Blog do Ricardo Santos

Texto de domingo do sociólogo Paulo Romão sobre a “intransigência” do governador que é ex-juiz, mas não quer cumprir a lei, que segundo o texto, Flávio Dino erra em não dialogar com os professores, que buscam ser valorizados por aquele que diz nas propagandas que “valoriza a educação”.

Opinião de Paulo Romão – Sociólogo – Pré-candidato ao Senado Federal pelo PT/MA

Romão é pré-candidato a senador pelo PT, mas pode ser rifado por uma manobra do governador Flávio Dino (PSB), que pretende trazer a ex-presidente Dilma Rousseff do PT para sua chapa de senador. Confira abaixo:

Ser professor é um estado permanente de fazer de revolução

Aqui no Maranhão, os professores que nos ensinam a ser combativos frente à vida, lutam bravamente para serem ouvidos pelo governo do estado, liderado por um professor universitário.

Nas redes sociais do governador Flávio Dino , a democracia está elevada à máxima potência , mas no mundo real sobram indelicadezas e confrontos diários marcados pela falta de respeito e diálogo.

O governo Flávio Dino ( PSB ) tem avanços notáveis na política de educação do estado e isso precisa ser reconhecido para lembrar ao próprio governo que não será combatendo os professores que as coisas vão melhorar.

Todas as vezes que o governo Flávio Dino ( PSB ) se permitiu abrir ao diálogo com a sociedade , boas iniciativas foram gestadas.

Ser professor é um estado permanente de fazer de revolução. O Professorado maranhense faz revolução ao se contrapor ao discurso governista enganador da sociedade sobre pagar o maior piso salarial do país .

O Professorado maranhense faz revolução ao criticar abertamente o desrespeito e falta de parâmetro ético no diálogo sobre o cumprimento da Lei do Piso Salarial Nacional do Magistério. O governo Flávio Dino ( PSB) mente descaradamente para fazer com que os professores passem por mentirosos perante a sociedade.

Há uma tática claramente fascista em curso .

Este esforço concentrado de marketing baseado na repetição exaustiva e sistemática de uma mentira para transformar -se numa verdade , é fascista e merece todo nosso repúdio .

O governo do Maranhão engana a sociedade com essa afirmação de que paga o maior piso salarial do país. É pura propaganda mentirosa que não chega aos contracheques dos professores da rede pública estadual .

As cenas de intransigência política do governador Flávio Dino no diálogo sobre a reposição salarial com a categoria de professores , tomam conta das redes sociais e demonstram que este governo quer se perpetuar no poder , mas não para cuidar dos interesses da população.

Não creio que qualquer conselheiro político governista entenda que estes enfrentamentos diários são positivos para a imagem do governador. Há muito incômodo com as necessárias críticas sobre a deplorável , autoritária e equivocada postura do governador Flávio Dino ( PSB ) neste debate .

É falta de costume com o pensamento divergente . Ele odeia ser contraditado . Mas nesta pauta não tem poder de juiz para calar uma categoria profissional tão politizada e organizada quanto a nossa .

É um enorme vexame que o governador Flávio Dino ( PSB) se irrite facilmente com cartazes contrários à verdade governamental dele ser o pagador do “ maior piso salarial do Brasil “ e ordenar a que a Polícia Militar do Maranhão contenha as críticas .

A política pública de educação do Maranhão será caso de polícia daqui para frente?

O estado policialesco agindo para conter a falta de articulação política do governo remonta a tempos indesejáveis das baionetas dos coronéis .

O governo Flávio Dino ( PSB ) construiu eficientes redomas retóricas de “ melhor governo “ , “ maior piso salarial do Brasil “, e como a realidade é diferente , e não repercute no contracheque dos professores , se chocam , se escandalizam e ficam raivosos com quem ousa discordar .

Até mesmo os adoradores dinistas sabem que brigar com a categoria de profissionais mais capilarizada da sociedade em pleno ano eleitoral , não é um bom negócio. A lei do piso é para ser cumprida e quem acha que o diálogo é importante, precisa avisar isso ao Governador.

Cumpra a lei, Flávio Dino.

Pague o reajuste salarial dos professores e demais profissionais da educação no Maranhão. Por ora, se acumulam cenas lamentáveis de instransigência e demonstração vazia de poder pelo gogó no palanque .

Flávio Dino, senhor governador , saiba que você não vai vencer essa guerra travada contra os professores mentindo para a sociedade e desacreditando os profissionais do nosso sistema estadual de educação , para figurar bem na sua propaganda governamental .

Estes dribles de vaca em o governo sempre busca uma interpretação mais favorável, resulta nesta bizarrice jurídica , em que no Maranhão , a Gratificação Adicional de Magistério- GAM vira salário por decisão judicial do Tribunal de Justiça.

Tudo parece estar dominado. Mas os professores estão em revolução e a resistência em curso .

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.