Era tudo que Flávio Dino pedia nas igrejas evangélicas, rezava nas católicas e solicitava aos pais de santos que o senador Roberto Rocha não entrasse na disputa pela reeleição ao Senado Federal.

Rocha ganhou hoje, quinta-feira (31), o comando do PTB e aceitou a missão delegada pelo presidente Jair Bolsonaro para disputar a vaga de governador, deixando de lado Flávio Dino sozinho na luta para ser senador.

Ocorre que Rocha era o único nome, até ontem, com capacidade para enfrentar Dino e já aparecia sempre na segunda posição, atraindo os eleitores maranhenses insatisfeitos com a péssima gestão comunista no estado.

Para que se tenha ideia, em várias pesquisa até o final de 2020, Flávio Dino liderava com folga, chegando a atingir até 77%, enquanto o nome de Roberto Rocha não ultrapassava dos 3%.

Mas a situação foi  mudando, ao ponto do senador chegar a 26% e Dino cair para 42%, antes das pesquisas registradas. Mas ainda tem tempo para surgir um novo nome.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.