A assinatura foi feita na manhã desta sexta-feira (04), pelo presidente Jair Bolsonaro, acompanhado do ministro da Educação Milton Ribeiro. O piso salarial dos professores da educação básica passa a ser acrescido de 33,2%, subindo o salário inicial para R$  3.845,63, obrigatório em todo o território nacional.

O presidente tomou a decisão contrariando as orientações dos Ministério da Economia e da Casa Civil, que queriam conceder um reajuste máximo e vergonhoso de 7,5% , deixando o piso com menos de R$ 3 mil. Antes, era de apenas R$ 2.886.

Com a medida, o governo federal reconhece a importância da valorização do professor, que não depende apenas da questão salarial, mas de seguranças e conforto nas salas de aulas, bem como o aperfeiçoamento pessoal dos mestres.

Na contramão, governadores já se reunirão contra o aumento e querem que a União conceda subsídios ou outras compensações financeiras. A Confederação Nacional dos Prefeitos pede que a medida não seja cumprida e que os aumentos devem ser de acordo com a inflação.

Os professores de todo o Brasil, que vivem momentos de intensas lutas para garantir o rateio da verba do Fundeb, terão uma batalha mais árdua pela implantação do novo aumento concedido pelo presidente Bolsonaro.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.