Os partidos e políticos que não querem a eleição de Flávio Dino ao Senado Federal estão perdendo tempo por falta de estratégias que possibilitem a união de todos, direta ou indiretamente. Pior ainda: a indecisão do senador Roberto Rocha, que é o segundo lugar nas pesquisas, e vai levando tudo na barriga para chegar muito tarde e informar que estará fora da disputa.

Vejam que ainda em 2020, quando Flávio Dino saiu mentindo em todos os cantos do Maranhão e, por força de contratos publicitários espalhava fake news vendendo sonhos, apresentando que nosso estado era o melhor em tudo, no emprego, saúde, educação e no combate a pobreza, Fez todo mundo acreditar que não temos fome e os melhores IDHs do Brasil são nossos.

Tudo mentira! Veio o IBGE e outros institutos e desmascarou o pior governador de todos os tempos no Maranhão. Logo, quem ostentava 77%  de preferência do eleitorado para o Senado  despencou, caindo para 58% ainda no primeiro semestre de 2021 e em seguida a queda maior, descendo para 44% no final do mesmo ano. Enquanto isso, o senador Roberto Rocha já atingia 22%, ocupando o segundo lugar.

Como Rocha e nenhum outro pretendente não faz pré-campanha e Flávio Dino saiu comprando partidos e políticos, Dino voltou a cresce e hoje já atinge 51%, conforme o último levantamento do Exata.

Então, para derrotar o ex-governador basta os partidos com candidato a governador apoiarem o nome de Roberto Rocha, independente de ser senador Bolsonarista ou não. O prefeito de São Pedro dos Crentes saiu na frente e aceitou apoiar a reeleição do senador. Edivaldo Holanda Júnior também pode fazer o mesmo, assim como o deputado federal Josimar do Maranhãozinho.

Ao concluir que Dino quer trucidar o pré-candidato do PDT, usando de todos os meios e da máquina, Weverton Rocha não precisa se posicionar abertamente, mas basta liberar seus aliados que a ampla maioria votará pela reeleição de Roberto Rocha.

Em assim sendo, adeus Flávio Dino. Sem contar que o atual presidente da República passou a ameaçar a vitória de Lula da Silva. Vamos aguardar!

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.