Queda de Castelo

Pelo menos dois institutos que realizam pesquisas constantes sobre a sucessão municipal de São Luís apontam queda do candidato tucano João Castelo.

 Em um deles, o Escutec, aponta a descida em quase 8% e o outro contratado por um jornal revela a queda em quase 10%.   

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Intervenção

Comentários dando conta de que o PSB nacional iria intervir na decisão do partido local de formar dobradinha com João Castelo preocuparam os coordenadores da campanha tucana em São Luís.

Os boateiros de plantão informaram que o PSB tem orientações para não coligar com partidos de oposição ao governo Lula. Esqueceram, porém, que em Belo Horizonte a sigla se abraçou ao PSDB, com aval da direção nacional. Castelo respirou aliviado.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cerca velha

Ninguém mais do que João Castelo vibrou com a ausência do ex-governador Zé Reinaldo Tavares na convenção do PSDB que homologou a chapa Castelo/Helena.

Comentam que o marqueteiro da campanha tucana teria sugerido a Castelo manter distância do ex-governador porque a imagem dele na capital ainda não é das melhores.

Duda Mendonça teria dito que José Reinaldo Tavares, nesta eleição em São Luís, pode atuar como cerca velha: cai e derruba os outros.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Azar

Depois do episódio de orgias promovidas pelo prefeito Umbelino Ribeiro, em Turiaçu, a candidatura de Ribamar Rabelo, ex-prefeito daquele município, bateu nas alturas.

Porém, Rabelo é inelegível porque teve as contas rejeitadas. Prova de que Turiaçu não tem tido sorte com seus mandatários.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Candidaturas definidas

Encerradas as convenções, nove candidatos estão registrados para disputar a eleição majoritária em São Luís. Uns com chances reais e outros entrando na aventura.

São eles: Clodomir Paz (PDT), Welbon Madeira (PSTU), Valdir Maranhão (PP), Paulo Rios (PSOL), Raimundo Cutrim (DEM), João Castelo (PSDB), Gastão Vieira (PMDB)), Flávio Dino (PCdoB) e Cléber Verde (PRB).

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Péssimo exemplo

Ao verificar os sete municípios maranhense que estão impedidos de receber recursos da merenda escolar  não causa nenhuma surpresa a constatação de que trata-se de cidades recém-criadas.

São elas: Araguanã, Centro Novo do Maranhão, Itaipava do Grajaú, São Francisco do Maranhão, São João do Sóter, São Luís Gonzaga do Maranhão e Serrano do Maranhão.

O pior é que diante de tantos péssimos exemplos, ainda tem deputado querendo formar comissão para discutir a criação de mais municípios.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Lei seca

Em algumas capitais do Nordeste a lei que proíbe motoristas alcoolizados dirigir veículos começou a vigorar, desde sábado.

Ao todo, só nessas capitais nordestinas foram presos cerca de 36 motoristas e 56 carteiras apreendidas. São Luís, por enquanto, ao que parece, continua fora do mapa.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Batalhador

O presidente da Assembléia Legislativa, deputado João Evangelista, embora aconselhado para que dê prioridade ao repouso, descansa carregando pedras.

No último final de semana esteve em cinco municípios participando de convenções para homologação de candidatos aliados. Foi assim em Bom Jardim, Newton Bello e Zé Doca, por exemplo.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

TCU rejeita contas de 3,1 mil de gestores públicos

Lista foi encaminhada ao TSE, que pode rejeitar futuras candidaturas nas eleições de outubro

O Tribunal de Contas da União (TCU) repassou ontem  ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o nome de 3.100 pessoas físicas responsáveis por cargos ou funções públicas que tiveram suas contas rejeitadas. Com a entrega do documento, o TSE pode declarar inelegíveis os gestores que venham a se candidatar nas eleições de outubro deste ano. Porém, a impugnação da candidatura não é automática, pois o tribunal só se manifesta se houver contestação por iniciativa de candidatos, partidos, coligações ou do Ministério Público. A lista está disponível na página do TCU na internet e tem 339 páginas, divididas por cada um dos 27 Estados.                                                                                                                                    

Cabe, posteriormente, à Justiça Eleitoral julgar a procedência – ou não – da contestação da candidatura. No entanto, se houver recurso por parte do impugnado, a lei 64/90 prevê que a condição de inelegível fica automaticamente suspensa. Por isso, a fiscalização por parte do eleitor é considerada o meio mais eficiente para evitar que maus gestores voltem a ocupar cargos  A Bahia é o Estado com o maior número de pessoas na listagem – 488. Em seguida, estão Maranhão, com 408 pessoas, Distrito Federal, com 321, e o Pará, com 304. 

