havia pedido que o presidente em exercício da Assembléia Legislativa retirasse de pauta a emenda que permite aos membros da Mesa Diretora concorrer a cargos diferentes. Não é verdade.

Durante reunião com Jackson Lago, na presença dos deputados Antônio Bacelar e Penaldo Jorge, Pavão falou da intenção em colocar a emenda em votação. Jackson sugeriu que a matéria fosse colocada em votação após a chegada de João Evangelista, com o que concordou Pavão.

O governador, ao contrário do que espalharam, em nenhum momento se manifestou contra a emenda. Ao contrário: disse que não iria se envolver em questões internas da Assembléia Legislativa. E mais: deixou claro que nunca pediu votos contra e nem a favor da matéria. A emenda será colocada em pauta no final deste mês. Aguardem!

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

PF volta a investigar a Assembléia Legislativa

Brasão da Polícia Federal

A Polícia federal voltou a investigar os casos das folhas de pagamentos da Assembléia Legislativa do Maranhão. Novos assessores parlamentares começaram a ser ouvidos desde o início da semana passada.

São casos comprovados de elevação de salários de assessores, funcionários laranjas e golpe na Receita Federal através do uso de fantasmas para ganhar com a restituição do IR.

Existem casos em que deputados entregaram ao Setor de Recursos Humanos da AL nomes de pessoas que sequer sabiam que estavam recebendo salários de até R$ 5 mil como funcionário do Legislativo.

Uma senhora que tentou se aposentar teve sua pretensão barrada porque recebia como ISO (cargo Isolado) do gabinete de uma deputada estadual, com salário de R$ 5 mil. Ela, por um determinado período, havia sido empregada doméstica da parlamentar.

O caso chegou ao conhecimento da PF depois que a aposentada denunciou o esquema sem nunca ter recebido um centavo. Um outro caso envolve um ex-jardineiro de outro deputado, que não conseguiu se aposentar porque era alto funcionário do gabinete do parlamentar.

Um parlamentar votado no Alto sertão chegou a nomear um morto e ainda conseguiu tirar empréstimo na agência do Banco do Brasil no valor de R$ 42 mil. Estranhamente ele continua no mandato sem nunca ter sido molestado pela Justiça.

Há dois anos, a Polícia Federal tomou depoimento de dezenas de pessoas envolvidas no negócio, sendo a maioria parentes de deputados. Em setembro, correu comentário de que a PF estaria desencadeando operação em nosso Estado que culminaria com prisão de deputados e desembargadores. Na verdade, era a “Operação Rapina” que levou para detrás das grades mais de 10 prefeitos por desvio de recursos públicos, assim como secretários e contadores que tiveram participação no esquema.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Aniversário

Amigos do secretário de Planejamento, Aziz Santos, iniciaram as primeiras reuniões para ultimar os preparativos para a festa do dia 21 deste, É a data em que o secretário comemora mais um ano de vida bem vivida.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Discreto

ministro de Minas e Energia, Edison Lobão

Quase ninguém soube, mas o ministro Edison Lobão esteve em São Luís na quinta-feira.

Na sua primeira chegada à ilha como ministro, Lobão foi discreto e fugiu dos holofotes da imprensa.

Apagão

O ministro Edison Lobão aproveitou o curto período em que permaneceu na capital para avistar amigos juízes e desembargadores na sede do Tribunal de Justiça.

Foi justamente lá, quando conversava com alguns togados, por voltas das 18h, faltou energia.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

No PDT

O presidente em exercício da Assembléia Legislativa, deputado Pavão Filho, participa no dia 13, quinta-feira, de reunião na sede do seu partido, o PDT, às 18h30.

Vai falar sobre o tema “O PDT e o Parlamento Estadual”. A propósito, Pavão Filho é o primeiro deputado do PDT a exercer o mandato de presidente da Assembléia Legislativa, ainda que interinamente.

PDT e Pavão

O PDT ocupa a principal cadeira do Palácio dos Leões. Tem ainda até o dia 31 de dezembro o assento principal do Palácio Lá Ravardière, e hoje interinamente a presidência da Assembléia Legislativa.

Como deve perder a cadeira de prefeito de São Luís, porque vai indicar o vice numa provável aliança na capital, pode garantir a presidência da AL, a partir de janeiro. Pavão Filho é o membro mais cotado do partido.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Sem sentido

O ex-governador José Reinaldo Tavares continua sua pregação para formar uma frente de libertação em São Luís. Teria sentido se fosse para libertar a cidade das amarras e do atraso.

Porém, o ex-governante quer sair candidato único da base dos governos (estadual e municipal) para polarizar a disputa com os Sarney. Qualquer eleitor que disputar o cargo contra um membro do grupo Sarney tem chances reais de vencer a eleição na capital. Ainda mais se tiver o apoio de Jackson e Tadeu.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.