 Em São Paulo, 272 pessoas que exerciam cargos ou funções públicas tiveram as contas rejeitadas e conseqüentemente os nomes incluídos na relação. No Rio de Janeiro, 128 pessoas foram incluídas na lista. Em Minas Gerais, foram 295 nomes. 

Todos tiveram as contas relativas aos cargos ou funções rejeitadas pelo Tribunal de Contas em última instância. Aqueles que já tiveram as contas recusadas, mas que ainda podem recorrer da análise não estão listados. 

A entrega da listagem ao TSE está prevista em lei complementar. Pela regra, o TCU deve encaminhar à Justiça Eleitoral esses nomes até o dia 5 de julho. 

 De acordo com o TCU, a relação será atualizada até 31 de dezembro de 2008, “levando em conta recursos cabíveis, interpostos em tempo hábil, com efeito suspensivo, e inclusões de novos nomes, em razão de condenações após a remessa da primeira relação”, diz o tribunal em nota

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Castelo terá Helena como vice e ganha apoio do PTC

Conforme antecipou há 30 dias o Jornal A Tarde, a médica e ex-secretária Helena Duailibe será confirmada no sábado na convenção do seu partido, o PSB, como a companheira de chapa de João Castelo, do PSDB. Ontem, o PTC do deputado Edivaldo Holanda confirmou que vai homologar apoio à candidatura de Castelo na convenção de amanhã, na Assembléia Legislativa.

Quando o Jornal A Tarde publicou a manchete “Helena Duailibe será a vice de Castelo”, o líder do Bloco Progressista na AL, deputado Marcelo Tavares ocupou a tribuna para desmentir a informação. Disse que o partido não havia cogitado a aliança e que existia uma inclinação pela candidatura de Flávio Dino. Representava naquele momento o pensamento do tio, ex-governador José Reinaldo Tavares, que trabalhou o tempo inteiro para impedir o apoio do PSB ao nome de João Castelo.

 Sabendo do compromisso que Jackson Lago assumiu ainda na campanha do segundo turno em apoiar o nome do ex-presidente da Emap, independente do resultado da eleição de 2006, pessoas mais próximas do governador iniciaram articulações para fortalecer a candidatura de Castelo. A intenção era levar o PDT a indicar o vice, mas Tadeu Palácio operou melhor e conseguiu impor seu candidato na convenção do PDT, Clodomir Paz. Então, os amigos de Jackson Lago tomaram novos rumos para fortalecer o candidato do PSDB.

 O PSB, que já havia assumido o compromisso de fazer aliança com o PCdoB de Flávio recuou. E decidiu oferecer o nome da ex-secretária de Saúde, Helena Duailibe como vice de Castelo. O Palácio dos Leões, discretamente, comemorou.

 APOIO DO PTC

Ontem, o líder do governo, deputado Edivaldo Holanda confirmou ao Jornal A Tarde que o PTC apoiará o nome de João Castelo, mas descartou a hipótese de fazer alianças na proporcional com os tucanos. “Temos um excelente quadro de candidatos, mas devemos formar alianças com outros partidos menores”, informou.

A decisão do PTC foi consciente e uma demonstração de que o partido é leal ao governador Jackson Lago. Afinal, é difícil esconder a preferência do governador pelo nome de João Castelo.          

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Corruptos

O Maranhão figura na relação do Tribunal de Contas da União sobre os gestores que tiveram as contas reprovadas em segundo lugar com 408 pessoas. Perde apenas para a Bahia com 488 corruptos.

O TSE pode declarar inelegíveis os gestores que venham ser candidatos. Porém, a impugnação não é automática.  

Caberá a justiça eleitoral julgar a procedência ou não da contestação da candidatura. Se houver recursos por parte do impugnado a lei prevê que a condição de inelegível fica automaticamente suspensa

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Complicado

Por enquanto, os nomes que constam da relação do TCU como corruptos estariam inelegíveis.

É o caso do deputado Professor Lima por falta de contas aprovadas na sua gestão no Cefet e do deputado Penaldon Moreira, que foi prefeito de Presidente Sarney.   

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.